A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RELAÇÕES ECOLÓGICAS Prof. Regis Romero. RELAÇÕES ECOLÓGICAS Interações (relações ou associações): - entre indivíduos da mesma espécie INTRA-ESPECÍFICAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RELAÇÕES ECOLÓGICAS Prof. Regis Romero. RELAÇÕES ECOLÓGICAS Interações (relações ou associações): - entre indivíduos da mesma espécie INTRA-ESPECÍFICAS."— Transcrição da apresentação:

1 RELAÇÕES ECOLÓGICAS Prof. Regis Romero

2 RELAÇÕES ECOLÓGICAS Interações (relações ou associações): - entre indivíduos da mesma espécie INTRA-ESPECÍFICAS - entre indivíduos da mesma espécie – entre indivíduos de espécies diferentes INTERESPECÍFICAS – entre indivíduos de espécies diferentes INTERAÇÕES DESARMÔNICAS (negativas) – representam prejuízo para pelo menos um dos associados INTERAÇÕES HARMÔNICAS (positivas) – benefícios para um ou ambos os associados)

3 HARMONICAS Colônia Sociedade DESARMÔNICA Competição Canibalismo Harm. inquilinismo comensalismo mutualismo protocooperação Desarmônica Antibiose (amensalismo) competição parasitismo predatismo RELAÇÕESECOLÓGICAS INTRAESPECIFICA INTERESPECÍFICA esclavagismo foresia Gregarismo herbivoria

4 COLÔNIA Caravelas - Physalia A grupamento de indivíduos da mesma espécie que revelam profundo grau de interdependência e se mostram ligados uns aos outros, sendo-lhes impossível a vida quando isolados do conjuntos, podendo ou não ocorrer divisão do trabalho.

5 -Colônia

6 SOCIEDADES São agrupamentos de indivíduos da mesma espécie que têm plena capacidade de vida isolada mas preferem viver na coletividade. Os indivíduos de uma sociedade têm independência física uns dos outros. Insetos sociais:Abelhas, cupins e formigas.

7 Gregarismo Indivíduos que vivem juntos, agrupados, sem organização social.

8 COMPETIÇÃO - relação na qual indivíduos da mesma espécie ou de espécies diferentes disputam pelos mesmos recursos, que podem ser alimento, espaço, luminosidade, etc. COMPETIÇÃO - relação na qual indivíduos da mesma espécie ou de espécies diferentes disputam pelos mesmos recursos, que podem ser alimento, espaço, luminosidade, etc.

9 CANIBALISMO Canibal é o indivíduo que mata e come outro da mesma espécie. Ex.: ocorre com escorpiões, aranhas, peixes, planárias, roedores, etc.

10 Comensalismo associação entre indivíduos de espécies diferentes na qual um deles aproveita os restos alimentares ou metabólicos do outro sem causar a este qualquer tipo de prejuízo. Exemplo: a rêmora e o tubarão, Entamoeba coli e o homem. Comensalismo associação entre indivíduos de espécies diferentes na qual um deles aproveita os restos alimentares ou metabólicos do outro sem causar a este qualquer tipo de prejuízo. Exemplo: a rêmora e o tubarão, Entamoeba coli e o homem. a rêmora e o tubarão a rêmora e o tubarão

11 EPITIFISMO – ORQUÍDEAS BROMÉLIAS Inquilinismo Associação em que apenas uma espécie (inquilino) se beneficia, procurando abrigo ou suporte no corpo de outra espécie (hospedeiro), sem prejudicá-lo. Ex: Pepino-do-mar As epífitas são plantas que crescem sobre outras plantas sem parasitá-las, usando-as apenas como suporte. Ex.: as orquídeas e as bromélias.

12 FORÉSIA FORÉSIA – consiste no transporte de uma espécie. FORÉSIA – consiste no transporte de uma espécie. Ex. carrapicho – dispersão de sementes Ex. carrapicho – dispersão de sementes

13 MUTUALISMO Relação em que as espécies se beneficiam reciprocamente. Líquen (algas + fungos), Benefício para ambos. Obrigatória.

14 protocooperação associação entre indivíduos de espécies diferentes onde há benefício para ambas as partes. Não existe um comprometimento anatômico entre os indivíduos podendo a qualquer momento separá-los e garantir-se à sobrevivência de ambos. Sua coexistência não é obrigatória. associação entre indivíduos de espécies diferentes onde há benefício para ambas as partes. Não existe um comprometimento anatômico entre os indivíduos podendo a qualquer momento separá-los e garantir-se à sobrevivência de ambos. Sua coexistência não é obrigatória.

