A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Lógica de Programação Módulo I – Lógica de Programação (teórica) Centro Paula Souza Docente: Daniela Bellini Altafini Trani.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Lógica de Programação Módulo I – Lógica de Programação (teórica) Centro Paula Souza Docente: Daniela Bellini Altafini Trani."— Transcrição da apresentação:

1 Lógica de Programação Módulo I – Lógica de Programação (teórica) Centro Paula Souza Docente: Daniela Bellini Altafini Trani

2 Formas de Representação do Algoritmo

3 Pseudocódigo É a maneira mais utilizada de representar o algoritmo. É representado por comandos escritos na lingua portuguesa. Também é conhecida por pseudocódigo, português estruturado e portugol.

4 Pseudocódigo Escopo do pseudocódigo: início... fim

5 Fluxograma Utiliza figuras para representar o fluxo de dados e os comandos do algoritimo. É ótimo para descrever algoritmos de pequeno e médio porte.

6 Fluxograma Veja o escopo de um fluxograma: início fim

7 Diagrama de Chapin Modelo de representação que utiliza quadrados e retângulos para descrever as ações. Os comandos início e fim não são representados no diagrama de Chapin. É a forma de representação de algoritmo menos usada.

8 Diagrama de Chapin Veja o escopo do diagrama de Chapin:..

9 Simbologia do Fluxograma Aqui estão as simbologias mais usadas no fluxograma. Os comandos são representados por um quadrado com o comando escrito dentro dele. Ex: Entrar no carro Entrar no Carro

10 Simbologia do Fluxograma Nas palavras reservadas início e fim a simbologia usada é um circulo com as palavras reservadas escritas dentro dele. Essas palavras não ficam sublinhadas, como acontece no pseudocódigo. Ex: início fim

11 Simbologia do Fluxograma Para marcar um desvio no fluxograma, isto é, para continuar o fluxograma em outra página, utiliza-se um circulo com uma letra dentro. Ex: Colocar o câmbio na primeira marcha.

12 Simbologia do Fluxograma início Pisar na embreagem Pegar o câmbio A A Colocar o câmbio na primeira marcha fim

13 Problema 1 Fazer a representação em fluxograma do algoritmo da Atividade 3 do livro. início Abrir a porta Sentar no banco A

14 Problema 1 A Fechar a porta Ajustar o banco e os espelhos retrovisores Colocar o cinto de segurança B

15 Problema 1 B Pisar na embreagem Pegar o câmbio Colocar o câmbio em ponto morto C

16 Problema 1 C Soltar a embreagem Ligar o carro Pegar o câmbio Colocar o câmbio em primeira marcha D

17 Problema 1 D Acelerar o carro Soltar o freio de mão Soltar a embreagem devagar fim

18 Constantes

19 Constante = aquilo que não muda. São valores dentro de um programa que permanecem os mesmos do início ao fim do algoritmo. Isso quer dizer, são valores que são armazenados na memória do computador que permanecerão fixos o tempo todo.

20 Constantes As constantes podem ser de três tipos diferentes: numérica, literal ou lógica. Constantes Númericas: São números, positivos ou negativos. Ex: *

21 Constantes Literais São constantes alfanuméricas. São conjunto de caracteres (letras, digitos especiais, etc). Eles deve, ser colocados entre aspas para não serem confundidos com outros dados. Ex: Tudo, XPTO, João, 23/11/87.

22 Constantes Lógicas São valores que representam respostas para expressões lógicas e são compostas somente pelos valores verdadeiro e falso. Esses dois valores devem estar sempre sublinhados para não serem confundidos com as constantes literais.

23 Exemplo Identifique as constantes a seguir: – –R: É uma constante numérica pois é composta somente por número e não há aspas entre eles. –Rodolfo –R: É uma constante literal, pois está entre aspas.

24 Exemplo –8725 –R: Constante Literal, pois apesar de só conter números, está entre aspas. –0.213 –R: Constante Numérica, pois é formado por números e esses números ´~ao estão entre aspas.

