A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

LITERATURA BRASILEIRA Inutilia Truncat (acabe com as inutilidades)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "LITERATURA BRASILEIRA Inutilia Truncat (acabe com as inutilidades)"— Transcrição da apresentação:

1 LITERATURA BRASILEIRA Inutilia Truncat (acabe com as inutilidades)

2

3 Na tranquila varanda de Gonzaga Sob os livros de Cláudio Manuel, Solenes se reúnem, proclamando A revolta do sonho e do papel. Entre o gamão e o chá fazem as leis Da perfeita República. No sono Dos sobrados mineiros, verbalmente, Resgatam pátrias, justiciam tronos. Guardam as armas sob o travesseiro. Vestem capas do roxo mais poético. Convertem curas, mascates, sapateiros. São generosos, líricos, patéticos. José Paulo Paes, Os inconfidentes

4 Arcadismo, Setecentismo ou Neoclassicismo Movimento dominante na 2ª metade do século XVIII. Vive-se o Século das Luzes, o Iluminismo. Ascensão da burguesia, preparação para a Revolução Francesa. Preocupação com as questões mundanas, deixando a religiosidade em segundo plano. A arte burguesa, marcada pelo subjetivismo, estava cansada dos exageros do Barroco.

5 ARCADISMO NO BRASIL O Arcadismo brasileiro – Escola Mineira Intimamente ligado à Inconfidência Mineira – Poetas Inconfidentes Minas Gerais é o centro econômico do Brasil colonial – atividade mineradora A mineração possibilita o surgimento de uma nova classe social (média) A literatura da época: elemento de ligação social, de conversação e de prestígio.

6 CARACTERÍSTICAS Imitação da natureza; Imitação dos clássicos; Ausência de subjetividade; Utilização, na escultura, de materiais mais simples; Utilização de tons pastéis – pintura - tomando lugar das cores fortes do Barroco; Procura por simplificar a arte; Bucolismo – valorização das paisagens campestres, pastoris; Utilização de pseudônimos por parte dos poetas, numa homenagem aos poetas da Antigüidade Clássica.

7 Imitação da Natureza oA natureza adquire um sentido de simplicidade, de harmonia e verdade. o Cultua-se o homem natural – que imita a harmonia, a serenidade e o equilíbrio da natureza. o O bucolismo se torna um imperativo social.

8 Retorno aos Clássicos Como reação ao Barroco, o artista vai buscar na arte clássica sua inspiração. A busca é pela simplicidade, pelo racional, pelo inteligível. Utilização da Mitologia Clássica como recurso poético.

9 Ausência de Subjetividade Ao usar imagens clássicas tradicionais, a poesia perde um pouco da personalidade. O escritor não anda com seu próprio eu, ele adota uma posição pastoril. A renúncia à subjetividade faz parte do decoro e da dignidade – o poeta deve expressar sentimentos genéricos, comuns, médios. O amor perde o conteúdo passional e a impulsividade – amor como jogo de galanteios.

10 Destes penhascos fez a natureza O berço em que nasci! Oh, quem cuidara Que entre penhas tão duras se criara Uma alma terna, um peito sem dureza! Cláudio Manuel da Costa – Glauceste Satúrnio

11 Eu, Marília, não sou algum vaqueiro Que viva de guardar alheio gado, De tosco trato, dexpressões grosseiro, Dos frios gelos, e dos sóis queimado. Tomás Antônio Gonzaga - Dirceu

12 Carinhosa e doce, ó Glaura, Vem esta aura lisonjeira, E a mangueira já florida Nos convida a respirar. Sobre a relva o sol doirado Bebe as lágrimas da Aurora, E suave os dons da Flora, Neste prado vê a brotar. Silva Alvarenga - Alcino

13 OS ÁRCADES DA INCONFIDÊNCIA LÍRICA: Cláudio Manuel da Costa Tomás Antônio Gonzaga Silva Alvarenga ÉPICA: Basílio da Gama Santa Rita Durão Cláudio Manuel da Costa SÁTIRA: Tomás Antônio Gonzaga ENCOMIÁSTICA: Silva Alvarenga Alvarenga Peixoto Fala ou discurso em louvor a alguém.

