A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O QUE É O CORPO? EPISTEMOLOGIA DA MOTRICIDADE HUMANA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O QUE É O CORPO? EPISTEMOLOGIA DA MOTRICIDADE HUMANA."— Transcrição da apresentação:

1 O QUE É O CORPO? EPISTEMOLOGIA DA MOTRICIDADE HUMANA

2 QUAL O SENTIDO DO CORPO? Existe um estatuto epistemológico para a Corporeidade? É possível a decomposição do homem e do seu corpo? Para ser grande, sê inteiro: nada teu exagera ou exclui (Ricardo Reis)

3 CORPO Única forma possível de vida Ferramenta útil de um idealismo coletivo Lâmina afiada da mente Invólucro da alma Cumpridor dos desígnios do espírito Parte inseparável do ser A parte desprovida de intelecto presente e constante do homem? OU

4 E se o corpo não for alma, que será a alma? (Walt Whitman)

5 O corpo era uma gaiola e dentro dela, dissimulada, estava uma coisa qualquer que olhava, tinha medo, pensava e espantava-se; essa coisa qualquer, essa sobra que subsistia, deduzida o corpo, era a alma. (Milan Kundera)

6 Oh! Ter vinte anos sem gozar de leve A ventura de uma alma de donzela! E sem nada na vida ter sentido nunca Na suave atração de um róseo corpo Meus olhos turvos sem fechar de gozo! (Álvarez de Azevedo)

7 Se queres sentir a felicidade de amar, esquece a tua alma A alma é que estraga o amor. Só em Deus ela pode encontrar satisfação. Não noutra alma. Só em Deus – ou fora do mundo. As almas são incomunicáveis. Deixa o teu corpo entender-se com outro corpo. Porque os corpos se entendem, mas as almas não. (Manuel Bandeira – Arte de amar)

8 Meu corpo não é meu corpo, É ilusão do outro ser. Sabe a arte de esconder-me E é de tal modo sagaz Que a mim de mim ele oculta. Meu corpo, não meu agente, Meu envelope selado Meu revólver de assustar, Tornou-se meu carcereiro, Me sabe mais que me sei (Carlos Drummond de Andrade – As contradições do corpo)

9 Meu corpo apaga a lembrança Que eu tinha de minha mente, Inocula-me seu pator, Me ataca, fere e condena Por crimes não cometidos. Meu corpo inventou a dor A fim de torná-la interna... Meu corpo ordena que eu saia Em busca do que eu não quero, E me nega ao se afirmar Como senhor do meu eu Convertido em cão servil. Já premido por seu pulso De inquebrantável rigor, Não sou mais quem dantes era: Com volúpia dirigida, Saio a bailar com meu corpo. (Carlos Drummond de Andrade – As contradições do corpo)

10 E assim como, apenas completa, Ela é capaz de revelar-se, Apenas um corpo completo Tem de aprendê-la, faculdade. Apenas um corpo completo E sem dividir-se em análise Será capaz do corpo a corpo Necessário a quem, sem desfalque. Queira prender todos os temas Que pode haver no corpo frase: Que ela, ainda sem se decompor, Revela então, em intensidade. (João Cabral de Melo Neto, Escritos com o corpo)

11 A SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA E AS ADJETIVAÇÕES DO CORPO: Útil Guerreiro Ritualístico Simbólico Profano Sagrado Sensual Decrépto Marginal Urbano Interiorano Repugnante Político Fenômeno atrelado às estruturas sociais?

12 A SOCIEDADE DA COMUNICAÇÃO E O SENTIDO DO CORPO As mensagens estão no corpo e nos gestos. Nos comunicamos com o mundo independentemente das barreiras culturais e idiomáticas pelas roupas que usamos.

13 O CORPO VIRTUAL? A presença não precisa mais ser física, nós nos substituímos pelo imaginário construído pelas tecnologias.

14 NA ERA DA COMUNICAÇÃO QUAL A FORMA DO CORPO A contradição dos paradigmas Corpo Natural O homem urbano procura formas de voltar a conviver com a natureza (alimentação natural, esportes radicais, etc.) Corpo Cultural Os modelos e os padrões de comportamentos; as estereotipias e as metamorfoses (cirurgia plástica, tatuagem, halterofilismo, etc).

15 ETNOGRAFIA DO CORPO Padrões de Imagens do Corpo Aceitação x Marginalidade

16 A PRESENÇA PELO CORPO Branco MulatoPróteses NegroUltrapassado MusculosoDescolorado BronzeadoGordo TatuadoBaixo EsculpidoBarrigudo MagroCelulites AltoFlácido SiliconeEstriado TatuagensIndefinido PiercingDespencado BotoxVelho

17 A SEMÂNTICA INCONSCIENTE DA CORPOREIDADE Em FormaFora de Forma MalhadoSofrido Só pelo sofrimento se consegue a glória. Sarado Ex Doente Aquele que não se enquadra no padrão estético deve ser isolado para tratamento de saúde. SaudávelInceto A referência ao inceto significa a marginalidade de sua presença, seu corpo é estranho ao grupo social. Cuidadoso Largado Significa que o corpo esculpido denota o cuidado e a preocupação com a inserção no grupo; a contrário senso, largado significa desprovido de valor.

18 A CULTURA DO CORPO E A CULTURA DO NARCISISMO Na segunda metade do século XX o culto ao corpo ganhou uma dimensão social inédita: entrou na era das massas. Industrialização e mercantilização, difusão generalizada das normas e imagens, profissionalização de ideal estético com a abertura de novas carreiras... (Miriam Goldenberg)

19 CULTO AO CORPO Proliferação de imagens Ilusão da Perfeição Física Ideologias terapêuticas e consumismo

20 O PARADOXO DA CLASSE MÉDIA Onde está a singularização do sujeito? Preocupação com a individualidade, privacidade emancipação e autonomia. Aumento da exigência de conformidade com os padrões sociais do corpo. X Paradoxalmente o corpo libertou-se de missões milenares (paixões, sexo...) e submeteu-se à novas algemas, como as coações estéticas, obsessões por padrões geradores de ansiedade e outros efeitos biológicos.


Carregar ppt "O QUE É O CORPO? EPISTEMOLOGIA DA MOTRICIDADE HUMANA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google