A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

TEORIA CONTRA INCÊNDIO

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "TEORIA CONTRA INCÊNDIO"— Transcrição da apresentação:

1 TEORIA CONTRA INCÊNDIO
ESTADO DE ALAGOAS CORPO DE BOMBEIROS MILITAR 1º GBM TEORIA CONTRA INCÊNDIO Sgt BM Valdevino

2 PERCEPÇÃO

3 TEORIA CONTRA INCÊNDIO
Objetivo: Definir as causas e os tipos de incêndios, bem como os métodos de extinção (Cn); Distinguir os tipos de incêndios.

4 TEORIA CONTRA INCÊNDIO
ROTEIRO: 1. INTRODUÇÃO 2. COMBUSTÃO “FOGO” 3. TETRAEDRO DO FOGO 3.1. CALOR EFEITOS PROVOCADOS PELO CALOR FORMAS DE PROPAGAÇÃO DO CALOR PONTOS DE TEMPERATURA 3.2. COMBUSTÍVEIS CLASSIFICAÇÃO 3.3. COMBURENTE 3.4. REAÇÃO EM CADEIA 4. FORMAS DE COMBUSTÃO 5. PRINCIPAIS CAUSAS DOS INCÊNDIOS 6. CLASSES DE INCÊNDIO 7. MÉTODOS DE EXTINÇÃO DO FOGO

5 USO DO FOGO CONCEITUAÇÃO.

6 ELEMENTOS DA COMBUSTÃO
TETRAEDRO DO FOGO: ELEMENTOS DA COMBUSTÃO combustível REAÇÃO EM CADEIA comburente calor

7 1 - CALOR Forma de energia que eleva a temperatura, gerada da transformação de outra energia, através de processo físico ou químico. FÍSICO E QUÍMICO EFEITOS DO CALOR TEMPERATURA VOLUME FISIOLÓGICOS

8 EFEITO DO CALOR

9 EFEITO DO CALOR

10 MUNDANÇA DE ESTADO FÍSICO DA MATÉRIA
EFEITO DO CALOR MUNDANÇA DE ESTADO FÍSICO DA MATÉRIA

11 EFEITO DO CALOR

12 EFEITO DO CALOR FISIOLÓGICO PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS DESIDRATAÇÃO
FADIGA INSOLAÇÃO

13 FORMAS DE TRANSMISSÃO DO CALOR
PROPAGAÇÃO DO CALOR CONDUÇÃO CONVECÇÃO IRRADIAÇÃO

14 PROPAGAÇÃO DO CALOR CONDUÇÃO

15 PROPAGAÇÃO DO CALOR CONVECÇÃO

16 PROPAGAÇÃO DO CALOR IRRADIAÇÃO

17 PONTO DE TEMPERATURA

18 TEMPERATURA: PONTO DE IGNIÇAO PONTO DE COMBUSTÃO PONTO DE FULGOR

19 QUANTO AO ESTADO FÍSICO
2 - COMBUSTÍVEL É todo material encontrado na natureza, menos a água. Segue de campo de propagação do fogo; Alimenta a combustão. CLASSIFICAÇÃO QUANTO AO ESTADO FÍSICO SÓLIDO LÍQUIDO GASOSO ÉTER GASOLINA ÁLCOOL Voláteis Não voláteis ÓLEO LUBRIFICANTE

20 GLP (Gás Liquefeito de Petróleo)
É composto por propano e butano, é mais denso que o ar, inodoro e incolor, o odor característico que ele apresente é em virtude da colocação de um componente chamado MERCAPTANA, afim de que seja detectado o seu vazamento.

21 TABELA (Nomenclatura do vasilhames)
CAPACIDADE (Kg) BOTIJA 1,2 e 5 BOTIJÃO 10, 13 e 15 CILINDRO 45, 90 E 240

22

23 ENCHIMENTO O botijão cheio possui 85% do seu volume na forma líquida e 15% na forma de vapor. Esse espaço ocupado pelo vapor permiti a expansão do gás, caso sofra um aumento de temperatura pela absorção de calor.

