A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PRESSUPOSTOS E ANTECEDENTES DA RETÓRICA MUSICAL O MUNDO LUTERANO Cesare Ripa. Arte. Iconologia, 1594.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PRESSUPOSTOS E ANTECEDENTES DA RETÓRICA MUSICAL O MUNDO LUTERANO Cesare Ripa. Arte. Iconologia, 1594."— Transcrição da apresentação:

1 PRESSUPOSTOS E ANTECEDENTES DA RETÓRICA MUSICAL O MUNDO LUTERANO Cesare Ripa. Arte. Iconologia, 1594

2 c. 1200: Poetria Nova (Vincent de Vinsauf) 1392: L Art de Dictier (Eustache Deschamps) c.1270: tradução italiana do De Inventione (Cícero, c.80a.C.) por Brunetto Latini c.1350: tradução de cartas de Cícero por Petrarca 1416: descoberta da Institutio Oratoria (Quintiliano, c. 95 AD) 1422: descoberta do De Oratore (Cícero, c. 55 a.C.) publicação do De Oratore 1470: publicação da Institutio Oratoria até 1500: 18 edições : 130 edições 1508: publicação da Retórica (Aristóteles, c. 350 a.C.) em grego, e a seguir em latim 1525: Pietro Bembo, Prose della volgar lingua aplicação de ideais ciceronianos da recte loquendi à poesia vernácula; influência sobre músicos ligados ao círculo veneziano: Gaffurio, Aaron, Zarlino, Vicentino, Doni, Artusi, Zaconi, Galilei

3 Eustache Le Sueur. LEloquence entre la Musique et la Harmonie (1652)

4 Philipp Melanchton: 1521: Loci communes (1ª resumo da doutrina Reformada) 1521/2: incentiva a tradução da Bíblia (Lutero) 1528: reforma do ensino 1538:Ética (baseada em Aristóteles e Cicero) Lucas Cranach, o velho. Philipp Melanchton, 1538

5 Georg Rhaw; retrato (1548)Georg Rhaw. Canções Sacras (1524)

6 Livros didáticos adotados no âmbito da Lateinschule: Tradição prescritiva da ars dictaminis unida à visão humanista (eloquência) Martin Agricola: Rudimenta musices (Wittenberg, 1539). expressões sonoras são como palavras Nikolaus Listenius: Musica (Wittenberg, 1537): musica poetica Sebald Heyden: de arte canendi (Nürnberg, 1540): a música põe a matéria ante os olhos da mente Heinrich Glarean: Dodechacordon (Basel, 1547): modos como essência afectiva da música Hermann Finck, Pratica musica (Wittenberg: Raus Erben, 1556): tratado de canto; modelo da eloquência oratória Adrianus Petit Coclico, Compendium musices (Nürnberg, Berg/Neuber, 1552) relações entre o afeto das palavras e as melodias (bene dicendi, recte loquendi) Gallus Dressler, Praecepta musicae poeticae (Magdeburg, ): fortemente ciceroniano, perpetua o alinhamento da música com as artes do trivium (Listenius); dispositio Joachim Burmeister, Musica autoschediastike. (Rostock, 1601) Musica Poetica (Rostock, 1606) combinação da polifonia com expressão oratória

7 Musica Poetica Burmeister (1606) musica poetica é a parte da música que ensina a compor, unindo sons da melodia para perfazer uma harmonia adornada com diferentes afetos em cada período e destinada a mover os ânimos e corações humanos para diferentes disposições. Walther (1736): musica poetica ou composição musical é uma ciência matemática, através da qual é possível compor uma harmonia agradável e pura dos sons e colocá-la no papel, de modo que ela poda ser novamente cantada e tocada, movendo os homens principalmente para a contemplação intensa de Deus, e também agradar e recreiar o ouvido e a alma. (...) Ela é chamada assim pois o compositor não só deve entender da prosódia tão bem quanto o poeta, para que ele não esbarre na quantidade das sílabas, mas também, porque ele também poeta algo, a saber, uma melodia, e por isso ele também é chamado melopoeta ou melopeus.

