A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos António Câmara Universidade Nova de Lisboa e YDreams 16 de Abril, 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos António Câmara Universidade Nova de Lisboa e YDreams 16 de Abril, 2007."— Transcrição da apresentação:

1 A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos António Câmara Universidade Nova de Lisboa e YDreams 16 de Abril, 2007

2 A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos –Factos –A visão de um investigador –A visão de um empreendedor SimCity –O jogo –Uma síntese de duas visões –Limitações WikiCity –A cidade colaborativa –A cidade creativa –WikiLisboa Conclusões

3 A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos Factos –130 pessoas migram do campo para as cidades por minuto –5 megacidades com mais de 20 milhões de habitantes –150 cidades com mais de 2.5 milhões de pessoas –A dimensão da economia de Nova York é equivalente à da Rússia

4 A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos Factos –O Mundo não é plano –Actividade económica inferida pelas emissões de luz

5 Factos –O Mundo não é plano –Inovação medida pelo número de patentes A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos

6 A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos A visão de um investigador –Escala micro Problemas urbanos resolvidos pela ciência Locais na cidade onde se faz ciência

7 A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos A visão de um investigador –Escala macro CategoriasSubcategorias FísicaSolo Água Ar HumanaPopulação Actividades Património e infraestruturas BiológicaFauna Flora Espaços naturais Portugal Digital, Pavilhão do Território, Expo98

8 A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos A visão de um empreendedor Entretenimento –Jogos baseados em localização..\Google Earth.lnk..\Google Earth.lnk Advertising –Mobiliário urbano interactivo Educação e cultura –Miradouros virtuais Ambiente e qualidade de vida –Alertas para o tráfego

9 SimCity O jogo –SimCity é um dos vídeojogos mais populares da história com 30 milhões de cópias vendidas –Inspirou-se originalmente no trabalho de Richard Duke (Metropolis, 1964), Jay Forrester (Urban Dynamics, 1969) e economia urbana clássica –SimCity é essencialmente um modelo de simulação associado a um sistema de visualização de informação espacial –SimCity ensina a gerir um sistema complexo com base numa selecção inteligente de informação dinâmica.

10 SimCity Uma síntese de duas visões –SimCity inclui a interacção entre o orçamento público e os valores da propriedade privada –O jogo baseia-se no modelo tradicional de economia urbana dividindo os sectores em exportadores e não exportadores –A cidade é representada como um conjunto de anéis concêntricos

11 SimCity Uma síntese de duas visões –O modelo central do jogo é baseado na dinâmica dos usos do solo (zonamento e transacções) –Os valores para variáveis representando o tráfego, energia, e recursos hídricos resultam dessa dinâmica –Will Wright, o autor de SimCity, estabeleceu a ponte para a escala micro com The Sims e pretende aprofundar essa visão com a exploração de negócios locais

12 SimCity Limitações –SimCity assume que o jogador estipula os valores para as variáveis de controlo ditatorialmente. Não há espaço para a tomada de decisões de forma colaborativa –O modelo económico em que se baseia o SimCity está desajustado à maioria das cidades contemporâneas, nomeadamente as que se baseiam em actividades criativas –Estas são também limitações actuais da ciência e da economia urbanas

13 WikiCity A cidade colaborativa –Os sistemas tradicionais de media são passivos –A Internet passou a permitir a exploração e interpretação da informação –A Web tem evoluído no sentido de encorajar a colaboração (Wikipedia) e a votação (Digg) –A participação colaborativa no planeamento urbano em larga escala é possível..\Google Earth.lnk..\Google Earth.lnk Participação pública via comentários geo-referenciados (Barreiro)

14 WikiCity A cidade colaborativa –O modelo colaborativo via Internet fixa e móvel tem sido utilizado em monitorização ambiental, emergências, manifestações políticas e entretenimento –A cidade é também um mosaico de visões individuais como as que o DCMetroblogmap apresenta

15 WikiCity A cidade criativa –Richard Florida tem popularizado o conceito da cidade criativa (http://www.creativeclass.org/):http://www.creativeclass.org/ Cidades que são autênticas, informais, tolerantes, com qualidade de vida Cidades que usualmente possuem uma ou mais universidades de classe mundial Cidades que são atractivas para a classe criativa (estimada em cerca de 150 milhões de pessoas em todo o Mundo) Cidades onde a economia do conhecimento prospera –Os críticos de Florida têm apontado inconsistências na sua análise mas o conceito vem-se expandindo globalmente

16 WikiCity A cidade criativa –Paul Graham retoma o tema com o provocador How To Be Silicon Valley (http://paulgraham.com/siliconvalley.html) onde enumera os factores que permitem o desenvolvimento da economia do conhecimento:http://paulgraham.com/siliconvalley.html Universidades de classe mundial Talentos atraídos pelas universidades Investidores atraídos pelos talentos

17 WikiCity WikiLisboa –Lisboa pode ser um caso exemplar de uma cidade colaborativa –O GoogleEarth (http://earth.google.com/) e o Google Sketchup (http://sketchup.google.com/) são ferramentas de basehttp://earth.google.com/http://sketchup.google.com/ –Adoptando modelos de simulação correndo sobre o Google Earth como no projecto Virtual Tejo ( poderíamos criar um WikiSimLisboa

18 WikiCity WikiLisboa –Lisboa pode também ser um centro da economia do conhecimento –O primeiro passo é reformar a universidade: a atracção de talentos de classe mundial deve ser a prioridade –Atraír talentos irá atraír investimentos –Simular esta estratégia no WikiSimLisboa será certamente um desafio

19 Conclusões O Mundo não é plano: os centros em que a ciência está mais desenvolvida são também aqueles que prosperam económicamente O jogo SimCity baseia-se nos paradigmas clássicos de desenvolvimento urbano. Estes paradigmas baseados em investigação científica de décadas têm uma limitação fundamental: ignoram o papel da ciência na economia (e particularmente na economia do conhecimento) Esses paradigmas ignoram também a contribuição de ferramentas colaborativas Propõe-se o desenvolvimento de uma nova abordagem participatória em que estratégias associadas ao desenvolvimento da ciência sejam utilizadas. Lisboa é proposta para caso ilustrativo


Carregar ppt "A Cidade, a Ciência e os Vídeojogos António Câmara Universidade Nova de Lisboa e YDreams 16 de Abril, 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google