24 VÁLVULA DE SEGURANÇA Todo botijão, acima de 5Kg de capacidade, possui dispositivo de segurança, o qual pode ser uma válvula de mola ou plug fusível. O aumento de pressão ou aumento de temperatura provoca a liberação de um desses dispositivos, permitindo o escape do gás.

25 EQUIPAMENTOS PARA O GLP

26 INSTALAÇÃO E UTILIZAÇÃO
Instalar equipamento APROVADO; Não utilizar martelo para apertar a válvula; Não abrir o gás para depois riscar o fósforo; Havendo vazamento, verificar de imediato a sua origem. OBS: Verificar o vazamento com espuma de sabão.

27

28 VAZAMENTO SEM FOGO Isolar a área do acidente e afastar as fontes que possam provocar ignição; Desligar, no quadro elétrico toda rede da alimentação elétrica do local envolvido pelo gás; Entrar no local com equipamento de iluminação blindado e já aceso; Arejar o local abrindo as janelas e portas; Não utilizar ferramentas e nem provocar ações que possam causar centelhas; Retirar o botijão para local aberto e ventilado;

29

30 VAZAMENTO COM FOGO Extinguir o fogo sobre o botijão por abafamento;
Verificar se o botijão apresenta vazamento; Caso o fogo seja no tubo plástico, a extinção é realizada com o fechamento do registro.

31

32

33

34 LUGAR ERRADO DO GLP

35 GLP UM AMIGO

36 COMBURENTE É o elemento que associado quimicamente ao combustível, em quantidade e proporções adequadas, possibilita a combustão. OXIGÊNIO

37 COMPOSIÇÃO DO AR ATMOSFÉRICO
OXIGÊNIO: 21% NITROGÊNIO: 78% OUTROS GASES: 1% O ar que respiramos tem a seguinte composição:

38 relação oxigênio X intensidade das chamas
AR AR AR

39 FORMAS DE COMBUSTÃO COMPLETA INCOMPLETA EXPONTÂNEA EXPONTÂNEA
EXPLOSIVA EXPONTÂNEA

40 FAIXAS DE COMBUSTÃO X CONCENTRAÇÃO DE O2
21 % COMBUSTÃO VIVA 13 % COMBUSTÃO LENTA 8 % NÃO HÁ COMBUSTÃO COMBUSTÃO COMPLETA : C + O2 = CO2 COMBUSTÃO INCOMPLETA : C + O = CO

41 B CLASSES DE INCÊNDIO A COMPREENDE OS MATERIAIS FIBROSOS.
QUEIMAM EM RAZÃO DE SEU VOLUME (SUPERFÍCIE E PROFUNDIDADE). DEIXAM CINZAS OU BRASAS. EX.:MADEIRA, PAPEL, TECIDO, ETC B ALCOOL GASOLINA CÊRA OCORRE EM COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS OU GRAXOSOS. QUEIMAM UNICAMENTE EM SUPERFÍCIE EX.: DERIVADOS DE PETRÓLEO.

42 CLASSES DE INCÊNDIO ACONTECIDOS EM EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS ENERGIZADOS (FORÇA VIVA). EX.: APARELHO ELETRODOMÉSTICOS EM FUNCIONAMENTO. C SÃO INCÊNDIOS EM METAIS PIROFÓRICOS, GASES SOBRE PRESSÃO E O CARBURETO. D

43 PRINCIPAIS CAUSAS DE INCÊNDIO
ELETRICIDADE; SUPERFÍCIES AQUECIDAS; BALÕES E FOGOS DE ARTIFÍCIOS; GASES COMPRIMIDOS E SOLDAS; ATRITO; DEPÓSITO DE COMBUSTÍVEIS; COMBUSTÃO ESPONTÂNEA; ENERGIA ELETROSTÁTICA; CIGARROS E PALITOS DE FÓSFOROS.

