A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GOVERNOS TOTALITÁRIOS Prof. Mauricio Ricardo Soares.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GOVERNOS TOTALITÁRIOS Prof. Mauricio Ricardo Soares."— Transcrição da apresentação:

1 GOVERNOS TOTALITÁRIOS Prof. Mauricio Ricardo Soares

2 Principais características: - Nacionalismo extremado (xenofobia) - Totalitarismo - Militarismo - Anticomunismo - Antiliberalismo - Unipartidarismo - Culto ao líder - Propaganda governamental - Educação dirigida GOVERNOS TOTALITÁRIOS

3 CAUSAS GERAIS 1 - fim da 1ª Guerra Mundial 2 - crise mundial do capitalismo ( crack da bolsa de NY) 3 - crescimento dos partidos comunistas

4 PRINCIPAIS DITADORES FASCISTAS

5 CHOQUE DE IDEOLOGIAS

6 FASCISMO ITALIANO CONTEXTO: Com o fim da Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918), a Itália foi ignorada nos tratados que selaram o conflito. O desgaste social e econômico mal recompensado mobilizou diferentes grupos políticos engajados na resolução dos problemas da nação italiana. No ano de 1920, uma greve geral de mais de dois milhões de trabalhadores demonstrava a situação caótica vivida no país. No campo, os grupos camponeses sulistas exigiam a realização de uma reforma agrária.

7 A mobilização dos grupos trabalhadores trouxe à tona o temor dos setores médios, da burguesia industrial e dos conservadores em geral. X A possibilidade revolucionária em solo italiano refletiu-se na ascensão dos partidos socialista e comunista Setores conservadores e da alta burguesia pleitearam apoio ao Partido Nacional Fascista. LUTA PARTIDÁRIA

8 Os fascistas liderados por Benito Mussolini louvavam uma ação de combate contra os focos de articulação comunista e socialista. Desse modo, o fasci di combattimento (fascismo de combatimento) passou a atacar jornais, sindicatos e comícios da esquerda italiana.

9 Criando uma força miliciana conhecida como camisas negras, os fascistas ganharam bastante popularidade em meio às contendas da economia nacional 27 de outubro de 1922, os fascistas realizaram a Marcha sobre Roma. A manifestação, que tomou as ruas da capital italiana, exigia que o rei Vitor Emanuel III passasse o poder para as mãos do Partido Nacional Fascista. Pressionado, a autoridade real chamou Benito Mussolini para compor o governo.

10 CARTA DE LAVORO 1927 Leis trabalhistas e restrições aos sindicatos Enfraquecimento do poder legislativo Declara as intenções da nova facção instalada no poder Explicita os princípios fascistas Defende um Estado corporativo onde a liderança soberana de Mussolini resolveria os problemas da Itália

11 O apelo aos jovens e à família instigou grande apoio popular ao regime do Duce. Em 1929, os acordos firmados com a Igreja no Tratado de Latrão aproximaram a população católica italiana ao regime totalitário. Ao mesmo tempo, o crescimento demográfico e o incentivo às obras públicas começaram a reverter os sinais da profunda crise que tomava conta da Itália. O setor agrícola e industrial passou a ganhar considerável incremento, interrompendo o processo inflacionário da economia.

12 Com a crise de 1929, a prosperidade econômica vivida nos primeiros anos do regime sofreu uma séria ameaça. Tentando contornar a recessão econômica, o governo de Benito Mussolini passou a entrar na corrida imperialista. No ano de 1935, os exércitos italianos realizaram a ocupação da Etiópia. A pressão das demais potências capitalistas resultaria nas tensões que desaguaram na deflagração da Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), momento em que Mussolini se aproxima do regime nazista alemão.

13 NAZISMO ALEMÃO CONTEXTO: Após a Primeira Guerra Mundial, a Alemanha foi palco de uma revolução democrática que se instaurou no país. A primeira grande dificuldade da jovem república foi ter que assinar, em 1919, o Tratado de Versalhes que, impunha pesadas obrigações à Alemanha.

14 À medida que os conflitos sociais foram se intensificando, surgiram no cenário político-alemão partidos ultranacionalistas, radicalmente contrários ao socialismo. Curiosamente, um desses partidos chamava-se Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (Partido Nazista) e era liderado por um ex-cabo de nome Adolf Hitler. LUTA PARTIDÁRIA X

15 Combate a manifestações de esquerdistas na Alemanha. SA (Seções de Assalto): perseguições a opositores, conhecidos como Camisas Pardas. Apoiados por setores da burguesia. Derrotados nas eleições parlamentares. – 1923: PUTSCH DE MONIQUE – golpe fracassado dos nazistas. Hitler é preso Mein Kampf (Minha Luta) – Princípios básicos do nazismo – anti-semitismo (perseguição aos judeus) AÇÕES DO PARTIDO

16 – Busca por conquistas territoriais (Espaço Vital). – Não cumprimento do Tratado de Versalhes; – 1932: Com a crise de 29, os nazistas se fortalecem, e conquistam 1/3 do parlamento alemão (Reichstag). – 1933: Hitler é nomeado 1º ministro. – 1934: Hitler é nomeado Führer (guia do povo) e proclama o 3º Reich (Império). – Reichstag é incendiado pelos nazistas – pretexto para seu fechamento bem como o cancelamento de eleições e todos os partidos políticos. Culpa é atribuída aos comunistas que são severamente perseguidos, presos e mortos;

17 – Criação das SS (Seções de Segurança – polícia política) e GESTAPO (polícia secreta), ambos para perseguir opositores ou ameaças ao regime. 1935: Leis de Nuremberg restrição da cidadania e direitos aos judeus. Proibição de casamentos entre judeus e não judeus. 1938: Noite dos cristais – 5700 estabelecimentos judaicos (entre eles 267 sinagogas) depredados, como num prenúncio do posterior holocausto.

18 IMAGENS DO ANTI-SEMITISMO ALEMÃO Alemães: não comprem de judeus Fora judeus Sou uma porca. Dormi com um judeu

19 – Espanha: industrialização tardia (somente no início do século XX); – País atrasado em relação ao resto da Europa Ocidental. – 1931 – Espanha vira uma República Parlamentarista. – Surgimento da FALANGE: partido fascista da Espanha, liderado por Francisco Franco; 1936: FRENTE POPULAR (coligação de esquerda reunindo socialistas, comunistas, sociais democratas e simpatizantes em geral) vencem eleições para o parlamento espanhol. A Guerra Civil Espanhola (1936 – 1939) a implantação do fascismo na Espanha

20 REPUBLICANOS (Frente Popular + Brigadas internacionais de simpatizantes) FASCISTAS (Falange liderada por Franco + latifundiários + Igreja + classe média); Franco dá golpe de Estado, iniciando sangrenta guerra civil:

21 FORÇAS OPONENTES DA GUERRA CIVIL ESPANHOLA: BRIGADAS INTERNACIONAIS RESISTÊNCIA REPUBLICANA SATIRIZANDO FRANCO

22 O FASCISMO ESPANHOL VARRENDO O LIXO COMUNISTA, AUXILIADO POR OUTRAS POTÊNCIAS EUROPÉIAS

23 Franco recebe apoio de Hitler e Mussolini Laboratório da II Guerra Mundial Vitorioso, Franco implanta violenta ditadura e fica no poder até sua morte em 1975.


Carregar ppt "GOVERNOS TOTALITÁRIOS Prof. Mauricio Ricardo Soares."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google