A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Universidade Federal de Campina Grande Centro de Tecnologias e Recursos Naturais Unidade Acadêmica de Engenharia Civil Área de Recursos Hídricos Disciplina:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Universidade Federal de Campina Grande Centro de Tecnologias e Recursos Naturais Unidade Acadêmica de Engenharia Civil Área de Recursos Hídricos Disciplina:"— Transcrição da apresentação:

1 Universidade Federal de Campina Grande Centro de Tecnologias e Recursos Naturais Unidade Acadêmica de Engenharia Civil Área de Recursos Hídricos Disciplina: Introdução ao Geoprocessamento Professora: Iana Alexandre Equipe: Afrânio Galdino Junior Camila Macêdo de Medeiros Jefferson Batista de Andrade Maria Augusta Maracajá Neta Geoprocessamento e Transporte

2 Introdução SIG. Conjunto de ferramentas computacionais composto de equipamentos e programas que por meio de técnicas, integra dados (das mais diversas fontes), pessoas e instituições, de forma a tornar possível a coleta, o armazenamento, a análise e a disponibilização, a partir de dados georreferenciados, de informações produzidas por meio de aplicações, visando maior facilidade, segurança e agilidade nas atividades humanas referentes ao monitoramento, planejamento e tomada de decisão relativas ao espaço geográfico.

3 Uma breve apresentação Os Sistemas de Informação Geográfica (SIG) têm se tornado uma importante instrumento de auxílio na resolução de problemas de Transportes. Tal afirmação provém da constatação do aumento do número de estudos que se utilizam desse tipo de sistema de informação no planejamento, na gestão, na operação e na análise de sistemas de transportes. Nos últimos anos da década de 80 e principalmente nos anos 90, observa-se a intensificação do uso do Sistemas de Informação Geográfica em Transportes.

4 SIG aplicado ao trânsito e transportes Os SIGs podem ser utilizados para auxiliar o gerenciamento de infra-estrutura, logística, administração de frotas e diversas outras tarefas relacionadas a transporte, sendo também muito útil no monitoramento de ferrovias e rodovias. Utilizando-se dessa tecnologia, podemos encontrar caminhos ou, eventualmente, determinar a melhor (mais curta ou mais rápida) rota para entrega de produtos e serviços, além de calcular tempos e custos, e chegar a um ponto de equilíbrio. Isto pode ser empregado na determinação de quais veículos devem atender a determinadas localizações de consumidores e a melhor seqüência de atendimento, de forma a minimizar o tempo de viagem.

5 SIG aplicado ao trânsito e transportes Algumas das funcionalidades aplicadas à área de transporte são: Sistema de navegação veicular; Mostrar o caminho de um veículo através de uma via; Encontrar uma localização (exemplo: através do código postal); Encontrar o menor caminho entre duas diferentes localidades (distância,consumo, tempo); Dar instruções ao motorista (texto, voz ou gráfico); Obter informações sobre a saída mais próxima (ou posto, cidade); Gerar informações sobre: acidentes, mudanças possíveis do curso atual, dentre outras.

6 O SIG-T é um sistema de informações geográficas para o planejamento regional de transportes esse sistema está sendo desenvolvido, visando a utilizar os melhores dados disponíveis, de forma compartilhada, evitando-se a superposição das atividades de obtenção e organização de bancos de dados geo- referenciados. O SIG-T permitirá ao Ministério dos Transportes, em cooperação com o BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, promover maior integração dos Sistemas de Informações Geográficas no âmbito da Iniciativa pela Integração da Infra- Estrutura Regional Sul-Americana – IIRSA

7 O objetivo do projeto é conceber, desenvolver e implantar, em instâncias do Ministério dos Transportes e ligadas, um sistema de informações geo-referenciadas, visando à: A utilização futura e à contínua manutenção do acervo de dados compilados e consolidados ao longo do projeto; A análise dos resultados obtidos, tendo em vista, principalmente, a sua contextualização espacial ; Apoiar a realização de exercícios de simulação, permitindo o exame de soluções alternativas e/ou atualizadas para as questões abordadas, possibilitando o exercício do planejamento regional de transportes de forma permanente.

