A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oficina de Roteiro. Definição: "Os americanos chamam-no screenplay, uma peça para a tela, de maneira a distingui-la da simples play, destinada ao placo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oficina de Roteiro. Definição: "Os americanos chamam-no screenplay, uma peça para a tela, de maneira a distingui-la da simples play, destinada ao placo."— Transcrição da apresentação:

1 Oficina de Roteiro

2 Definição: "Os americanos chamam-no screenplay, uma peça para a tela, de maneira a distingui-la da simples play, destinada ao placo. Os franceses o chamam de scenario, para designá-lo como um conjunto de cenas. E nós o chamamos de roteiro. E não é uma má palavra para o caso. Roteiro é uma rota não apenas determinada, mas "decupada", dividida, através da discriminação de seus diferentes estágios. Roteiro significa que saímos de um lugar, passamos por vários outros, para atingir um objetivo final. Ou seja: o roteiro tem começo, meio e fim - conforme Aristóteles observou na tragédia grega como uma necessidade essencial da expressão dramática." - Luiz Carlos Maciel

3 Para que serve: "Roteiro é (...) um discurso verbal, escrito de forma a permitir a pré-visualização do filme por parte do diretor, dos atores, dos técnicos e dos possíveis financiadores. Um instrumento de trabalho e de convencimento. (...) Uma utopia criativa a serviço de um objetivo fundamentalmente econômico: uma boa definição não só de roteiro, mas da própria essência do cinema." - Giba Assis Brasil

4 OS ELEMENTOS FUNDAMENTAIS DO ROTEIRO Há apenas 3 elementos fundamentais do roteiro: Cabeçalho da cena - Deve conter Int. ou Ext., localidade e tempo. Cabeçalho da cena - Deve conter Int. ou Ext., localidade e tempo. Descrição visual - Somente o que você VÊ E OUVE quando está assistindo ao filme. Descrição visual - Somente o que você VÊ E OUVE quando está assistindo ao filme. Diálogos - As falas e pensamentos dos personagens Diálogos - As falas e pensamentos dos personagens

5 Cabeçalho da cena O cabeçalho da cena nos diz onde e quando a cena está acontecendo. Simplesmente, há apenas dois locais onde isso pode acontecer: dentro (INT.) ou fora (EXT.). E os tempos possíveis são diversos: você pode simplesmente indicar noite, dia, manhã, etc. ou indicar a hora exata do acontecimento. Se necessário, pode-se dar uma especificação maior tanto do local como do tempo.

6 Exemplos de cabeçalhos de cena EXT. CENTRO DE SÃO PAULO – NOITE EXT. CENTRO DE SÃO PAULO – NOITE EXT. CENTRO DE SÃO PAULO - AVENIDA PAULISTA – NOITE EXT. CENTRO DE SÃO PAULO - AVENIDA PAULISTA – NOITE INT. CASA DE ANDRÉ – DIA INT. CASA DE ANDRÉ – DIA INT. CASA DE ANDRÉ - SALA - HORAS DEPOIS INT. CASA DE ANDRÉ - SALA - HORAS DEPOIS

7 Descrição visual Também conhecida como ação, a descrição visual é aquilo que está se vendo na tela e nada mais, exceto se necessário, indicações de sons. Uma falha comum nos roteiros é indicar aquilo que não se passa na tela.

8 Exemplo de Descrição visual Pedro, da vitrine, olha para o carro que sonha possuir desde criança. Pedro, da vitrine, olha para o carro que sonha possuir desde criança. O trecho "que sonha possuir desde criança", não é uma indicação visual, mesmo que Pedro demonstre isso com sua expressão facial. O modo correto seria: Pedro, da vitrine, olha para um carro no interior da loja. Pedro, da vitrine, olha para um carro no interior da loja. Ou se quisesse deixar claro a admiração de Pedro pelo carro: Pedro, da vitrine, com os olhos brilhando, olha encantado para um carro no interior da loja. Pedro, da vitrine, com os olhos brilhando, olha encantado para um carro no interior da loja. Na descrição da cena, não exagere nos adjetivos e nos detalhes, seja o mais conciso e claro possível. Filmes de ficção-científica e de fantasia geralmente exigem mais descrições do que uma comédia, por exemplo.

9 Diálogos Diálogo é um elemento difícil da roteirizarão, tanto que houve (na Europa principalmente) o dialoguista, que tinha como única tarefa escrever os diálogos. Há vários tipos de diálogo. Cabe ao roteirista ou o dialoguista saber que tipo de diálogo se encaixa melhor ao roteiro. O roteiro de gangster do filme Os Bons Companheiros de Martin Scorsese, por exemplo, usa diálogos realistas, isto é, tenta imitar como as pessoas falam na vida real. Enquanto o Poderoso Chefão (escrito por Coppola e Puzzo) tem um diálogo mais direto que enfatiza sobre tudo a fácil compreensão. Dependendo do universo da história e seus personagens, um mesmo diálogo pode ser dito de diversas maneiras.

10 Diálogos Como exemplo, vou citar aquele celebre fala de E O Vento Levou... "PARA SER FRANCO, MINHA CARA, ESTOU DANDO A MÍNIMA! Para fazer do diálogo realista, é obviamente permitido escrever de modo errado como o personagem falaria. O diálogo realista não está apenas no vocabulário, mas também Para fazer do diálogo realista, é obviamente permitido escrever de modo errado como o personagem falaria. O diálogo realista não está apenas no vocabulário, mas também em hesitações, gaguejos, cacofonias, interrupções de pensamento, etc. em hesitações, gaguejos, cacofonias, interrupções de pensamento, etc. No roteiro, o diálogo é escrito no centro da folha, com as margens mais estreitas e o No roteiro, o diálogo é escrito no centro da folha, com as margens mais estreitas e o nome do personagem todo em MAIÚSCULO. nome do personagem todo em MAIÚSCULO.

11 Sites recomendados: Programa para formatar um Roteiro profissional: Outros sites:


Carregar ppt "Oficina de Roteiro. Definição: "Os americanos chamam-no screenplay, uma peça para a tela, de maneira a distingui-la da simples play, destinada ao placo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google