A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DIRETORIA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DIRETORIA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE."— Transcrição da apresentação:

1 GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DIRETORIA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

2 Reúne um conjunto de ações voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde, por meio da promoção do acesso aos medicamentos e uso racional. ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA – O que é? GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA É assegurada pela produção; controle de qualidade; educação em saúde para o uso adequado dos medicamentos; farmacovigilância; educação permanente para todos os profissionais e técnicos envolvidos com medicamentos e por um ciclo de ações relativas aos medicamentos:

3 Seleção Programação Prescrição, Dispensação e Uso Distribuição Aquisição Armazenamento GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA FONTE: Ciclo da Assistência Farmacêutica (adaptado do Consenso: Grupo Técnico de Assessoria ASSFARM/MS e OPAS, 1999) Uso Racional de Medicamentos ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA – O que é?

4 1982 – 2004: 1982 – 2004: farmácias básicas vinculadas às UBS e compras vinculadas ao setor de recursos materiais da Unidade de Apoio Administrativo. HISTÓRICO DA ASSFAR: GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA 2004: 2004: criação da CAF junto ao Almoxarifado Central. 2006: 2006: implantação da Coordenadoria de Assistência Farmacêutica como estrutura informal no organograma. Consequências: 1. Plano Municipal de Assistência Farmacêutica 2. Criação da CFT 3. Implantação das Normativas: 01/2006 e termo aditivo, Normativa 02/ : 2009: criação da Gerência de Assistência Farmacêutica

5 GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Logística, Programação e Distribuição de Medicamentos Programas e Atenção Farmacêutica Central de Abastecimento Farmacêutico - CAF Comissão Permanente de Farmácia e Terapêutica - CFT SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE Diretoria de Atenção Primária à Saúde Gerência de Assistência Farmacêutica

6 GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Identificar ações em AF junto ao Plano Municipal de Saúde; Favorecer o Ciclo de AF, contribuindo para práticas mais racionais; Promover a interface entre a SMS, a SES e o MS mediante pactuações e colaborações técnicas que se fizerem necessárias; Estimular a implantação e acompanhar as ações relacionadas à AF dos Programas Governamentais gerenciados pelo município; Estabelecer e revisar periodicamente as Normas relacionadas à AF; Promover educação em AF, visando o uso racional de medicamentos; Executar a inter-relação entre todas as ações desenvolvidas pelos Departamentos e Assessoria Técnica da Gerência. Garantir a adequação das áreas físicas das farmácias; Elaborar Pareceres Técnicos no âmbito da AF; Promover a Farmacovigilância no município.

7 A. Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica; B. Medicamentos do Componente Estratégico da Assistência Farmacêutica; C. Medicamentos do Componente de Dispensação Excepcional; D. Programa Farmácia Popular do Brasil ACESSO A MEDICAMENTOS E USO RACIONAL: GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

8 Disponíveis em todas Unidades de Saúde Exceção: Medicamentos da Portaria 344/98 (Controlados): Disponíveis apenas nas Farmácias de Referência Componente destinado a atender os agravos e programas específicos da atenção básica à saúde. ACESSO GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA A. Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica

9 DISTRITO SANITÁRIO CENTRO População Média de 548 pessoas atendidas por dia Farmácia Referência Dispensação de medicamentos controlados / Portaria 344/98

10 População Média de 357 pessoas atendidas por dia DISTRITO SANITÁRIO LESTE Farmácia Referência Dispensação de medicamentos controlados / Portaria 344/98

11 População Média de 448 pessoas atendidas por dia DISTRITO SANITÁRIO CONTINENTE Farmácia Referência Dispensação de medicamentos controlados / Portaria 344/98

12 População Média de 576 pessoas atendidas por dia DISTRITO SANITÁRIO NORTE Farmácia Referência Dispensação de medicamentos controlados / Portaria 344/98

13 População Média de 613 pessoas atendidas por dia DISTRITO SANITÁRIO SUL Farmácia Referência Dispensação de medicamentos controlados / Portaria 344/98

