A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Copyright © 2004 South-Western 32 Uma Teoria para a Macroeconomia Aberta.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Copyright © 2004 South-Western 32 Uma Teoria para a Macroeconomia Aberta."— Transcrição da apresentação:

1 Copyright © 2004 South-Western 32 Uma Teoria para a Macroeconomia Aberta

2 Copyright © 2004 South-Western Hipóteses Básicas do Modelo de Economia Aberta O modelo toma o PIB como dado. O modelo considera o nível de preços como dado. Dois mercados simultaneamente serão analisados. 1.Mercado de Fundos para Empréstimo 2.Mercado de Câmbio.

3 Copyright © 2004 South-Western Oferta e Demanda por Fundos Emprestáveis e por Moeda Estrangeira O mercado de fundos de empréstimos Y = C + I + G + EL Y – C – G = I + EL S = I + IEL À taxa de juros de equilíbrio, a quantia que as pessoas desejam poupar é exatamente igual à quantia que as pessoas desejam tomar emprestado para adquirir bens de capital (investimento) ou para comprar ativos externos.

4 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Fundos de Empréstimos A oferta de fundos de empréstimos provém da poupança nacional. A demanda por fundos de empréstimos vem do investimento interno (I) e do investimento externo líquido (IEL). Lembrem-se que o IEL é definido por: diferença entre os ativos estrangeiros comprados por residentes internos e os ativos internos comprados por residentes estrangeiros. Se IEL>0 compra de ativos no exterior aumenta a demanda por fundos para empréstimo gerados internamente. Se IEL<0 compra de ativos pelos estrangeiros diminui a demanda por fundos para empréstimos gerados internamente.

5 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Fundos de Empréstimos A oferta e demanda por fundos de empréstimos depende da taxa de juros real. Um aumento na taxa de juros real incentiva as pessoas a poupar e aumenta a quantia de fundo de empréstimos ofertados. Um aumento na taxa real de juros diminui a demanda por fundos para investimento. Um aumento na taxa real de juros incentiva a compra de ativos por estrangeiros diminuindo a demanda por fundos para investimento. A taxa de juros equilibra a oferta e demanda por fundos.

6 Figura 1 O Mercado de Fundos Emprestáveis Copyright©2003 Southwestern/Thomson Learning Quantidade de Fundos para empréstimos Taxa de Juros Real Oferta de fundos para empréstimos (da poupança nacional) Demanda por fundos emprestáveis (para investimento interno e para investimento externo líquido) Quantidade de equilíbrio Taxa de juros real de equilíbrio

7 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Fundos para Empréstimos À taxa de juros de equilíbrio, a quantia que as pessoas desejam poupar equilibra exatamente a quantia desejada de investimento interno e de investimento externo líquido.

8 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Câmbio Os dois lados do mercado de câmbio são representados por IEL e EL. IEL representa a diferença entre as compras e vendas de ativos de capital no exterior. EL representa a diferença entre exportações e importações.

9 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Câmbio No mercado de câmbio, Reais são comercializados por outras moedas estrangeiras. Se EL>0 superávit comercial implica que o capital flui para o exterior pela compra de ativos estrangeiros IEL>0. Se EL<0 déficit comercial precisa ser financiado pela venda de ativos logo IEL<0

10 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Câmbio O IEL representa a oferta de reais ofertada para comprar ativos estrangeiros. As EL representam a demanda por Reais para compra de bens e serviços. Se EL>0 para comprar os bens aqui no Brasil as empresas estrangeiras precisam de Reais. Para uma economia como um todo, IEL e EL devem se compensar de forma que: IEL = EL O preço que equilibra a oferta e demanda por moeda estrangeira é a taxa de câmbio real.

11 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Câmbio A curva de demanda por moeda estrangeira é negativamente inclinada porque a uma taxa de câmbio mais alta (Dólares por Reais – Definição do Mankiw preço em moeda estrangeira por Reais) faz com que os bens domésticos se tornem mais caros em dólares reduzindo as exportações e aumentando as importações

12 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Câmbio Lembrem-se de que para o autor a taxa de câmbio nominal é a quantidade de moeda estrangeira por dólares americanos. Portanto a taxa de câmbio é dólares por reais Portanto se E aumenta os produtos domésticos aumentam em relação aos preços dos produtos estrangeiros medidos em dólares. Logo diminui a demanda por Reais para comprar estes produtos.

