A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A Descolonização Colégio Militar de Belo Horizonte História -

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A Descolonização Colégio Militar de Belo Horizonte História -"— Transcrição da apresentação:

1 A Descolonização Colégio Militar de Belo Horizonte História -

2 A Descolonização Afro-Asiática A DESCOLONIZAÇÃO AFRO-ASIÁTICA Entre 1945 e 1960 a maioria dos países africanos e asiáticos conquistaram a independência nacional. (1/4 da população do planeta). Depois da independência muitos dessas jovens nações mergulharam em sangrentas guerras civis.

3 Fatores da Descolonização Declínio econômico da Europa; Apoio dado pelas superpotências – URSS (Apoiava movimentos de libertação nacional) – EUA (Apoio a governos que servissem de anteparo ao comunismo). Luta histórica dos povos pela autonomia nacional após o domínio imperialista. (eclosão de movimentos nacionalistas). Declínio político da Europa após a 2ª GM. Luta histórica nas antigas colônias em prol da emancipação nacional.

4 1. ÍNDIA (1947) Na primeira metade do século XX, o nacionalismo indiano passou por um processo de amadurecimento que se personificou na figura do Mahatma (Grande Alma) Gandhi. Este, baseando-se nos princípios da não-violência e da resistência passiva, mobilizou milhões de seguidores e causou grandes transtornos aos ingleses. Gandhi visava à criação de uma Índia independente onde todas as etnias e religiões convivessem pacificamente. Contudo, seu ideal não era compartilhado pelos radicais hinduístas (que o assassinariam em 1948). Estudo de Casos

5 1. ÍNDIA (1947) Hinduísmo e islamismo, para os indianos, eram muito mais que duas religiões antagônicas. O primeiro, nascido no próprio país há milhares de anos, possuía vários deuses e criara uma sociedade de castas. O islamismo de origem árabe é monoteísta e considera todos os homens iguais perante Deus. Estudo de Casos

6 À medida que o Congresso Nacional Indiano – partido fundado por Gandhi – ganhava força na luta pela independência, crescia entre os maometanos o temor de um Estado hinduísta que viesse a oprimi- los e persegui-los. Liderados por Mohamed Ali Jinnah, os islamitas advogavam a divisão do subcontinente em dois Estados – um deles de maioria maometana.

7 A Grã-Bretanha acabou concordando com a partilha. Assim, em 15 de agosto de 1947, surgiram dois Estados independentes: a Índia e o Paquistão (País dos Puros). Este último, implantado nas áreas majoritariamente muçulmanas, compreendia duas porções distintas, separadas por 1600 km de território indiano: o Paquistão Ocidental e o Paquistão Oriental (situado no Golfo de Bengala). Em 1971, apoiado pela Índia, o Paquistão Oriental proclamou sua independência e se transformou em Bangladesh (Estado de Bengala, em língua bengali).

8

9

10 A Questão da Caxemira Com a aproximação da data da independência, as minorias hindus e muçulmanas instaladas em território adverso procuraram alcançar a segurança dos futuros Índia e Paquistão. Cerca de 11 milhões de pessoas abandonaram seus lares e mais 1 milhão pereceu chacinado por turbas fanáticas de ambas as religiões. Os príncipes indianos, pressionados a optar pela incorporação a um ou outro Estado, fizeram-no de acordo com sua orientação religiosa.O Marajá da Cachemira preferiu incorporar seu reino a Índia, provocando um conflito como o Paquistão. Este queria ver incorporado a Cahemira ao seu território.

11 A Questão da Caxemira Explode uma guerra vencida pela Índia ( ). A Cachemira fica dividida entre Índia e Paquistão.Esta disputa passa ter especial relevância no contexto da Guerra Fria. Uma nova guerra entre Índia e Paquistão, travada em 1965, não modificou o status quo. Atualmente, um movimento terrorista e guerrilheiro apoiado pelo Paquistão opera na Caxemira Indiana.

12

13 2. ÁFRICA DO SUL (1910) Fatores sócio-políticos do Apartheid: Vitória da Inglaterra na Guerra dos Boers; Controle sobre as ricas jazidas de ouro e diamantes; Necessidade de controle sobre a mão-de-obra barata (bandustões); Evolução dos conflitos raciais: 1910: Independência formal da República Sul Africana. 1948: Vitória do Partido Nacional (inspiração Nazista). A Africa do Sul instala o regime de segregação racial.

