A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ELENICE MARIA CAMMAROSANO ONOFRE UFSCar/SP SEMINÁRIO INTERNACIONAL – EDUCAÇÃO EM PRISÕES: CONVERGÊNCIAS E PERSPECTIVAS Uma oportunidade.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ELENICE MARIA CAMMAROSANO ONOFRE UFSCar/SP SEMINÁRIO INTERNACIONAL – EDUCAÇÃO EM PRISÕES: CONVERGÊNCIAS E PERSPECTIVAS Uma oportunidade."— Transcrição da apresentação:

1 ELENICE MARIA CAMMAROSANO ONOFRE UFSCar/SP SEMINÁRIO INTERNACIONAL – EDUCAÇÃO EM PRISÕES: CONVERGÊNCIAS E PERSPECTIVAS Uma oportunidade de reconciliação com o ato de aprender ATIVIDADE DE REFLEXÃO E CONVERGÊNCIAS EIXO TEMÁTICO – EDUCAÇÃO: DIREITO DE TODOS

2 INICIANDO O DIÁLOGO... Diego não conhecia o mar. Um dia seu pai levou-o para que o descobrisse. Viajaram ao sul. Ele, o mar, estava do outro lado das altas dunas, esperando... Quando por fim o menino e o pai alcançaram aqueles cumes de areia, depois de muito caminhar, o mar estava diante de seus olhos. E foi tamanha a imensidão do mar, e tanto o seu fulgor, que o menino ficou mudo por causa da beleza. Quando finalmente conseguiu falar, trêmulo, balbuciante, pediu ao pai: - Me ajude a olhar. (Eduardo Galeano)

3 DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO EM PRISÕES QUESTÕES POSTAS COMO ESTABELECER O DIÁLOGO ENTRE O REAL PUNITIVO DA PRISÃO E O IDEAL LIBERTADOR DA EDUCAÇÃO? COMO IMPLEMENTÁ-LAS? A PRISÃO PODE SE CONSTITUIR EM UM ESPAÇO EDUCATIVO?

4 A PRISÃO COMO ESPAÇO EDUCATIVO O QUE É PRECISO SABER PARA SER EDUCADOR EM ESPAÇO COM PRIVAÇÃO DE LIBERDADE? QUE PRÁTICA PEDAGÓGICA É EXERCIDA? QUE AÇÕES SÃO POSSÍVEIS?

5 O ser humano para se libertar deve ser protagonista de sua história (FIORI) Dialogar é reconhecer o mistério do outro (DUSSEL) A educação se faz em comunhão para ser libertadora (FREIRE)

6 DE QUE CIDADÃOS ESTAMOS FALANDO Como acontece a educação como direito antes/ durante e depois do castigo? A quem se castiga? Porque se castiga? Que práticas educativas são oferecidas? Qual o impacto das práticas educativas na prisão? A educação é um direito de todos os cidadãos

7 Dilemas vivenciados SENSIBILIZAÇÃO DOS ENVOLVIDOS RESPEITO AOS DIREITOS HUMANOS NO COTIDIANO PRISIONAL RESISTÊNCIA A MUDANÇAS COM VISTAS À TRANSFORMAÇÃO DA REALIDADE RELAÇÕES DE PODER NÃO PERMITEM O DIÁLOGO ENTRE EQUIPE DE EDUCADORES PRÁTICAS SOCIAIS QUE PROMOVAM REINSERÇÃO SOCIAL DE MANEIRA EFETIVA

8 PERSPECTIVAS PRISÃO COMO INSTITUIÇÃO EDUCATIVA POSSIBILIDADE EMANCIPADORA

9 AS VOZES DOS SILENCIADOS EMERGEM COMO PONTO DE PARTIDA DAS AÇÕES EDUCATIVAS VIDA COTIDIANA PRISIONAL EIXO DA FORMAÇÃO DE SEUS ATORES

10 PEDAGOGIA DA INDIGNAÇÃO PEDAGOGIA DAS CONVICÇÕES FIRMES PEDAGOGIA DA ADMIRAÇÃO ALIMENTAM E MOVEM AS DECISÕES QUE ASSUMIMOS COM A EDUCAÇÃO PRISIONAL, GARANTINDO O DIREITO À CIDADANIA DE HOMENS E MULHERES EM SITUAÇÃO DE PRIVAÇÃO DE LIBERDADE.

11 ... para que haja justiça, solidariedade, vontade diante das vítimas, é necessário criticar a ordem estabelecida para que a impossibilidade de viver destas vítimas se converta em possibilidade de viver e viver melhor. ( Enrique Dussel).

12 ... TUDO ISSO NÃO É SIMPLES DE ACONTECER COMO O É DE DIZER... (SILVA, 1988)

13 O PERTENCIMENTO DO EDUCADOR LHE PERMITE DAR A VOLTA: PARA CONHECER AS COISAS, HÁ QUE DAR- LHES A VOLTA TODA (SARAMAGO)


Carregar ppt "ELENICE MARIA CAMMAROSANO ONOFRE UFSCar/SP SEMINÁRIO INTERNACIONAL – EDUCAÇÃO EM PRISÕES: CONVERGÊNCIAS E PERSPECTIVAS Uma oportunidade."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google