A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

& política de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "& política de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho."— Transcrição da apresentação:

1 & política de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho árduo,sofreram com torturas, foram estupradas nas guerras, queimadas vivas em fogueiras e fábricas. Sonhavam com um mundo de igualdade entre homens e mulheres. & EMPODERAMENTO REFORMA política de mulheres

2 & política de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho árduo,sofreram com torturas, foram estupradas nas guerras, queimadas vivas em fogueiras e fábricas. Sonhavam com um mundo de igualdade entre homens e mulheres.

3 & política de mulheres A nossa geração teve a capacidade de trazer o pensar, o querer, o sonhar e o realizar para a esfera da POLÍTICA! Realizamos as Conferências Mundiais de Mulheres.

4 & política de mulheres I Conferência Mundial da Mulher (1975) México Tema: IGUALDADE E PAZ. A partir desta conferência a ONU declara os anos de 1976 a 1985 como a DÉCADA DA MULHER.

5 & de mulheres II Conferência Mundial da Mulher (1980) Copenhagen Avaliou os avanços da década da mulher e inseriu três sub-temas nas discussões: educação, saúde e trabalho.

6 & de mulheres III Conferência Mundial da Mulher (1985) Quênia Tema: IGUALDADE, DESENVOLVIMENTO E PAZ; e traça Estratégias para o Progresso da Mulher.

7 & política de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho árduo,sofreram com torturas, foram estupradas nas guerras, queimadas vivas em fogueiras e fábricas. Sonhavam com um mundo de igualdade entre homens e mulheres. IV Conferência Mundial da Mulher (1995) Beijing - China Destacou os direitos sexuais e reprodutivos e incluiu a Discriminação Racial como obstáculo para a igualdade e eqüidade entre as mulheres.

8 & de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho árduo,sofreram com torturas, foram estupradas nas guerras, queimadas vivas em fogueiras e fábricas. Sonhavam com um mundo de igualdade entre homens e mulheres. Na Conferência de Beijing ficou muito claro que é impossível um pleno desenvolvimento sem a participação da mulher. Foi declarado e reafirmado que os direitos das mulheres são direitos humanos.

9 & política de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho árduo,sofreram com torturas, foram estupradas nas guerras, queimadas vivas em fogueiras e fábricas. Sonhavam com um mundo de igualdade entre homens e mulheres. IV Conferência Mundial da Mulher (1995) Beijing - China Destacou os direitos sexuais e reprodutivos e incluiu a Discriminação Racial como obstáculo para a igualdade e eqüidade entre as mulheres. E é dentro desta concepção que o movimento feminista e o movimento de mulheres brasileiras passa a se articular politicamente com as instâncias decisórias de poder.

10 No Brasil, nós mulheres não conseguimos alcançar a representatividade política necessária para erradicar as desigualdades de gênero e raça/etnia tão latentes na sociedade brasileira.

11 As mulheres vivem sob o domínio de uma cultura patriarcal; onde o espaço político sempre foi ocupado pelos homens. Nós mulheres temos avançado na luta contra esta cultura política, mas o caminho ainda é longo.

12 & política de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho árduo,sofreram com torturas, foram estupradas nas guerras, queimadas vivas em fogueiras e fábricas. Sonhavam com um mundo de igualdade entre homens e mulheres. Somos metade da humanidade e mãe da outra metade. No Brasil somos a MAIORIA da população, do eleitorado, nas universidades, mas quando se trata de poder, somos a grande MINORIA.

13 Homens: 71 Mulheres: 10 TOTAL: 81

14 Homens: 468 Mulheres: 45 TOTAL: 513

15 Homens: 813 Mulheres: 123 TOTAL: 936

16 Governados por Homens: Governados por Mulheres: 385 TOTAL: 5.500

17 Homens: Mulheres: TOTAL:

18 SANTA CATARINA

19

20 E pela primeira vez na história temos uma SENADORA.

21 A política sempre foi um espaço masculino, construído historicamente pelos homens e para os homens. A nós mulheres cabe o compromisso de mudar este cenário. Nenhum opressor ou dominante sai espontaneamente da sua condição hegemônica.