14 2. ÁFRICA DO SUL (1910) 1989: Início da distensão racial com as negociações para o fim do Apartheid. 1994: Nelson Mandela chega à presidência da RSA. A resistência política contra o Apartheid: Interna: Congresso Nacional Africano(CNA), liderado por Nelson Mandela. Externa: Países capitalistas, pressionados pela comunidade internacional, que boicotaram a economia Sul Africana

15 3. INDONÉSIA (1949) Região de colonização holandesa, sofreu a invasão japonesa durante a guerra, quando se formou uma heróica resistência comandada pelo general Sukarno, logo em seguida era negociada a independência. Foi durante o seu governo que a Indonésia sediou, em 1955, a Conferência de Bandung reunindo diversos países africanos e asiáticos recém-independentes. Resoluções de Bandung: a) Não alinhamento dos países aos blocos do 1º e 2º mundos. b) Defesa da soberania interna dos países diante dos interesses das superpotências (EUA e URSS).

16 3. INDONÉSIA (1949) Sukarno foi vítima de um golpe conservador, desfechado por setores militares, liderado pelo general Suharto, inaugurando uma ditadura que durou de 1966 a No ano de 1975, o Timor Leste, até então colônia portuguesa, proclamou sua independência, quando o exército da Indonésia, alegando uma ameaça comunista na região promove a intervenção do país em Recentemente, em 2005, Timor Leste conseguiu definitivamente fazer sua independência.

17

18

19 A Conferência de Bandung fez nascer o Terceiro Mundismo – O Movimento de países Não-alinhados.

20 4. VIETNÃ (1954) O Vietnã era uma colônia francesa. Durante a Segunda Guerra Mundial, o Japão ocupou o Vietnã. Os comunistas organizaram uma ampla Frente Vietminh (Liga para a Independência do Vietnã). Em 1945, o exército vietminh declarou a independência da república em Hanói. Eclodiu a guerra que durou quase oito anos. Após a batalha de Dien Bien Phu, o governo francês aceitou negociações para finalizar a guerra. Foi feito um acordo em 1954 no qual o país foi dividido na altura do paralelo 17 com o Vietminh ao norte e um governo pró-ocidental ao sul.

21 4. VIETNÃ (1954) Em 1959, eclode um movimento comunista no Sul (os vietcongs) apoiado pelo Vietminh. Os EUA decidem em intervir no sul para evitar a vitória dos Vietcongs.

22 A guerra se arrastou durante muitos anos consumindo cerca de 2 milhões de mortos vietnamitas e 57 mil americanos. Em 1975 o Vietnã do Norte invade o Sul, unificando o país.

23 Em 1976, instalou-se a unificada República Socialista do Vietnã. Saigón passou a se chamor Ho Chi Minh, nome do líder comunista do Vietnã do Norte. Em 1986, os políticos reformistas alcançaram o poder e proclamaram uma nova política de doi moi (renovação) rumando o Vietnã para uma economia semelhante a da China, mais próxima do capitalismo. – "Vietnã."Enciclopédia® Microsoft® Encarta 2001.

24

25 Guerra do Vietnã ( )

26

27

28 5. ARGÉLIA (1962) Sofreu a colonização francesa. Existia um grande contraste entre a população de origem européia e a população local (origem árabe e bérbere). A FLN (Frente de Libertação Nacional) iniciou a luta pela independência utilizando táticas de guerrilha urbana. Após um longo período de guerra anticolonial, o presidente francês Charles de Gaulle aceitou a independência do país.

29

30 Soldados franceses guarnecendo prisioneiros argelinos

31 6. ANGOLA (1975): Colônia portuguesa mais rica com petróleo, diamantes, ferro, urânio, além de outros minerais. Em 1962 foram criadas duas organizações: MPLA (Movimento Popular para a Libertação de Angola), movimento de tendência marxista, liderado por Agostinho Neto. UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola), movimento de tendência pró EUA. 1975: a MPLA liderou a luta e negociou a independência do país. IMPORTANTE: No caso do Império Português na África, foi fundamental para a independência das antigas colônias a eclosão da Revolução dos Cravos (1974), movimento ocorrido em Portugal que derrubou o fascismo salazarista. Além de Angola, se tornaram independentes Moçambique, Guiné Bissau, Cabo Verde e Timor Leste.

32 Revolução dos Cravos em Portugal (25 de abril de 1975) possibilitou o fim do Império Português.


Carregar ppt "A Descolonização Colégio Militar de Belo Horizonte História -"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google