A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VE 7 e ENVIO DE AMOSTRAS Importância e periodicidade Videoconferência, 27 de março de 2014 SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VE 7 e ENVIO DE AMOSTRAS Importância e periodicidade Videoconferência, 27 de março de 2014 SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA."— Transcrição da apresentação:

1 VE 7 e ENVIO DE AMOSTRAS Importância e periodicidade Videoconferência, 27 de março de 2014 SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA E PROTEÇÃO DA SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA DAS DOENÇAS IMUNOPREVENÍVEIS

2 VE 7 HUMANO E ANIMAL Um único instrumento de coleta de dados Fluxo Periodicidade 45% das DIRES silenciosas em 2013 (4ª, 6ª, 8ª, 9ª, 12ª, 20ª, 22ª, 23ª, 25ª, 26ª, 27ª, 28ª, 29ª, 30ª)

3

4 PROGRAMA NACIONAL DE PROFILAXIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DA RAIVA PROFILAXIA DA RAIVA ANIMAL FONTE GTRAIVA/COVEDI/DIVEP MESESJANFEVMARABRMAIJUNJULAGOSETOUTNOVDEZTOTAL CÃES GATOS TOTAL

5 ENVIO DE AMOSTRAS Monitoramento da circulação viral Meta do estado da Bahia 0,2% da população canina com vínculo epidemiológico – Número absoluto BA – amostras por ano DIRESAmostrasDIRESAmostrasDIRESAmostrasDIRESAmostras 1ª11219ª12717ª2526ª88 2ª30210ª7218ª7427ª53 3ª15411ª9219ª7628ª86 4ª8312ª18720ª19129ª49 5ª9513ª14721ª11930ª67 6ª9714ª7222ª5631ª78 7ª14715ª14623ª44 8ª10516ª11425ª124

6 ENVIO DE AMOSTRAS Monitoramento da circulação viral Amostras caninas enviadas 2013 – 169 amostras – Resultado alcançado – 0,0066% da população canina Existem 4 DIRES com municípios totalmente silenciosos ( 8ª Eunapólis, 22ª Ibotirama, 23ª Boquira, 24ª Caetité) Último caso de raiva canina confirmada ocorreu em 2012 no município de Macajuba (18ª DIRES) Pergunta???

7 PROGRAMA NACIONAL DE PROFILAXIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DA RAIVA DIAGNÓSTICO LABORATORIAL – BAHIA 2013 Fonte: DIVEP/LACEN CAPITALINTERIOR ESPÉCIES NEGATIVAPOSITIVATOTALNEGATIVAPOSITIVATOTAL HUMANA BOVINA EQUINA QH QNH CANINA FELINA CAPRINA OVINA SUÍNA PNH (Sagui) OUTRA (raposas)8

8

9 PERSPECTIVAS 2014

10 AÇÕESPERSPECTIVAS 2014 Reunião com os coordenadores das Regionais Vídeoconferência com representantes municipais e regionais (Hoje) Reunião para Campanha com os coordenadores regionais ( Maio) Logística de distribuição de vacinas e insumos DIVEP/MS/CEADI Reunião com a CEADI. (Realizada 14/03/2014) Planejamento do cronograma e distribuição das vacinas pelo CEADI, com retroalimentação para o GT. (ofício nº 50 de 18/03/2014) Plano de ação Estadual Solicitação do plano estratégico para a campanha das Regionais com os municípios. (ofício nº 50 de 18/03/2014) Elaboração e disponibilização do plano de ação estadual

11 AÇÕESPERSPECTIVAS 2014 VE 7 ANIMAL Monitoramento através de s, contato telefônico. Análise, consolidação e envio de dados para o MS. Encaminhamento no prazo estabelecido (até 15 dias do mês subseqüente). Estimular a Implantação e/ou implementação da vacina de rotina nos municípios, para melhorar a cobertura vacinal no estado da Bahia. VE 7 HUMANO Análise, consolidação e envio dos dados para o MS Análise das DIRES antes do envio ao GT. Encaminhamento no prazo estabelecido (até 15 dias do mês subseqüente) Acompanhamento do envio de amostras pelo Smart Lacen. Análise dos dados e envio para o MS mensal. Viabilizar com o Lacen a capacitação na formação de um profissional de referência para coleta. Implementar o envio de amostras animais Implementar o envio de amostras canina em relação a 2013

12 AÇÕESPERSPECTIVAS 2014 Identificação de número elevado de Abandonos de esquema profilático. Inconsistência de dados. Incompletitude de dados. Solicitação de busca ativa dos faltosos. (ofícios/ s para as Dires). Redução no nº de abandonos no SINAN. Melhoria da qualidade de preenchimento das fichas de notificação. Monitoramento dos casos de abandono Curso de Vigilância de Epizootias com ênfase em Raiva e outras zoonoses de interesse em Saúde Pública pelo MS de 15 a 20/09/2014 (médicos, veterinários e biólogos)

13 Carta de Compromisso da Saúde na Prevenção da Raiva O Programa de prevenção da raiva, faz parte da coordenação estadual de imunização do estado da Bahia e é um agravo de alta letalidade, necessitando de várias ações de prevenção, para monitoramento e eliminação da circulação viral. São ações específicas, que englobam o monitoramento da raiva humana e animal, mas são ações que precisam estar conjuntas.

14 Precisamos fortalecer a compreensão do programa da raiva como uma atividade inserida no conjunto das ações da atenção básica em saúde no contexto de uma unidade de saúde, da sala de vacinação, da vigilância epidemiológica, integrante do SUS municipal e que, como tal, articula-se de forma sistêmica às esferas estadual e federal, sob a responsabilidade de uma equipe de saúde.

15 Nosso último caso de raiva humana no estado da Bahia foi em 2004, mas apesar da insuficiência de amostras de animais enviadas para monitorar a circulação do vírus no estado, sabemos que temos animais positivos, o que significa que temos circulação do vírus. Continuam ocorrendo óbitos no Brasil de pessoas que contraíram raiva, um agravo que pode ser evitado.

16 A raiva pode ser prevenida com o uso de imunobiológicos para o animal, transmissor da doença e para todas as pessoas agredidas por animais. O nosso controle envolve vidas animais e humanas, é complexo, mas precisa ser VISTO pela Vigilância como um agravo DE RISCO DE OCORRÊNCIA IMINENTE. A RAIVA MATA!

17 Contato: Tel/fax: (71) OBRIGADA!!!! Equipe Técnica da DIVEP: Fátima Cristina de Souza Rosane Barreto Marques Eliana Tavares Lima Luciana Guimarães Fontes


Carregar ppt "VE 7 e ENVIO DE AMOSTRAS Importância e periodicidade Videoconferência, 27 de março de 2014 SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google