A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ – Faculdade de Engenharia de Joinville DEPS – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Planejamento.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ – Faculdade de Engenharia de Joinville DEPS – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Planejamento."— Transcrição da apresentação:

1 UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ – Faculdade de Engenharia de Joinville DEPS – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Planejamento Riscos

2 Objetivos da Aula Entender o processo de planejamento de riscos; Relembrar um conjunto de problemas e tipos de riscos potenciais Conhecer um método para a avaliação de Riscos

3 Sumário Revisão Processos de Planejamento de Riscos Método para estimativa dos riscos

4 Sumário Revisão Processos de Planejamento de Riscos Método para estimativa dos riscos

5 UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ – Faculdade de Engenharia de Joinville DEPS – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Revisão

6 Áreas de conhecimento Integração de Projeto Planejamento Controle de Mudança Integrado Escopo do Projeto Planejamento Definição Verificação Controle de Mudança Tempo do Projeto Definição, Sequenciamento, estimação e controle de atividades Custo do Projeto Planejamento de Recursos, Estimativas e controle de custo Qualidade do Projeto Planejamento, garantia e controle da qualidade Recursos Humanos do Projeto Planejar, adqürir e desenvolver times de proejto Riscos do Projeto Planejar e gerenciar Monitorar e controlar Aquisições do Projeto Planejar aquisições; Planejar solicitações; Comunicações do Projeto Planejar comunicação e distribuição de informações Reportar desempenho

7 Processos de Gerenciamento de Projeto Processo de Iniciação Processo de Iniciação Processo de Planejamento Processo de Planejamento Processo de Execução Processo de Execução Processo de Controle Processo de Controle Processo de Encerramento Processo de Encerramento PMI(2000)

8 Mapa Conhecimento X Processos Integração de Projeto Escopo do Projeto Tempo do Projeto Custo do Projeto Qualidade do Projeto Recursos Humanos do Projeto Riscos do Projeto Aquisições do Projeto Comunicações do Projeto Iniciaçã o Planeja mento Execu- ção Controle Fecham ento

9 Sumário Revisão Processos de Planejamento de Riscos Método para estimativa dos riscos

10 Mapa Conhecimento X Processos Integração de Projeto Escopo do Projeto Tempo do Projeto Custo do Projeto Qualidade do Projeto Recursos Humanos do Projeto Riscos do Projeto Aquisições do Projeto Comunicações do Projeto Iniciaçã o Planeja mento Execu- ção Controle Fecham ento

11 11.6 Controle e monitoramento dos riscos Controle 11.1 Planejamento da Gestão de Riscos 11.2 Identificação dos Riscos 11.3 Análise qualitativa dos riscos 11.4 Análise quantitativa dos riscos 11.5 Planejamento de Respostas a Riscos Planejamento Processos de Gestão do Risco Risco Iniciaçã o Planeja mento Execu- ção Controle Fecham ento

12 11.1 Planejamento do gerenciamento de riscos Decisão de como abordar, planejar e executar as atividades de gerenciamento de riscos de um projeto Entradas: –Fatores ambientais da empresa (atitudes e tolerância a riscos da organização) –Ativos de processos organizacionais (padrões da empresa, incluindo: categorias de risco, conceitos e termos, modelos, etc.) –Declaração do escopo do projeto –Plano de gerenciamento do projeto Ferramentas: –Análise e reuniões de planejamento: Saídas: –Plano de gerenciamento de riscos, contendo: Metodologia, Funções e responsabilidades, Orçamentos, Tempos, Categorias de risco, Definições de probabilidade e impacto de riscos, etc.

13 Categorias de Risco através da Estrutura Analítica de Riscos (EAR)

14 11.2 Identificação de riscos Determinação dos riscos que podem afetar o projeto e documentação de suas características Entradas: –Fatores ambientais da empresa (toda informação publicada na empresa) –Ativos de processos organizacionais (informações sobre projetos anteriores) –Declaração do escopo do projeto (principalmente as premissas causa potencial de risco –Plano de gerenciamento de riscos –Plano de gerenciamento do projeto (informações sobre cronograma, custos e qualidade

15 11.2 Identificação de riscos Ferramentas: –Revisões da documentação –Técnicas de coleta de informações (Brainstorming, Entrevistas, Identificação da causa-raiz, Análise SWOT) –Análise da lista de verificação –Análise das premissas –Técnicas com diagramas (ex: diagrama causa-efeito) Saídas: –Registro de riscos, contendo riscos identificados, respostas possíveis, causas-raiz do risco, cCategorias de risco atualizadas.