13 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Câmbio Notem que a curva de oferta de Reais é vertical, ou seja, não depende da taxa de câmbio real. A oferta de Reais depende do IEL que responde à variação na taxa de juros e não à variação na taxa de câmbio. Notem que se o câmbio nominal aumenta (dólares por reais) fica mais barato comprar ativos no estrangeiro pois o Real se valorizou, no entanto, o retorno do ativo será em dólares que por sua vez serão trocados novamente por Reais.

14 Figura 2 O Mercado de Câmbio Copyright©2003 Southwestern/Thomson Learning Quantidade de Reais Trocados por Moeda Estrangeira Oferta de reais (do investimento externo líquido) Demanda por reais (para exportação líquidas) Quantidade de equilíbrio Taxa de câmbio real de equilíbrio Bens BR Mais caros

15 Copyright © 2004 South-Western O Mercado de Câmbio A taxa de câmbio real equilibra a oferta e demanda por reais. À taxa de câmbio real de equilíbrio, a quantidade de reais oferecida para comprar ativos estrangeiros é igual à quantidade de reais demandados para comprar exportações líquidas. Estamos tratando a importação de um produto como uma redução da quantidade demandada de Reais!!!!

16 Copyright © 2004 South-Western Equilíbrio na Economia Aberta No mercado de fundos de empréstimos, a oferta de moeda é originada na poupança nacional, e a demanda deriva do investimento interno e do investimento externo líquido. No mercado de câmbio, a oferta origina-se no investimento externo líquido e a demanda, nas exportações líquidas.

17 Copyright © 2004 South-Western Equilíbrio Numa Economia Aberta Investimento externo líquido relaciona o mercado de fundos emprestáveis ao mercado de câmbio O determinante chave para o investimento externo líquido é a taxa de juros real.

18 Figura 3 Dependência do Investimento Externo Líquido em Relação à Taxa de Juros Copyright©2003 Southwestern/Thomson Learning 0 Investimento Externo Líquido O investimento externo líquido é negativo. O investimento externo líquido é positivo.. Taxa de Juros real

19 Copyright © 2004 South-Western Equilíbrio numa Economia Aberta Esses preços no mercado de fundos de empréstimos e no mercado de câmbio ajustam- se simultaneamente ao equilíbrio de oferta e demanda nesses dois mercados. Quando fazem isso, eles determinam a poupança nacional, o investimento interno, o investimento líquido externo e as exportações líquidas.

20 Figura 4 O Equilíbrio Real em uma Economia Aberta Copyright©2003 Southwestern/Thomson Learning (a) O Mercado de Fundos de Empréstimos(b) Investimento Externo Líquido Investimento Externo Líquido, IEL Taxa de Juros Real Taxa de Juros Real (c) Mercado de Câmbio de Moeda Estrangeira Quantidade De reais Quantidade de Fundos de Empréstimos Investimento Externo Líquido Taxa de Câmbio Real Oferta Demanda rr e

21 Copyright © 2004 South-Western Como Políticas e Eventos Afetam uma Economia Aberta A magnitude e variação das variáveis macroeconômicas dependem de: Déficits orçamentários do governo Políticas comerciais Estabilidade política e econômica

22 Copyright © 2004 South-Western Déficits Orçamentários do Governo Numa economia aberta, o déficit orçamentário… Reduz a oferta por fundo de empréstimos, Diminui a poupança nacional, Eleva a taxa de juros, Desloca o investimento doméstico, O que leva o investimento externo líquido a cair.

