A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

II Seminário UCA – Ceará Instituto Universidade Virtual - UFC Profa. Dra. Maria Elisabette B B Prado Uniban-Anhaguera e Nied-Unicamp Fortaleza, novembro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "II Seminário UCA – Ceará Instituto Universidade Virtual - UFC Profa. Dra. Maria Elisabette B B Prado Uniban-Anhaguera e Nied-Unicamp Fortaleza, novembro."— Transcrição da apresentação:

1 II Seminário UCA – Ceará Instituto Universidade Virtual - UFC Profa. Dra. Maria Elisabette B B Prado Uniban-Anhaguera e Nied-Unicamp Fortaleza, novembro de 2013 Tecnologia na Educação: processo de apropriação e a formação da escola

2 Um puco da história da TDIC na Educação Básica Política Pública do Ministério da Educação Debate Nacional Debate Nacional Computador na Escola Logo vs CAI Computador na Escola Logo vs CAI Windows Multimída Softwares Uso na Escolas Windows Multimída Softwares Uso na Escolas Internet Ambiente Virtuais (EAD) Internet Ambiente Virtuais (EAD) Laptop Projeto UCA Lousa Digital Laptop Projeto UCA Lousa Digital Tablet celulares Tablet celulares

3 A IMPORTÂNCIA DE COMPREENDER O USO DA TDIC BASEADA EM FUNDAMENTOS TEÓRICOS A IMPORTÂNCIA DE COMPREENDER O USO DA TDIC BASEADA EM FUNDAMENTOS TEÓRICOS

4 Teoria Construcionista Matemático e Educador Fundador e membro do Media Lab –MIT Trabalhou com Piaget na University of Geneva de 1958/63 Criador Linguagem de Programação Logo (viabiliza uso da Robótica) e que deu origem as versões atuais: Squeak, Scratch. Ideias pioneiras de Seymour Papert Nasceu em Pretória África do Sul 01 de março de 1928

5 Os princípios construcionistas são até os dias atuais norteadores das práticas pedagógicas independente do recurso tecnológico utilizado.

6 Construcionismo Pedagogia Psicologia Computacionais Bases teóricas do Construcionismo de Papert

7 Psicologia Genética - Piaget O conhecimento é concebido como algo a ser construído pelo sujeito, no contexto de suas interações com outras pessoas e/ou objetos Para construir um novo conhecimento o sujeito precisa vivenciar situações onde possa relacionar, comparar, diferenciar e integrar fatos, observações, informações e conhecimento com significado.

8 Na perspectiva piagetina o erro e o conflito cognitivo fazem parte do processo de aprendizagem O sujeito pode perceber a ocorrência do erro quando compara algo antecipado ou projetado com aquilo que observa (resultado obtido da sua ação). potencializando abertura para novas relações, buscas de informações, experiências e assimilações conflito cognitivo

9 Pedagogia Desenvolvimentista de Dewey Pedagogia centrada no aluno, enfatiza a importância de respeitar a liberdade, o interesse do aluno e a experiência concreta da vida. Princípio da continuidade: uma nova experiência é construída a partir de experiências anteriores. Princípio do aprender-fazendo: Envolve colocar em ação aquilo que sabe de forma intuitiva e/ou formal. Envolve uma postura de busca de compreensão sobre aquilo que faz.

10 Aspectos computacionais Resolução de problema o sujeito descreve o procedimento de uma solução Atividades reflexivas e investigativas estabelecimento de relações, uso de hipóteses, aplicação de conceitos, desenvolvimentos de estratégias.... Universo computacional propicia o feedback rápido Baseada na atividade de programação

11 Construcionismo de Papert e Valente Idéia central - Hands-on e Head-in No construcionismo aluno aprender-fazendo, construindo algo que seja significativo de modo que possa se envolver afetiva e cognitivamente com aquilo que está sendo produzido (Mão na massa e mente envolvida Uma definição :

12 . Que tipo de atividade com o uso das TDIC pode ser desenvolvida na perspectiva construcionista? E qual o papel do professor nesse contexto? Que tipo de atividade com o uso das TDIC pode ser desenvolvida na perspectiva construcionista? E qual o papel do professor nesse contexto? Reflexões

13 Algumas possibilidades: Na Web 2.0, alunos e professores não apenas recebem informações, mas expandem o seu papel, podendo ser protagonistas, resolvendo problemas, produzindo conhecimento e compartilhando informações relacionadas a diversas temáticas e conteúdos na rede. Aluno precisa se reconhecer como autor daquilo que está fazendo-aprendendo Autoria e co-autoria entre alunos e professores Autoria e co-autoria entre alunos e professores

14 Mediação Pedagógica do Professor Sistematização de conceitos/linguagem formal da área do conhecimento. INFORMAÇÃO (busca e/ pesquisa) COMUNICAÇÃO (meios e formas) REPRESENTAÇÃO DE CONHECIMENTO Exploração das diferentes características das TDIC

15 Internet É comum ouvirmos que as pessoas fazem pesquisa na internet Do ponto de vista educacional quando podemos dizer que o aluno faz pesquisa na Internet ? O aluno faz pesquisa ou navega num mar de informações? O aluno consegue atribuir significado para aquilo que encontra na internet? O aluno sabe interpretar as informações? Estabelecer relações?

