A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Causas da Proclamação da República Brasileira Questão Abolicionista Questão Religiosa Questão Militar Questão Republicana A República Velha (1889-1930)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Causas da Proclamação da República Brasileira Questão Abolicionista Questão Religiosa Questão Militar Questão Republicana A República Velha (1889-1930)"— Transcrição da apresentação:

1

2 Causas da Proclamação da República Brasileira Questão Abolicionista Questão Religiosa Questão Militar Questão Republicana A República Velha ( ) e suas fases: Governo Provisório ( ) República da Espada ( ) República Oligárquica ( )

3 Questão Abolicionista Bill Aberdeen: Lei inglesa (1845) que permitiu prender navios negreiros, em qualquer parte do mundo e julgar, na Inglaterra, seus tripulantes. Lei Eusébio de Queirós (1850): Lei brasileira que proibiu o tráfico intercontinental de escravos e puniu com rigor os que não a respeitavam. Lei do Ventre Livre (1871) Lei dos Sexagenários (1885) Campanha Abolicionista Lei Áurea (13 de maio de 1888): Lei que pôs fim à escravidão no Brasil. O que significou para o Império a luta abolicionista e a culminância com a Lei Áurea? Perda do apoio político da aristocracia rural escravista brasileira.

4 Questão Religiosa Características da Igreja no Brasil: Padroado: regime pelo qual a Igreja era submetida ao Estado. Beneplácito: autorização imperial para que ordens da Igreja fossem cumpridas no Brasil. Desentendimentos entre a Igreja Católica e o Império: Bula Syllabus: lei papal que afastava religiosos católicos que fossem maçons. Esta bula não recebeu o beneplácito, mesmo assim, os bispos D. Vidal e D. Macedo, de Olinda e Belém, respectivamente, resolveram aplicá-la (1872). Reação do governo: manda prender, julgar e condenar os dois bispos a trabalhos forçados. Em 1875, os bispos receberam o perdão e a liberdade, contudo, o Império foi perdendo a simpatia da Igreja Católica.

5 Questão Militar A Guerra do Paraguai fortaleceu o Exército, que passou a defender a abolição da escravatura e o ideal republicano, difundido pelo coronel Benjamim Constant. Muitos membros do Exército passaram a criticar o governo, acusando-o de pouca preocupação com os militares. Questão Militar: revolta de oficiais contra as punições ao tenente-coronel Sena Madureira (favorável à abolição dos escravos) e ao coronel Cunha Matos (que denunciou corrupção política). Diante das crescentes pressões, o governo cedeu: cancelou as punições impostas aos oficiais e demonstrou a todos a sua fraqueza. Saíram fortalecidos os defensores da causa republicana.

6 Questão Republicana 1870: Manifesto Republicano: ("Somos da América e queremos ser americanos"). 1873: fundação do Partido Republicano Paulista (PRP) em Itu, São Paulo. Fundadores do PRP: cafeicultores paulistas que tinham como objetivo o federalismo (maior autonomia dos estados em relação ao governo federal). Início efetivo da luta em busca da Proclamação da República.

7 Proclamação da República Data: 15 de novembro de 1889 Líder do evento: Marechal Deodoro da Fonseca. Base Social que apoiava a República: » cafeicultores » militares » setores da classe média urbana

8 Governo Provisório ( ) Presidido por Deodoro da Fonseca: lhe coube organizar a nova forma de governo. Governou por decretos-lei até que fosse promulgada a Constituição de Principais medidas: Instalação da República Federativa; Banimento da família imperial; Transformou as províncias em estados; Instituiu a bandeira nacional, cujo lema "Ordem e Progresso" é positivista; Ofereceu cidadania brasileira aos estrangeiros aqui residentes; Convocação de uma Assembléia Nacional Constituinte (para elaborar a primeira Constituição Republicana do Brasil); Separação do Estado da Igreja

9 Família Imperial

10 O que a República ofereceu de novo? Instituição do Casamento Civil Bandeira: Ordem e Progresso

11 Naturalização de Estrangeiros

12 Reforma Financeira O ministro Rui Barbosa (Fazenda) pretendia estimular a economia e permitiu grande emissão de dinheiro por alguns bancos. As emissões tinham como finalidade aumentar a moeda circulante para facilitar o crédito na implantação de indústrias, atender ao pagamento dos salários dos operários, etc. Isso acabou provocando a desvalorização da moeda e grande especulação na Bolsa de Valores em torno de empresas, muitas vezes fantasmas, que acabaram falindo, levando os aplicadores à ruína. Essa desorganização econômica ficou conhecida como Crise do Encilhamento, porque a agitação econômica da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, nesse período, lembrava o barulho do Jóquei Clube, onde se encilhavam os cavalos.