25 Exemplo –falso –R: É uma constante lógica, pois está sublinhado e é um valor lógico. –verdadeiro –R: É uma constante literal, pois apesar de ser um valor lógico, está entre aspas.

26 Variáveis

27 Para entender uma variável, façamos a seguinte analogia: Imagine uma caixa dividida em várias posições. Agora imagine que você queira guardar um papel escrito Maria em uma dessas posições.

28 Variáveis Caixa Caixa Idade O papel escrito Maria pode ser guardado em qualquer posição da caixa, exceto na posição 9 que já está ocupada.

29 Variáveis Maria PessoaCaixa Caixa Idade

30 Variaveis No computador o processo é parecido. A memória é dividida em partes. Cada parte é possui um determinado endereço, que são códigos de extrema complexidade. Para facilitar o acesso à esse endereço damos um nome a ele.

31 Variáveis A esse nome associado ao endereço damos o nome de Variável. Portanto, para armazenar um dado é preciso criar uma variável para armazená-lo. Variável é o atributo que o analista de dados cria na modelagem de dados.

32 Variáveis O nome de uma variável é chamado de Identificador. Ex: O identificador pessoa permite abrir o conteúdo da caixa pessoa e verificar o qual o conteúdo dessa variável.

33 Criação do nome da Variável Pode ser formado por um ou mais caracteres. Sempre escrito em letras maiúsculas. O primeiro caracter tem que, obrigatoriamente, ser uma letra. O resto dos caracteres pode ser letra ou número.

34 Criação do nome da Variável Não é permitido o uso de símbolos, sinais gráficos e pontuação (/,. - # $ % ^& * ( )~+ = | \ ~` ? : ;, etc) Apenas o sinal _ (underline) é permitido. O nome da Variável não pode ter espeços.

35 Criação do nome Variável Se for nome composto é necessário separá-lo por underlines. Ex: NOME_DO_ALUNO, ANO_PLACA. Exemplo de Indentificadores permitidos: A T2 IDADE NOME END2 ENDEREÇO NOME_DO_ALUNO.

36 Criação do nome Variável Exemplo de identificadores não permitidos: 6G 45 F&T$ END(2) A*F NOME-DO-ALUNO 2NUM/1NUM F-G4 nome. Obs: Cada variável pode conter apenas um valor dentro dela. Se algum outro valor for inserido dentro dela, o valor antigo é substituido pelo recente.

37 Declarando uma Variável Como as variáveis são colocadas dentro de um progarama? Elas tem que ser declaradas, isto é, tem-se que indicar quais variáveis serão utilizadas no início do algoritmo. início fim :

38 Tipo de Variável Os tipos de uma variável são os mesmos de uma constante: numérica, lógica e literal. Ex: Vamos declarar a variável que contém o valor Maria. início fim PESSOA: literal

39 Tipo de Variável Ex 2: Vamos declarar uma variável que irá conter a idade de uma pessoa. início fim IDADE: numérico

40 Problema Declarar as variáveis para para um algoritmo de cadastramento de alunos. Solução: 1) Definir quais são as variáveis que existirão nesse cadastro: Nome, Endereço, Cidade, Estado, CEP, telefone, data de nascimento, sexo, nome do pai, nome da mãe, RG, Grau de escolaridade.

41 Problema 2) Separar os tipos de variáveis: Literais: nome do aluno, sexo, endereço, cidade, estado, nome do pai, nome da mâe Numéricas: Telefone, RG, CEP, data de nascimento, grau de escolaridade 3) Criar os identificadores(nome) para cada variável: NOME, SEXO, ENDERECO, CIDADE, ESTADO, PAI, MAE, FONE, CEP, RG DATANASC, GRAUESC

42 Problema 4) Montar o pseudocódigo : início NOME, SEXO, ENDERECO, CIDADE, ESTADO, PAI, MAE: literal FONE, CEP, RG, DATANASC, GRAUESC: numérico fim


Carregar ppt "Lógica de Programação Módulo I – Lógica de Programação (teórica) Centro Paula Souza Docente: Daniela Bellini Altafini Trani."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google