A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Medicação em pediatria Considerações sobre o Ciclo de Vida – Pacientes Pediátricos Quanto aos medicamentos: São os mesmos para os pacientes em qualquer.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Medicação em pediatria Considerações sobre o Ciclo de Vida – Pacientes Pediátricos Quanto aos medicamentos: São os mesmos para os pacientes em qualquer."— Transcrição da apresentação:

1 Medicação em pediatria Considerações sobre o Ciclo de Vida – Pacientes Pediátricos Quanto aos medicamentos: São os mesmos para os pacientes em qualquer idade; Determinados grupos requerem cuidados especiais; Lactentes e crianças requerem modificações quanto as técnicas por suas diferenças quanto a anatomia e as características fisiológicas. Na criança os medicamentos respondem mais rápido e de modo imprevisível pelos seguintes fatores: Idade Peso Área corporal Formulação do medicamento Via de administração

2 Medicação em pediatria Como o desenvolvimento na infância afeta a ação do medicamento Sistema renal- é um sistema ainda imaturo na criança, no lactente apresenta reduzida capacidade de concentrar a urina. Uma elevada resistência do fluxo sangüíneo minimiza perfusão, o desenvolvimento glomerular e tubular incompleto afeta a taxa de filtração e a reabsorção e secreção dos filtrados. Sistema Gastrintestinal- O fígado é imaturo para metabolizar os medicamentos até cerca de 1 ano de idade. Da mesma maneira o tempo do trânsito GI aumenta até a fase de 2 a 3 anos de idade. A acidez gástrica aumenta à medida que a criança a fase de 2 a 3 anos de idade. Área de superfície corporal – a relação entre a aérea de superfície corporal se modifica a medida que a criança cresce. Lactente - 2 meses: 2 vezes e meia os de um adulto; Toldler- 1 a 3 anos diminui 2 vezes a de um adulto Em torno de 12 anos relação entre a área de superfície corporal e o peso é apenas ligeiramente superior à de um adulto. Metabolismo- O metabolismo aumenta durante a fase de lactente e na infância em relação ao peso corporal.

3 Quando calcular e monitorar as dosagens em pacientes pediátricos, lembrar-se: Não utilize a área de superfície corporal para calcular uma dosagem para um lactente. Em vez disso, use o método mais correto do peso corporal. Em geral, não exceda a dose adulta máxima quando calcular as quantidades por quilogramas de peso corporal. Reavalie a dosagem de uma criança a intervalos regulares para garantir que ela está corretamente ajustada, à medida que a criança se desenvolva. Certifique- se do peso atual exato da criança em quilogramas. Para cálculos como antibióticos ( como gentamicina) e para substâncias a longo prazo (como os anticonvulsivantes), vc precisará monitorar o nível sérico do medicamento para maximizar a eficácia e minimizar a toxicidade. Para lactentes em aleitamento, lembre-se que os medicamentos e outras substâncias consumidos pela mãe podem ser transferidos para o lactente pelo leite materno, gerando dosagens desconhecidas e não-reguladas. Por parte da mãe, de medicamentos conhecidos por provocar efeitos adversos nos neonatos em aleitamento. Por exemplo uma nutriz medicada com uma sulfonamida para tratamento de ITU, pode passar no leite a substancia e fazer com que o lactente desenvolva Kernicterus. Medicação em pediatria

4 Vias de administração de medicamentos em pediatria Administração de medicamentos via intravenosa É a introdução de medicamentos na corrente sanguínea. Finalidade a)Obter rápido efeito do medicamento injetado; b)Administrar soluções em quantidades superiores a 5 ml; c)Administrar grandes volumes de soluções para manter ou restaurar o equilíbrio hidroeletrolítico. Intervenção de EnfermagemJustificativa Lavar as mãos ao reunir o materialEvitar infecção cruzada. Calcular a dosagem com atençãoEvitar erros quanto ao cálculo da dose acarretando sub ou superdose. Verificar as condições da rede venosa e posicionar a criança Avalie as condições das veias e escolha a mais adequada a ser puncionada, levando em consideração também o conforto da criança Injetar a solução lentamenteEvita possíveis reações a sobrecarga circulatória e sensações desagradáveis Observar reações locais e sistêmicas durante e após a administração do medicamento Evita que ocorra edema, hiperemia, palidez ou dor no local da inserção da agulha ou dispositivo endovenoso. Essas reações podem ser o indício de deposicionamento do cateter, resultando no extravasamento do fluxo para os tecidos circunvizinhos. (CASTELLI, 1998)

