A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Núcleo e Cromossomos Professora: Alexsandra Ribeiro O núcleo celular é realmente uma biblioteca gigante de genes acumulados através da evolução, que podem.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Núcleo e Cromossomos Professora: Alexsandra Ribeiro O núcleo celular é realmente uma biblioteca gigante de genes acumulados através da evolução, que podem."— Transcrição da apresentação:

1 Núcleo e Cromossomos Professora: Alexsandra Ribeiro O núcleo celular é realmente uma biblioteca gigante de genes acumulados através da evolução, que podem ser acessados em caso de estresse (Elisabet Sahtouris)

2 Introdução Como um grande comandante, o núcleo disciplina todas as atividades do citoplasma celular. Além disso ele contém as informações de que a célula necessita para reproduzir-se, transmitindo às células filhas as características da célula-mãe.

3

4 Estrutura Nuclear Exceto em seres procariontes, em que o NÚCLEO NÃO EXISTE e o material nuclear está disperso no citoplasma, os demais seres vivos possuem um ou mais núcleos bem delimitados pela carioteca. Dentro do núcleo, mergulhados em uma solução semelhante ao citoplasma, a cariolinfa, encontramos um ou mais nucléolos e os cromossomos.

5

6 Estrutura Nuclear I. Carioteca Também chamada de membrana nuclear, tem constituição lipoprotéica, é dupla e apresenta poros, por onde podem passar grandes moléculas em direção ao citoplasma e em sentido contrário. Ela comunica-se com o retículo endoplasmático, que lhe dá origem, e, freqüentemente, possui ribossomos aderidos à sua face externa. A carioteca permanece íntegra durante à vida da célula e só se desmancha durante a divisão celular. Diferentemente da membrana celular, a carioteca não se regenera quando lesada.

7 Estrutura Nuclear II. Cariolinfa Também é conhecida como nucleoplasma, carioplasma ou suco nuclear. Ela é uma solução de água, proteínas e outras substâncias, semelhante ao citoplasma, que preenche o interior do núcleo.

8 Estrutura Nuclear III. Nucléolo Pode existir um ou vários nucléolos dentro de um mesmo núcleo. O nucléolo não possui nenhuma membrana envoltória e é somente um agregado de rRNA (RNA ribossômico) e proteínas. Durante a divisão celular, o nucléolo desfaz-se, originando os ribossomos, que, uma vez formados e amadurecidos, migram para o citoplasma, onde irão responsabilizar-se pela síntese protéica. O que dá origem ao nucléolo é um tipo especial de cromossomo chamado cromossomo organizador do nucléolo que produz as moléculas de rRNA.

9 Estrutura Nuclear IV. Cromatina É o conjunto de filamentos – cromossomos – presentes no núcleo celular. Cada cromossomo é uma longa fita de DNA associada a diversos tipos de proteínas (chamadas de histonas). Os filamentos apresentam regiões mais claras, onde a cromatina, menos condensada (fios desenrolados), é denominada eucromatina, e outras mais escuras, com a cromatina mais condensada (fios enrolados), a heterocromatina. A eucromatina corresponde a uma região do DNA em que os genes estão ativos, orientando a síntese de RNA e proteínas.

10 Cromossomos O cromossomo é uma estrutura que contém as informações genéticas da célula. Ele é constituído de uma molécula de DNA associada a proteínas chamadas histonas. Nos locais de contato entre o DNA e as histonas, formam-se granulações conhecidas como nucleossomos. Como são formados por DNA, os cromossomos são capazes de autoduplicar-se. Os cromossomos apresentam estrangulamentos chamados constrições. A constrição primária ou centrômero separa o cromossomo em dois braços. Cada braço é uma cromátide.

11

12 Cromossomos segundo o centrômero Dependendo da localização do centrômero, os cromossomos podem classificar-se em:

13 Cromossomos homólogos Quando a célula começa a dividir-se, os cromossomos enrolam-se, ficando mais curtos, grossos e mais visíveis ao microscópio. Nessa hora é possível contá-los. Cada espécie de ser vivo possui um número fixo de cromossomos, que se encontram aos pares. Nós, humanos, temos 46 cromossomos (ou 23 pares). Cada cromossomo de um par é chamado cromossomo homólogo. Portanto, temos 46 cromossomos ou 23 pares de cromossomos homólogos.

14 Cromossomos Homólogos

15 Cromossomos e genes As porções do DNA que formam um cromossomo são seqüências de nucleotídeos. Essa seqüência é o gene ou gen. Portanto, o cromossomo é formado por uma seqüência de genes, cada um deles responsável pela produção de uma determinada proteína.

16 Genoma É o conjunto de moléculas de DNA de uma espécie, que contém todos os seus genes e também as seqüências de bases nitrogenadas que não possuem informação codificada. Na espécie humana, o genoma é constituído por 24 moléculas de DNA que formam os 24 tipos de cromossomos humanos; 22 desses tipos de cromossomos são denominados autossomos e identificados por números de 1 a 22; os outros dois tipos, chamados de cromossomos sexuais, são identificados pelas letras X e Y.

17 Genoma Autossomos – tipos de cromossomos presentes tanto em células masculinas quanto em células femininas. Cromossomos sexuais – são os que variam entre os sexos e caracterizam células masculinas e femininas. MULHER: 44A + XX Ou 22AA + XX (46, XX) HOMEM: 44A + XY ou 22AA + XY (46, XY) IMPORTANTE!!!!! Cariótipo é o nome que se dá aos dados sobre número, forma e tamanho dos cromossomos de uma espécie de ser vivo. Genoma é o conjunto de cromossomos de uma célula haplóide. Ex: os seres humanos têm 23. (não é necessário contar com o par de cromossomo sexual.

18 Cariótipo Humano

19 Células diplóides e células haplóides Células diplóides ou somáticas são aquelas em que os cromossomos aparecem aos pares. O conjunto de cromossomos é representado pela letra n. Dizemos, portanto, que as células diplóides apresentam 2n cromossomos. Ex: os seres humanos têm 2n = 46 cromossomos. Células haplóides ou germinativas, são as células em que os cromossomos apresentam um único conjunto e não estão presentes aos pares. Portanto as células haplóides têm n cromossomos. Ex: o espermatozóide tem n = 23 cromossomos.

20 Alterações cromossômicas na espécie humana As alterações cromossômicas podem ser numéricas, quando afetam o número de cromossomos da célula, ou estruturais, quando afetam a estrutura de um ou mais cromossomos do cariótipo. Síndrome de Down – trissomia no par 21 Síndrome de Turner – tem apenas um cromossomo sexual, o cromossomo X e é do sexo feminino. Síndrome de Klinefelter – três cromossomos sexuais, sendo XXY e é do sexo masculino.


Carregar ppt "Núcleo e Cromossomos Professora: Alexsandra Ribeiro O núcleo celular é realmente uma biblioteca gigante de genes acumulados através da evolução, que podem."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google