A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Fabio Aguiar / Fabio Bortoloto. Classificação da tipografia segundo o seu design Em meados do século XVIII, Tebedeau desenvolveu a primeira classificação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Fabio Aguiar / Fabio Bortoloto. Classificação da tipografia segundo o seu design Em meados do século XVIII, Tebedeau desenvolveu a primeira classificação."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Fabio Aguiar / Fabio Bortoloto

2 Classificação da tipografia segundo o seu design Em meados do século XVIII, Tebedeau desenvolveu a primeira classificação das tipografias baseadas nas características específicas do design. Levou em consideração os traços dos elementos que formavam uma letra: Hastes - linhas predominantemente verticais Barras ou traves - linhas predominantemente horizontais 2

3 Curvas ou flexões - linhas desenhadas em curvas Serifas - acabamentos que podem existir nas extremidades dos outros elementos das letras A classificação dos caracteres de acordo com seu estilo interessa à procura de uma sistematização dos inúmeros alfabetos criados desde a invenção da escrita. 3

4 Classificação dos tipos segundo a base - Grupo das famílias Lapidárias ou Bastões (são utilizadas em peças publicitárias de leitura rápida outdoors e adesivos de ônibus, além de projetos de sinalização) Ex: Helvética, Futura, Univers 4

5 Grupo das famílias Egípcias (apesar de sua legibilidade prejudicada em textos reduzidos, é ideal para títulos e outras situações que queira expressar força) 5

6 Grupo das famílias Romanas Antigas ou Elzevir (são indicadas para longos blocos de textos impressos. Possuem boa legibilidade) 6

7 Grupo das famílias Romanas Modernas ou Didot 7

8 Grupo das famílias Cursivas ou Caligráficas 8

9 Grupo da família Fantasias 9

10 Formatando o texto Entre os séculos XVIII e XIX, alguns tipógrafos padronizaram a grande quantidade de tipografias que existiam na época, organizando os parâmetros e unidade para controle das mesmas e da composição de texto dando origem a tipometria. Atualmente, a tipometria tem dois sistemas de medição: 10

11 11

12 CURIOSIDADE = CÍCERO era a denominação dos caracteres de corpo 12 utilizados na composição das "Cartas Familiares" do escritor latino Cícero, portanto, convencionou-se estabelecer esses caracteres com 12 pontos gráficos como cícero, sendo a medida gráfica universal em tipografia. TIPÔMETRO = régua técnica onde existe paralelamente a equivalência dos pontos gráficos, cíceros, milímetros e centímetros. 12

13 13

14 Equivalência entre os sistemas 1 ponto ,376 mm 2,6 pontos mm 6 pontos ,26 mm 12 pontos ,513 mm 26,6 pontos cm pontos m 14

15 Corpo e olho do caractere O corpo do caractere tipográfico equivale à máxima distância entre a face anterior e posterior do paralelepípedo metálico sobre o qual é fundido o caractere. O corpo e o olho dos caracteres: 1 - Corpo 2 - Olho 3 - Olho superior 4 - Olho médio (x-height) 5 - Olho inferior 15

16 16

17 17

18 MORFOLOGIA DO CARACTER Morfologia é o estudo dos caracteres. Os principais componentes dos caracteres são as hastes. 18

19 As hastes podem ser uniformes quando sua espessura não varia, modulada quando a espessura varia de forma gradual. As hastes horizontais são chamadas barras e as curvas são chamadas flexões. FAMILIA Conjunto formado por uma fonte e suas variações. Normal ou Regular Bold Itálico Versalete 19

20 20

21 Classificação de acordo com a família de tipos, fonte e série 21

22 22

23 ENTRELINHA Entrelinha significa aumentar o espaço, no sentido vertical, entre as linhas de um texto. A composição que não leva nenhuma entrelinha, é chamada de cerrada ou cheia. O entrelinhamento é medido em pontos. 23

24 24

25 ENTRELETRAS Todo texto, grande ou pequeno, ocupa um determinado espaço entre uma palavra e outra e entre uma letra e outra. O texto deve ser ajustado para ficar visualmente agradável e não apenas mecânicamente correto. Em algumas publicações, vemos textos onde uma linha está cheia de buracos e a seguinte está apertada. 25