14 Obras poéticas Vila Rica Foi preso por ter participado da Inconfidência Mineira e foi encontrado morto em sua cela (enforcado). GLAUCESTE SATÚRNIO MUSA: NISE TEMA: DESILUSÃO AMOROSA Cláudio Manuel da Costa ( )

15 Marília de Dirceu Cartas chilenas Em sua principal obra Marília de Dirceu é perceptível a diferença entre o que foi escrito antes e o que foi criado depois de sua prisão. Cartas chilenas são poemas satíricos, em linguagem bastante agressiva, em que há uma crítica disfarçada ao governante de Minas Gerais – Luís da Cunha Meneses. Tomás Antonio Gonzaga ( ) DIRCEU MUSA: MARÍLIA TEMA: DESILUSÃO AMOROSA

16 Vila Rica (atual Ouro Preto) serve de fundo para a Marília menina imaginada pelo pintor. Aqui, ela figura em absoluto primeiro plano, como aparentemente nas liras de Marília de Dirceu. As Liras que fez, fingindo ser o pastor Dirceu, para sua amada Marília (pseudônimo da bela Maria Dorotéia Joaquina de Seixas), louvando a felicidade da vida no campo, tornaram-se sucesso imediato quando publicados, pela primeira vez, em 1792; aumentando a fama com a publicação da "segunda parte" das Liras, em 1799, cujos versos lamentavam o sofrimento na prisão em que foi parar por denúncia de envolvimento no movimento da Inconfidência Mineira. Minha bela Marília, tudo passa; a sorte deste mundo é mal segura; se vem depois dos males a ventura, vem depois dos prazeres a desgraça. Estão os mesmos Deuses sujeitos ao poder do ímpio Fado: Apolo já fugiu do Céu brilhante, já foi Pastor de gado. "Marília de Dirceu", de Alberto Guignard

17 A obra de Silva Alvarenga resume-se em um título: Glaura, como também era inconfidente, esteve três anos na cadeia. Silva Alvarenga ( )

18 Basílio da Gama ( ) Tentou realizar uma epopéia, usando como tema a tomada das Missões pela expedição punitiva de Gomes Freire de Andrade, escreveu O Uraguai. Luta empreendida pelos portugueses, auxiliados pelos espanhóis, contra índios dos Sete Povos das Missões, instigados pelos jesuítas (a culpa caberia aos jesuítas e não aos índios). Apresenta algumas inovações, como os versos decassílabos brancos, não apresentando divisão em estrofes e constando de apenas cinco cantos. Respeita a divisão tradicional (proposição, invocação, dedicatória, narração e epílogo), embora quebre a estrutura ao iniciar o poema pela narração. Personagens do poema são: Gomes Freire de Andrada (herói português); Balda (vilão, um jesuíta caracterizado); e os indígenas: Lindóia, Cacambo (marido de Lindóia), Sepé, Tatu-Guaçu, Caitutu e Tanajura (a vidente).

19 "...Mais de perto Descobrem que se enrola no seu corpo Verde serpente, e lhe passeia, cinge Pescoço e braços, e lhe lambe o seio. Fogem de a ver assim, sobressaltados, E param cheios de temor ao longe; E nem se atrevem a chamá-la, e temem Que desperte assustada, e irrite o monstro, E fuja, e apresse no fugir a morte. Porém o destro Caitutu, que treme Do perigo da irmã, sem mais demora Dobrou as pontas do arco, e quis três vezes Soltar o tiro, e vacilou três vezes Entre a ira e o temor. Enfim sacode O arco e faz voar a aguda seta, Que toca o peito de Lindóia, e fere A serpente na testa, e a boca e os dentes Deixou cravados no vizinho tronco. Açouta o campo coa ligeira cauda O irado monstro, e em tortuosos giros Se enrosca no cipreste, e verte envolto Em negro sangue o lívido veneno... (Trecho de "O Uraguai", de Basílio da Gama)

20 Santa Rita Durão ( ) Caramuru

21 Theme From Arcadismo Prof. Joãozinho (Paródia de Moreninha Linda Tonico e Tinoco) Tomás Antônio Gonzaga Fez Marília de Dirceu Cláudio Manuel da Costa Vila Rica escreveu

22 São poetas do Arcadismo Que em Minas Gerais nasceu

23 Arcadismo é campo, pastor, bucolismo Mimese dos gregos, neoclassicismo Arcadismo é campo, pastor, bucolismo Mimese dos gregos, racionalismo

24 Grande Basílio da Gama Escreveu O Uraguai Frei Santa Rita Durão Fez Caramuru !

25 Lembre de Cartas Chilenas Que traz críticas sociais

26 Arcadismo é campo, pastor, bucolismo Mimese dos gregos, neoclassicismo Arcadismo é campo, pastor, bucolismo Mimese dos gregos, racionalismo


Carregar ppt "LITERATURA BRASILEIRA Inutilia Truncat (acabe com as inutilidades)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google