A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Colégio Cruz e Sousa – Prof: Sabrina. Um pouco de Historia... * A civilização egípcia antiga desenvolveu-se no nordeste africano (margens do rio Nilo)

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Colégio Cruz e Sousa – Prof: Sabrina. Um pouco de Historia... * A civilização egípcia antiga desenvolveu-se no nordeste africano (margens do rio Nilo)"— Transcrição da apresentação:

1 Colégio Cruz e Sousa – Prof: Sabrina

2 Um pouco de Historia... * A civilização egípcia antiga desenvolveu-se no nordeste africano (margens do rio Nilo) entre 3200 a.C (unificação do norte e sul) a 32 a.c (domínio romano); *A sociedade egípcia estava dividida em várias camadas, sendo que o faraó era a autoridade máxima, chegando a ser considerado um deus na Terra; *A Escrita Egípcia também foi algo importante para este povo, pois permitiu a divulgação de idéias, comunicação e controle de impostos. Existiam duas formas principais de escrita: a demótica (mais simplificada) e a hieroglífica (mais complexa e formada por desenhos e símbolos). As paredes internas das pirâmides eram repletas de textos que falavam sobre a vida do faraó, rezas e mensagens para espantar possíveis saqueadores; *A religião egípcia era repleta de mitos e crenças interessantes. Acreditavam na existência de vários deuses (muitos deles com corpo formado por parte de ser humano e parte de animal sagrado) que interferiam na vida das pessoas. *No campo da arquitetura podemos destacar a construção de templos, palácios e pirâmides. Estas construções eram financiadas e administradas pelo governo dos faraós. Grande parte delas eram erguidas com grandes blocos de pedra, utilizando mão-de-obra escrava. As pirâmides e a esfinge de Gizé são as construções mais conhecidas do Egito Antigo.

3 EsculturaEgípcia Também a escultura egípcia obedecia a uma orientação predominantemente religiosa. Eram numerosas as estátuas esculpidas com a finalidade de ficar dentro dos túmulos. A escultura egípcia atingiu seu desenvolvimento máximo com os sarcófagos, esculpidos em pedra ou madeira. Os artistas procuravam reproduzir com fidelidade as feições dos mortos, a fim de facilitar o trabalho da alma na busca do seu corpo.

4 Esfinge A esfinge egípcia e uma criatura mística, tida como um leão estendido, com uma cabeça humana, que e geralmente a de um faraó. Esfinge de Gizé

5 Pintura – E uma pintura essencialmente simbólica. Muitas das pinturas egípcias permanecem na decoração de tumbas.

6 Arquitetura Pirâmides As Pirâmides são estruturas monumentais construídas em pedra e têm uma base retangular e quatro faces triangulares. Acredita-se que as pirâmides do Egito Antigo eram edifícios funerários, embora alguns especialistas acreditem que além de servirem de mausoléus eram também templos religiosos. As maiores pirâmides egípcias são as dos faraós Quéops, Quéfren e Miquerinos em Gizé.

7 Templos Os egípcios foram grandes construtores. Um exemplo disso foram seus os templos escavados na rocha

8 Cindy`Sherman`(1951) Fotografa Norte-Americana. As suas personagens são representadas por ela mesma. Representa a mulher nas suas facetas da cultura contemporânea. A mulher subjugada, abusada, utilizada, padronizada, violentada. A narrativa é muito forte, permite o observador imaginar uma acção passada, um estado daquela personagem.

9

10

11

12

13

14

15 Arte Grega A síntese de realismo e idealismo, que consiste em harmonizar as formas da natureza com as formas ditadas pelo espírito, percorre toda a arte produzida na Grécia antiga e constitui um princípio básico da estética ocidental, especialmente em seus momentos de recuperação dos valores clássicos. A arte grega antiga remonta ao segundo milênio antes da era cristã e originou-se na ilha de Creta.

16 Escultura As esculturas gregas transmitem uma forte noção de realismo, pois os escultores gregos buscavam aproximar suas obras ao máximo do real, utilizando recursos e detalhes. Nervos, músculos, veias, expressões e sentimentos são observados nas esculturas. A temática mais usada foi a religiosa, principalmente, representações de deuses e deusas. Cenas do cotidiano, mitos e atividades esportivas (principalmente relacionadas às Olimpíadas ) também foram abordadas pelos escultores gregos.

17 DISCÓBULO, DE MIRON

18 escultura grega da representação morte do Minotauro por Teseu.

19 Pintura Os pintores representavam cenas cotidianas, batalhas, religião, mitologias e outros aspectos da cultura grega. Os vasos, geralmente de cor preta, eram muito utilizados neste tipo de representação artística. Estes artistas também pintavam em paredes, principalmente de templos e palácios. A pintura, na Grécia antiga, foi em geral associada a outras formas de arte, como a cerâmica, a estatuária e a arquitetura. Ao contrário do caso da pintura cerâmica, restam pouquíssimos exemplos de pintura mural ou de painel, e a maior parte do que se sabe sobre esta forma de expressão plástica deriva de fontes literárias antigas e algumas cópias romanas.

20

21 Pintura Grega sobre vaso

22 Arquitetura O período considerado mais importante da cultura e da arquitetura grega é aquele que se desenvolve entre o séculos VII AC e IV a.C. Concentra-se na arquitetura religiosa– templos – com grande rigor de dimensões, estabelecendo proporções matematicamente precisas; os templos são construídos de pedra (mármore). Dos templos mais conhecidos da Arquitetura Grega está o Parthenon ou a Acrópole de Atenas, que foi construído no ponto mais alto da cidade, entre os anos de 447 a 438 a.C., este templo é dedicado a deusa Atena e é uma das mais conhecidas e admiradas construções do período.

