A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Palavra Chave: Obediência Versos Chave: 5:29, 10:12,13 11:26-28 e 28-1 O verdadeiro motivo para a obediência e a necessidade da obediência.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Palavra Chave: Obediência Versos Chave: 5:29, 10:12,13 11:26-28 e 28-1 O verdadeiro motivo para a obediência e a necessidade da obediência."— Transcrição da apresentação:

1 Palavra Chave: Obediência Versos Chave: 5:29, 10:12,13 11:26-28 e 28-1 O verdadeiro motivo para a obediência e a necessidade da obediência.

2 Deuteronômio é o quinto livro de Moisés. Seu nome significa A segunda Lei, bem que, o livro não contém uma nova lei mas as leis dadas em Sinai 39 anos antes, aqui são revistas e comentadas. Impunha-se, com urgência, tal repetição. À exceção de Calebe e Josué, todos quantos sairam do Egito e receberam as leis em Sinai, não mais existiam, dai a necessidade de dar à nova geração, com toda a ênfase, essa repetição. Dessa tarefa se desincumbiu Moisés, numa série de discursos nas planíces de Moabe, ao fim de 40 anos de jornadear errante e exatamente um mês antes da travessia do Jordão pelos israelitas para se apossarem da terra prometida. Êsses discursos dirigidos, oralmente, ao povo (cap. 1:3) foram, posteriormente escritos e reunidos em forma de livro. (Cap. 31:24-26).

3 Poderia-se supôr que este livro tenha merecido particular estima da parte de Jesus Cristo, nosso adorável Senhor, durante sua infância, mocidade e vida de varão, pois, no conflito que manteve com o tentador (Mateus 4:1- 11, Lucas 4:1-13 com Deut. 8:3, 6:16, 6:13 e 10:20) todas as citações eram deste livro. A julgar pelas muitas citações que aparecem nos livros dos profetas, devia ter sido o livro favorito deles também.

4 Este livro tem sido alvo de terríveis ataques por parte da Escola de Alta Crítica. A data do livro é questão importante na crítica do Velho Testamento. Sustentam os críticos que o livro não foi escrito por Moisés, mas, por um autor desconhecido, no mínimo 600 anos depois; dizem mais que o Pentatêuco, foi, em grande parte, escrito para glorificar o Sacerdócio em Jerusalém e, particulamente, para estabelecer em Jerusalém o único templo para a adoração em Israel. Como explicar, então, o fato de que o nome Jerusalém não só é totalmente ausente em Deuteronômio, como também não é citado, uma vez sequer, nos demais livros de Moisés? Recordando-nos como Jesus usou, não nos admira que Satanaz o odeie e tente desacreditá-lo.

5 Deuteronômio contém: 1) a primeira referência aos filho de Belial, 13:13; 2) pela primeira vez encontramos a lei de pendurar no madeiro o condenado à morte, 21:22,23; 3) a única referência no Velho Testamento à grande visão recordada em Êxodo, 3 que precedeu a chamada de Moisés e a libertação de Israel, 33:16; Aquele que habitava na sarça, e a grande profecia acêrca dum profeta que havia de vir – Cristo! (18:15-19).

6 Este livro é muito mais do que uma recapitulação e do que uma revisão da Lei dada em Sinai. Com autoridade foi dito que: o livro recorda o passado olhando para o futuro. O livro inteiro é um tratado divino sobre a obediência. Moisés já percebera bastante (Num.20:1-6) que a nova geração não era superiora de seus pais e, reconhecia, que tudo dependia da obediência: - sua própria vida, a posse da Canaã, a vitória sobre seus inimigos, a prosperidade e a felicidade. Assim com todo o vigor de uma natureza ardente, ele roga à nova geração. Ele mostra quanto Deus anceia para que O obedeçam, (5:29) porque eram seus, (1:3, 14:1) porque os amou, (4:37 e 7:7,8) porque desejava preservá-los e os fazer progredir, (4:1,40 – 5:29 – 6:2,3,24, etc) e que, pela gratidão a Ele devida, pela sua graça, misericórdia e privilégio imenso que lhes concedeu, eles deviam render-lhe tal obediência, (4:7,8) – 5:6 – 4:33). Toda a beleza e força deste livro só pode ser apreciada quando o lemos duma vez. Como forte, poderoso, no exortar e em apelar ao coração.

7 Há oito discursos distintos e separados, com um capítulo final sobre a morte de Moisés. (1) 1º Discurso Retrospecto (2) 2º Discurso Revisão (3) 3º Discurso Aviso (4) 4º Discurso Aliança (5) 5º Discurso Conselhos (6) 6º Discurso Instrução (7) 7º Discurso Cântico (8) 8º Discurso Bênção (9) 9º Discurso Moisés Cap. 1 – Cap. 4:43Cap. 4:44 – Cap.26Caps. 27 e 28Caps. 29 e 30Cap. 31:1-23Cap. 31:24-29 Cap. 31:30 e Cap.32 Cap. 33Cap.34 1)A falta em Cades Barnéia, -1 2)Suas jornadas, 2-3 3)Aplicação deste retrospecto, 4: )Cidades de refúgio, 4: )O maior dos discursos. 2)Aqui, Moisés revê as leis moral, civil e cerimonial 3)Notar: 5:22- e nada acrescentou, a prefeição e a finalidade dos 10 mandamentos 1)Instruções quanto à solenidade dá cerimôniaao ser realizada ao entrarem na Canaã 2)Notar: o altar foi edificado sobre o monte da maldição! 27:5. Este é o Evangelho. 1)Nesta aliança se estabeleceu as condições para Israel entrar na terra prometida. 2)Observe-se a ênfase dada à circuncisão do coração – 30:6. Últimos conselhos de Moisés 1)A todo Israel, 1-6 2)A Josué. 7 e 8 3)Aos Sacerdotes, )Aviso de Jeová Notar a tristeza de Jeová, nessa Sua declaração. 1)Este é um discurso aos Levitas, com respeito à preservaçã o do livrode Deuteronô mio. 2)Notar: o verso 26, significa, literalmente : perto do lado da arca Um Salmo sublime. Notar: pelo verso 44 se deduz que Moisés cantou em dueto com Josué. Israel acompanhando no côro. Este discurso é, realmente, uma profecia notável. Notar no Cap. 33 v. 23 Separado v.23 Satisfeito v. 29 Salvo 1)Morte, solitária, como é toda a morte. 2)Morte ante uma visão. 3)Morte no abraço divino. Pode ser traduzido Morreu pelo beijo de Deus.


Carregar ppt "Palavra Chave: Obediência Versos Chave: 5:29, 10:12,13 11:26-28 e 28-1 O verdadeiro motivo para a obediência e a necessidade da obediência."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google