A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RESULTADOS E DISCUSSÃO"— Transcrição da apresentação:

1 RESULTADOS E DISCUSSÃO
ESTRUTURA E COMPOSIÇÃO FLORISTICA DE UMA FLORESTA TROPICAL CADUCIFÓLIA SOBRE AFLORAMENTO ROCHOSO, FAZENDA MODELO, AMAZONIA MERIDIONAL, MATO GROSSO. Júnior Antonio Martins de Melo1; Célia Regina Araújo Soares1; Jesus Aparecido Pedroga1; Lucirene Rodrigues1 1Universidade do Estado de Mato Grosso, Departamento de Ciências Biológicas, UNEMAT, Campus de Alta Floresta, MT. RESULTADOS E DISCUSSÃO A estrutura da vegetação aborda os aspectos da fisionomia incluindo a estrutura vertical e horizontal, além da abundância de cada espécie na comunidade (Muller-Dombois & Ellenberg, 1974). Foram amostradas 43 famílias, distribuídas em 92 espécies, sendo que Caesalpineaceae e Euphorbiaceae apresentaram o maior número de espécies. A curva espécie-area estabilizou-se na parcela 88, com 53 espécies representando 57,60% do total de espécies encontrados na composição florística. O estudo teve um índice de Shannon de 3,048 nats/ind. INTRODUÇAO A biodiversidade existente no Brasil faz com que este seja interpretado como um reservatório natural de espécies (Ayres et al., 2005, Valente et al., 2006), possuindo inúmeros elementos raros da fauna e flora. Conhece-se duas formas geológicas de afloramentos rochosos, os com escarpas rochosas e os com matacões ou boulder, possuindo uma flora que muitas vezes difere marcadamente da vegetação que lhe faz limite (Gröger & Barthlott, 1996; Porembski & Barthlott, 2000; Porembski, 2002 citados por Santos & Sylvestre 2006). Os afloramentos rochosos abrigam um ecossistema de estrutura frágil, com hábitat singular e muitas espécies endêmicas (Santos & Sylvestre, 2006). Mas mesmo assim estas comunidades vegetais dos afloramentos rochosos recebem pouca atenção dos cientistas e ambientalistas sendo poucos os trabalhos que enfocam este tipo de vegetação em nosso país. Desta forma, o objetivo desse trabalho foi a análise da composição florística em áreas de afloramentos rochosos do tipo matacão e escarpas rochosas, além das características fitossociológicas, tais como: densidade, dominância e freqüência das espécies, visando futuros estudos de conservação e recuperação destas áreas na região. A distribuição dos indivíduos por Classe de Altura também é composta por quatro classes com valores entre 2 m e 22,5 m. 1 Figura 6 - Distribuição dos indivíduos por altura da Floresta Tropical Caducifólia Sobre Afloramento Rochoso da Fazenda Modelo, Amazônia Meridional, Alta Floresta, MT. A distribuição das espécies podem apresentar padrões diferentes dentro de uma area, como por exemplo, Sebatiana membranifolia que apresenta distribuição aleatória nas parcelas 1 a 26 e nas demais parcelas se comporta de forma agregada, o mesmo é observado no que se refere a Anadenanthera macrocarpa , Acacia polyphylla e Casearia gossypiosperma comportam-se de forma mais aleatória, já o Machaerium acutifolium é a espécie que se comporta de forma mais agregada dentre as espécies presentes nos blocos de parcelas. MATERIAL E MÉTODOS O afloramento rochoso onde foram estabelecidas as parcelas amostrais do estudo está localizado na Fazenda Modelo (Figura 1), as margens da rodovia MT 208, zona rural, a aproximadamente 15 km da sede de Alta Floresta sentido Carlinda, no extremo norte do Estado de Mato Grosso, a 830 km da capital do Estado, Cuiabá. Alta Floresta possui uma área de 9.310,27 Km2 , inserida entre as coordenadas 9º 53’ 02’’ latitude S e 56º 14’ 38’’ longitude W (Ferreira, 2001). Figura 3 - Curva espécie-área da Floresta Tropical Caducifólia Sobre Afloramento Rochoso da Fazenda Modelo, Amazônia Meridional, Alta Floresta, MT. 10 20 30 40 50 Parc. 1 a 25 Sebastiana membranifolia Anadenanthera macrocarpa Cochlospermum orinoscence Acacia polyphylla Machaerium acutifolium Cedrela fissilis Spondias mombin Casearia gossypiosperma A Na fitossociologia foram amostrados 1031 indivíduos, distribuídos em 33 famílias, sendo que a familia Euphorbiaceae apresentou o maior número de indivíduos (172). 