A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CENÁRIOS PARA A AMAZÔNIA: USO DA TERRA, BIODOVERSIDADE E CLIMA Fundos Transversais/CT-Mineral- FINEP Coord.: MCT/INPA Áreas/Sub-área de conhecimento -

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CENÁRIOS PARA A AMAZÔNIA: USO DA TERRA, BIODOVERSIDADE E CLIMA Fundos Transversais/CT-Mineral- FINEP Coord.: MCT/INPA Áreas/Sub-área de conhecimento -"— Transcrição da apresentação:

1 CENÁRIOS PARA A AMAZÔNIA: USO DA TERRA, BIODOVERSIDADE E CLIMA Fundos Transversais/CT-Mineral- FINEP Coord.: MCT/INPA Áreas/Sub-área de conhecimento - Multidisciplinar (Física, Biologia, Química, Ciências Sociais/Economia, Meteorologia) Objetivo Geral Integrar três dos grandes programas de pesquisas do Ministério da Ciência e Tecnologia para a Amazônia, LBA (Projeto de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia), GEOMA (Rede Temática em Modelagem Ambiental da Amazônia) e PPBio (Programa de Pesquisa em Biodiversidade) formar cenários mais completos que permitam ampliar o embasamento técnico-científico e o apoio à tomada de decisões em níveis estaduais e regionais na Amazônia incrementar e aprimorar as ações de disseminação dos conhecimentos gerados e de formação de recursos humanos qualificados nas áreas de atuação dos programas. Os eixos norteadores do projeto serão a busca do fortalecimento da infra- estrutura de pesquisa científica e a expansão das atuais atividades e projetos em colaboração com outros programas institucionais regionais para a formação e/ou consolidação de um completo banco de dados (multi-disciplinar) que subsidie ações de pesquisa, monitoramento e de desenvolvimento regional.

2 Objetivos Específicos (Metas Físicas) 1. Caracterizar os remanescentes florestais e a biodiversidade da região conhecida como Arco do Desmatamento na Amazônia Meridional Brasileira. 2. Avaliar os impactos do desflorestamento e aquecimento global sobre o clima e a biodiversidade em vários pontos da Amazônia, com ênfase na região do Arco do Desmatamento. 3. Avaliar o grau de acoplamento entre o microclima e a biodiversidade na floresta madura em escala local (micro-escala); 4. Avaliar as mudanças e variações da biodiversidade em função do clima e da mudança de uso e cobertura da terra nos centros de endemismo da Amazônia (meso-escala); 5. Produzir modelos e cenários de uso da terra na Amazônia brasileira (macro-escala); 6. Efetuar uma modelagem climática regionalizada para a Amazônia brasileira (macro-escala)

3 CENÁRIOS PARA A AMAZÔNIA: USO DA TERRA, BIODOVERSIDADE E CLIMA Metodologia básica: trabalhar em três escalas (micro, meso e macro-escala) para elaborar cenários sobre a conservação da biodiversidade nos centros de endemismos sob maior ameaça, frente às mudanças do uso da terra na região (Região do Arco do Desmatamento). Escala regional: modelagem do clima e padrões de distribuição da diversidade (ca. 50 spp diversos grupos taxonômicos com base em dados de coleções) e da dinâmica social e padrões de uso da terra. Segunda escala: mapeamentos detalhados da cobertura florestal e uso a terra e distribuição de biodiversidade nos centros de endemismo Belém, Xingu e Tapajós (usando distribuição das espécies e avaliação genética de populações de ca. 15 espécies de linhagens distintas plantas, vertebrados e invertebrados). Escala menor (nível de ecossistemas): três (ou mais) sítios experimentais em floresta nativa modelados padrões de variabilidade climática sob dossel e de distribuição espaço-temporais de espécies de 5 grupos taxonômicos (plantas e invertebrados).