23 Figura 5 Os Efeitos do Déficit Orçamentário Copyright©2003 Southwestern/Thomson Learning (a) Mercado de Fundos de Empréstimos (b) Investimento Externo Líquido Taxa de Juros Real Real Taxa de Juro (c) Mercado de Câmbio de Moeda Estrangeira Quantidade De reais Quantidade de Fundos de Empréstimos Investimento Externo Líquido Taxa de Câmbio Real Demanda r2r2 IEL oo O O r2r2 B e1e1 rr A 1. Um déficit orçamentário reduz A oferta de fundos emprestáveis O que aumenta a taxa de juros real A diminuição no investimento externo líquido reduz a oferta de reais para serem trocados por moeda estrangeira l 5...o que causa a apreciação da taxa de câmbio real O que, por sua vez, reduz o investimento externo líquido.. e2e2

24 Copyright © 2004 South-Western Déficits Orçamentários do Governo Efeitos do déficit orçamentário no mercado de fundo emprestáveis Um déficit orçamentário reduz a poupança nacional, o que... desloca a curva de oferta por fundo emprestáveis para a esquerda o que… Eleva a taxa de juros.

25 Copyright © 2004 South-Western Déficits Orçamentários do Governo Efeitos de déficits orçamentários do governo no investimento externo líquido Maiores taxas de juros diminuem o investimento externo líquido. Efeitos no mercado de câmbio Uma redução no investimento externo líquido reduz a oferta de reais a serem transacionados no mercado de câmbio.

26 Copyright © 2004 South-Western Déficits Orçamentários do Governo A taxa de câmbio nominal (dólares por reais) aumenta pois o real está mais escasso no mercado de Câmbio. Efeito sobre a taxa de câmbio real: Apreciação. Como a taxa de câmbio mostra a relação entre os preços dos bens nacionais em relação aos estrangeiros o que observamos é que os bens nacionais se tornam mais caros diminuindo as exportações.

27 Copyright © 2004 South-Western Políticas Comerciais Uma política comercial e uma política governamental que influenciam diretamente a quantia de bens e serviços que um país exporta ou importa. Tarifas: um tributo sobre os bens importados. Cotas de importação: limitações nas quantidades de bens importados vendidos internamente.

28 Copyright © 2004 South-Western Políticas Comerciais Por não alterarem a poupança interna, não afetam o mercado de fundos de empréstimo. Para um dado nível de poupança e investimento internos, a taxa de câmbio real se ajusta para manter a balança de comércio equilibrada.

29 Copyright © 2004 South-Western Políticas Comerciais Efeitos de um cota de importação Cota de importação diminui as importações aumentando as exportações líquidas Devido à necessidade dos estrangeiros terem Reais para comprar exportações brasileiras, há um aumento da demanda por reais no mercado de câmbio. Isso leva a uma apreciação da taxa de câmbio real.

30 Copyright © 2004 South-Western Figura 6 Efeitos de uma Cota de Importações Copyright©2003 Southwestern/Thomson Learning (a) Mercado de Fundos de Empréstimos(b) Investimento Externo Líquido Taxa de Juros Real Taxa de Juros Real (c) O mercado de câmbio de moeda estrangeira Quantidade De reais Quantidade de Fundos para Empréstimos Investimento Externo Líquido Taxa de Câmbio Real rr Oferta Demanda IEL D D 3.As exportações líquidas, entretanto, permanecem inalteradas 2....e faz com que a taxa de câmbio real se aprecie e e2e2 1.Uma cota de importação aumenta a demanda por reais

31 Copyright © 2004 South-Western Políticas Comerciais Efeitos de uma cota de importações Não há alterações nas taxas de juros porque nada acontece no mercado de fundos emprestáveis. Não há mudanças EL. O efeito inicial sobre EL é compensado pela taxa de câmbio (nominal e real) mais apreciada Não há mudanças no investimento externo líquido mesmo que a cota reduza as importações.

32 Copyright © 2004 South-Western Políticas Comerciais Efeitos de uma cota de importações Uma valorização do real no mercado de câmbio incentiva importações e desestimula as exportações. Isso contrabalança o aumento inicial das exportações frente a adoção das cotas. políticas comerciais não afetam o equilíbrio de comércio.

