A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Investigações no Tempo ARTE MODERNA. Uma passagem do século XIX para o XX No campo visual, identificamos, ao longo do tempo, transformações nas representações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Investigações no Tempo ARTE MODERNA. Uma passagem do século XIX para o XX No campo visual, identificamos, ao longo do tempo, transformações nas representações."— Transcrição da apresentação:

1 Investigações no Tempo ARTE MODERNA

2 Uma passagem do século XIX para o XX No campo visual, identificamos, ao longo do tempo, transformações nas representações artísticas. Somada ao estilo particular de cada artista, encontramos intervenções profundas – influências de determinados períodos – nas técnicas e nos temas abordados em suas produções.

3 Majas no Balcão, , Francisco de Goya. O Balcão, , Edouard Manet. Mulheres na Sacada, 1911, detalhe. Kees van Dongen.

4 Podemos considerar que as diferentes formas de representar estão ligadas a uma série de fatores. A produção de um artista está sempre inserida em um contexto – social, histórico, tecnológico – do tempo em que ele vive. No século XIX, houve uma série de rompimentos com aquilo que era considerado o motivo e a técnica tradicionais de composição. A sociedade vivia uma situação de mudanças. O progresso na indústria e a conquista de novos conhecimentos estéticos abriram um campo ilimitado de opções em todas as áreas. As mudanças se refletiram na postura a na maneira de se expressar dos artistas do século XX – influenciando novos movimentos artísticos.

5

6 Arte Pós-Impressionismo A cada movimento de arte, podemos notar transformações estéticas que demonstram a necessidade de o homem expressar a sua visão de mundo em épocas diferentes. Durante vários séculos, os artistas se preocuparam em retratar com a maior fidelidade possível as formas da realidade, assim como nossos olhos vêem:

7 fosse realizando um retrato, Retrato de Joseph Baretti, Joshua Reynolds.

8 criando um ilusão de profundidade, As Colheteiras, Jean-François Millet.

9 de movimento, Fantasia Árabe, Eugene Delacroix.

10 reproduzindo cores exatamente como na natureza... As Montanhas Gigantes, Caspar David Friedrich.

11 Arte Moderna Expressionismo A partir da descoberta da fotografia, a arte perdeu o compromisso de retratar fielmente a realidade. Os artistas passaram a expressar suas emoções e suas verdades internas, frente aos acontecimentos sociais. Surgiu, no final do século XIX, o movimento de arte denominado Expressionismo.

12 O Grito, Edvard Munch.

13 O principal precursor desse movimento foi o pintor holandês Vincent van Gogh que, com um estilo único, já manifestava, através de sua arte, os primeiros sinais do Expressionismo. Vincent acreditava muito no significado emocional das cores: Tentei expressar por meio do vermelho e do verde as terríveis paixões da humanidade. Há, em toda parte, choque e contraste dos vermelhos e verdes mais díspares nas figuras dos desordeiros adormecidos; na sala vazia, lúgubre, violeta e azul.

14 Café Noturno, Vincent van Gogh.

15 O Expressionismo foi uma corrente artística concentrada especialmente na Alemanha, entre os anos de 1905 e 1930, em um momento em que o país atravessava um período de guerra. Esses artistas tentaram transmitir a sua arte, utilizando uma forma psicológica por meio da qual pudessem expressar seus sentimentos mais íntimos em relação ao mundo exterior. É uma pintura pessoal e intensamente apaixonada.

16 Retrato de Homem (Auto-retrato), Erich Heckel.

17 ViVincentcent Van Gogh ViVincentcent Van Gogh ( ) - buscou recriar a beleza dos seres humanos e da natureza através da cor, que para ele era o elemento fundamental da pintura. Foi uma pessoa solitária. Interessou-se pelo trabalho de Gauguin, artista por ele admirado, por sua maneira de simplificar as formas dos seres, reduzir os efeitos de luz e usar zonas de cores bem definidas. Em 1888, deixou Paris e foi para Arles, cidade do sul da França, onde passou a pintar ao ar livre. Vincent van Gogh.Precursor do Expressionismo:

18 Os Comedores de Batatas, Vincent van Gogh.

19 O Quarto em Arles, Vincent van Gogh.

20 O sol intenso da região mediterrânea interferiu em sua pintura, e ele libertou-se completamente de qualquer naturalismo no emprego das cores, declarando-se um colorista arbitrário. Apaixonou-se então pelas cores intensas e puras, sem nenhuma matização, pois elas tinham para ele a função de representar emoções.

21 12 Girassóis, Vincent van Gogh.

22 Girassóis, Vincent van Gogh.

23 Campo de Milho e Ciprestes, Vincent van Gogh.

24 Entretanto ele passou por várias crises nervosas e, depois de internações e tratamentos médicos, dirigiu-se, em maio de 1890, para Anvers, uma cidade tranqüila ao norte da França. Nessa época, em três meses apenas, pintou cerca de oitenta telas com cores fortes e retorcidas. Em julho do mesmo ano, ele suicidou-se, deixando uma obra plástica composta por 879 pinturas, 1756 desenhos e dez gravuras. Enquanto viveu não foi reconhecido pelo público nem pelo críticos, que não souberam ver em sua obra os primeiros passos em direção à arte moderna, nem compreender o esforço para libertar a beleza dos seres por meio de uma explosão de cores.

25 Noite Estrelada, Vincent van Gogh.

26 Auto-retrato, Vincent van Gogh.

27 Auto-retrato sem Orelha,1890. Vincent van Gogh.

28 Campo de Trigo com Corvos, Vincent van Gogh.

29 ( ) - foi um dos primeiros artistas do século XX que conseguiu conceder às cores um valor simbólico e subjetivo, longe das representações realistas. Nascido em Loten, Noruega, em 1863, Munch iniciou sua formação na cidade de Oslo. A partir de 1907, morou na Alemanha, onde, além de exposições, realizou cenários. Passou seus últimos anos em Oslo, na Noruega. Edvard Munch.Principal representante do movimento expressionista:

30 Karl Johan ao Anoitecer,1892. Edvard Munch.

31 Uma de suas obras mais importantes é O Grito (1889). O Grito é um exemplo dos temas que sensibilizaram os artistas ligados a essa tendência. Nela a figura humana não apresenta sua linhas reais mas contorce-se sob o efeito de suas emoções. As linhas sinuosas do céu e da água, e a linha diagonal da ponte, conduzem o olhar do observador para a boca da figura que se abre num grito perturbador.

32 O Grito, Edvard Munch.

33 Perseguido pela tragédia familiar, Munch foi um artista determinado a criar "pessoas vivas, que respiram e sentem, sofrem e amam". Recusou o banal, as cenas interiores pacíficas, comuns na sua época. A dor e o trágico permeiam seus quadros.

34 A Voz, Edvard Munch.

35 Cinzas,1894. Edvard Munch.

36 Auto-retrato com Cigarro Aceso, Edvard Munch.

37 Melancolia, Edvard Munch.

38 Separação,1896. Edvard Munch.

39 O Beijo,1897. Edvard Munch.

40 A Mãe morta e a Criança, Edvard Munch.

41 O Sol, Edvard Munch.

42 FIM Baseado na Coleção Pitágoras – Livro 2 – 7a. Série Pesquisa: Prof.: Mônica Freitas


Carregar ppt "Investigações no Tempo ARTE MODERNA. Uma passagem do século XIX para o XX No campo visual, identificamos, ao longo do tempo, transformações nas representações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google