A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Metodologia da Pesquisa em Ensino de Ciências I

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Metodologia da Pesquisa em Ensino de Ciências I"— Transcrição da apresentação:

1 Metodologia da Pesquisa em Ensino de Ciências I
Aula VII – Instrumentos de coleta de registros

2 Instrumentos de coleta de registros
São as ferramentas que usamos para coletar informações sobre o universo pesquisado. Nos interessaremos aqui pelos seguintes instrumentos de coleta de registros: Testes de conhecimento; Questionários; Entrevistas; Opiniários. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

3 Construindo um teste de conhecimentos
É uma boa ferramenta para averiguar o domínio do aluno de certo conteúdo em certo nível de competência cognitiva. Não serve como ferramenta para avaliar opiniões, percepções, atitudes. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

4 Construindo um teste de conhecimentos (cont.)
Um bom teste avalia um conjunto coeso de conteúdos, utilizando um mesmo tipo de questão e avaliando um único nível cognitivo. Somente com esta condição satisfeita, a construção de um escore total do teste, obtida pela soma dos escores individuais dos itens, tem sentido. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

5 Construindo um teste de conhecimentos (cont.)
Todo teste deve ter sua fidedignidade calculada antes de ser usado na pesquisa !!! Sobre o cálculo da fidedignidade de testes veja a Aula 9. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

6 Construindo um teste de conhecimentos (cont.)
Tipologia Quanto ao tipo de questão. Quanto ao tipo de competência cognitiva Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

7 Construindo um teste de conhecimentos (cont.) Dimensão Tipo de Questão
Solução de Problemas Resposta Livre Múltipla Escolha Simples Tipologia quanto ao tipo de questão Múltipla escolha com somatória Tabelas Lacunas Gráficos Associação Evocação Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

8 Construindo um teste de conhecimentos (cont
Construindo um teste de conhecimentos (cont.) Dimensão Função Cognitiva Compreensão Enunciação Aplicação Função Cognitiva Análise Avaliação Síntese Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

9 Construindo um teste de conhecimentos (cont.)
A tabela de especificação: Função Cognitiva Conteúdos Enunciação Compreensão Aplicação Análise Síntese Avaliação Colocamos em cada célula o número de questões. Colocamos em cada célula o número de questões. Listamos nesta coluna os conteúdos do teste. Listamos nesta coluna os conteúdos do teste. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

10 Outros cuidados com testes objetivos
Considere a extensão do teste: considere as habilidades exigidas para que os respondentes consigam sucesso no teste. Selecione o número de questões e a área do conteúdo a ser coberta pelo teste de acordo com isto; Considere o número de testes no período sendo avaliado: não há uma receita de quantos testes devem ser aplicados, entretanto um aspecto deve ser salientado: resultados de pesquisa mostram que quanto maior o número de testes aplicados, maior será correlação entre os resultados obtidos nos testes objetivos e os resultados obtidos em testes dissertativos . Um bom número seria algo em torno de quatro testes por semestre; Considere o nível de dificuldade: cada questão do teste deve ser classificada, por quem constrói o teste, de acordo com o nível de dificuldade que apresenta. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

11 Outros cuidados com testes objetivos (cont.)
O aconselhável é que o teste comece por questões de baixo nível de dificuldade e vá em um crescendo até as questões de nível mais elevado. Construindo o teste dessa forma, a autoconfiança dos respondentes é reforçada. Uma estimativa que pode ser feita quanto ao tempo necessário à resolução de uma questão pode ser calculada nas seguintes bases: uma questão de nível 1 leva aproximadamente dois minutos para ser respondida e uma de nível 6 algo em torno de oito minutos; Providencie as fórmulas: com esse procedimento a memorização pura e simples é desencorajada; Uso de símbolos: o uso de símbolos tais como , , , etc. e possíveis respostas envolvendo , arcos, etc. exigirão algo mais que a simples manipulação de números para obter a resposta correta; Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

12 Outros cuidados com testes objetivos (cont.)
Escolha não aleatória das respostas corretas: evite a possibilidade de que a manipulação aleatória de números possa levar à resposta correta. As opções de um teste devem sempre fazer sentido para o aluno. Procure seguir a lógica dos alunos na hora de construir as opções de um teste. Por exemplo, em um teste que solicite aos alunos o valor de x a partir da equação do primeiro grau: x = 5y + 1 para y=2 a resposta x=12 deve estar presente. Ela é obtida a partir de um erro, muito frequente dos alunos, que consiste em somar os coeficientes e depois substituir o valor de y; Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