33 Copyright © 2004 South-Western Instabilidade Política e Fuga de Capitais Fuga de capitais representa uma grande e repentina redução na demanda por ativos de um país. Fuga de capitais tem grandes impactos nos países onde está havendo a fuga, mas também podem existir efeitos em outros países. Efeito contágio Se os investidores têm dúvidas em relação à segurança de seus investimentos, o capital pode rapidamente sair de uma economia. A taxa de juros se eleva e o câmbio doméstico se deprecia

34 Copyright © 2004 South-Western Instabilidade Política e Fuga de Capitais Quando investidores se ocuparam com os problemas políticos mexicanos em 1994, e com a insustentabilidade do regime de bandas cambiais no Brasil em Resultado: venderam seus ativos locais e usaram os recursos das vendas para aplicarem em ativos de outros países, especialmente os considerados como portos seguros (EUA e países da Europa).

35 Copyright © 2004 South-Western Instabilidade Política e Fuga de Capitais Isso aumentou o envio de capital líquido. A demanda por fundos emprestáveis aumentou, elevando-se a taxa de juros. Isso aumentou a oferta de Reais no mercado de câmbio forçando a moeda a se depreciar. A taxa de câmbio saltou de R$1,20/US$ em dezembro de 1998 para R$1,91 em fevereiro de As saídas de capitais de curto prazo (investimentos estrangeiros em carteira) totalizaram US$10.3 bilhões de dólares entre o terceiro trimestre de 1998 e o primeiro trimestre de 1999

36 Figura 7 Os Efeitos da Fuga de Capitais Copyright©2003 Southwestern/Thomson Learning (a) O Mercado de Fundos de Empréstimos(b) Investimento Externo Líquido no México Taxa de Juros Real Taxa de Juros Real (c) O mercado de câmbio de moeda estrangeira Quantidade De Pesos Quantidade de Fundos para Empréstimos Investimento Externo Líquido Taxa de Câmbio Real r1r1 r1r1 D1D1 D2D2 e Demanda OO2O2 Oferta IEL 2 IEL 1 1. Um aumento no investimento externo líquido 3.. O que aumenta a taxa de juros aumenta a demanda Por fundos para empréstimos 4. Ao mesmo tempo, o aumento do investimento externo líquido aumenta a oferta de Reais 5....o que causa uma depreciação do Real r2r2 r2r2 e

37 Copyright © 2004 South-Western Movimentos de Capitais no Brasil

38 Copyright © 2004 South-Western Resumo Para análise da macroeconomia das economias abertas há dois mercados centrais – o mercado de fundos emprestáveis e o mercado de câmbio. No mercado de fundos emprestáveis, a taxa de juros real se ajusta para equilibrar a oferta de fundos emprestáveis (provenientes da poupança nacional) e a demanda por fundos emprestáveis (provenientes do investimento interno e do investimento externo líquido).

39 Copyright © 2004 South-Western Resumo No mercado de câmbio, a taxa de câmbio real se ajusta para equilibrar a oferta de reais (para investimento externo líquido) e a demanda de reais (para as exportações líquidas). Investimento externo líquido é a variável que liga os dois mercados.

40 Copyright © 2004 South-Western Resumo Uma política que reduz a poupança nacional, como o déficit orçamentário, reduz a oferta de fundos emprestáveis e provoca a elevação da taxa de juros. A taxa de juros mais alta reduz o investimento externo líquido, o que reduz a oferta de reais. O real se valoriza e as exportações líquidas caem.

41 Copyright © 2004 South-Western Resumo Restrições ao comércio aumentam as exportações líquidas e a demanda por reais Como resultado o real se valoriza, tornando bens produzidos internamente mais caros relativamente ao bens estrangeiros. Essa valorização anula o impacto das restrições nas exportações líquidas.

42 Copyright © 2004 South-Western Resumo Quando os investidores alteram suas atitudes com relação à posse de ativos de um país, os impactos na economia do país podem ser profundos. A instabilidade política pode provocar a fuga de capitais A fuga de capitais tende a elevar as taxas de juro e provocar a desvalorização da moeda


Carregar ppt "Copyright © 2004 South-Western 32 Uma Teoria para a Macroeconomia Aberta."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google