A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

COMUNICAÇÃO PESSOAL, INTERPESSOAL E GRUPAL: DESAFIOS E NOVOS CAMINHOS Cecília Vaz Castilho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "COMUNICAÇÃO PESSOAL, INTERPESSOAL E GRUPAL: DESAFIOS E NOVOS CAMINHOS Cecília Vaz Castilho."— Transcrição da apresentação:

1 COMUNICAÇÃO PESSOAL, INTERPESSOAL E GRUPAL: DESAFIOS E NOVOS CAMINHOS Cecília Vaz Castilho

2 Durante muito tempo pensou-se que a comunicação era isso: o emissor leva a mensagem ao receptor através de um canal. Visão estruturada pelas ciências físicas e da natureza, que pensam a comunicação como os processos químicos, físicos, elétricos. Comunicação é diferente de transmissão Para entender a Comunicação – Contatos antecipados com a Nova Teoria. Ciro Marcondes Filho. Ed. Paulus – São Paulo, 2008

3 Comunicação é exatamente isso: o fato de eu receber o outro, a fala do outro, a presença do outro, o produto do outro e isso me transformar internamente. Todos querem emitir, falar, publicar, comunicar, seduzir, convencer, manipular, o mundo está repleto de divulgadores de todos os tipos. Mas o outro não se mistura comigo, permanece estranho, insondável em sua natureza última.

4 ... mas esta comunicação, muitas vezes, não ultrapassa a membrana que isola cada um de nós do mundo circundante.

5 Somos caixinhas fechadas, universos ocultos...

6 ?

7 Vivemos muitas vezes numa espécie de sonambulismo, sem prestar muita atenção no que fazemos, sem ter consciência do que nos rodeia, sem conhecer nossas motivações profundas. Vivemos na superfície.

8

9 Pressupostos para bem viver e comunicar-se bem NEUROLINGUÍSTICA

10 AUTOCONHECIMENTO

11 COMO ME CONHECER?

12 CORPO OBSERVAR:

13 PENSAMENTOS Eu não consigo fazer isso... É muita areia pro meu caminhão... Isso não é pra mim...

14 LINGUAGEM Por que comigo nunca dá certo? Eu vou tentar encontrar você amanhã às oito horas. Não vou pensar mais nisso! Ele é uma boa pessoa, mas é preguiçoso... Eu vou conseguir passar de ano!

15 CRENÇAS Não adianta. Ninguém consegue. Só gente louca vai ao psicólogo. Se isso não tivesse acontecido, eu seria mais feliz. Pra quê mudar? Sempre fiz assim e deu certo! Homens/mulheres não agem assim.

16 Nossa fisiologia (corpo), nossa linguagem (palavras), nosso pensamento e nossas crenças e convicções determinam nosso COMPORTAMENTO. Podemos mudar nosso comportamento, mudando algo no corpo, na linguagem, no foco dos pensamentos ou na convicções.

17 Modelo de Percepção e Comunicação

18 Visão Audição Olfato Tato Gosto Crenças Valores Decisões Memórias Visão interna Comportamento

19 Prestar atenção em si mesmo. Ficar em casa PRESENÇA

20 PRESENTE FUTURO OUTRO EU PASSADO Confiança Desapego Compaixão Humildade Perdão

21 DIZER A SI MESMO O QUE SENTE

22 1. A REALIDADE NÃO É CONHECIDA E SIM PERCEBIDA

23

24 A realidade não é conhecida e sim percebida através dos sentidos e representada internamente através de imagens, sons, cores sensações e palavras. Cada pessoa cria modelos (mapas) do mundo a partir de informações sensoriais do ambiente, recordações do passado e interpretação do que seja a realidade. As pessoas interagem com este mapa do mundo e não diretamente com a realidade. Conhecer o seu mapa e o mapa do outro possibilita melhorar a comunicação e os relacionamentos.

25 2. TODO COMPORTAMENTO TEM UMA INTENÇÃO POSITIVA

26 As pessoas fazem as melhores escolhas possíveis, de acordo com os recursos disponíveis. Quando o cérebro tem acesso a uma escolha melhor, naturalmente opta por ela. Comportamentos problemáticos muitas vezes decorrem de decisões feitas no passado e, tendo ficado congelados no tempo, são agora inadequados e desatualizados.

27 3. FLEXIBILIDADE

28 A pessoa com maior flexibilidade ganha. A mesma ação nem sempre gera o mesmo resultado em um sistema complexo. Se uma ação não obtém os resultados desejados, a pessoa flexível varia o seu comportamento até conseguir o que quer.

29 4. MUDANÇA

30 A natureza do Universo é mudança. A melhor maneira de mudar o outro é mudar a si mesmo.

31 5. COMUNICAÇÃO

32 A comunicação verbal tem uma estrutura superficial que cada um decodifica a partir da própria experiência, de acordo com as imagens, sons e sensações de seu mapa individual. Em uma comunicação harmoniosa respeita-se o modelo de mundo do outro. A resistência significa falta de flexibilidade do comunicador.

33

34 PARA UMA MELHOR COMUNICAÇÃO PRESENÇA! Ela produz energia. Estar aqui e agora é orar! Ficar mais dentro de casa. Ouça o que você está falando. Tome consciência de seus pensamentos. Eles revelam seu foco. Onde eu foco, eu vejo. Aquilo em que me concentro, expande-se. Se você sai do momento presente, perde a percepção do que está à volta.

35 Colocar-se no lugar do outro, no sapato do outro. Aferrar-se a um único ponto de vista restringe a percepção, cristaliza. Escutar o outro. Criar empatia. Ficar presente a ele. Acompanhar o tom de voz, o estado emocional, as afirmações, a posição do corpo. São medidas simples que estabelecem rapport.

36 Atenção às crenças que introjetamos. Muitas são limitadoras, preconceituosas. Rotulam as pessoas. Crença é uma profecia auto-realizável. Espelhamos nossas convicções! Atenção ao que falo: minha linguagem tem efeito sobre o que sinto e, consequentemente, sobre minhas ações. Treinar a flexibilidade de percepção: isto amplia a visão do outro e constrói a sabedoria.

37 Sabemos da VIDA o que a ostra sabe do mar e do rochedo. Guimarães Rosa


Carregar ppt "COMUNICAÇÃO PESSOAL, INTERPESSOAL E GRUPAL: DESAFIOS E NOVOS CAMINHOS Cecília Vaz Castilho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google