A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

APRESENTAÇÕES NO POWERPOINT Noções básicas Profa. Márcia de Borba Campos FACIN/PUCRS Profa. Milene Selbach Silveira FACIN/PUCRS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "APRESENTAÇÕES NO POWERPOINT Noções básicas Profa. Márcia de Borba Campos FACIN/PUCRS Profa. Milene Selbach Silveira FACIN/PUCRS."— Transcrição da apresentação:

1

2 APRESENTAÇÕES NO POWERPOINT Noções básicas Profa. Márcia de Borba Campos FACIN/PUCRS Profa. Milene Selbach Silveira FACIN/PUCRS

3 Texto Figura Slide Animação

4 rotação desdobrar ao centro deslizar para baixo mais zoom Animação dissolver espiral Texto

5 Animação Ou letra a letra interferindo na velocidade de leitura e algumas vezes... Ainda pode ser palavra a... Texto... irritando o leitor

6 AnimaçãoTexto...apresentar o texto por inteiro, ou por blocos de significado, evitando um grande fracionamento das mensagens Princípio da proximidade Itens relacionados entre si devem ser agrupados e aproximados uns dos outros

7 AnimaçãoFigura

8 AnimaçãoSlide Transição entre slides

9 AnimaçãoSlide Crie uma organização: repita cores, bordas, transição de slides; tenha uma identidade visual Princípio da repetição Misturar muitas ações podem tornar a apresentação cansativa, contribuindo para diminuir o nível de atenção Foco no conteúdo

10 Atenção na função estética da tipologia... não esqueça de que seu objetivo é a comunicação Fonte A b C D E

11 Estilos Existem muitas fontes. Devemos escolher aquela que facilita a leitura Antigo Moderno Com serifa Sem serifa Manuscrito Decorativo Conhecendo os estilos

12 Fonte Estilo Antigo Serifa inclinada Transição grosso-fino moderada nos traços Palatino Times Garamond Baskerville Exemplos

13 Fonte Estilo Moderno Serifa horizontal Transição grosso-fino radical nos traços Photina Casual Black Times Bold Onyx Exemplos

14 Fonte Serifado Serifa horizontal e grossa Pouca ou nenhuma transição grosso-fino nos traços Courier Rockwell Bookman Exemplos

15 Fonte Sem Serifa Não há serifa Não há transição grosso-fino nos traços Helvetica Avant Garde News Gothic Exemplos

16 Fonte Manuscrito Brush Script Lucida handwriting Tempus Sans ITC Exemplos

17 Fonte Decorativo Gill Sans Ultra Bold Matisse ITC Westminster Impact Exemplos

18 FonteTamanho Segundo Soffner (1998), a tecnologia não é uma questão de equipamento mas, sim, de saber fazer, segundo a própria origem grega da palavra – Téchné. Sendo assim, é preciso refletir justamente na utilização do computador na educação: tem-se que pensá-lo não como uma máquina para reproduzir conhecimento e armazenar informações mas, ao contrário, como uma nova tecnologia em favor da comunicação, da linguagem, do desenvolvimento. De acordo com Macedo (1996), o uso do computador expressa-se em um contexto de contínua interação e, sendo assim, não pode ser visto somente como um instrumento que prolonga os poderes da comunicação ou que processa e armazena informações, uma vez que possibilita uma qualidade de interação que tem valor de desenvolvimento. O computador incorporado com novas tecnologias de comunicação, como redes de computadores, por exemplo, deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado, a software de instrução programada, a perguntas e respostas, onde o usuário encontra-se só em sua relação com o computador – isolamento - para um ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado. Neste sentido, a comunicação não termina no computador; mas começa através dele, em um ambiente interativo.

19 FonteTamanho Segundo Soffner (1998), a tecnologia não é uma questão de equipamento mas, sim, de saber fazer, segundo a própria origem grega da palavra – Téchné. Sendo assim, é preciso refletir justamente na utilização do computador na educação: tem-se que pensá-lo não como uma máquina para reproduzir conhecimento e armazenar informações mas, ao contrário, como uma nova tecnologia em favor da comunicação, da linguagem, do desenvolvimento. De acordo com Macedo (1996), o uso do computador expressa-se em um contexto de contínua interação e, sendo assim, não pode ser visto somente como um instrumento que prolonga os poderes da comunicação ou que processa e armazena informações, uma vez que possibilita uma qualidade de interação que tem valor de desenvolvimento. O computador incorporado com novas tecnologias de comunicação, como redes de computadores, por exemplo, deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado, a software de instrução programada, a perguntas e respostas, onde o usuário encontra-se só em sua relação com o computador – isolamento - para um ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado. Neste sentido, a comunicação não termina no computador; mas começa através dele, em um ambiente interativo.