16 Iniciando o mapa da Análise SWOT. Análise da Situação

17 Detalhamento de Pontos identificados com a Análise SWOT:

18 Pontos FortesPontos Fracos OportunidadesAmeaças Exemplo Parte de um grande grupo brasileiro; Tamanho – a maior do Brasil; Imagem boa – alto nível; Bons recursos – financeiros - técnicos - marketing - P&D Localização da fabrica; Pouco conhecida no exterior; Falta de flexibilidade Recentemente reestruturada Explorar os mercados esternos; Desenvolver novos produtos; Desenvolver mais economias de escala Concorrência asiática como produtos de preço baixo; Paises vizinhos firmados bilaterais com os EUA

19 1.Como posso tirar vantagem das novas oportunidades, utilizando meus pontos fortes? 2. Quais pontos Fracos posso melhorar? 3. Com quais pontos fortes é possível neutralizar as ameaças? 4. Quais ameaças, aliadas às fraquezas, preciso temer mais? A análise auxiliará em respostas como:

20 11.3 Análise qualitativa de riscos Priorização dos riscos Através de avaliação e combinação de sua probabilidade de ocorrência e impacto. Entradas: –Ativos de processos organizacionais (riscos em projetos passados) –Declaração do escopo do projeto (avaliar complexidade do projeto e os riscos inerentes) –Plano de gerenciamento de riscos –Registro de riscos (lista de riscos obtida anteriormente) Ferramentas e técnicas –Avaliação de probabilidade e impacto de riscos –Matriz de probabilidade e impacto –Avaliação da qualidade dos dados sobre riscos –Categorização de riscos –Avaliação da urgência do risco Saídas: –Registro de riscos (atualizações)

21 Matriz Probabilidade de Impacto

22 11.4 Análise quantitativa de riscos Análise numérica do efeito dos riscos identificados nos objetivos gerais do projeto Entradas: –Ativos de processos organizacionais (riscos em projetos passados) –Declaração do escopo do projeto –Plano de gerenciamento de riscos –Registro de riscos –Plano de gerenciamento de projetos (custos e cronograma) Ferramentas: –Técnicas de representação e coleta de dados (entrevistas, Distribuições de probabilidades, Opinião especializada) –Análise quantitativa de riscos e técnicas de modelagem (Análise de sensibilidade, Análise do valor monetário esperado, Análise da árvore de decisão, Modelagem e simulação) Saídas: –Registro de riscos (atualizações)

23 11.5 Planejamento de respostas a riscos Desenvolvimento de opções e ações para aumentar as oportunidades e reduzir as ameaças aos objetivos do projeto Entradas: –Plano de gerenciamento de riscos –Registro de riscos Ferramentas: –Estratégias para riscos negativos ou ameaças: Prevenir – envolve mudanças no plano de gerenciamento Transferir – passagem do impacto negativo de uma ameaça para terceiros (ex: seguros) Mitigar - exige a redução da probabilidade e/ou impacto de um risco

24 11.5 Planejamento de respostas a riscos Ferramentas (cont.): –Estratégias para riscos negativos ou ameaças: Prevenir – envolve mudanças no plano de gerenciamento Transferir – passagem do impacto negativo de uma ameaça para terceiros (ex: seguros) Mitigar - exige a redução da probabilidade e/ou impacto de um risco –Estratégias para riscos positivos ou oportunidades Explorar – tenta eliminar a incerteza associada a um risco positivo específico fazendo com que a oportunidade definitivamente aconteça Compartilhar – atribuição da propriedade a terceiros que possam capturar melhor a oportunidade em benefício do projeto Melhorar – procura facilitar ou fortalecer a causa da oportunidade e aumentar sua a probabilidade –Estratégia para ameaças e oportunidades Aceitação – adotada porque raramente é possível eliminar todos os riscos do projeto. Consiste em não mudar o plano de gerenciamento do projeto.