4 Micro – escala: Caxiuanã (PA), Santarém- Flona Tapajós (PA), Manaus (AM) e a ALAP da BR-319 (AM): relação entre abundância da biodiversidade e parâmetros micro-climáticos torres micro-climatológicas, em floresta (possivelmente, também corte seletivo), medindo as variações de temperatura, umidade e radiação. Avaliação de biodiversidade nestes mesmos níveis verticais, abrangendo também a região do entorno da torre. Meso-escala: regiões da ALAP da BR-319, a do Alto Xingu, a de Santarém e a de Gurupi (MA), representando alguns dos principais centros de endemismo da Amazônia (Figura 1) mesmo núcleo básico de medidas (impacto das mudanças do uso da terra sobre o funcionamento do ecossistema e processos micro-climáticos, etc) em todas as áreas. Macro-escala: coberta principalmente pelo desenvolvimento de modelos e cenários climáticos e de uso da terra. Entre os modelos desenvolvidos durante o projeto, será testado um modelo de clima e vegetação com inclusão de tipos vegetacionais intermediários para aprimorar os modelos atuais que prevêem a transformação da floresta amazônica em biomas com estrutura aberta, como os cerrados ou savanas.

5 Microclima x BD Manaus Microclima x BD Santarém Microclima x BD Caxiuanã Microclima x BD BR 319 Mudança de Uso da Terra x BD BR 319 Mudança de Uso da Terra x BD Santarém/ Pa Mudança de Uso da Terra x BD Alto Xingu Gurupí Mudança de Uso da Terra x BD Modelos e Cenários de Mudança do Uso da Terra Modelos Climáticos Regionalizados Esquema 1: Metodologia de estudo, dividida segundo as diferentes escalas de trabalho (micro, meso e macro escala) BD = biodiversidade

6 Centros de endemismo na Amazônia Figura 1: Mapa das áreas (e regiões principais, baseadas nos centros de endemismo) de atuação do Projeto Cenários

7 META 1. ESTUDAR AS RELAÇÕES BIODIVERSIDADE & CLIMA NA ESCALA LOCAL ATIVIDADE 1: DEFINIR PADRÕES DE VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL DE CLIMA E AVALIAR A DISTRIBUIÇÃO DA BIODIVERSIDADE EM GRADIENTES DE SOLO, VEGETAÇÃO E CLIMA, ASSOCIANDO ESTA DISTRIBUIÇÃO AOS PROCESSOS ECOLÓGICOS

8 META 2. AVALIAR AS MUDANÇAS DE USO E COBERTURA DA TERRA E SEUS IMPACTOS NA BIODIVERSIDADE ATIVIDADE1: CARACTERIZAÇÃO E MAPEAMENTO DOS PADRÕES DE USO E COBERTURA DA TERRA ATIVIDADE 2: CONSTRUÇÃO DE MODELOS E CENÁRIOS DE USO E COBERTURA DA TERRA, PERDA E VARIAÇÃO DE BIODIVERSIDADE NA ESCALA MACRO ATIVIDADE 3: FORMAÇÃO DE BANCO DE DADOS GEO- REFERENCIADOS SOBRE A DISTRIBUIÇÃO DE ESPÉCIES ATIVIDADE 4: CARACTERIZAÇÃO DO COMPONENTE GENÉTICO DA BIODIVERSIDADE ATIVIDADE 5:AVALIAÇÃO DA PRODUTIVIDADE VEGETAL EM FLORESTA MADURA E SECUNDÁRIA ATIVIDADE 6: CONSTRUÇÃO DE MODELOS E CENÁRIOS DE USO E COBERTURA DA TERRA, PERDA E VARIAÇÃO DE BIODIVERSIDADE NA ESCALA DE MESO-REGIÃO

9 META 3. ESTUDAR AS DINÂMICAS SÓCIO-ECONÔMICAS NA ESTRUTURAÇÃO DO TERRITÓRIO ATIVIDADE 1: CONSTRUÇÃO DE BANCO DE DADOS SOBRE POPULAÇÃO E ECONOMIA NAS REGIÕES ESTUDADAS ATIVIDADE 2: CARACTERIZAÇÃO DOS PROCESSOS DE ORGANIZAÇÃO E ORDENAMENTO TERRITORIAL ATIVIDADE 3: DIAGNÓSTICO DO PAPEL E FUNCIONAMENTO DAS INSTITUIÇÕES NO CAMPO SOCIAL CONSIDERADO

