A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 1 Acção e Reflexão estratégias nucleares de formação de professores.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 1 Acção e Reflexão estratégias nucleares de formação de professores."— Transcrição da apresentação:

1 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 1 Acção e Reflexão estratégias nucleares de formação de professores para uso das TIC Fernando Albuquerque Costa Universidade de Lisboa

2 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 2 tópicos 1.Introdução objectivos, contexto, background, ponto de partida … 2.Fundamentos para o design de um modelo de formação de professores evidências empíricas, princípios teóricos 3.A estrutura do Modelo 4.Alguns resultados preliminares

3 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 3 "IT is trully a revolutionary technology that, if properly used, could change education significantly."

4 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 4 Salomon, 2002 it is the pedagogical way in which it is used that makes the difference.

5 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 5 Objectivos Apresentar uma proposta de formação contínua de professores Contributo para o uso efectivo das TIC nas práticas dos professores 1

6 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 6 Contexto Constatação do fraco uso dos computadores nas escolas Modelo de formação ensaiado no âmbito do projecto Pedactice Solicitação recente do CRIE 1

7 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 7 Background Inadequação dos modelos tradicionais de formação de professores E, em especial, das práticas de formação para o uso das TIC Atitudes muito positivas face ao uso das TIC na aprendizagem (Paiva, 2002) Mas, no caso português, em concreto… 1

8 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 8 Pontos de partida Os professores não usam os computadores nas práticas curriculares Mesmo quando o fazem, nem sempre são muito consistentes com princípios pedagógicos sugeridos pelo currículo oficial O uso das TIC pode ser, de facto, um factor de inovação curricular 1

9 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 9 Algumas evidências Resultados preliminares do projecto IPETCCO ( ): IPETCCO I nvestigation in P rimary E ducation T eachers C onfidence and Co mpetence in Supporting Innovation 2

10 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 10 Eviências I (problemas) As TIC não fazem parte dos recursos habitualmente usados nas actividades de ensino e aprendizagem Conhecimento sobre o uso dos computadores, mas não em classe, com os alunos Uso das TIC sem uma efectiva sustentação em princípios sólidos de aprendizagem O uso das TIC não mudou de forma significativa as atitudes, o papel e os modos de ensinar e aprender dos dos professores entrevistados 2

11 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 11 Evidências II (razões) falta de confiança… conotação emocionalmente negativa em relação às tecnologias… sentimento de não se estar suficientemente bem preparado para lidar com as mudanças que o uso das TIC implica… 2

12 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 12 Evidências II (razões) pouco tempo disponível e muitas coisas para fazer… falta de suporte e apoio… condicionalismos ao nível da escola… formação insuficiente ou inadequada… 2

13 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 13 Princípios teóricos Do ponto de vista da aprendizagem: Construtivismo Do ponto de vista do ensino: ênfase no profissionalismo e na autonomia do professor; professor enquanto construtor do currículo Do ponto de vista da tecnologia: tecnologia enquanto factor de inovação. 2

14 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 14 Confiança Teachers perceived likelihood of success on using ICT for educational purposes and whether the teacher perceives success as being under his or her control. (Adaptada de Mory, 1996, p. 942) interesse relevância expectativa resultados 2

15 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 15 Dimensão afectiva Atitude geral face às TIC Expectativas sobre o seu uso em contexto educativo Valor atribuído enquanto facilitador da aprendizagem Satisfação com os resultados Sentir-se bem preparado 2 Factores relacionados, em geral, com a percepção que os professores têm das TIC e, em particular, da sua utilidade e eficácia em termos de aprendizagem:

16 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 16 Competência 2 (Peralta, 2002)

17 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 17 Dimensão Cognitiva Conhecimento de diferentes ferramentas e do seu potencial pedagógico (programas, aplicações...) Domínio técnico dessas ferramentas Conhecimento sobre modos de uso 2 Factores relacionados com o domínio efectivo de um conjunto de conhecimentos e as aptidões consideradas necessárias para o uso pedagógico das TIC:

18 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 18 Factores cognitivos (cont.) Experiência de uso em situações concretas Relação directa com o seu próprio desenvolvimento profissional Capacidade para trabalhar de forma colaborativa Capacidade de iniciativa À vontade com as teorias de aprendizagem, com as filosofias de ensino e os modelos didácticos que estão subjacentes ao uso das TIC 2

19 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 19 Estrutura do modelo 3

20 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 20 3 Pilares essenciais ATITUDES VISÃO PRÁTICA Porquê? Para quê? Como? Satisfação com os resultados Auto-estima Confiança Valor das TIC Competência Interacção reflexão partilha suporte

21 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 21 3 Pilares do modelo r eflexão f ormação a cção supervisão ATITUDES VISÃO PRÁTICA

22 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 22 Roadmap O Professor constrói o seu RATIONALE Com o suporte do formador, decide o que fazer, como fazer… Experimenta com os alunos Interage e partilha com colegas e formador Reflecte sobre o processo, resultados, mais-valias, dificuldades, mudanças… VISÃO PLANO PRÁTICA INTERACÇÃO REFLEXÃO supervisão partilha suporte

23 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 23 Competências dos alunos Acesso à informação Expressão Produção Comunicação Interacção

24 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 24 Visão global da formação P P P P P P P PT P P P P S F F F F F C isomorfismo 4 A A A A A A A A A A A A

25 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 25 Visão global da formação FASE I FASE III DIAGNÓSTICO E ANÁLISE ESTRATÉGIA OUTPUTS PRODUTS ASSESSMENT PRESENCIAL ONLINE FASE II PRESENCIAL ACTIVIDADES CURRICULARES ONLINE TRABALHO EM CLASSE

26 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 26 Resultados preliminares... Avaliação positiva pelos professores envolvidos Uma nova forma de encarar a formação Uma visão para as TIC em educação Maior confiança para usar os computadores com os alunos O curso estava orientado para a exploração das TIC, para as necessidades dos alunos e do currículo….

27 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 27 References Costa, F., & Viseu, S. (2006). Action and reflection - nuclear strategies of teacher training for ict use. In M. Persson (Ed.), A vision of european teaching and learning (in press). Karlstad: The Learning Teacher Network. Costa, F., & Peralta, H. (2006). Primary teachers' competence and confidence. Level regarding the use of ICT. Paper presented at the ED-MEDIA-World Conference on Educational Multimedia, Hypermedia & Telecommunications, Orlando. Costa, Fernando (2005). About the Portuguese reality of ICT in education, Interactive Educational Multimedia (Vol. 11, pp. Editorial) (available at Salomon, Gavriel (2002). Technology and pedagogy: Why don't we see the promised revolution? Educational Technology,

28 Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 28 OBRIGADO! Comentários? Questões?


Carregar ppt "Acção e Reflexão | Julho 2006 | Fernando Albuquerque Costa | Universidade de Lisboa 1 Acção e Reflexão estratégias nucleares de formação de professores."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google