13 Constituição de 1891 A primeira Constituição Republicana foi promulgada em 24 de fevereiro de 1891, cujos dispositivos fundamentais consistiam: forma de governo: República; forma de Estado: adoção do federalismo, como queriam os cafeicultores do Partido Republicano Paulista; sistema de governo: presidencialismo; divisão dos poderes: que deveriam ter atuação harmônica e independente: » Executivo: » Legislativo: » Judiciário:

14 Constituição de 1891 Voto: para maiores de 21 anos, alfabetizados (mulheres, soldados, padres e mendigos não votavam); o voto era aberto, isto é, o eleitor revelava publicamente o seu voto (possibilitou o "voto de cabresto" usado pelos grandes fazendeiros). Disposições transitórias: o primeiro presidente seria eleito pelo voto indireto; Primeiro presidente: Marechal Deodoro da Fonseca; Vice-presidente: Marechal Floriano Peixoto.

15 Constituição de 1891

16 A posse de Deodoro da Fonseca

17 Características da República Velha Chamamos de República Velha o período que começou com a proclamação em 1889 e terminou com a Revolução de Com a República, o Brasil mudou a forma de governo, que agora passava a ser escolhido pelo povo. Uma nova Constituição foi promulgada, que entre outras coisas, separava a Igreja do Estado. No entanto, o Brasil da República Velha continuava sendo o país do latifúndio e do café. A maioria dos brasileiros trabalhando no campo, era submetida aos fazendeiros, aos coronéis. Voto de cabresto, domínio das oligarquias estaduais e a política do café com leite caracterizaram este período da história brasileira. A Primeira República, também conhecida como República Velha, teve dois períodos distintos: a República da Espada ( ), assim denominada pelo fato do poder estar durante o período nas mãos dos militares; e a República Oligárquica ( ), onde o poder ficou centralizado e dirigido pelas oligarquias cafeeiras de São Paulo e pelas oligarquias mineiras.

18 O Urbano e o Rural Rio de Janeiro (1891) Avenida Paulista (1892)

19 Coronelismo - A denominação "coronel" refere-se aos coronéis da antiga Guarda Nacional, que eram em sua grande maioria proprietários rurais com grande base local de poder. - A economia do país era fundamentalmente agrícola e quase 70% da população vivia no campo. Nesse tipo de sociedade os "coronéis" (latifundiários com prestígio político local) exerciam notável poder. - Na época das eleições, vislumbrava-se quais os "coronéis" que efetivamente mandavam e em que região mandavam. Havia milhares de coronéis espalhados pelos municípios brasileiros. Nem todos eram amigos e nem todos tinham o mesmo poder de influência. A prática eleitoral era permeada pelo chamado "voto de cabresto": o eleitor, tratado como gado, deveria votar no candidato do coronel que mandava na região, e o grupo de eleitores a ele vinculado constituía os "currais eleitorais". - Base de sustentação da Política dos Governadores.

20 Política dos Governadores - Surge no governo do presidente Campos Sales (1898); - Sistema de alianças entre as oligarquias estaduais e o governo federal e consistia basicamente em uma troca de interesses e favores; - O presidente comprometia-se a apoiar as decisões dos governos estaduais, conceder subsídios, dar posse somente aos aliados dos oligarcas; - As oligarquias ajudavam a eleger somente deputados e senadores da situação; - A base de sustentação da Política dos Governadores era o Coronelismo. - Comissão Verificadora: comissão do legislativo, a serviço do executivo, destinada a julgar os resultados das eleições. Aprovava somente políticos da situação. A eliminação dos adversários chamava-se degola.

21 Política do Café com Leite Os principais estados que dominavam o conjunto da federação eram São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. » Em SP e em MG, as oligarquias estavam bem organizadas em torno de dois partidos políticos: o PRP (Partido Republicano Paulista) e o PRM (Partido Republicano Mineiro). » A partir das coligações com as lideranças oligárquicas dos demais estados, SP e MG mantiveram o controle político do país durante toda a República Velha. » SP era o maior produtor de café e MG o maior produtor de leite. Daí a denominação "República do Café com Leite" » A eleição para Presidente de República era quase sempre uma farsa. Jogo de cartas marcadas pelas oligarquias. Antes das eleições os líderes políticos do PRP e do PRM se reuniam e depois chegavam a um acordo a respeito de quem seria o próximo presidente do Brasil.

22 Convênio de Taubaté Firmado pelos cafeicultores de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, no governo do presidente Rodrigues Alves(1902). » Consistia numa política de valorização artificial do café. » Proposta: o governo compraria o café excedente e, assim, evitaria que o preço do mesmo caísse no mercado. » Para comprar o café o governo teria que contrair empréstimos. O que o Convênio de Taubaté representou? ________________________________________

23 A economia cafeeira


Carregar ppt "Causas da Proclamação da República Brasileira Questão Abolicionista Questão Religiosa Questão Militar Questão Republicana A República Velha (1889-1930)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google