20 40 60 80 100 120 140 160 180 Número de Indivíduos Euphorbiaceae Mimosaceae Fabaceae Apocynaceae Meliaceae Bombacaceae Caesalpinaceae Flacourtiaceae Anacardiaceae Ebenaceae Opiliaceae Rubiaceae Bignoniaceae Outras Sapindaceae 10 20 30 40 50 Parc. 26 a 50 Sebastiana membranifolia Anadenanthera macrocarpa Cochlospermum orinoscence Acacia polyphylla Aspidosperma multiflorum Machaerium acutifolium Cedrela fissilis Ceiba samauma Spondias mombin Casearia gossypiosperma B 10 20 30 40 50 Parc. 51 a 75 Sebastiana membranifolia Cochlospermum orinoscence Acacia polyphylla Aspidosperma multiflorum Machaerium acutifolium Cedrela fisilis Spondias mombin C. gossypiosperma C Cochlospermaceae Fig. 1 Localização da área de estudo Constituída por floresta tropical caducifólia, caracterizada por duas estações climáticas bem definidas, uma chuvosa e outra biologicamente seca, onde o estrato dominante apresenta-se temporariamente caducifólio. O estudo foi realizado entre os meses de maio a dezembro de Iniciando com coletas de materias botânicos férteis aleatoriamente. As espécies coletadas foram levadas ao Herbário da Amazônia Meridional (HERBAM) onde foram feitas a identificação de parte do material posteriormente as espécies foram revisadas pelo site Para o levantamento fitossociológico foi utilizado o método de parcela segundo Muller-Dombois & Ellemberg (1974), a área foi dividida em quatro blocos de m2, sendo cada bloco subdividido em parcelas contíguas de 10 m x 10 m. Os dados foram inseridos no Programa Microsoft Excel 2003 para a realização dos cálculos pertinentes aos parâmetros fitossociológicos. Figura 4 - Distribuição dos indivíduos por família da Floresta Tropical Caducifólia Sobre Afloramento Rochoso da Fazenda Modelo, Amazônia Meridional, Alta Floresta, MT. 10 20 30 40 50 Parc. 75 a 100 Sebastiana menbranifolia Anadenathera macrocarpa Cochlopermum orinoscence Acacia polyphylla Aspidosperma multiflorum Spondias monbin Casearia gossypiosperma D A distribuição dos indivíduos por Diâmetro a Altura do Peito (DAP) é composta por quatro classes de diâmetro com valores entre 3,18 cm e 94,85 cm. A classe mais representativa foi a de DAP entre 3,18 e 10 cm, totalizando 43,64% dos totais de indivíduos da área. Figura 7 - Distribuição espacial dentro dos blocos de parcelas das dez espécies com maior (IVI) da Floresta Tropical Caducifólia Sobre Afloramento Rochoso, Fazenda Modelo, Amazônia Meridional, Alta Floresta, MT. CONSIDERAÇÕES FINAIS A maioria dos indivíduos apresentaram altura total abaixo de 9 metros e DAP até 25 cm, com poucos indivíduos emergentes, característica de floresta tropical caducifólia. A distribuição das espécies nas parcelas refletem a profundidade do solo e a presença dos matacões e escarpas rochosas no ambiente estudado. Fig. 2 Vista parcial da Área (A, B), Montagem de parcelas (C), Medição de Eixo XY (D), Anotação dos dados Fitossociológicos (E), Matacões (F) A C D Figura 5 - Classes de Diâmetro a Altura do Peito (DAP) dos indivíduos da Floresta Tropical Caducifólia Sobre Afloramento Rochoso da Fazenda Modelo, Amazônia Meridional, Alta Floresta, MT. B E F


Carregar ppt "RESULTADOS E DISCUSSÃO"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google