15 AMENSALISMO um dos indivíduos é capaz de produzir substâncias que podem inibir o desenvolvimento do outro ou mesmo causar sua morte. A substância produzida pela espécie inibidora pode não ter efeito letal sobre a espécie amensal, ou seja, a espécie cujo desenvolvimento é inibido. um dos indivíduos é capaz de produzir substâncias que podem inibir o desenvolvimento do outro ou mesmo causar sua morte. A substância produzida pela espécie inibidora pode não ter efeito letal sobre a espécie amensal, ou seja, a espécie cujo desenvolvimento é inibido. Fungos e bactérias produzem substâncias – os antibióticos – que interrompem o crescimento de populações de outros microrganismos. Fungos e bactérias produzem substâncias – os antibióticos – que interrompem o crescimento de populações de outros microrganismos. Penicilium notatum é o responsável pela produção do mais antigo antibiótico: a penicilina. Penicilium notatum é o responsável pela produção do mais antigo antibiótico: a penicilina.

16 AMENSALISMO algas protistas (pirrófitas) de cor avermelhada e produtoras de substâncias altamente tóxicas apresentam intensa proliferação, formando enormes manchas vermelhas no oceano. Com isso, a concentração dessas substâncias tóxicas aumenta, provocando maré vermelha. algas protistas (pirrófitas) de cor avermelhada e produtoras de substâncias altamente tóxicas apresentam intensa proliferação, formando enormes manchas vermelhas no oceano. Com isso, a concentração dessas substâncias tóxicas aumenta, provocando maré vermelha. "Maré vermelha" composta por Noctiluca sp. (foto: Peter Franks; photos.html). Em 03/03/04 photos.html

17 Competição Inter-Específica: Indivíduos de espécies diferentes que competem por alimento ou território. É uma relação Inter-Específica Desarmônica.

18 PARASISTISMO (+/-) ECTOPARASITAENDOPARASITA O parasitismo é caracterizado pela espécie que se instala no corpo de outra, dela retirando matéria para a sua nutrição e causando-lhe, em conseqüência, danos cuja gravidade pode ser muito variável, desde pequenos distúrbios até a própria morte do indivíduo parasitado. Relação Hospedeiro/Parasita.

19 Pulgões – parasitas de plantas Retiram seiva elaborada

20 parasitas HOLOPARASITASHEMIPARASITAS HOLOPARASITASHEMIPARASITAS Fotos de autoria de Ramon Junior e Renato Andrade, extraído de em 05/03/04

21 PREDATISMO capturar outro para alimentar-se. O predador e a presa pertencem a espécies diferentes. Os predadores são geralmente maiores e menos numerosos que suas presas, sendo exemplificados pelos animais carnívoros. capturar outro para alimentar-se. O predador e a presa pertencem a espécies diferentes. Os predadores são geralmente maiores e menos numerosos que suas presas, sendo exemplificados pelos animais carnívoros. Relação Presa/Predador. Relação Presa/Predador.

22 Herbivoria Animais herbívoros que comem plantas ou pedaços delas. È uma relação Inter-Específica Desarmônica.

23 ESCLAVAGISMO Associação –beneficia-se com o trabalho executado pelos membros da outra espécie Associação –beneficia-se com o trabalho executado pelos membros da outra espécie O chupim - bota ovos muito parecidos com os do tico- tico, e dentro do ninho do tico-tico; a fêmea do tico-tico - vai chocando os ovos de chupim junto com os dela própria; não bastasse essa situação "desleal", os filhotes de chupim nascem em prazo menor do que os de tico-tico, e vão logo tomando conta do pedaço: chegam a jogar fora os ovos de tico-tico, matando-os - ou, então, bem mais fortes, jogam para baixo os próprios tico-tiquinhos que tenham nascido; e a mãe adotiva ainda os alimenta com todo desvelo. Quando ficarem adultos, esses mesmos chupinzinhos chegarão a uns 23cm e serão imponentes - os machos, negros e brilhantes, com reflexos avermelhados; as fêmeas, de um castanho bem escuro, quase preto. fonte: Revista Meu Sítio - Guia Rural - Editora Abril


Carregar ppt "RELAÇÕES ECOLÓGICAS Prof. Regis Romero. RELAÇÕES ECOLÓGICAS Interações (relações ou associações): - entre indivíduos da mesma espécie INTRA-ESPECÍFICAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google