A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INCORPORAÇÃO DOS PRESTADORES DE SERVIÇOS À REDE REGIONAIZADA DE ATENÇÃO À SAÚDE NO RS SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE EXPERIÊNCIAS INOVADORAS NO SUS - BRASÍLIA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INCORPORAÇÃO DOS PRESTADORES DE SERVIÇOS À REDE REGIONAIZADA DE ATENÇÃO À SAÚDE NO RS SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE EXPERIÊNCIAS INOVADORAS NO SUS - BRASÍLIA."— Transcrição da apresentação:

1 INCORPORAÇÃO DOS PRESTADORES DE SERVIÇOS À REDE REGIONAIZADA DE ATENÇÃO À SAÚDE NO RS SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE EXPERIÊNCIAS INOVADORAS NO SUS - BRASÍLIA - Setembro de 2002 Fernando Martins Junior Coordenador de Regulação das Ações e Serviços de Saúde - SES/RS Secretaria da Saúde

2 Eixos Prioritários de Atuação da SES/RS: Descentralização da gestão (transparência na gestão e níveis de decisão com autonomia mais próximo do usuário: política de financiamento e Municipalização Solidária da Saúde); Fortalecimento das instâncias de pactuação e controle social (CIB, CES, CRS, CMS, OP e outras); Regionalização da atenção (serviços e ações mais próximos do usuário de acordo com as necessidades, demandas e disponibilidade tecnológica: Saúde Solidária e Regionalização); Integralidade da atenção (integração das áreas e das ações, aproximação com outras lógicas para organizar a atenção: promoção da saúde, prevenção das doenças, culturas populares); Qualificação permanente para os trabalhadores em saúde para o SUS.

3 Características da rede assistencial SUS: 29,5711,2552,666,52Internações RS 12,7026,0933,7327,48Internações BR 53,554,5136,345,60Leitos UTI RS 24,3520,8029,4125,45Leitos UTI BR 21,3416,5054,597,57Leitos RS 8,6933,6930,9326,70Leitos BR 5,5029,0656,289,16Hospitais RS 2,2935,7426,5835,38Hospitais BR 0,3235,474,7159,50Unidades RS 0,4519,243,6876,63Unidades BR Univ.PrivadoFilant.PúblicoCaracterísticas Em % Fonte: SIA/SIH, produção de jan/jun e cadastro de jun. 2001

4 Taxas de ocupação da rede hospitalar do RS, 2000: 31,3Missioneira54,8Total RS 36,0Vales45,6Não Classif. 37,0Norte23,7Unidade Local 52,2Centro-Oeste39,9Microrregional 54,6Serra65,4Regional 57,3Sul84,7Macrorregional 75,0Metropolitana75,7Especializado %Região%Classificação Fonte: Cadastro SIH dezembro de 2000 e produção 2000

5 REDE HOSPITALAR RS Hospitais com menos de 50 leitos: Baixa taxa de ocupação (38%) Perfil de internações de baixa complexidade Hospitais de referência superlotados: Perfil de internações de média complexidade com agregação de baixa e alta complexidade. Cobranças indevidas de usuários, filas para cirurgias eletivas, ameaça de fechamento de hospitais. Organização a partir da Urgência/Emergência

6 Região Missioneira 94 mun mil hab Região Centro-Oeste 48 mun mil hab. Região Sul 28 mun. 994 mil hab. Região dos Vales 63 mun. 727 mil hab. Região Metropolitana 86 mun mil hab. Região da Serra 50 mun. 944 mil hab. Região Norte 128 mun mil hab. Regionalização da Saúde no RS (Macrorregiões)

7 Regionalização do SUS/RS: conceitos Município Módulo Microrregião Região Macrorregião Estado Conceito para programação da assistência na NOAS/ Insuficiente para a organização da gestão. Conceito para a organização da gestão estadual. Muito heterogêneo para a assistência.

8 Regionalização da Atenção à Saúde no Rio Grande do Sul Objetivo: organizar de forma ascendente sistemas municipais, microrregionais, regionais, macrorregionais e estadual, com garantia de referência e contra-referência, qualidade e humanização na atenção, além de facilidade de acesso. Estratégia: subordinar ao desenho da regionalização as atividades de planejamento, avaliação e controle dos sistemas, de financiamento (custeio e investimentos) e de cooperação técnica.

9 INCORPORAÇÃO DOS PRESTADORES DE SERVIÇOS À REDE REGIONALIZADA DE ATENÇÃO À SAÚDE NO RS

10 Financiamento e reordenamento da Assistência Hospitalar no RS: FUNAFIR: Fundo de Apoio e Recuperação dos Hospitais Privados sem Fins Lucrativos e Públicos Em 1999: R$ 32 milhões para 96 hospitais filantrópicos, por meio do BANRISUL, com subsídios e prazos de amortização; Em 2001: R$ 18 milhões. Municipalização Solidária da Saúde: Fração Hospitais Públicos Municipais Em 1999: R$ 4,4 milhões para 35 hospitais; Em 2000: R$ 5 milhões para 32 hospitais; Em 2001: R$ 8 milhões para 35 hospitais.

