A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Indústria de Sabões e Detergentes. História do Sabão Sabão: surgiu no séc. XXV a.C.; Antes era feito de uma mistura de cinza vegetal e gordura animal;

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Indústria de Sabões e Detergentes. História do Sabão Sabão: surgiu no séc. XXV a.C.; Antes era feito de uma mistura de cinza vegetal e gordura animal;"— Transcrição da apresentação:

1 Indústria de Sabões e Detergentes

2 História do Sabão Sabão: surgiu no séc. XXV a.C.; Antes era feito de uma mistura de cinza vegetal e gordura animal; Atualmente o sabão é obtido de gorduras (de boi, de porco, de carneiro, etc.) ou de óleos (de algodão, de vários tipo de palmeiras) e NaOH. Detergentes: surgiram na 1°Guerra Mundial devido a escassez de óleos e gorduras necessárias para a fabricação de sabões; Obtido pela Sulfonação-sulfatação do Alquilbenzeno e Álcool graxo (sebo).

3 A equação abaixo representa genericamente a hidrólise alcalina de um óleo ou de uma gordura : Fabricação do Sabão em pedra

4 Trocador de Calor Água Quente Ar Glicerina bruta Resíduos Acabamento convencional do sabão: barras, flocos ou pó Vapor d´agua Hidrolisador 252ºC e 41 atm Ácidos graxos Tanque flash Vapor d´agua Destilador a alto-vácuo Ácidos graxos Neutralizador Soda Cáustica Misturador do sabão Vapor d´agua Sabão em barra aerado água condensador Receptor destilado Evaporadores Vapor d´agua Bomba Pressão Alta Vapor d´agua Tanque flash Vapor d´agua Gorduras e catalisador - ZnO

5 Mecanismo de atuação do sabão na sujeira As moléculas situadas no interior de um líquido são atraídas em todas as direções pelas moléculas vizinhas resultante das. As moléculas da superfície do líquido sofrem apenas atração lateral e inferior. Esta força para o lado e para baixo cria a tensão na superfície, que faz a mesma comportar-se como uma película elástica.

6 A água, por si só, não consegue remover certos tipos de sujeira, como, por exemplo, restos de óleo. Isso acontece porque as moléculas de água são polares e as de óleo, apolares. Dessa maneira, ao lavarmos um prato sujo de óleo, formam-se o que os químicos chamam de micelas, gotículas microscópicas de gordura envolvidas por moléculas de sabão, orientadas com a cadeia apolar direcionada para dentro (interagindo com o óleo) e a extremidade polar para fora (interagindo com a água).

7 Diminuem a tensão superficial da água, de modo que esta possa "molhar melhor" os materiais (daí os sabões serem chamados de substâncias tensoativas, ou seja, substâncias que abaixam a tensão superficial de um líquido).

8 São concentradas as partículas de óleo ou gordura em micelas coloidais, que se mantêm dispersas na água (daí os sabões serem chamados de substâncias emulsificantes ou surfactantes).

9 É um subproduto da fabricação do sabão. Ela é adicionada aos cremes de beleza e sabonetes, pois é um bom umectante, isto é, mantém a umidade da pele; Em produtos alimentícios é adicionada com a finalidade de manter a umidade do produto ; Outra utilidade da glicerina é na fabricação do explosivo conhecido como nitroglicerina. Falando um pouco sobre a glicerina

10 Fabricação de Detergente em Pó Reação Principal – Sulfonação linear de um alquilbenzeno:

11 Alquilbenzeno Sulfonador Óleum Água Álcool Graxo Água NaOH Neutralizador Tripolifosfato de Sódio Aditivos Ar Quente Ar e partículas de detergente em pó Misturador Ciclone Ar Peneira Água Sulfatador Depósito Polpa Surfactada Agentes tensioativos Surfactantes Óleum Torre de Atomização Fornalha Ciclone 116ºC Embalagem Água Recuperado seco Filtro Perfume Ar Detergente em Pó

12 Balanço de Massa Detergente em Pó Alquilbenzeno : 75 kg Álcool graxo (do sebo): 75 kg Óleum: 150 kg Solução de NaOH: 200 kg Silicato de Sódio: 125 kg Tripolifosfato de Sódio: 500 kg Diversos aditivos: 30 kg Água: 500 kg Base: kg do produto acabado

13 Mercado O mercado brasileiro de sabão em pó movimenta anualmente, cerca de R$ 1,5 bilhão. O consumo per capita anual no país é uma média de 3,65 kg, enquanto a média da América Latina é de 4,26. Nos Estados Unidos, cada consumidor utiliza por ano, uma média de 5,47 kg de sabão em pó. Na Europa, esse índice chega a 8,4 kg.

14 Detergente em pó As vendas de detergentes em pó, que respondem por 31% do faturamento total do setor, totalizaram R$ 3,1 bi- lhões em 2006, o que representa um crescimento de 0,82% em relação ao ano anterior

15 Sabão em pedra Neste seguimento as vendas registraram queda de 3,54% em 2006 com faturamento de R$ 808 milhões

16 Detergente Líquido Com faturamento de R$ 651 milhões em 2006,os detergentes apresentaram crescimento de 5,7% de vendas em relação a 2005

17 Nos lares brasileiros...

18 Marcas mais vendidas OMO (Unilever) com 47,9%; Brilhante (Unilever) com 9,6%; Surf (Unilever) com 8,1%; Ace (Procter & Gamble ) 7,7%; Assim e Assolan (Hypermarcas) e outras marcas menos conhecidas com 26,7% FONTE: GAZETA MERCANTIL – JULHO/2008

19 DIFERENÇAS ENTRE SABÃO E DETERGENTE Os detergentes são mais eficazes que os sabões em água dura devido os sais de cálcio e magnésio serem solúveis(ausente nos sabões). Sendo os detergentes sais de ácidos fortes, produzem soluções neutras, ao contrário dos sabões que, por serem sais de ácidos fracos, originam soluções levemente alcalinas.

20 DIFERENÇAS ENTRE SABÃO E DETERGENTE Os detergentes quando utilizados para a lavagem de louças, retiram, a gordura natural presente nas mãos de quem o utiliza, causando o ressecamento da pele ; A grande vantagem na utilização do sabão está no fato deste ser sempre biodegradável e de ser produzido a partir de matéria-prima renovável - os óleos e as gorduras.

21 FIM


Carregar ppt "Indústria de Sabões e Detergentes. História do Sabão Sabão: surgiu no séc. XXV a.C.; Antes era feito de uma mistura de cinza vegetal e gordura animal;"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google