8 Os produtos a serem gerados Proposição de infra-estrutura nacional de dados espaciais para planejamento e gestão de transportes. O objetivo é criar um mecanismo de interoperabilidade de informações geo-referenciadas de interesse ao planejamento e gestão de transportes, nas diversas instâncias nacionais relacionadas ao setor, governamentais e não governamentais ; Implantação e treinamento do sistema de informações para o planejamento de transportes, compreendendo um banco de dados geo-referenciados, mecanismos de busca e consulta de dados, recursos de manutenção da base de dados e ferramentas para análise e simulações de redes de transporte e respectivos carregamentos.

9 Sistema de localização O AVL (Automatic Vehicle Location) é um sistema ou serviço de localização que monitora a posição de um veículo a cada momento enquanto este se desloca sobre a superfície da Terra. Esta informação, juntamente a outros dados que podem ser coletados, permitem a realização de operações associadas, de acordo com a necessidade de cada usuário, como serviços de segurança, logística e controle de frotas.

10 Planejamento de transportes urbanos: sistema viário e de transportes públicos O crescimento desordenado das cidades tem provocado o surgimento de muitos problemas relacionados com a qualidade de vida da população tornando imprescindível à discussão em torno do planejamento nas cidades de porte médio e grande. Segundo VASCONCELLOS (2000) o planejamento de transportes define toda a infra-estrutura viária: vias, calçadas, os terminais, os veículos de transporte público, a estrutura de vias e a freqüência das viagens. E o planejamento de circulação define a forma de uso de toda estrutura viária, tanto pelas pessoas quanto pelos veículos, tendo como atividades essenciais à legislação, a engenharia de tráfego, a educação e a fiscalização. Dessa forma o planejamento de transportes deve ser pensado levando em consideração variáveis contidas no espaço, relacionando-as com suas respectivas características sócio-econômicas, bem como locais produtores de viagens (supermercados, parques, escolas, universidades, hospitais, indústrias, etc.) densidades demográfica, reservas naturais e características físicas, como topografia, barreiras físicas e plantas urbanas, propondo a implantação de um sistema de transporte mais racional.

11 Sistema de localização PROCESSO PARA RASTREAMENTO DE VEÍCULOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO OBTIDO PELA LOCALIZAÇÃO, INTERSECÇÃO E DESLOCAMENTO DOS SINAIS DOS TELEFONES CELULARES DOS USUÁRIOS EMBARCADOS

12 Aplicações O geoprocessamento aplicado à gestão dos transportes público: Na pesquisa é apresentado um aplicativo utilizando o Geoprocessamento, e os Sistemas de Informações Geográficas – SIG, que aliados ao Diagrama de Voronoi, que, diagnosticando a situação dos pontos de paradas de ônibus do bairro de Jaguaribe, na cidade de João Pessoa – PB. O diagrama de Voroni torna-se possível montar estratégias para auxiliar tanto na manutenção de Sistemas de Transportes Urbanos quanto na melhoria dos serviços prestados a população possibilitando agrupar dados vindos de diferentes órgãos municipais. Como resultado da pesquisa foram gerados, como produtos finais, quatro mapas temáticos, apresentando variáveis como população e densidade demográfica. A partir das análises destes mapas é possível traçar operações envolvendo os pontos de paradas de ônibus de forma rápida e precisa. Contribuindo, assim, para a melhoria dos serviços prestados a população usuária dos transportes públicos.

13

14

15 Estudo De Caso Tema: O Geoprocessamento Como Recurso Para Analise Das Ocorrências Em Linhas De Ônibus Urbanos Em Belo Horizonte Autor :Alexandre De Carvalho - (2002)

16 Principais Tópicos De Estudo Oferta de transporte Custos Qualidade dos serviços prestados Assaltos Segundo o trabalho realizado pelo Grupo Executivo de Transporte Urbano – GETRANS(Brasília), o número de assaltos a ônibus e a passageiros é superior a 50 por dia, em algumas capitais.

