A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Cap 6.2Kupfer e Hasenclever: 20021 Concorrência Real e Concorrência Potencial Concorrência real (Marshall) –limitada à cada industria Indústria: mercado.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Cap 6.2Kupfer e Hasenclever: 20021 Concorrência Real e Concorrência Potencial Concorrência real (Marshall) –limitada à cada industria Indústria: mercado."— Transcrição da apresentação:

1 Cap 6.2Kupfer e Hasenclever: Concorrência Real e Concorrência Potencial Concorrência real (Marshall) –limitada à cada industria Indústria: mercado no qual é transacionado um produto homogêneo específico. –Depende número e tamanho das empresas na indústria. Concorrência Potencial (economia clássica, Modelos de estrutura-conduta-desempenho) –Concorrência entre empresas estabelecidas e empresas entrantes.

2 Cap 6.2Kupfer e Hasenclever: Concorrência Potencial na Teoria Clássica Concorrência na economia clássica: –Livre mobilidade de capitais –Tendência à igualação da taxa de lucro. Flutuações dos preços determinam a alocação do capital e do trabalho entre as industrias: –Taxa de lucro superior à média entrada queda dos preços –Taxa de lucro inferior à média saída aumento dos preços Lucro superior a média no longo prazo: só é possível se existem restrições à livre mobilidade do capital.

3 Cap 6.2Kupfer e Hasenclever: Elementos do Problema da Entrada (1)Empresas estabelecidas: se coordenam para impedir entrada (2)Empresas entrantes: formam fila para entrar (3)Incentivo à entrada: lucro extra pós-entrada (4)Entrada: aumento da capacidade através da entrada de uma nova empresa na industria (5)Saída: diminuição da capacidade através da saída de uma empresa estabelecida da industria.

4 Cap 6.3Kupfer e Hasenclever: Definições de Barreiras Estruturais à Entrada Barreira a entrada: Característica do mercado que impede livre mobilidade do capital Definições de barreira à entrada (1)Bain: condições estruturais que impedem entrantes de obter lucro extra após a entrada (2)Stigler: custos das entrantes não desembolsados por empresas estabelecidas (3)Gilbert: vantagem da primeira a se mover

5 Cap 6.4Kupfer e Hasenclever: Modelo Conceitual do Preço Limite Suposições: –Curva de custo médio em forma de L –Longo Prazo: seqüência de 2 curtos prazos. Opções das empresas estabelecidas: –Preço competitivo (P C ) –Preço que maximiza lucro no curto prazo (P LMCP ) –Faixa de preços entre preço competitivo e preço limite (P L ) CMe Y

6 Cap 6.4Kupfer e Hasenclever: Modelo Conceitual do Preço Limite: Quatro Situações Possíveis Nível de competitividade das empresas estabelecidas determina estrutura do mercado –Entrada fácil: vigora P c –Entrada ineficazmente impedida: vigora P LMCP Lucro nos 2 períodos com preço limite é menor que lucro máximo de curto prazo. –Entrada eficazmente impedida: vigora P L Lucro nos 2 períodos com preço limite é maior que lucro máximo de curto prazo. –Entrada bloqueada: vigora P LMCP preço de lucro máximo de curto prazo é menor que preço limite

7 Cap 6.5Kupfer e Hasenclever: Fontes de Barreiras à Entrada: Vantagens Absolutas de Custo Se o CMe das entrantes é maior que o CMe das estabelecidas: Quando empresas estabelecidas fixam preço abaixo do Cme entrante: Evitam a entrada obtém Lucro Extra (Pl-Pc) Razões para vantagens absolutas de custo: (1) acesso privilegiado aos fatores (2) Economia de aprendizado (3) Imperfeições no mercado de fatores

8 Cap 6.5Kupfer e Hasenclever: Fontes de Barreiras à Entrada: Vantagens Absolutas de Custo Vantagens absolutas de custo: –Consideradas como estrutural –Pode ser modificadas por estratégia empresarial Integração vertical para vetar acesso à insumos Proliferação de produtos para aumentar custo entrante –Pode ser anulada por entrante: entrante inovadora Compatível com Bain e Stigler Característica da industria extrativa e das industrias intensivas em recursos naturais

9 Cap 6.5Kupfer e Hasenclever: Fontes de Barreiras à Entrada: Economias de Escala Barreiras a entrada decorrentes de economias de escala supõem: –EME grande ante o tamanho do mercado –CMe em escala subótima muito maior que CMe mínimo Possibilidades: 1) Entrante com escala subótima: Pouco realista 2) Entrante com EME (a)Não resposta em quantidade (b)Não resposta em preços CMe D