8 Numerus Lutero (1538): quando a música natural é afiada e polida pela arte, percebemos em parte (pois não podemos compreender ou entender totalmente), com grande admiração, a grande e completa sabedoria de Deus na música, sua maravilhosa obra; nela, antes de tudo, é maravilhoso e admirável que alguém cante uma melodia simples e ingênua, e junto a ela três, quatro ou cinco outras vozes também sejam cantadas, e brinquem em torno dessa melodia simples e direta, adornando-a maravilhosamente de muitas maneiras e com muitos sons, conduzindo uma dança celeste, encontrando-se amigavelmente e abraçando-se afetuosamente. Quem pensa sobre isso e não considera [que isso seja] uma obra maravilhosa e indizível do Senhor, é verdadeiramente um ser rude, que não merece a denominação ser humano, que não deveria ouvir outra coisa que o zunir do burro e o grunhido do porco. Andreas Werckmeister (1700): quanto mais próxima uma coisa estiver de sua origem, mais perfeita será; portanto quanto mais as proporções [musicais] se desviarem da Unidade como seu princípio, mais imperfeitas serão. Johann Mattheson (1739): sons bem ordenados produzem almas bem ordenadas e harmoniosas

9 Cristo, nosso Senhor, chegou ao Jordão pelo desejo de seu Pai, Tomou o batismo de São João para cumprir Sua Missão e Obra. Ele quis nos instituir um banho para nos lavar dos pecados, Afogar a também a amarga morte por Seu próprio sangue e feridas; Dando-nos uma nova vida. Johann Hermann Schein. Opella nova, auff italiänische Invention componiert. Leipzig, 1618

10 Lutero (1538): depois da Palavra de Deus, nada é tão elevado e louvável quanto a música, pois ela é uma regente poderosa e violenta de todos os movimentos coração humano e porque os homens são freqüentemente regidos e dominados por ela, como por seu senhor. Lutero (1538) nada na terra é mais poderoso para tornar os tristes alegres, os alegres tristes, os humilhados orgulhosos, os orgulhosos humildes, para acalmar o amor quente e exagerado, para diminuir a inveja e o ódio, e nada é mais eficaz que a música para elevar e arrastar os movimentos do coração que regem os homens para a virtude ou para o vício, e para controlar e dominar os movimentos do ânimo. Nada é mais poderoso, digo eu, que a música. Mattheson (1739): a música amansa espíritos selvagens, amacia a essência dura e rude das almas, refina os costumes, torna as pessoas mais predispostas para a Moral, une os corações humanos de maneira doce a agradável e traz repulsa aos males que levam à desumanidade, inflexibilidade e impertinência. A harmonia mantém este estado.

11 MUNDO LUTERANO Gaffurio, Zarlino: concepção de decoro que proscreve a cacofonia entendimento da retórica como ars dictaminis Sistematização da concepção poético-retórica entre Joachim Burmeister (1601) e Johann Nikolaus forkel (1784) ITÁLIA Zarlino via Galilei: concepção musical baseada na oratória, desprezo pela matemática Vicentino: dequação total do estilo à matéria (sem se resguardar da cacofonia) Preocupação com o ideal da elegantia e com a figura do orador: Galilei: os músicos devem imitar a maneira de falar dos atores Monteverdi: o discurso musical imita o homem corajoso indo para a guerra (concitato) Discussões não abertamente retóricas

12 Sistemática da retórica musical Johann Mattheson. Der vollkommene Capellmeister [O mestre-de-capela perfeito, 1739] Inventio: descoberta e aplicação de lugares-comuns segundo a matéria e ocasião Dispositio: organização dos argumentos segundo uma ordo eficaz Elocutio: adequação da matéria ao discurso, à ocasião (pessoa, tempo, lugar) Actio: apresentação do discurso; preceptivas codificadas Memoria: criação de imagens para memorização do discurso


Carregar ppt "PRESSUPOSTOS E ANTECEDENTES DA RETÓRICA MUSICAL O MUNDO LUTERANO Cesare Ripa. Arte. Iconologia, 1594."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google