A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Florianópolis, 20 de setembro de 2011.. Planejar é o ato de estabelecer onde se quer chegar e como chegar lá, a partir do ponto onde se está e dos recursos.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Florianópolis, 20 de setembro de 2011.. Planejar é o ato de estabelecer onde se quer chegar e como chegar lá, a partir do ponto onde se está e dos recursos."— Transcrição da apresentação:

1 Florianópolis, 20 de setembro de 2011.

2 Planejar é o ato de estabelecer onde se quer chegar e como chegar lá, a partir do ponto onde se está e dos recursos disponíveis. Um plano é definido como um mapa, o documento que formaliza o planejar.

3 Onde estamos? Onde queremos chegar? Planejamento (Ação)! Plano (Documento)!

4 O que é Plano de Saúde? – Instrumento que, a partir de uma análise situacional, apresenta as intenções e os resultados a serem buscados no período de 4 anos, expressos em diretrizes e metas.

5 Plano Municipal de Saúde de Florianópolis: – Análise situacional – Objetivos, Diretrizes, Indicadores e Metas – 2011 a 2014

6 Pontos Fundamentais para que um Plano Municipal de Saúde seja executado: 1)Construção facilitando a execução 2)Pessoas realizando a execução 3)Recursos para a execução 4)Alinhamento com outras esferas de gestão do SUS

7 Pontos Fundamentais para que um Plano Municipal de Saúde seja executado: 1)Construção facilitando a execução 2)Pessoas realizando a execução 3)Recursos para a execução 4)Alinhamento com outras esferas de gestão do SUS

8 Pontos Fundamentais para que um Plano Seja Executado: 1)Construção facilitando a execução Tamanho Embasado na realidade e governabilidade da organização

9 Pontos Fundamentais para que um Plano Municipal de Saúde seja executado: 1)Construção facilitando a execução 2)Pessoas realizando a execução 3)Recursos para a execução 4)Alinhamento com outras esferas de gestão do SUS

10 Pontos Fundamentais para que um Plano Seja Executado: 2)Pessoas realizando a execução Participação na elaboração Tradução em ações compreensíveis e adequadas à realidade Incentivo ao Monitoramento e Avaliação

11 Pontos Fundamentais para que um Plano Seja Executado: 2)Pessoas realizando a execução Participação na elaboração Tradução em ações compreensíveis e adequadas à realidade Incentivo ao Monitoramento e Avaliação

12 Participação na elaboração Trabalhadores do SUS 90 Conselheiros Municipais 01 Conselheiros Locais 07 Parceiros 11 Gestores 69

13 Pontos Fundamentais para que um Plano Seja Executado: 2)Pessoas realizando a execução Participação na elaboração Tradução em ações compreensíveis e adequadas à realidade Incentivo ao Monitoramento e Avaliação

14 Tradução em ações e objetivos compreensíveis e adequadas à realidade

15 O que é Programação de Saúde? – Instrumento que operacionaliza as intenções expressas no Plano de Saúde.

16 2)PAS Unidades - Traduzir Objetivos para Diretorias, Gerências, Distritos e Unidades de Saúde. Realizado de forma ascendente. AMQ – Centros de Saúde ECA – unidades de média complexidade, Diretorias, Gerências, Distritos Balanced Scorecard - BSC 1)PAS Nível Central – Portfólio de Programas e Projetos

17 Ascendência Unidades de Saúde Distritos Sanitários Nível Central PRÓXIMA PROGRAMAÇÃO

18 Participação e Voluntariado – Programações construídas com TODOS os trabalhadores das Unidades. – TODAS as unidades participantes foram Voluntárias.

19 Planejamento na Secretaria em 2009 ! Planejamento Formal Desalinhado Unidades Planejamento na Secretaria em 2011 ! Planejamento na Secretaria em 2010 ! Alinhado Plano Municipal de Saúde 2007/2010

20 Pontos Fundamentais para que um Plano Seja Executado: 2)Pessoas realizando a execução Participação na elaboração Tradução em ações compreensíveis e adequadas à realidade Incentivo ao Monitoramento e Avaliação

21 SIM* *SIM: Sistema de Incentivo à Maturidade em Planejamento Controle Social

22 Pontos Fundamentais para que um Plano Municipal de Saúde seja executado: 1)Construção facilitando a execução 2)Pessoas realizando a execução 3)Recursos para a execução 4)Alinhamento com outras esferas de gestão do SUS

23 Organização em 4 grandes blocos: Atenção BásicaVigilância em Saúde Média e Alta Complexidade Gestão e Estruturação do SUS LOA Assistência Farmacêutica Recursos Transversáis

24 Adequação da Lei Orçamentária Anual – LOA à estratégia da Secretaria – Previsto Projeto/Atividade: Projetos estratégicos dentro de cada bloco Contemplar orçamento estimado na PAS

25 Pontos Fundamentais para que um Plano Municipal de Saúde seja executado: 1)Construção facilitando a execução 2)Pessoas realizando a execução 3)Recursos para a execução 4)Alinhamento com outras esferas de gestão do SUS

26

27 Em sintonia com o que o MS está preconizando – Gestão da Qualidade Total

28 Em sintonia com o que o MS está preconizando – Gestão por Desempenho

29

30 Pontos Fundamentais para que um Plano Seja Executado: 1)Construção facilitando a execução Tamanho Embasado na realidade e governabilidade da organização 2)Pessoas realizando a execução Participação na elaboração Tradução em ações compreensíveis e adequadas à realidade Incentivo ao Monitoramento e Avaliação 3)Recursos para a execução LOA 4)Alinhamento com outras esferas de gestão do SUS Alinhado ao MS

31 JOÃO JOSÉ CANDIDO DA SILVA SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE CLÉCIO ANTÔNIO ESPEZIM SECRETÁRIO ADJUNTO MÁRIO JOSÉ BASTOS JÚNIOR Diretor do Planejamento, Informação e Captação de Recursos EDENICE REIS DA SILVEIRA Gerente de Planos, Metas e Políticas de Saúde LEANDRO PEREIRA GARCIA Técnico da Gerente de Planos, Metas e Políticas de Saúde GUILHERME KAWASE FALK Estagiário


Carregar ppt "Florianópolis, 20 de setembro de 2011.. Planejar é o ato de estabelecer onde se quer chegar e como chegar lá, a partir do ponto onde se está e dos recursos."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google