5 Vias de administração de medicamentos em pediatria Administração de medicamentos via intramuscular Consiste na administração de uma solução medicamentosa no interior do músculo. Finalidade a)Administrar soluções aquosas e soluções oleosas, obtendorápida absorção; b)Administrar medicamentos que poderiam ser alterados pelas enzimas digestivas; c)Administrar medicamentos em crianças sem condições de deglutir. Intervenção de EnfermagemJustificativa Lavar as mãos ao reunir o materialEvitar infecção cruzada. Avaliar as condições dos músculos e escolher o local apropriado levando em consideração a presença de lesões, cicatrizes, edemas ou irritações da pele; a distância de vasos e nervos importantes; a espessura do tecido adiposo; irritabilidade da droga; a idade da criança e o tamanho da musculatura, que deve ser suficientemente grande para absorver o medicamento. Verifique as condições musculares. Mantém posição confortável para a criança e adequada à execução do procedimento. Posicionar a criança. Expor apenas a área de aplicação e fazer anti-sepsia do local em sentido único com algodão e alcóol a 70% Exponha apenas a área de aplicação para oferecer aquecimento e proteção, proporcionando conforto. Introduzir a agulha no ângulo de 90 0, perpendicular à pele. Atinge profundamente o músculo (CASTELLI, 1998)

6 Vias de administração de medicamentos em pediatria Administração de medicamentos via subcutânea É a administração de medicamentos na tela subcutânea (camada de tecido situada logo abaixo da pele). Finalidade a)Obter absorção lenta e continua do medicamento (por ex. Insulina); b)Manter a droga em níveis eficazes durante um tempo mais prolongado. Intervenção de EnfermagemJustificativa Lavar as mãos ao reunir o materialEvitar infecção cruzada. Escolher a área de aplicação: face interna do antebraço, face anterior ou lateral da coxa, região abdominal (perumbilical), face externa do braço e região escapular. Evitar áreas de proeminências osséas, com sinais de irritação ou inflamação, ou onde existia tecido ciactricial. Na escolaha da área faça rodízio para a aplicação Evita a administração de medicamento em área lesada, favorecendo a formação de abcessos. O rodízio impede que ocorram alterações teciduais como fibrose do tecido devido a injeções repetidas em um mesmo local. Posicionar a criança. Expor apenas a área de aplicação e fazer anti-sepsia do local em sentido único com algodão e alcóol a 70% Exponha apenas a área de aplicação para oferecer aquecimento e proteção, proporcionando conforto. Pinçar a pele do local de palicação entre os dedos polegar e indicador da mão esquerda. Introduzir a agulha no ângulo de 90 0, perpendicular à pele. Para crianças com pouco tecido adiposo, fazer uma prega na pele segurando-a firmemente e introduzir a agulha de 15 0 ou paralelamente a pele. Com isso obterá segurança, delimitando bem a área de apliacação e facilitando a penetração da agulha, diminuindo a dor. (CASTELLI, 1998)

7 Vias de administração de medicamentos em pediatria Administração de medicamentos via intradérmica É a administração de pequena quantidade de medicamentos na camada dérmica da pele. Camada estasituada entre a pele e o tecido subcutâneo. Finalidade a)Via indicada para realização de testes diagnósticos, como Mantoux. b)Administração de vacinas. Intervenção de EnfermagemJustificativa Lavar as mãos ao reunir o materialEvitar infecção cruzada. Escolher a área de aplicação:o local deverá ter pouca pigmentação, ser pobre em pêlos, ter pouca vascularização superficial e ser de fácil acesso para a leitura dos resultados das reações aos alergenos introduzidos. A área mais utilizada é a face ventral do antebraço encontrando-se também indicações da utilizadação da área escapular das costas Favorece a visualização de qualquer alteração que possa ocorrer com a administração do medicamento. Posicionar a criança. Expor apenas a área de aplicação e fazer anti-sepsia do local em sentido único com algodão e alcóol a 70% Exponha apenas a área de aplicação para oferecer aquecimento e proteção, proporcionando conforto. Introduzir a agulha 13 x 3,8 aproximadamente 3 mm em ângulo de 13 a 15 0 com a pele, com o bisel para cima permitindo sua visualização, Permitir atingir a camada dérmica da pele, não penetrando no tecido subcutâneo. A visualização do bisel garante estar na camada dérmica. Assegure-se de que nenhum vaso sanguineo foi atingido (CASTELLI, 1998)

8 Vias de administração de medicamentos em pediatria Administração de medicamentos via oral É a introdução de medicamentos no trato digestivo pela cavidade oral. Finalidade a)Adminsitrar medicamentos a crianças conscientes e com condições de deglutição; b)Obter a absorção de medicamentos líquidos, comprimidos, cápsulas, após e pastilhas, pela mucosa gástrica. c)Poupar a criança consciente de procedimentos agressivos,utilizando outras vias. Intervenção de EnfermagemJustificativa Lavar as mãos ao reunir o materialEvitar infecção cruzada. Posicionar a criançaSentar a criança a fim de ela receba o medicamento e consiga deglutí-lo sem se engasgar. Comprimidos podem ser amassados e diluidos com um pouco de água. Alguns comprimidos podem ser masserados e diluídos com um pouco de água, e podem ser oferecidos em copinhos. (CASTELLI, 1998)


Carregar ppt "Medicação em pediatria Considerações sobre o Ciclo de Vida – Pacientes Pediátricos Quanto aos medicamentos: São os mesmos para os pacientes em qualquer."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google