22 É fundamental colocarmos as nossas lutas na agenda política de nosso Estado. Construir por exemplo um ORÇAMENTO MULHER. A grande tarefa, o desafio intransferível para a conquista da plena cidadania pelas mulheres, é o enfrentamento ao MACHISMO, ao PATRIARCADO e a subordinação de papéis.

23 SANTA CATARINA Construir uma consciência coletiva da importância da participação da mulher na POLÍTICA. Precisamos eleger mais mulheres nos sindicatos, nos conselhos, mais prefeitas, mais vereadoras, mais deputadas, mais senadoras, mais secretárias de Estado, governadoras e presidente.

24 SANTA CATARINA A grande maioria dos problemas que vivemos, de invisibilidade dos governantes para com as nossas lutas (saúde, educação, trabalho, violência,...) é devida a nossa ausência na POLÍTICA.

25 SANTA CATARINA Defendemos o Financiamento Público das Campanhas, para acabarmos com o abuso de poder econômico nos processos eleitorais. Que parte dos recursos do Fundo Partidário sejam utilizados pelos partidos para formação política das mulheres.

26 SANTA CATARINA Que o Pacto Nacional de Política para Mulheres assinado pelo Governo do Estado nesta Conferência se transforme em Políticas Públicas para as mulheres catarinenses. VAMOS COBRAR!

27 Como já disse: a nossa luta vem de longe. Quero neste momento, fazer uma homenagem a algumas dessas mulheres, que mesmo sem saber se poderia ser feito, fizeram a DIFERENÇA. Que elas nos inspirem nesta Conferência, e na nossa caminhada.

28 MULHERESDE LUTA

29 LEILA DINIZ ( ): Símbolo da liberdade feminina nos anos 60

30 CORA CORALINA ( ): Poetisa e doceira de Goiás, cujo talento foi descoberto quando tinha mais de 70 anos

31 CHIQUINHA GONZAGA ( ): Abolicionista, compositora e pioneira da música popular

32 ANITA GARIBALDI ( ): Considerada heroína no Brasil pela participação na luta republicana e, na Itália, por engajar-se na campanha de emancipação daquele país

33 ANA NÉRI ( ): Heroína da Guerra do Paraguai, também precursora da enfermagem no Brasil

34 ALZIRA SORIANO ( ): Primeira mulher eleita prefeita na América Latina, para governar o município de Lages, no Estado do Rio Grande do Norte, em 1928

35 ADA ROGATO ( ): Pára-quedista e primeira mulher aviadora a viajar as três Américas em um vôo solitário no ano de 1951

36 BIBI FERREIRA (1924-): Lenda do teatro e da música no Brasil, iniciou num período em que as mulheres que atuavam nesse meio eram severamente discriminadas

37 BERTHA LUTZ ( ): Uma das principais líderes na luta pelos direitos das mulheres no Brasil, inclusive na conquista ao voto

38 BIDU SAYÃO ( ) Cantora carioca que conquistou fama internacional em 1920

39 CACILDA BECKER ( ): Atriz e empresária teatral, defensora da liberdade de expressão durante o governo militar

40 CAROLINA MARIA DE JESUS ( ) Escritora favelada que bateu recorde de vendagem com o livro Quarto de Despejo, em 1960

41 CARMEM DOLORES ( ): Escritora e jornalista que atuava na grande imprensa na virada do Século 20 defendendo a educação para as mulheres e o direito ao ingresso no mercado de trabalho

42 CLARICE LISPECTOR ( ): Escritora consagrada e dona do maior número de obras traduzidas, a maioria tratando de questões relacionadas à mulher e os seus aspectos psicológicos