16 Informação e conhecimento são conceitos distintos, mas estão interrelacionados Como propiciar que o aluno transforme as informações em conhecimento? Ter acesso as tecnologias digitais, as informações e a comunicação é importante, pois favorece a inclusão digital. Mas favorece a inclusão social?

17 A inclusão social requer que o aluno tenha domínio do conhecimento das diversas áreas e não apenas do uso da tecnologia Como integrar os recursos tecnológicos com os conteúdos curriculares? Essa integração requer uma retomada do conteúdo, considerando suas especificidades, bem como as possibilidades das tecnologias digitais para expressá-lo e representá-lo de uma nova maneira.

18 O uso das TDIC integrado aos conteúdos curriculares Educação TDIC TDIC na Educação requer novas compreensões e reconstruções de conhecimento Concepção educacional

19 TDIC NA EDUCAÇÃO: DUAS TENDÊNCIAS TECNOLÓGICO PEDAGÓGICOPEDAGÓGICO Tendência-1 Ênfase na Tecnologia Tendência-2 Ênfase na Educação TECNOLÓGICO PEDAGÓGICOPEDAGÓGICO

20 Exemplo de um cenário que ilustra a tendência-1 Uma aluna do 3 ano do ensino fundamental, estava digitando uma tarefa no computador e num certo momento, perguntou para a professora responsável pelo laboratório da escola: - Porque a palavra X aparece sublinhada em vermelho. A professora, prontamente respondeu: - Deixa-me ver o que aconteceu... Bem!!! Isto não é problema, vou resolver rapidinho para você. E em seguida a professora interrompeu o trabalho da aluna e desabilitou a função de correção do Editor de textos e disse: -Pronto agora você pode continuar digitando....

21 Ênfase na Tecnologia Se não considera a intencionalidade pedagógica acerca dos conteúdos curriculares Pode ocorrer uma supervalorização dos aspectos operacionais dos recursos das TDIC (caracterizando-se como ensino técnico ) Análise da tendência-1 TECNOLÓGICO PEDAGÓGICOPEDAGÓGICO

22 Exemplo de um cenário que ilustra a tendência-2 Um grupo de alunos da 8 série desenvolveu um projeto sobre o tema X, envolvendo pesquisa na biblioteca, na Internet, entrevistas, elaboração de textos..... O próximo passo, seria apresentar esta experiência em um evento da escola, mas a professora desconhecia como usar o PowerPoint e suas potencialidades pedagógicas. Então pediu para um profissional da área técnica fazer uma bela produção para o grupo de alunos. O técnico prontamente, demonstrando boa vontade e empolgado com a tarefa, elaborou os slides usando vários recursos de imagens, som e textos. Assim, o grupo de alunos ficou apenas de fazer a apresentação no evento. Mas a apresentação, ao invés de ter sido um sucesso, acabou sendo um desastre e todos ficaram decepcionados.

23 POR QUÊ?

24 Os alunos não identificaram na apresentação a lógica utilizada no processo de produção. A reescrita nos slides do trabalho foi feita a partir da interpretação e representação do outro. Os alunos vivenciaram uma situação de aprendizagem baseada na autoria, mas essa autoria foi perdida descontruída nos slides de apresentação. Se perdeu nesse momento a chance de usar a tecnologia como uma forma diferente de representar o conhecimento.

25 Ênfase na Educação Análise da tendência-2 Se não considerar as potencialidades e restrições dos diferentes recursos tecnológicos. pode subutilizar novas possibilidades pedagógicas de integração das TDIC PEDAGÓGICOPEDAGÓGICO TECNOLÓGICO

26 A relação entre a intencionalidade pedagógica acerca dos conteúdos curriculares e as potencialidades e restrições das TDIC deve acontecer de forma dinâmica considerando o contexto – a realidade da escola TDIC na Educação – tendência integradora PEDAGÓGICOPEDAGÓGICO TECNOLÓGICO

27 PowerPoint (Editor de apresentação) Análise e síntese, lógica, estética, criatividade, Leitura e Escrita hipertextual Por exemplo na tendência-2: Conteúdos curriculares envolvidos no Projeto os alunos ARTICULAÇÃO

28 Exemplo - CONSTRUÇÃO DE BLOG Editoração tratamento imagens, movimentos, hipertexto etc.. ( re)organização de idéias planejamento (lógico e estético) integração de linguagens Conteúdos específicos MANTER O BLOG VIVO INTERATIVO

29 A tecnologia por si só não vai mudar a escola É necessário que profissionais da educação (professores e gestores) possam reconstruir juntos a escola que integra em sua prática os recursos das TDIC, propiciando aos alunos novas formas de aprendizagem.