13 Outros cuidados com testes objetivos (cont.)
Evite o uso de fatores ''1'' e ''2'': a multiplicação ou divisão por 1 leva ao mesmo resultado. Com o fator 2 a mesma resposta pode ser obtida pela soma ou multiplicação pelo fator; Número de respostas por questão: aqui há um compromisso entre a escolha mínima (teste tipo verdadeiro ou falso) e um número tão grande de escolhas que fique impraticável responder ao teste. Um número razoável é cinco escolhas por questão; Número de respostas corretas por questão: evite mais que uma resposta correta por questão (exceto se a opção for por questões de múltipla escolha com somatória). Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

14 Fim da aula 7 paulorosa@dfi.ufms.br
Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

15 Resposta Livre Avaliam a capacidade de julgamento.
Avaliam ao estabelecimento de relações entre os aspectos fundamentais da disciplina. Avaliam a compreensão e aplicação de princípios Características Avaliam a capacidade criadora. Avaliam a capacidade de organização. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

16 Subjetividade de julgamento. Tempo necessário para a sua correção.
Resposta Livre (cont.) Desvantagens Subjetividade de julgamento. Tempo necessário para a sua correção. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

17 Possibilitar respostas dentro do tempo disponível.
Resposta Livre (cont.) Selecionar questões que exijam raciocínio ou conhecimentos importantes. Sugerir ao estudante que evite começar a escrever antes de organizar as ideias. Formular questões em linguagem correta e técnica sempre que possível de modo a evitar falsas interpretações. Cuidados Possibilitar respostas dentro do tempo disponível. Definir no enunciado da questão o assunto que deve ser tratado na resposta. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

18 Solução de problemas Características
Avaliam o conhecimento e aplicação de princípios. Avaliam a capacidade de pensamento reflexivo . Praticamente eliminam a possibilidade de adivinhação ou burla por parte dos estudantes. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

19 Solução de problemas (cont.)
Providenciar para o aluno vir munido de todo material necessário à solução do problema. Formular o problema de modo claro e conciso fornecendo todas as informações necessárias para a sua completa solução. Cuidados Deixar claro para o estudante quais princípios, leis ou teorias se espera que ele use para resolver determinado problema. Indicar a forma sob a qual deve ser dada a resposta (esquema, gráfico, enumeração de itens que equacionem o problema, levantamento de hipóteses). Apresentar uma situação conhecida pelos alunos, de modo que requeira a descoberta das relações necessárias nela envolvidas. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

20 Múltipla Escolha Simples
Características Em um só teste, várias partes de um mesmo assunto. Avaliam a aplicação de princípios e domínio terminológico. Avaliam a retenção de conhecimento. Avaliam a capacidade do aluno para organizar e integrar o material estudado. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

21 Múltipla Escolha Simples (cont.)
Evitar a formulação de perguntas que possam ser respondidas sem conhecimento específico do assunto. As alternativas apresentadas devem ser plausíveis (escolhemos respostas alternativas à correta que fazem sentido para o aluno). Tratar de um assunto somente por questão. Cuidados Dispensar todo o cuidado ao emprego dos artigos o, a, os, as, etc. como palavra final de uma afirmativa introdutória (mal empregados, poderão dar indicações a respeito da resposta). Mudar a posição da resposta certa (definir a posição da resposta correta é por sorteio). Usar linguagem clara e pontuação correta. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

22 Múltipla escolha com somatória
São apresentadas várias asserções sobre um mesmo assunto. São apresentadas várias asserções sobre um mesmo assunto. Grande vantagem: permite o acerto parcial. Semelhantes à escolha simples com as seguintes diferenças: Há a possibilidade de que mais de uma asserção seja verdadeira Há a possibilidade de que mais de uma asserção seja verdadeira O aluno deve indicar a soma dos itens que considera corretos. O aluno deve indicar a soma dos itens que considera corretos. Os números atribuídos a cada resposta devem ser potências de 2. Os números atribuídos a cada resposta devem ser potências de 2. Voltar Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

23 Lacunas Características
Verificam a retenção de conhecimentos que devem ser memorizados com exatidão. Avaliam o conhecimento de termos técnicos, abreviaturas, pesos e medidas, símbolos, etc. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

24 Lacunas (cont.) Fazer com que a lacuna corresponda a palavras ou expressões que envolvam conhecimentos básicos e essenciais e não a detalhes secundários. Não reproduzir exatamente as frases usadas no material instrucional sobre o qual o estudo foi feito no enunciado. Cuidados Usar somente um claro, no máximo 2, em cada sentença. Procurar manter os claros, de preferência, no fim da frase. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

25 Evocação Adaptam-se a quase todos os tipos de ensino. Permitem, às vezes, verificar a capacidade do aluno para organizar e apresentar seus conhecimentos em linguagem própria. Redigir a pergunta de maneira clara de modo a não deixar dúvidas sobre seu conteúdo. Evitar perguntas que requeiram dissertação. Cuidados Indicar na pergunta o número exato de itens exigidos na resposta. Organizar perguntas sobre pontos importantes no assunto. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