10 META 4. MODELAGEM CLIMÁTICA REGIONALIZADA PARA A AMAZÔNIA ATIVIDADE 1: APRIMORAR A MODELAGEM DE RELAÇÕES BIOMA- CLIMA ATIVIDADE 2: ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS CLIMÁTICOS FUTUROS REGIONALIZADOS META 5. CAPACITAR RECURSOS HUMANOS ATIVIDADE 1: REALIZAÇÃO DE CURSOS DE CAPACITAÇÃO E CONFERÊNCIA CIENTÍFICA

11 Comitê Gestor do Projeto Cenários Reuniões periódicas na Amazônia (para avaliação e discussão de diretrizes da pesquisa) – reuniões presenciais a cada 6 meses; video-conferências trimestrais, ou quando necessárias (solicitadas por 2/5 ou mais dos componentes do comitê). Composição: (titular & suplente) Flávio Luizão (INPA/LBA) & David Oren (MPEG/GEOMA) Isabel Escada (INPE/GEOMA) & Paulo M. Graça (INPA/GEOMA) Alexandre Aleixo (MPEG/PPBio) & Silvana Amaral(INPE/GEOMA) Pedro Dias (LNCC/GEOMA/LBA) Ricardo Melamed (MCT)

12 Reuniões, treinamentos e outras atividades do Projeto Cenários Reunião 1: Alter-do-Chão/Santarém, 18-19/3/ ajustes nas atividades de pesquisa e interação entre equipes do projeto Reunião 2: Petrópolis/LNCC, 22-23/4/ ajustes nos orçamentos e nas atividades de pesquisa e interações entre equipes do projeto Treinamento em modelagem integrada para equipes do próprio projeto – integração de abordagens setembro/09 Excursões realizadas: atividades da meta 2 (MPEG e INPE) Excursões em andamento ou próximas: Xingu, Santarém, Caxiuanã, Manaus, Humaitá Bolsas CNPq/Finep: fase de seleção avançada e início de implementação – 33 bolsas Reunião geral técnico-científica: março 2010

13 ATIVIDADES PREVISTAS EM HUMAITÁ, SUL do AM ATIVIDADE Treinamento e Educação: Bolsas de estudo: no Cenários = 5 bolsas ITI Outros editais e fontes: ??? Cursos de capacitação ATIVIDADE Infra-estrutura: Equipamentos de laboratórios: Cromatrógrafo de Gás (para análises de gases metano, carbônico, óxido nitroso,... Balanças, moinhos, estufa, destilador água,.... Veículo cabine dupla com tração 4x4 ATIVIDADE Pesquisa de Campo: Estudos em floresta densa, de transição, campina, campinarana, campo aberto, pastagem: micro-climatologia X distribuição da biodiversidade; ecofisiologia de plantas; ciclos bioogeoquímicos (C e nutrientes nas plantas e solos)

14 META 4. MODELAGEM CLIMÁTICA REGIONALIZADA PARA A AMAZÔNIA ATIVIDADE 1: APRIMORAR A MODELAGEM DE RELAÇÕES BIOMA- CLIMA ATIVIDADE 2: ELABORAÇÃO DE CENÁRIOS CLIMÁTICOS FUTUROS REGIONALIZADOS META 5. CAPACITAR RECURSOS HUMANOS ATIVIDADE 1: REALIZAÇÃO DE CURSOS DE CAPACITAÇÃO E CONFERÊNCIA CIENTÍFICA

15 Novos participantes são bem vindos!


Carregar ppt "CENÁRIOS PARA A AMAZÔNIA: USO DA TERRA, BIODOVERSIDADE E CLIMA Fundos Transversais/CT-Mineral- FINEP Coord.: MCT/INPA Áreas/Sub-área de conhecimento -"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google