44 MÉTODOS DE EXTINÇÃO RESFRIAMENTO: quando se retira o calor.
ABAFAMENTO: quando se retira o comburente (oxigênio). ISOLAMENTO: quando se retira o combustível.

45 RESFRIAMENTO Absorção do calor do material incendiado baixando sua temperatura até o ponto que seus vapores já não se inflamam com o oxigênio.

46 MÉTODOS DE EXTINÇÃO INCÊNDIO CLASSE “A” RESFRIAR É A MELHOR OPÇÃO

47 ABAFAMENTO Redução ou eliminação do oxigênio das proximidade do combustível

48 MÉTODOS DE EXTINÇÃO INCÊNDIO CLASSE “C” ABAFAMENTO AGENTE EXTINTOR
QUE NÃO CONDUZA ELETRICIDADE

49 MÉTODOS DE EXTINÇÃO INCÊNDIO CLASSE “B” O ABAFAMENTO POR ESPUMA É
O MAIS EFICAZ

50 ISOLAMENTO Consiste na retirada, diminuição ou interrupção do material ainda não incendiado.

51 MÉTODOS DE EXTINÇÃO INCÊNDIO CLASSE “D” ISOLAMENTO COM PÓS ESPECIAIS:
CLORETO DE BÁRIO CLORETO DE SÓDIO MONOSFOSTATO NH4 GRAFITE SECO MAGNÉSIO SELÊNIO ANTIMÔNIO LÍTIO POTÁSSIO ALUMÍNIO TITÂNIO SÓDIO ZIRCÔNIO

52 O FOGO SAI DO DOMINIO DO HOMEM
Olá pessoal !!!!!! Meu nome é Labareda. A minha presença indica que vocês serão incomodados.

53 INCÊNDIO EM RESIDÊNCIA

54 INCÊNDIO NO EDIFICIO JOELMA

55 APARELHO EXTINTOR São os vasilhames, fabricados em dispositivos que possibilitam a aplicação do agente extintor sobre os focos de incêndio.

56 AGENTE EXTINTOR ÁGUA; ESPUMA; PÓ QUÍMICO; GÁS CARBONICO;
COMPOSTO HALOGENADO.

57 O ÊXITO DE SEU EMPREGO DEPENDE DOS SEGUINTES FATORES:
Distribuição apropriada dos aparelhos pela área a proteger; Manutenção adequada e eficiente; Pessoal habilitado a manejar os aparelhos na extinção de incêndio.

58 QUANTO AO TAMANHO OS EXTINTORES PODEM SER:
PORTATEIS SOBRE-RODAS (CARRETAS)

59 QUANTO AO SISTEMA DE FUNCIONAMENTO:
PRESSURIZADOS (PRESSÃO INTERNA) PRESSURIZAVÉIS (PRESSÃO INJETADA)

60 EXTINTOR DE ÁGUA PESSURIZADA

61 EXTINTOR DE GÁS CARBÔNICO

62 EXTINTOR PÓ QUÍMICO

63

64

65

66

67

68

69 CONCLUSÃO Três morcegos fizeram uma aposta para saber qual deles era o mais rápido. O primeiro morcego a sair voltou em 10 segundos, todo sujo de sangue e falou para os outros dois. vocês estão vendo aquela vaca? Pois eu chupei todo o sangue. O segundo morcego voltou com 8 segundos, todo sujo de sangue, e falou para os outros dois. Vocês estão vendo aquela cabra? Pois eu chupei todo o seu sangue. O último morcego a sair, em 4 segundo já estava de volta, todo sujo de sangue, e falou para os outros dois. Vocês estão vendo aquele muro? Pois eu não vi.

70 193 DISK CONTATOS:


Carregar ppt "TEORIA CONTRA INCÊNDIO"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google