25 11.5 Planejamento de respostas a riscos Ferramentas (cont.): –Estratégia para respostas contingenciadas Algumas respostas são projetadas para uso somente se determinados eventos ocorrerem Saídas: –Registro de riscos (atualizações) –Plano de gerenciamento do projeto (atualizações) –Acordos contratuais relacionados a riscos

26 11.6 Monitoramento e controle de riscos Acompanhamento dos riscos identificados Monitoramento dos riscos residuais Identificação dos novos riscos Execução de planos de respostas a riscos (PRR) Avaliação da eficácia do PRR durante todo o ciclo de vida do projeto.

27 Sumário Revisão Processos de Planejamento de Riscos Método para estimativa dos riscos

28 UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ – Faculdade de Engenharia de Joinville DEPS – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Método para identificação de riscos utilizada na disciplina

29 Etapas para o Planejamento de Riscos 1 - Identificação dos riscos potenciais 2 - Análise dos Riscos –Gravidade –Probabilidade de ocorrência 3 - Priorização 4 - Proposição de ações

30 1 - Identificação dos Riscos Potenciais Fase em que se analisa o planejamento de tempo e recursos realizados visando a identificação dos riscos potenciais. Deve-se listar todos os riscos independetemente de inicialmente parecerem de baixa gravidade. Ao final obtém-se uma lista: –Falta dos equipamentos para testes beta –Defeitos na especificação de requisitos –Falta de usuários responsáveis por testes –Falta de inventário das mercadores para o cadastramento –Mudança de legislação

31 2 - Análise dos Riscos A análise dos riscos é feita medindo-se a gravidade dos efeitos e a probabilidade de ocorrência do risco. Uma forma de se realizar esta análise é desenvolvendo um Formulário e Critérios para orientar o grupo

32 Formulário para Análise de Riscos RiscoImpactoGOPAções Índice de Gravidade do Risco Índice da Probabilidade de Ocorrência Avaliação da Prioridade do Risco. Em nosso caso será calculado pela multiplicação dos demais índices

33 Formulário para Análise de Riscos RiscoImpactoGOPAções Falta de Equipamentos para Testes Beta Impossibilidade de realizar testes beta Falta de Povoamento Inicial da Base de Dados Impossibilidade de realizar testes beta

34 Critério para Avaliação da Gravidade dos Riscos (0,2)

35 Critério para a Avaliação da Probabilidade de Ocorrência

36 Formulário para Análise de Riscos RiscoImpactoGOPAções Falta de Equipamentos para Testes Beta Impossibilidade de realizar testes beta 0,40,5 Falta de Povoamento Inicial da Base de Dados Impossibilidade de realizar testes beta 0,20,3

37 3 - Priorização dos Riscos Com os riscos analisados, deve-se proceder a uma priorização para identificar aqueles que merecem a definição de ações preventivas. Uma forma de fazer isto é por meio da multiplicação dos índices de gravidade e severidade, obtendo-se o índice de priorização

38 Formulário para Análise de Riscos RiscoImpactoGOPAções Falta de Equipamentos para Testes Beta Impossibilidade de realizar testes beta 0,40,50,2 Falta de Povoamento Inicial da Base de Dados Impossibilidade de realizar testes beta 0,20,30,06

39 Prioridade (Impacto X Ocorrência) Probab. Ocorr. Gravidade (impacto) 0,050,10,20,40,8 0,90,050,090,180,360,72 0,70,040,070,140,280,56 0,50,030,050,100,200,40 0,30,020,030,060,120,24 0,10,01 0,020,040,08

40 4 - Proposição de Ações Deve-se tecer ações no seguinte nível de prioridade: –Ações que diminuam a chance do risco ocorrer; –Ações de contingência que diminuam a gravidade do risco, caso ele ocorra.

41 Formulário para Análise de Riscos RiscoImpactoGOPAções Falta de Equipamentos para Testes Beta Impossibilidade de realizar testes beta 0,40,50,2 Falta de Povoamento Inicial da Base de Dados Impossibilidade de realizar testes beta 0,20,30,06 Quais ações poderíamos tomar no caso deste exemplo ?

42 Referências Bibliográficas PMI. Project management body of knowledge. VALERIANO, D.L. Gerenciamento estratégico e adminitração por projetos. São Paulo: Makron Books, PADUA, W. Engenharia de software. Rio de Janeiro: LTC, 2001.

43 UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ – Faculdade de Engenharia de Joinville DEPS – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas FIM


Carregar ppt "UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina FEJ – Faculdade de Engenharia de Joinville DEPS – Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas Planejamento."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google