43 CECÍLIA MEIRELES ( ) Uma das maiores poetisas da língua portuguesa

44 CARMEM PORTINHO (1903-) Pioneira da engenharia, introduziu o conceito da moradia popular no Brasil

45 CARLOTA PEREIRA QUEIRÓS ( ) Médica e primeira deputada federal da América Latina, eleita por São Paulo

46 EULÁLIA LOBO (1924-) Primeira doutora em História no país, em 1968 foi atingida pelo AI-5 e afastada da Universidade Federal Fluminense, à qual retornou na anistia, em 1979

47 HELONEIDA STUDART (1932-) Política, escritora e feminista, co-responsável pelo retorno das idéias feministas no Brasil no final do Século 20

48 JOSEFINA ALVARES DE AZEVEDO ( ) Jornalista e feminista, do final do Século 19. Escreveu os livros Voto Feminino e Mulher Moderna, em 1890

49 JÚLIA LOPES DE ALMEIDA ( ) Escritora e feminista, integrou a Federação Brasileira pelo Progresso Feminino

50 LÉLIA GONZÁLEZ ( ) Antropóloga e feminista, foi co-fundadora do Movimento Negro Unificado nos anos 70

51 LÉA CAMPOS (1945-) Primeira mulher juíza de futebol do mundo

52 MARIA QUITÉRIA ( ) Heroína da independência do Brasil, que se passou por homem para lutar pela causa. Descoberta, foi mantida nas tropas com um saiote acrescentado à farda. Foi condecorada por bravura.

53 MARGARIDA ALVES ( ) Líder sindicalista da Paraíba, defendeu os direitos dos colonos e foi fundadora de uma escola rural. Morreu assassinada em 1983, depois de declarar que lutava contra a exploração e a fome.

54 NISE DA SILVEIRA ( ) Médica psiquiatra, é uma das maiores referências no tratamento da esquizofrenia. Ficou presa durante 16 meses em 1935 por ser comunista. Criou a Terapêutica Ocupacional, hoje reconhecida e aplicada mundialmente.

55 OLGA BENÁRIO ( ) Militante comunista, entregue aos nazistas para ser morta, num ato de brutalidade do governo Vargas, quando estava grávida do brasileiro e líder do partido, Luis Carlos Prestes

56 As lutas das mulheres em busca da paz, da igualdade e da justiça social e trabalhista também tiveram grandes mártires como a revolucionária polonesa ROSA DE LUXEMBURGO ( ), assassinada por militares contra o comunismo.

57 O sacrifício de valentes que enfrentaram as convenções em busca de dignidade para as mulheres e toda sociedade não acabaram com situações como a dos muçulmanos, que ainda dominam a população feminina com BURCAS, em pleno Século 21.

58 Com nossa união conquistamos o direito de falar e denunciar, respeito pelo nosso trabalho e pela nossa dignidade humana... Nossa capacidade nos alçou a posições importantes, nas quais priorizamos a paz e a solidariedade numa harmonia compartilhada por mulheres em sociedades de diferentes continentes...

59 MICHELE BACHELET Primeira mulher eleita presidente do CHILE, em janeiro de 2006 Assim que temos mulheres em posições de destaque como

60 TARJA HALONEN Social-democrata reeleita em janeiro de 2006 para a presidência da FINLÂNDIA

61 ELLEN JOHNSON SIRLEAF Primeira mulher chefe de Estado eleita na ÁFRICA, empossada em janeiro de 2006

62 MARY MCALEESE Presidente da IRLANDA, reeleita em 2004, sendo o oitavo mandato feminino.

63 ANGELA MERKEL Eleita pelo Parlamento em 2005, é a primeira mulher a assumir a chefia do governo na ALEMANHA

64 Em Santa Catarina temos: 9 prefeitas, 304 vereadoras, 1 deputada federal, 1 senadora e 3 deputadas estaduais, que se honram de suas antecessoras, entre elas Antonieta de Barros, primeira negra a assumir um mandato popular no Brasil

65 Nossa luta continua...


Carregar ppt "& política de mulheres A nossa luta, das mulheres, por um mundo melhor, mais justo e igualitário é milenar. Muitas mulheres antes de nós trilharam um caminho."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google