23 Parthenon Colunas Gregas

24 Ordem Dórica - era simples e maciça. O fuste da coluna era monolítico e grosso. O capitel era uma almofada de pedra. Nascida do sentir do povo grego, nela se expressa o pensamento. Sendo a mais antiga das ordens arquitetônicas gregas, a ordem dórica, por sua simplicidade e severidade, empresta uma idéia de solidez e imponência - Ordem Jônica - representava a graça e o feminino. A coluna apresentava fuste mais delgado e não se firmava diretamente sobre o estilóbata, mas sobre uma base decorada. O capitel era formado por duas espirais unidas por duas curvas. A ordem dórica traduz a forma do homem e a ordem jônica traduz a forma da mulher. - Ordem Coríntia - o capitel era formado com folhas de acanto e quatro espirais simétricas, muito usado no lugar do capitel jônico, de um modo a variar e enriquecer aquela ordem. Sugere luxo e ostentação.

25 Influências da Arte Grega: Ao longo dos anos a mitologia vai se esvaziando do significado religioso e ganhando, principalmente, um caráter artístico. Em outras palavras, no século 15, ao retratar uma deusa greco-romana como Vênus, o pintor Sandro Botticelli não a encarava como uma entidade religiosa, mas como um ideal estético de beleza. Na verdade, mesmo em termos de Antigüidade, é muito difícil fazer uma separação entre mitologia e arte. A arte da Grécia antiga, por exemplo, trata essencialmente de temas mitológicos. E foi através da arte que tomamos contato com a mitologia grega: além de uma grande quantidade de templos (arquitetura), de esculturas, baixo-relevos e pinturas, a literatura grega é a principal fonte que temos dessa mitologia. Pesquisar sobre: Botticelli, influencia gregas na arte.

26 Pintura Grega e suas Influências os Gregos foram excelentes pintores murais. Suas obras realistas chegaram a confundir os pássaros, que tentavam bicar as frutas pintadas nas paredes. Em razão de várias guerras e invasões, essas obras foram sendo destruídas. Uma maneira de perceber características da pintura grega a decoração feita em pecas de cerâmica que se conservaram ate os nossos dias. A pintura nos vasos conta a historia de deuses. Heróis da mitologia, guerras e festas. Esta imagem é uma cópia da pintura de Thimantes, pintor grego do século IV a.c., reproduzida num mural de Pompéia.

27 Pintura Grega sobre vaso: na época de 500 a.c os pintores procuravam romper com o rígido estilo egípcio. As figuras ainda pintadas de perfil pareciam ter olhos vistos de frente, porem o tronco e os pés pintados de lado.

28 As pinturas dos vasos representavam pessoas em suas atividades diárias e cenas da mitologia grega. O maior pintor de figuras negras foi Exéquias. A pintura grega se divide em três grupos: figuras negras sobre o fundo vermelho figuras vermelhas sobre o fundo negro

29 figuras vermelhas sobre o fundo branco

30 E suas influências... O pecado original e a expulssão do Paraíso Michelangelo O nascimento da Vênus

31 Pintura Renascentista: Na pintura renascentista as figuras eram dispostas numa composição estritamente simétrica, a variação de cores frias e quentes e o manejo da luz permitiram criar distâncias e volumes que pareciam ser copiados da realidade. Rubens, O Rapto das filhas de Leucipo

32 Mascaras Gregas Máscara teatral do tipo Primeiro Escravo, personagem típico da Comédia Nova. Mármore, século II a.C., Museu Arqueológico Nacional de AtenasMuseu Arqueológico Nacional de Atenas Os teatros (de theatron, "local onde se vê") surgiram a partir do século VI a.C.. Julga-se que antes disso as primeiras representações teatrais seriam realizadas em locais públicos como a ágora de Atenas. Os teatros situavam-se ao ar livre, nos declives das encostas, locais que proporcionavam uma boa acústica.

33 Mascara Africana Máscaras de Picasso

34 Máscara Indígena Máscara de Carnaval

35 Pintura Romana O império grego foi, aos poucos, sendo conquistado pelos romanos até tornar-se Província de Roma no séc II A.C. Os pintores já não estavam tão interessados na Arte Mitológica. Seus temas eram a vida cotidiana e as cenas de pecas teatrais. Infelizmente Todas essas pinturas se perderam e a única maneira de se ter uma idéia do que os artistas Pintavam é observando os murais descobertos em Pompéia e Herculano.

36 Primeiro estilo da pintura romana: Estilo de Incrustação Tratava-se de recobrir as paredes de uma sala com uma camada de gesso pintado; que dava impressão de placas de mármore. Primeiro Segundo estilo da pintura romana: Estilo da Arquitetura em Perspectiva Painéis que criavam a ilusão de janelas, pois as casas não as possuíam, abrindo-as para um pátio central.

37 Terceiro estilo da pintura romana: Estilo parede real. Tratava-se de pintar o fundo negro e valorizar a delicadeza dos pequenos detalhes Obs. A pintura ao lado é contemporânea a arte romana. Está aqui para percebemos o resgate greco-romano no período Renascentista. Imagem: Galeria degli Uffizi, Florença, Itália: A primavera (c. 1478), de Sandro Botticelli. Nesta pintura Botticelli representa Vênus em companhia das três Graças. Mercúrio e Flora, entre outros personagens mitológicos. A deusa Vênus simboliza o humanismo, a cultura florentina da época.

38 Quarto estilo da pintura romana: Estilo do ilusionismo arquitetônico Sintetizava os dois estilos anteriores, combinando a ilusão do espaço com a delicadeza das imagens.


Carregar ppt "Colégio Cruz e Sousa – Prof: Sabrina. Um pouco de Historia... * A civilização egípcia antiga desenvolveu-se no nordeste africano (margens do rio Nilo)"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google