A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UPCII M Microbiologia Teórica 6-7 2º Ano 2011/2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UPCII M Microbiologia Teórica 6-7 2º Ano 2011/2012."— Transcrição da apresentação:

1 UPCII M Microbiologia Teórica 6-7 2º Ano 2011/2012

2 Sumário T08 MJC2 Capítulo V. Microbioma Humano – Conceitos Gerais O corpo humano como meio de cultura e habitat de microrganismos Microbioma humano como sistema em equilibrio dinâmico Defesas contra microrganismos Capítulo VI. Microbioma e Desiquilíbrios do tracto Respiratório Microbiota indígena das vias aéreas superiores Condições para colonização e crescimento Factores de virulência microbianos Factores do Hospedeiro Principais agentes e infecções do tracto respiratório Streptococcus pneumoniae Haemophilus influenzae Neisseria meningitis Outros 12-10-2011

3 O corpo humano como microhabitat 12-10-2011T08 MJC3

4 Órgãos e Fluidos normalmente estéreis 12-10-2011T08 MJC4

5 Tipos de defesas antimicrobianas 12-10-2011T08 MJC5 Inatas Codificadas na linha germinal Mais imediatas Menos específicas Específicas Resultam de rearranjos clonais em linfócitos Precisam de exposição e tempo para se diferenciarem Mais específicas Sistema de complemento e Fagocitose são dois exemplos de defesas que são usadas pelos dois tipos de sistemas.

6 Defesas contra MO- Inatas 12-10-2011T08 MJC6 Barreiras mecânicas e químicas (muco-cuctâneas): Mecânicas Pele queratinização, junções intercelulares, descamação, sebo, baixa humidade Mucosas mais susceptíveis mas não indefesas (cílios, muco, pH, IgA) Químicas Lisozima, lactoferrina e antibióticos naturais de natureza proteica (histatinas, defensinas, criptidinas, dermocidina, catelecidina e hepcidina) The role of released ATP in killing Candida albicans and other extracellular microbial pathogens by cationic peptides by Vylkova, Slavena; Sun, Jianing N.; Edgerton, Mira Journal: Purinergic Signalling Vol. 3 Issue 1

7 Defesas contra MO - Inatas 12-10-2011T08 MJC7 Defesas internas Fagocitose e outras defesas celulares Moléculas que reconhecem motivos microbianos: Receptores tipo Toll Proteínas NOD Lectinas tipo C 10 Colectinas

8 Defesas contra MO - Inatas 12-10-2011T08 MJC8 Defesas internas Factores solúveis Anticorpos = aglutininas, precipitinas, opsoninas Proteínas da fase aguda – respostas a LPS (proteína C reactiva, fibrinogénio e alfa1- antitripsina) Interferão Complemento (várias vias de activação - Lembram-se?)

9 Microbioma e Desiquilíbrios do tracto Respiratório

10 T08 MJC As vias respiratórias -habitat microbiano Factores mais importantes Zonas estéreis e colonizadas MI com disseminação hematogénica Porta de entrada para agentes patogénicos estritos (Mycobacterium tuberculosum Strep. pyogenes beta, Pneumocystis carinii) 12-10-2011T-08-09 10

11 T08 MJC As vias respiratórias - habitat microbiano Factores mecânicos Sistema ciliar Glândulas mucosas e células goblet Broncoconstrição tosse Factores químicos Lactoferrina Lisozimas Factores imunológicos IgA Sistema de macrófagos específicos dos alvéolos Adesão Crescimento Proliferação + / - 12-10-2011T-08-09 11

12 T08 MJC MI MI mais comum 12-10-201112 Gram +Gram - Strep. pyogenes Branhamella catarrhalis Staph aureus Haemophilus parainfluenzae Staph. epiderdimis Haemophilus influenzae (s/ cápsula) PropiniobacteriumHaemophilus influenzae tipo B Micrococcus

13 T08 MJC infecciosos Agentes infecciosos mais comuns Vírus Vírus Rinovirus, Adenovirus, Parainfluenza, Influenza, Coxsackie A e outros enterovirus, EBV, HSV1 e 2 Bactérias Strep. pyogenes Corynebacterium diphterae Haemophilus influenzae Mycobacterium tuberculosis Fungos Histoplasma capsulatum Blastomyces dermatiditis Cryptococcus neoformans Aspergilosis 12-10-201113

14 T08 MJC Mecanismos de virulência mais comuns Polissacarídeos capsulares Proteases IgA1 Pneumolisina (hemolisina que actua no tecido pulmonar específica de Streptococci) Fímbrias LPS 12-10-201114

15 12-10-2011T08 MJC Alterações do MI Idade do hospedeiro Barreira mucosa Sistema imunitário (IgA, fagocitose) Factores mecânicos Factores químicos Factores imunológicos 15

16 12-10-2011T08 MJC Colonização de zonas estéreis Aspiração de secreções Infecção localizada (destruição de tecidos) Disseminação hematogénica 16

17 Infecções mais prevalentes no SR 12-10-2011T08 MJC17 Vias aéreas superiores Grande morbilidade Origem virusal Podem ter implicações sistémicas Seios nasais e ouvido médio Podem ser agudas ou crónicas Normalmente flora indígena oportunista Traqueia e Brônquios Comuns após infecções de origem virusal Infecções associadas a secreções mucosas Pulmões Infecções mais graves que podem ser letais.