14

15 Disponíveis através dos Programas Estratégicos (Coordenados pelas Vigilâncias Epidemiológicas): -Tuberculose: via CS -DST/AIDS: Policlínicas Centro e Continente* (em implantação) -Hanseníase: Policlínicas Norte, Centro e Continente Utilizados em doenças que configuram problemas de saúde pública que atingem ou põem em risco as coletividades e cuja estratégia de controle concentra-se no tratamento de seus portadores (Tuberculose, Hanseníase, HIV/AIDS, etc) MS SES SMS/PMF ACESSO GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA B. Medicamentos do Componente Estratégico da Assistência Farmacêutica

16 - PROGRAMAS - TUBERCULOSE: todos CSs DST/AIDS: Policlínicas Centro e Continente* HANSENÍASE: Policlínicas Centro, Continente e Norte GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

17 Farmácia Escola Disponíveis através de abertura de Processo Administrativo na Farmácia Escola (convênio SMS/PMF e UFSC) Tratamento de doenças crônicas e/ou de uso contínuo, tratadas na alta e média complexidade e cujo valor unitário do medicamento ou do tratamento, em geral, representa custo elevado. São disponibilizados mediante critérios estabelecidos pelo MS - Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas. MS SES SMS/PMF (Farmácia Escola) ACESSO GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA C. Medicamentos do Componente de Dispensação Excepcional

18 GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Rua Delfino Conti s/n Campus UniversitárioTrindade tel: (48) e FARMÁCIA ESCOLA -

19 GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA - FARMÁCIA ESCOLA - Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica 2º a 6º- feira das 08:00 às 17:00 horas Medicamentos do Componente de Dispensação Excepcional 2º a 6º- feira das 08:00 às 15:00 horas

20 Desde a inauguração, foram abertos aproximadamente processos do PME GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

21 Convênio entre PMF e Ministério da Saúde Objetiva ampliar o acesso da população aos medicamentos considerados essenciais. O Programa oferece medicamentos a baixo custo e destina-se ao atendimento igualitário de pessoas usuárias ou não dos serviços públicos de saúde, mas principalmente, daquelas que utilizam os serviços privados de saúde. D. PROGRAMA FARMÁCIA POPULAR DO BRASIL GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

22 FARMACIA POPULAR DO BRASIL – CENTRO Mercado Público, sala 28. Tel: / FARMACIA POPULAR DO BRASIL – ESTREITO Av Santa Catarina, Tel: / D. PROGRAMA FARMÁCIA POPULAR DO BRASIL GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

23 COMISSÃO PERMANENTE DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA (CFT) A CFT é uma instância colegiada, de caráter consultivo e deliberativo, que tem por finalidade selecionar medicamentos essenciais a serem utilizados pela rede municipal de saúde, além de assessorar a gestão nas questões referentes a medicamentos. Está composta por profissionais de saúde com várias formações, especialmente farmacêuticos, médicos (SF e especialidades), enfermeiros e cirurgiões-dentistas.

24 A adoção de protocolos clínico-terapêuticos e grupos de consenso representam uma tendência nos serviços públicos de saúde. Seu maior objetivo é o estabelecimento, por consenso de grupo, de tratamentos eficazes com medicamentos disponíveis e em doses adequadas para dadas indicações clínicas. Também podem estabelecer, além de condutas terapêuticas, outras ações direcionadas ao acompanhamento de resultados de tratamentos (eficácia), à segurança e à avaliação no uso de medicamentos. COMISSÃO PERMANENTE DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA (CFT) Protocolos Clínico-Terapêuticos – Por que adotá-los?

25 Maior racionalidade nos critérios de dispensação e uso de medicamentos; Redução do uso inadequado de medicamentos, favorecendo eliminação de duplicidades terapêuticas, doses excessivas e inadequações na duração de tratamento; O aumento da segurança no uso de medicamentos; O monitoramento e intervenção farmacêutica antes da administração do medicamento e avaliação da adesão à terapêutica pós-administração; O partilhamento da informação vinculada ao usuário; Permite a gestão da prescrição (isso é perigosamente revelador); O maior controle de fornecimento (por exemplo, dispensação dupla de medicamentos controlados em diferentes farmácias); A redução de desperdícios; A realização de estudos, análises e divulgação de indicadores de assistência farmacêutica (prescrição e dispensação); O incentivo para estabelecimento de novos protocolos. COMISSÃO PERMANENTE DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA (CFT) Associados à dispensação informatizada (Protocolo de Dispensação), com o prontuário on-line, os Protocolos clínico-terapêuticos permitirão:


Carregar ppt "GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA DIRETORIA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google