17 Conseqüências Passageiros estão deixando de usar o transporte coletivo nos horários de pouco movimento; Empresas estão suspendendo o serviço de transporte em áreas perigosas; Motoristas têm se recusado a cumprir determinados itinerários;

18 Número de Assaltos Dados fornecidos pela Viação Serra Verde Ltda, em Belo Horizonte.

19 Objetivo Georreferenciar os locais com maior incidência de assaltos nos transportes coletivos pertencentes à Viação Serra Verde Ltda;

20 Geoprocessamento Nas Áreas De Transporte E Trânsito Associa informações geográficas a bancos de dados convencionais; Facilidade no planejamento, projeto, operação e monitoração dos sistemas de transporte e trânsito; Informação sobre a infraestrutura do transporte, como condições de estradas, volume de tráfego, taxa de acidentes etc; Representar redes de tráfego e de avaliar a condição de utilização do transporte público;

21 Metodologia Adotada Para o desenvolvimento desse estudo utilizou-se o SIG Mapinfo.

22 Descrição da Área de Trabalho

23

24 Cadastramento dos Itinerários 3501A - Jardim Alvorada / São Marcos; 5502A – Jardim Vitória; 5502B – Capitão Eduardo; 5502C – Pousada Santo Antônio; 607 – Pedra Branca /Jaqueline (Ribeirão das Neves / Belo Horizonte); 9030 – Castanheiras / Centro (Sabará /Belo Horizonte);

25 Análise De Das Ocorrências Para cada linha foi gerado um mapa para melhor visualização das áreas de maior concentração de assalto. No mapa seguinte, linha 5502A, observamos que grande parte das ocorrências de assaltos ocorrem dentro de favelas e nas proximidades dos pontos finais da linha.

26

27

28 Conclusão A incidência de assaltos é maior nos bairros próximos às favelas; Nas proximidades dos pontos finais das linhas de ônibus;

29 Soluções Comunicação direta com os líderes comunitários das regiões. Criação de uma linha de transporte escolar, que atenda funcionários e alunos das escolas do bairro mediante a cobrança de uma tarifa 50% menor do que a comum; Participação da prefeitura no programa, investindo em obras e serviços; Criação de uma parceria com os batalhões da Polícia Militar que atendem as regiões mais afetadas; A instalação de cofres em todos os veículos das linhas de ônibus mais afetadas.

30 Obteve êxito?

31

32 Conclusão Conclui-se que o Geoprocessamento é de suma importância para o planejamento de transportes, auxiliando como instrumentos de apoio à tomada de decisão, permitindo análises e simulações sobre dados comumente dispersos e independentes, procedente de diversas fontes. O geoprocessamento tem provocado ser uma ferramenta de integração de banco de dados informatizados e de visualização de informações, promovendo sobremaneira as atividades de planejamento, projeto, operação e monitoração dos sistemas de transporte e trânsito.

33 Referências Bibliográficas Brasileiro, Luzenira Alves; Aguiar, Josiane. Uma análise sobre a utilização de sig-t no roteamento de veículos de coleta de resíduos de serviços de saúde Carvalho, Alexandre de; O geoprocessamento como recurso para analise das ocorrências em linhas de ônibus urbanos em Belo Horizonte – um estudo de caso. Monografia apresentada ao Curso de Especialização em Geoprocessamento da UFMG, Silveira; Thyago de Almeida; Barros Filho Marcello Benigno de B. O geoprocessamento aplicado à gestão dos transportes públicos. 1º Simpósio de Geotecnologias no Pantanal, (acessado em 12/06/2009)


Carregar ppt "Universidade Federal de Campina Grande Centro de Tecnologias e Recursos Naturais Unidade Acadêmica de Engenharia Civil Área de Recursos Hídricos Disciplina:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google