18 Infecções das vias aéreas superiores 12-10-2011T08 MJC18 Faringites Essencialmente virusal Faringites bacterianas Strep pyogenes Pode progredir para amigdalite Febre reumática Em resultado de faringite bacteriana e com efeito em tecido cardíaco Glomeronefrite aguda Em resultado de faringite bacteriana e com efeito em tecido renal Constipação comum Essencialmente virusal pode levar a infecção bacteriana 2ª Angina pseudomembranosa, branca ou Difteria Corynobacterium diphteriae exotoxina cardio e neurotóxica Angina de Vincent Fusobacteria e espiroquetas Higiene oral e estado nutritivo Gingivite ulcerativa necrosante

19 Infecções dos seios nasais e ouvido médio 12-10-2011T08 MJC19 Otites Agudas Infecção secundária após constipação Hemophilus influenzae, Strep. pneumoniae e S. pyogenes Crónicas Caracterizada por descargas purulentas que podem ser recorrentes Sinusites Agudas Infecção secundária após constipação Hemophilus influenzae, Strep. pneumoniae e S. Pyogenes Crónicas Além dos agentes da infecção aguda podem também aparecer Staph aureus e Bacteroides Associada a sintomas mais severos e pressistentes incluindo cefaleias e dor de dentes.

20 Infecções da traqueia e brônquios 12-10-2011T08 MJC20 Bronquites Complicação de infecção das vias aéreas superiores Hemophilus influenzae, Strep. pneumoniae, Branhamella catarrhalis e Mycoplasma pneumoniae Pode ser agravada por factores do hospedeiro Fibrose quística Consequência de defeito congénito na produção de muco. Staphylococcus aureus, Strep. pneumoniae e Pseudomonas aerugionosa Tosse convulsa Baixa mortalidade mas potencial morbilidade Existe vacina Bordetella pertussis

21 Infecções dos pulmões 12-10-2011T08 MJC21 Pneumonia lobular Só um dos pulmões é afectados Agente de origem externa ao doente (Pneumococcus) mas Staph aureus e Haemophilus influenzae podem estar implicados. Competição com células do pulmão por nutrientes Produção de pneumolisinas Resistência a fagocitose devido às cápsulas de pneumococci. Broncopneumonia Semelhante à anterior Atípica Não é causada pelos mesmos microrganismos Mycoplasma Vírus Doença de legionário Além dos sintomas respiratórios podem aparecer confusão, falhas renais e gastroenterite. Legionella pneumophila e outras legionellas Microrganismo dessiminado pelo AC e águas estagnadas tuberculose Interesse recente devido a imunosupressão e multiresistência a antibióticos Mycobacterium tuberculosis

22 T08 MJC Streptococcus pneumoniae Idade do hospedeiro 5-10% em adultos 20-40% crianças Estirpes diferentes Estação do ano Infecções virais que danificam o epitélio das vias aéreas superiores Prevenção de infecção Vacinação 12-10-201122

23 T08 MJC Streptococcus pneumoniae Pneumococcus Catalase (-) Hemólise alfa 90 serotipos Polisacáridos C (tecoico) e F (lipotecoico) 12-10-201123 Factores de virulência principais Cápsula e fagocitose Adesão IgA1ase Hialouridase Neuroaminase Inflamação/resistência a fagocitose

24 T08 MJC Haemophilus influenzae G (-) Pleiomorfico Fe Agar chocolate Estirpes encapsuladas (a-f) 50-80% não encapsulados 3-5% encapsulados 12-10-201124

25 T08 MJC Haemophilus influenzae (factores de virulência) Cápsula HMW1 e 2 Fimbrias Alterações fenotípicas e antigénicas LPS Protease IgA1 Camada epitelial debilitada Infecção facilitada por Entrada a partir do tracto respiratório Infecção viral antecedente SI eficaz por anticorpos e baço Prevenção por vacinação Hib 12-10-201125

26 T08 MJC Neisseria meningitis Diplococco G(-) Aeróbio (5-8%CO2) Agar de Sangue e chocolate, TSA, M-H Produz autolisinas Cápsula (13 serótipos 8 patogénicas) Maioria da população tem serótipos s/ cápsula Alguns têm c/cápsula mas são assintomáticos 12-10-201126

27 T08 MJC Neisseria meningitis (factores de virulência) Cápsula LPS e LOS com variação antigénica Adesinas fimbrilares Opa (Adesão ao epitélio) Proteases de IgA1 Meningite Rápida e fulminante Fim do Inverno e inicio da primavera Endémica até aos 5 anos Epidémica 5-19 anos (A,B e C) 12-10-201127

28 T08 MJC Neisseria meningitis Na mucosa não causa problemas Endotoxina (hemodinâmica, extravasamento capilar e coagulopatia intravascular) Pouco resistente à acção de anticorpos (6m-2anos) Diagnóstico precoce importante Penicilina IV Prevenção por vacinação (A,C,Y e W-135) Pacientes sem baço ou SI deficitário 12-10-201128

29 Bibliografia T08 MJC2912-10-2011 Capítulo 23 Capítulo 13

30 Bibliografia T08 MJC30 Capítulo 1 – pgs 17-20 12-10-2011 Capítulo 2, 5 e 23 ou Capítulo 13


Carregar ppt "UPCII M Microbiologia Teórica 6-7 2º Ano 2011/2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google