26 Para resolver, pode-se hifenizar o texto. Caso não seja possível, ajusta-se o entreletra, ou o entrepalavras, manualmente. 26

27 27

28 28

29 29

30 30

31 31

32 32

33 33

34 34

35 35

36 36

37 37

38 Paleta tipográfica As considerações relativas à maneira de se dispor a tipografia na página - dentro de uma estrutura de grade, forçam o designer a examinar como o significado será articulado ao longo dos parágrafos, como o texto será alinhado dentro da grade e de que maneira os espaços verticais e horizontais serão usados. É importante que o leitor se sinta seguro em qualquer que seja o sistema de disposição usado, uma vez que esse arranjo é o que permite que ele avance suavemente na leitura do texto. 38

39 Articulando o significado As sentenças que formam um parágrafo são ligadas por um conceito comum. O designer deverá articular as ideias do escritor ao longo do texto, através do uso de convenções tipográficas no delineamento dos parágrafos. Convenções: a) quebras de linhas, b) marcas de parágrafos, c) entradas, d) parágrafos enforcados seguidos de títulos com a primeira linha alinhada à esquerda e as linhas sucessivas recuadas à direita, e) manchetes, f) linhas recuadas e símbolos. 39

40 40

41 Espaço horizontal Para os designers de livros há 6 considerações importantes a serem feitas quando se ocupa o espaço tipográfico. - comprimento da linha, - caracteres por linha - espaço entre palavras, - ajustes de largura - espacejamento de letras e, - crenagem / kerning 41

42 Comprimento ou medida da linha - determinado pela largura das colunas, onde os títulos, aberturas de capítulos e as citações podem ser usadas de forma que quebrem a grade. Portanto, para uma leitura contínua, 65 caracteres por linha são considerados a melhor quantidade, porém se utilizarmos entre 45 e 75 caracteres pode também funcionar. 42

43 43

44 Linhas de base Os livros com grades que contêm várias colunas, frequentemente, são utilizados para dispor blocos de texto com mais de um tamanho. É possível utilizar a mesma grade de linhas de base para todas as colunas. Como exemplo podemos citar um livro bilíngue, com 2 textos paralelos. Um designer que opta por utilizar uma única grade de linhas de base para mais de um tamanho, pode valer-se dessa decisão como uma maneira de estabelecer a hierarquia e a cor relativa da página. 44

45 Tipo Letras individuais, pontuação e números são os menores elementos da página do livro. Tamanhos tipográficos O tipo digital pode ser composto em qualquer tamanho, desde 2 pontos até 720 pontos e pode ser especificado em qualquer medida, portanto, o designer de livros fica livre de muitas das restrições de antigamente. 45

46 46

47 Como decidir sobre o tamanho do tipo? Levar em consideração características do leitor, como também do material, proposta e formato do livro. De maneira geral, considerar o bloco principal de texto, isto porque, ele, ocupa a maior parte leitura. 47

48 Questões que devem ser levantadas na escolha da tipografia Qual é o tema do livro, quem escreveu, quando foi escrito? Onde será impresso, qual o público-alvo? - Terá várias línguas? A obra possui histórias marginais independentes? Como as ilustrações são legendadas? Existem quantidade significativa de matérias entre aspas? 48

49 49 Possui referências ou notas de rodapé, de margem ou bibliográficas? Contém prefácio ou introdução, apêndices muito extenso? Quantidade significativa de tabelas ou gráficos? Possui glossário de termos técnicos? - Como ele é indexado? Quais são os valores destinados à produção, papel, impressão e encadernação? Que qualidades tonais a tipografia do livro possui? - Qual cor ela deverá ser reproduzida? Qual é o preço de capa estimado?


Carregar ppt "Prof. Fabio Aguiar / Fabio Bortoloto. Classificação da tipografia segundo o seu design Em meados do século XVIII, Tebedeau desenvolveu a primeira classificação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google