30 Para quem? Como? Por quê? Intencionalidade Conteúdos, Competências... Aluno (cognitivo, afetivo, contextual) Escolhas das TIC (seus recursos) e de outros materiais Criação de situações de aprendizagem O quê? Trabalho pedagógico PRÁTICA PEDAGÓGICA INTEGRADA COM AS TDIC

31 Trabalho por Projeto ORGANIZAÇÃO ABERTA procura articular informações conhecidas e... integrar outros aspectos que surgirão durante a execução daquilo que foi projetado

32 APROFUNDAMENTO Trabalho por Projetos Trabalho por ProjetosAbrangência caráter interdisciplinar TEMÁTICO caráter disciplinar CONCEITOS ESPECÍFICOS – caráter disciplinar Novos patamares de compreensão Relações entre os eixos

33 Projeto Temático abrangênciaaprofundamento Os dois eixos abrangência e aprofundamento se complementam. A interdisciplinaridade concebe a importância movimentos dos movimentos entre os dois eixos. A interdisciplinaridade se dá sem que haja identidade perda de identidade das disciplinas. (Fazenda, 1994)

34 Características do projeto intencionalidade flexibilidade Abertura para novo Abertura para novo

35 Projeto Temático usando as TDIC colaboração Conteúdo A Conteúdo N Conteúdo B Editor texto Internet Estética vídeo Software Ética Articulação entre diferentes conteúdos, Recursos tecnológicos, valores

36 Novos desafios para os professores e as equipes gestoras das escolas com a chegada dos laptops

37 Um Computador por Aluno na Educação Básica um novo paradigma de ensino e aprendizagem LIE - Laboratório de Informática Educação espaço fechado e separado da sala de aula LIE - Laboratório de Informática Educação espaço fechado e separado da sala de aula Laptop dentro e fora da sala de aula nas mãos dos alunos Sala de aula continua Centrada no professor Sala de aula inova Centrada nos alunos e em pequenos grupos Sala de aula inova Centrada nos alunos e em pequenos grupos

38 Projeto uca – Fase pré piloto (2007 – ) Algumas Lições apreendidas: 5 escolas (RS, SP, RJ, DF, TO) Gestão da sala de aula / Tempo da aula Envolvimento dos diversos atores da Escola e SE Planejamento Currículo flexível (Intencionalidade pedagógica e aspectos emergentes)

39 Qual conhecimento profissional o professor precisa ter para lidar com as tecnologias de modo a reconstruir a própria prática pedagógica? Pedagógico Conteúdo Tecnológico

40 Pedagógico Conteúdo PCK - Conhecimento Pedagógico do Conteúdo Retomando a teoria de Shulman (1986; 1987) PCKPCK Tecnológico

41 Pedagógico Conteúdo TPACK Conhecimento Pedagógico Tecnológico do Conteúdo Mishra and Koehler (2006) amplia a teoria e Shulman TPACK Tecnológico Construcionismo

42 Formação do Professor voltada ao TPACK Como adulto (profissional) aprende ? Como o professor se apropria das TDIC ?

43 Professor e a apropriação das TDIC Processo que passa por fases: Uso imitação do que faz com papel e lápis Uso como complemento do papel e lápis Reinvenção da prática - integração

44 Formação do Professor é parte importante do Processo de implantação das TDIC nas escolas, Mas não é única....

45 Existem possibilidades e restrições envolvendo a estrutura escolar, a prática do professor, a expectativa dos alunos, enfim as decisões são complexas e a integração das TDIC aos conteúdos curriculares requer articulação e a parceria de todos os envolvidos na comunidade escolar para reconstruir seu espaço de ensino e aprendizagem para as crianças e jovens da sociedade digital que atuarão numa sociedade inimaginável Existem possibilidades e restrições envolvendo a estrutura escolar, a prática do professor, a expectativa dos alunos, enfim as decisões são complexas e a integração das TDIC aos conteúdos curriculares requer articulação e a parceria de todos os envolvidos na comunidade escolar para reconstruir seu espaço de ensino e aprendizagem para as crianças e jovens da sociedade digital que atuarão numa sociedade inimaginável

46 Obrigada !!!


Carregar ppt "II Seminário UCA – Ceará Instituto Universidade Virtual - UFC Profa. Dra. Maria Elisabette B B Prado Uniban-Anhaguera e Nied-Unicamp Fortaleza, novembro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google