20 FonteTamanho Segundo Soffner (1998), a tecnologia não é uma questão de equipamento mas, sim, de saber fazer, segundo a própria origem grega da palavra – Téchné. Sendo assim, é preciso refletir justamente na utilização do computador na educação: tem-se que pensá-lo não como uma máquina para reproduzir conhecimento e armazenar informações mas, ao contrário, como uma nova tecnologia em favor da comunicação, da linguagem, do desenvolvimento. De acordo com Macedo (1996), o uso do computador expressa-se em um contexto de contínua interação e, sendo assim, não pode ser visto somente como um instrumento que prolonga os poderes da comunicação ou que processa e armazena informações, uma vez que possibilita uma qualidade de interação que tem valor de desenvolvimento. O computador incorporado com novas tecnologias de comunicação, como redes de computadores, por exemplo, deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado, a software de instrução programada, a perguntas e respostas, onde o usuário encontra-se só em sua relação com o computador – isolamento - para um ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado. Neste sentido, a comunicação não termina no computador; mas começa através dele, em um ambiente interativo.

21 FonteTamanho O computador incorporado com novas tecnologias de comunicação, como redes de computadores, por exemplo, deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado, a software de instrução programada, a perguntas e respostas, onde o usuário encontra-se só em sua relação com o computador – isolamento - para um ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado. Neste sentido, a comunicação não termina no computador; mas começa através dele, em um ambiente interativo.

22 FonteTamanho O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo.

23 FonteDireção Também podemos escrever na vertical Ou assim Ou deste lado

24 Texto Este está alinhado à direita. Alinhamento Podemos centralizar o parágrafo Este texto está alinhado à esquerda. Ou podemos ter um texto justificado, alinhado à direita e à esquerda. Entretanto, atente para evitar a formação de vazios entre as palavras.

25 Textoefeito WordArt

26 deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo. Textoefeito WordArt

27 Cor da letra x Cor de fundo do slide PERIGO CorFonte - Texto

28 O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo

29 O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo

30 O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo.

31 O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo.

32 O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo.

33 O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo.

34 O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo.

35 O computador... deixa de estar associado a um processo de ensino/aprendizagem individualizado ambiente de cooperação, de troca, de crescimento individual e social, possibilitando a criação coletiva de um conhecimento compartilhado a comunicação não termina no computador; mas começa por meio deste, em um ambiente interativo.

36 Fundo do slideCor... como fizemos até este slide Podemos padronizar os slides com o mesmo fundo...

37 Fonte - TextoCor... é que são tantas as opções....

38 Disco rígido (HD) Disquete CD Painel de Controle Rede Lixeira Outros recursos visuais

39 Disco rígido (HD) Disquete CD Painel de Controle Rede Lixeira Outros recursos visuais

40 Disco rígido (HD) Disquete CD Painel de Controle Rede Lixeira Outros recursos visuais

41 Links e botões

42 Som Podemos colocar som em nossa apresentação mas... CUIDADO

43 Som... Devem realçar a apresentação Ao invés de incomodar ou Poluindo a apresentação com estes barulhinhos assustar...

44 Som Diferentes em cada slides ou manter a mesma para toda a apresentação ATENÇÃO para o bom-senso... A apresentação não deve ser um grande quebra-cabeça

45 Referência Bibliográfica PUCRS VIRTUAL / EAD. Uma apresentação em PowerPoint. Versão eletrônica. WILLIAMS, Robim. Design para quem não é designer: noções básicas de planejamento visual. Tradução Laura Karin Gillon. São Paulo: Callis, 1995.

46 APRESENTAÇÕES NO POWERPOINT Noções básicas Profa. Márcia de Borba Campos FACIN/PUCRS Profa. Milene Selbach Silveira FACIN/PUCRS


Carregar ppt "APRESENTAÇÕES NO POWERPOINT Noções básicas Profa. Márcia de Borba Campos FACIN/PUCRS Profa. Milene Selbach Silveira FACIN/PUCRS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google