A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Dr. Guido Lemos de Souza Filho Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital Departamento de Informática Universidade Federal da Paraíba 1 Televisão Digital.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Dr. Guido Lemos de Souza Filho Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital Departamento de Informática Universidade Federal da Paraíba 1 Televisão Digital."— Transcrição da apresentação:

1

2 Dr. Guido Lemos de Souza Filho Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital Departamento de Informática Universidade Federal da Paraíba 1 Televisão Digital Interativa se faz com Ginga

3 Recursos da TV Digital Utilização da banda com uma única programação em High Definition Monoprogramação em HDTV – High Definition TV

4 Recursos da TV Digital Utilização da banda com várias programações ao invés do uso da alta resolução Multiprogramação em SDTV – Standard Definition TV SDTV Programa 1 SDTV Programa 2 SDTV Programa 3 Alternativa à programação em HDTV Vários conteúdos simultâneos Recurso importante para: Educação Debates Entrevistas

5 Recursos da TV Digital Recepção do conteúdo da TV Digital em qualquer momento e em qualquer lugar Mobilidade – acesso permanente Dispositivos Móveis Celular TV PDA...

6 Recursos da TV Digital Introduz complementaridade a programação e permite participação do telespectador com conteúdo apresentado em HDTV ou SDTV Interatividade – a participação do telespectador Tira Teima Gols Brasil 1 x 0 Tailândia Informações adicionais ao conteúdo Participação local sem canal de retorno completa com canal de retorno Canal de retorno: com ou sem fio Aceleração da Inclusão Digital

7 Broadcast File System Application

8 Sistema de TV Digital com Canal de Interação Rede de Interação Rede de Interação

9 Programa Interativo

10 Introdução O que é um programa de TV interativo ? – Não é um programa de TV – Não é um programa de computador – É alguma coisa no meio do caminho …

11 O ícone indica a existência de uma versão interativa do programa

12 Ativando a versão interativa

13 Carregando a versão interativa

14 Executando a versão interativa

15 O que é um programa de TV Interativo ? Um código declarativo (*ML like) ou procedural (Java like)

cour

16 O que é um programa de TV interativo ? Não é um programa de TV – Conteúdo audiovisual de alta qualidade Não é um programa de computador – Foco na interatividade para um usuário É alguma coisa no meio do caminho … – Foco no conteúdo de alta qualidade complementado com interatividade prevendo audiência coletiva

17 Sistemas de TV Digital

18 Sistema Brasileiro de Televisão Digital

19 Requisitos básicos do SBTVD · Robustez · Flexibilidade · Interatividade e inclusão digital · Baixa complexidade para o usuário

20 Domicílios: 47,56 millões Televisão95.7% Rádio: 91.6% Telefone celular: 61,2% Telefone fixo: 54.0% Computador:16.91% Acesso à Internet (inclusive através de celular):21.0% Acesso à Internet (Computador):10.08% TV a cabo5.6% Inclusão Social

21 Televisão95.7%91.12% (D, E classes) Rádio: 91.6% Telefone celular: 61,2% Telefone fixo: 54.0% Computador:16.91% 2.0% (D, E classes) Acesso à Internet (inclusive através de celular):21.0% Acesso à Internet (Computador):10.08% 0.251% (D, E classes) TV a cabo5.6% Domicílios: 47,56 milhões Inclusão Social

22 Escopo do Middleware Middleware Produtores de conteúdo Radiodifusores Serviços interativos Implementações Independentes Hardware Diferente Sistema Operacional Diferente Vários tipos de terminais (low- end STB / high-end STB) Programas de Televisão Interativos Terminais

23 Contexto de projeto do Ginga

24 Middleware Ginga - Estratégia SBTVDSBTVD DVB, ISDB, ATSC, SBTVD J.200 / JavaDTV Software Adapter RED API (Innovation) (Innovation) YELLOW API (Export X Innovation) YELLOW API (Export X Innovation) GREEN API (Export) (Export) APPLICATIONS

25 Open DDT Standards –Procedural and Declarative Engines J.200: Worldwide common core - Application environment for digital interactive television services J.201: Harmonization of declarative content format for interactive TV applications J.202: Harmonization of procedural content formats for interactive TV applications

26 Arquitetura do Ginga NCL

27 Homebanking Dados processados no aparelho de televisão Suporte a múltiplos usuários Resultados apresentados no display dos dispositivos de uso pessoal

28 API de Integração de Dispositivos e Suporte Multiusuário

29 TVTunes Intercâmbio de conteúdo multimídia

30 Torcida Virtual

31 Plataforma de TV Digital Servidor de Vídeo Receptor de Vídeo Servidor de Vídeo

32

33 Cadeia de Valor * Fonte TQTVD

34 Conclusões Quem vai distribuir aplicações interativas para sala de estar? – Radiodifusores só acontece se o middleware for um padrão de fato com aplicações entrando prioritariamente via radiodifusão – Fabricantes de receptores – modelo Apple produtos na linha Internet TV com fabricante controlando a distribuição das aplicações – Desenvolvedores de software fornecedores de radiodifusores, fabricantes e usuários finais para tal é preciso um middleware padronizado e distribuição mais democrática divida entre radiodifusão e Internet Comunidades de desenvolvimento de middleware e de aplicações – www.openginga.org

35 Guido Lemos de Souza Filho – guido@di.ufpb.br www.lavid.ufpb.br Contato


Carregar ppt "Dr. Guido Lemos de Souza Filho Laboratório de Aplicações de Vídeo Digital Departamento de Informática Universidade Federal da Paraíba 1 Televisão Digital."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google