26 São relativamente fáceis de elaborar.
Associação Características Avaliam a capacidade do aluno para reconhecer e associar noções e conhecimentos a outros com ele relacionados. São relativamente fáceis de elaborar. Prestam-se para avaliar conhecimento e aplicação de princípios, bem como domínio terminológico. Se a questão não for muito bem construída, muitos itens poderão ser correspondidos pelo processo de eliminação. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

27 Tratar de um só assunto de cada questão.
Associação (cont.) Tratar de um só assunto de cada questão. Apresentar itens a serem associados em número não inferior a 5 e nem superior a 12. Cuidados Redigir cuidadosamente os itens, a fim de que o aluno não seja levado a associar a resposta à pergunta, por simples concordância gramatical de gênero e número. Colocar na coluna da direita (respostas sugeridas) mais elementos o que na coluna (itens a serem associados), para evitar que os dois últimos se associem obrigatoriamente. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

28 Gráficos Características
Boas para avaliar se o aluno é capaz de identificar tendências em conjuntos de dados. Adequadas para a medida de capacidade de discernimento e raciocínio em assuntos de natureza prática. Tipo I: interpretação do problema (o gráfico é fornecido e cabe ao estudante retirar dele as informações pedidas). Tipo II: solução do problema (o estudante constrói o gráfico a partir de dados fornecidos pelo avaliador (tabelas) ou obtidos em alguma atividade. Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

29 Evitar gráficos complicados, mal feitos ou imprecisos.
Gráficos (cont.) Usar folhas sem pauta para as respostas que exijam que o aluno trace o gráfico. Evitar gráficos complicados, mal feitos ou imprecisos. Cuidados Usar sempre gráficos simples, que possam ser reproduzidos com fidelidade. Apresentar os problemas de forma objetiva a fim de que as respostas sejam dadas sem palavras explicativas. Avaliar a solução do problema sem levar em conta a possível falta de habilidade do aluno para o desenho. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

30 Tabelas Características
Os alunos devem construir ou interpretar tabelas com dados fornecidos pelo professor ou obtidos a partir de alguma atividade prática. Avalia as capacidades de organização, de síntese, de análise, etc. dos alunos. Tipo I - Análise Tipo II - Construção Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

31 Nível Cognitivo - Enunciação
Neste nível o respondente deve ser capaz de repetir enunciar algo. Exige somente a memória. Verbos utilizados: Escreva, Liste, Rotule, Nomeie  Diga, Defina. Não implica em compreensão do enunciado. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

32 Nível Cognitivo - Compreensão
Neste nível o respondente deve ser capaz parafrasear o conteúdo. Exige interpretação e internalização do conteúdo parafraseado. Verbos utilizados: explique, resuma,  parafraseie, descreva, ilustre. Implica em compreensão do enunciado. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

33 Nível Cognitivo - Aplicação
Neste nível o respondente deve ser capaz aplicar o conhecimento na solução de alguma situação prática. Exige os dois níveis anteriores e mais a capacidade de incorporar novas informações. Verbos utilizados: Use, Compute  Resolva, Demonstre, Aplique, Construa.. Implica na capacidade de coordenar o conhecimento. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

34 Nível Cognitivo - Análise
Neste nível o respondente deve ser capaz identificar as partes de um todo. O aluno distingue, classifica, e relaciona   pressupostos, hipóteses, evidências ou estruturas de uma declaração ou questão. Verbos utilizados: Analise, Categorize, Compare, Contraste,  Separe. Implica na capacidade de identificar os elementos constituintes de uma totalidade. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

35 Nível Cognitivo - Síntese
Neste nível o respondente deve ser capaz compor uma nova totalidade a partir de elementos dados. O aluno cria, integra e combina ideias num produto, plano ou proposta, novos para ele. Verbos utilizados: Crie, Planeje,  Elabore hipótese(s),  Invente, Desenvolva. Implica na capacidade de identificar as relações entre os elementos constituintes de uma totalidade. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS

36 Nível Cognitivo - Avaliação
Neste nível o respondente deve ser capaz de avaliar e emitir juízos de valor. O aluno aprecia, avalia ou critica com base em padrões e critérios específicos. Capacidade de argumentação. Verbos utilizados: Julgue, Recomende, Critique, Justifique. Implica na capacidade de julgar uma situação levando em conta critérios éticos e morais. Voltar Curso de Metodologia da Pesquisa – Aula 7 Prof. Paulo Rosa Curso de Mestrado em Ensino de Ciências - UFMS


Carregar ppt "Metodologia da Pesquisa em Ensino de Ciências I"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google