A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Escola Estadual Adventor Divino de Almeida Campo grande dia 19 de maio de 2008 Professora° Sandra Alunas:Grazielle e Vanessa n°18 e 36 Disciplina:Biologia.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Escola Estadual Adventor Divino de Almeida Campo grande dia 19 de maio de 2008 Professora° Sandra Alunas:Grazielle e Vanessa n°18 e 36 Disciplina:Biologia."— Transcrição da apresentação:

1 Escola Estadual Adventor Divino de Almeida Campo grande dia 19 de maio de 2008 Professora° Sandra Alunas:Grazielle e Vanessa n°18 e 36 Disciplina:Biologia Turno:Vespertino 2°ano A

2

3 A reprodução assexuada ocorre quando se formam clones a partir de um ser vivo. Não é necessária a intervenção de gametas. Os novos seres podem nascer a partir de fragmentos do ser vivo. Entre os animais, um dos exemplos mais conhecidos é o da estrela-do-mar que, ao perder um dos braços, pode regenerar os restantes, formando-se uma nova estrela-do-mar do braço seleccionado. O novo ser é geneticamente idêntico ao "progenitor". É o que se chama um "clone ".

4 ( A estaquia é um processo de reprodução vegetativa, realizada pela coleta de ramos verdes de plantas pré-selecionadas, os quais passam por um processo de desinfecção, aplicação de hormônio e nebulização para o seu enraizamento e brotação. Ferramentas de corte: o tipo de instrumento vai depender da planta que será utilizada. Ramos lenhosos exigem tesouras de poda mais fortes. Você poderá utilizar facas, canivetes, tesouras, alicates, serras, etc. O cuidado com estas ferramentas deve ser impecável. As lâminas devem ser muito bem afiadas e desinfetadas antes a após o uso, para evitar doenças transmissíveis. Recipientes: Você pode reciclar potes plásticos de margarina, requeijão; garrafas pet, caixinhas de leite e muitas outras embalagens que poderiam ir para o lixo.

5 Pequenos sacos plásticos são imprescindíveis para grandes quantidades e podem ser adquiridos em grandes floriculturas. Substratos: Dependendo da espécie a ser multiplicada, utilizaremos um ou outro substrato. Algumas plantas epífitas, exigem fibra de côco, por exemplo. Assim, estude e pesquise qual substrato se encaixa melhor para as suas estacas e lembre-se que nem sempre o substrato da planta adulta é o melhor para a produção das mudas. Outros itens: Identificadores, como plaquinhas e etiquetas plásticas devem ser utilizadas. Hormônio enraizador em pó combinado a um bom fungicida pode alavancar as suas chances de sucesso, tente adquirir algum. Com o material em mãos verifique qual o melhor tipo de estaquia. Vasos e substratos devem se adequar à espécie de planta propagada Foto: Hajime NakanoHajime Nakano

6 Alporquia O método da alporquia é um dos métodos mais antigos usados para a reprodução de plantas. É recomendado para a multiplicação de espécies que produzem caules e ramos rijos e lenhosos ou que sejam difíceis de enraizar por estacas de galho. Dentre os métodos de reprodução vegetativa, a alporquia é especialmente indicada para plantas que perderam suas folhas inferiores e ficaram com sua aparência comprometida. O processo consiste, principalmente, em incentivar uma região próxima à extremidade de um caule principal ou de um ramo lateral a produzir raízes. Assim, com a separação da extremidade enraizada, é possível obter um novo exemplar da planta. Uma das grandes vantagens deste método é que o funcionamento vegetativo da planta não é prejudicado, de forma a preservar e até favorecer a planta-mãe. Outra vantagem da alporquia é permitir o controle do crescimento de plantas que crescem em damasia para o cultivo em interiores, como a costela-de-adão, comigo- ninguém-pode e outras. Quando se pretende usar o método para a obtenção de novos exemplares, recomenda-se selecionar ramos laterais para a operação. Por outro lado, quando a intenção for controlar a altura, deve-se fazer o alporque na extremidade do caule principal.

7 Processo de alporquia Um exemplo de planta criada pelo método alporquia

8 A enxertia é um método de obtenção de novas plantas pelo processo assexuado de multiplicação vegetativa, com a intervenção humana. Consiste em transplantar uma muda chamada cavaleiro ou enxerto, em outra planta denominada cavalo ou porta- enxerto, provida de raízes. O cavalo e cavaleiro devem ser de plantas da mesma espécie ou de espécies próximas. Existem vários tipos de "enxertos". Em uma técnica bastante utilizada, o cavaleiro deve apresentar mais de uma gema ou botão vegetativo e os câmbios (tecido meristemático) de ambos (cavalo e cavaleiro) devem entrar em contato. As gemas do cavalo devem ser retiradas para que a seiva seja conduzida às gemas do cavaleiro. Dentre as vantagens da técnica da enxertia podemos destacar a seleção de plantas com raízes resistentes a certas doenças e utilizá-las como cavalo, assim a reprodução vegetativa de espécies sensíveis a essas doenças torna-se mais eficiente. Ex. pé de limão-cravo usado como cavalo e uma laranjeira (o cavaleiro Enxertia

9

10 Mergulhia é o tipo de multiplicação vegetativa que consiste em dobrar um ramo da planta-mãe até enterrá-lo no solo. A parte enterrada irá ganhar raízes e quando está enraizada pode separar- se da planta-mãe, obtendo-se, assim, uma planta independente Mergulhia Passos para o método mergulhia

11 Bibliografia tm uada =view&id=386&Itemid=71 u.au/ASGAP/APOL7/qu- graft.gif&imgrefurl=http://br.answers.yahoo.com/question/index %3Fqid%3D AASRkQx&h=490&w=400&sz=10 &hl=pt- BR&start=4&um=1&tbnid=IPxpg88KyPBPhM:&tbnh=130&tbnw =106&prev=/images%3Fq%3Denxertia%26um%3D1%26hl%3 Dpt-BR%26rlz%3D1T4GGLR_pt-BRBR222BR222%26sa%3DN


Carregar ppt "Escola Estadual Adventor Divino de Almeida Campo grande dia 19 de maio de 2008 Professora° Sandra Alunas:Grazielle e Vanessa n°18 e 36 Disciplina:Biologia."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google