10 Cap 6.5Kupfer e Hasenclever: Fontes de Barreiras à Entrada: Economias de Escala (a) Não resposta em quantidade Após a entrada as empresas estabelecidas não alteram quantidade produzida, o que resulta em queda do preço: –Pl: permite lucro pré-entrada –Ql: Demanda residual impede entrada com lucro Quanto maior a relação entre EME e a demanda industria, e menor a elasticidade preço-demanda: –maior queda de P após entrada CMe D

11 Cap 6.5Kupfer e Hasenclever: Fontes de Barreiras à Entrada: Economias de escala (b) Não resposta em preço Após entrada as empresas estabelecidas diminuem o nível de produção para manter oferta total pré-entrada. Supõem que empresas estabelecidas: –Não zelam por market-share –Aceitam menor quantidade vendida e operação próxima/abaixo da EME. Comportamento acomodatício: pode estimular novas entradas CMe D

12 Cap 5Kupfer e Hasenclever: Diferenciação de Produtos Atributos que diferenciam os produtos: –Especificações técnicas, desempenho ou confiabilidade, durabilidade, ergonomia e design, estética, custo de utilização do produto, imagem e marca, formas de comercialização, assistência técnica e suporte ao usuário, financiamento aos usuários. Quando os produtos são avaliados por múltiplos atributos: há maior possibilidade de diferenciação de produto. 2 tipos de diferenciação de produto: –Vertical: utilidade de todos consumidores aumenta quando quando o nível de uma característica do produto é aumentado –Horizontal: modificação em um atributo do produto causa aumento aumento da utilidade de uns consumidores e diminuição na de outros.

13 Cap 6.5Kupfer e Hasenclever: Fontes de Barreiras à Entrada: Diferenciação de Produtos Diferenciação de produtos Opções da Entrante: –Vender a preço inferior ao das empresas estabelecidas –Realizar gasto de publicidade para divulgar a marca CMe entrante = CMe produção + CMe penetração Sobre-preço apropriado por empresas estabelecidas Características do produto, magnitude do esforço de venda, métodos de distribuição: determinam o custo de penetração.

14 Cap 6.5Kupfer e Hasenclever: Fontes de Barreiras à Entrada: Diferenciação de Produtos Situações em que o custo de penetração é elevado: –Diferenciação vertical: aumenta incerteza sobre produto –Bens de consumo duráveis: ato de compra não-repetido e alto valor unitário impedem aprendizado Efeito transbordamento: –Se a entrante é subsidiária de uma empresa com marca reconhecida em outros mercados ou regiões Transferência de credibilidade Diferenciação de produtos: compatível com Gilbert, e com Stigler (se esforço de venda não foi realizado por empresa estabelecida).

15 Cap 6.5Kupfer e Hasenclever: Fontes de Barreiras à Entrada: Requerimentos Iniciais de Capital Escala elevada dificuldade de financiamento barreiras de capital (Bain): –Imperfeições do mercado de capitais Exigência de garantias, análise do fluxo de caixa Diferença no custo financeiro das empresas estabelecidas e entrantes: caso particular das barreiras de custo (financeiro). Requerimentos iniciais de capital limitam a entrada quando há barreiras à saída.

16 Cap 6.6Kupfer e Hasenclever: Barreiras à Saída Custos para encerrar produção: –Efetivos: custos de rescisão de contratos –De oportunidade: irrecuperáveis, não amortizados. Configuração industrial –Factível: empresas estabelecidas atendem demanda sem prejuízo. –Sustentável: factível e não existe plano de entrada com lucro: RT < CMe produção + CMe penetração Uma configuração não sustentável é temporária, exceto se entrantes temem que empresas estabelecidas diminuam preços para nível sustentável após entrada.

17 Cap 6.6Kupfer e Hasenclever: Barreiras à Saída Mercado perfeitamente contestável: 1) não existem diferenças de custo entre empresas estabelecidas e entrantes. 2) não existem barreiras à saída Equilíbrio só é possível em uma configuração sustentável. Possibilidade de competição de guerrilha: –Lucro extra entrada retaliação de preços das empresas estabelecidas saída.

18 Cap 6.7Kupfer e Hasenclever: Conclusões Críticas ao modelo de barreiras à entrada –Caráter estático: entrada depende apenas da expectativa de lucro, supõe que a demanda da industria é dada, ignora incerteza –Modelo ignora que as estratégia das empresas estabelecidas afetam barreiras à entrada –Uma vez que diversos elementos afetam decisão de entrada, é difícil estabelecer princípios genéricos sobre entrada. –Fragilidade do conceito de preço-limite: Preço não é único mecanismo concorrencial. Barreira à entrada não é único elemento que explica determinação dos preços.


Carregar ppt "Cap 6.2Kupfer e Hasenclever: 20021 Concorrência Real e Concorrência Potencial Concorrência real (Marshall) –limitada à cada industria Indústria: mercado."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google