11 Saúde Solidária: Política de Qualificação da Assistência Hospitalar aos Usuários do SUS OBJETIVO: fortalecer, qualificar e integrar a rede hospitalar ao SUS, a partir do desenho regional da assistência, subordinando-a ao controle social e aos demais princípios e diretrizes legais. R$ 3,5 milhões em 1999, para 86 hospitais; R$ 22 milhões em 2000, para 261 hospitais; R$ 18 milhões em 2001, para 248 hospitais.

12 Saúde Solidária: critérios de inclusão 1999 Disponibilizar o mínimo de 60% dos serviços para o SUS; Urgência/Emergência 24 horas; Acesso 24 horas a laboratório e radiologia; Liberação da Vigilância Sanitária; Gratuidade e universalidade Todos os anteriores; Parecer favorável do Controle Social; Cirurgias eletivas e atividades programadas; Participar do sistema de referência e contra-referência e dos fluxos de regulação; Relatório de atividades aos Conselhos, Gestor Municipal e CRS Todos os anteriores e Câmara Técnica de acompanhamento

13 Requisitos para habilitação (1) : Unidades Locais: hospital-dia, internação domiciliar, suporte aos programas, unidade mista, centro de referência regional. Hospitais Microrregionais: 4 especialidades, PA, radiologia, ECG, bloco cirúrgico e laboratório 24h, cirurgias eletivas e atendimento a acidentes do trabalho, rol mínimo de procedimentos. Hospitais Regionais: T/O 24h, 2 outras especialidades, Eco 24h, UTI geral e/ou pediátrica.

14 Requisitos para habilitação (2) : Hospitais Macrorregionais: Sala de procedimentos e observação, reanimação cérebro- cárdio-respiratória, politraumatizados graves, duas especialidades conforme a necessidade regional, EEG, tomografia de encéfalo, avaliação da função pulmonar, fibrobroncoscopia 24h, UTI geral e pediátrica, diagnóstico de morte encefálica. Hospitais Especializados: PA, internação e recursos diagnósticos e terapêuticos na sua especialidade.

15 Saúde Solidária: Política de Qualificação da Assistência Hospitalar aos Usuários do SUS Acompanhamento: relatórios periódicos aprovados pelos gestores municipais e regionais e pelo controle social e avaliações in loco. Avaliação do perfil de internação SIH/SUS

16 RELATÓRIOS FLUXOS HOSPITAL Gestor Municipal Conselho de Saúde Gestor Regional - CRS CRASS

17 RELATÓRIOS - RESULTADOS HOSPITAIS MACRORREGIONAIS: –Atendimento 24hs100% –Laboratório e Radiologia 24 hs100% –Cirurgias eletivas100% –Acidente do Trabalho100% –Referência100% –Anestesia100% –Relação com Usuários 40% –Instalações 60% –Melhora do atendimento 40% –Cobranças indevidas 60%

18 RELATÓRIOS - RESULTADOS HOSPITAIS REGIONAIS: –Atendimento 24hs94% –Laboratório e Radiologia 24 hs94% –Cirurgias eletivas82% –Acidente do Trabalho70% –Referência100% –Anestesia76% –Relação com Usuários 53% –Instalações 82% –Melhora do atendimento 60% –Cobranças indevidas 82%

19 RELATÓRIOS - RESULTADOS HOSPITAIS MICRORREGIONAIS: –Atendimento 24hs98% –Laboratório e Radiologia 24 hs88% –Cirurgias eletivas83% –Acidente do Trabalho75% –Referência 95% –Anestesia 60% –Relação com Usuários 60% –Instalações 75% –Melhora do atendimento 74% –Cobranças indevidas 65%

20 RELATÓRIOS - RESULTADOS HOSPITAIS LOCAIS: –Cirurgias eletivas40% –Referência55% –Relação com Usuários60% –Instalações60% –Melhora do atendimento47% –Cobranças indevidas60% –A maioria garante resolução da atenção básica e demonstra interesse em projetos de adequação.

21 Necessidades de qualificação do projeto : A implementação das demais fases do projeto, que inclui a implantação de um sistema próprio de informações, deverá contribuir para os avanços que ainda se fazem necessários: –Avaliar custos da atenção à saúde no SUS, inicialmente a partir de serviços piloto (inadequação na comparação com a assistência fora do SUS); –Definição mínima de parâmetros e indicadores comuns, com respeito a autonomia local (parâmetros negociados); –Ampliação de modalidades assistenciais não convencionais por meio da capacitação dos prestadores a partir de experiências piloto;

22 SAÚDE SOLIDÁRIA HOSPITAIS - R$ 18,4 MILHÕES Relatório com parâmetros mínimos: –Cirurgias eletivas –Taxa - indicação de cesariana –Acidente do trabalho –Atendimento ambulatorial –Referência –Traumato-ortopedia –Cobrança indevida

23 AVANÇOS Nenhum hospital fechado ou descredenciado 22 hospitais transformados Ampliação do Controle Social Maior participação e integração dos prestadores Mudança do perfil de internação:

24 PROPOSTAS R$ 36 milhões Plano de aplicação Indicadores de repasse compostos agregando cobertura regional Relatório de atividades com indicadores e parâmetros mínimos

25


Carregar ppt "INCORPORAÇÃO DOS PRESTADORES DE SERVIÇOS À REDE REGIONAIZADA DE ATENÇÃO À SAÚDE NO RS SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE EXPERIÊNCIAS INOVADORAS NO SUS - BRASÍLIA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google