A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FUNDAMENTOS DE DIDÁTICA

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FUNDAMENTOS DE DIDÁTICA"— Transcrição da apresentação:

1 FUNDAMENTOS DE DIDÁTICA
REVISÃO FUNDAMENTOS DE DIDÁTICA

2 Característica da didática jesuítica
Ratium studiorum – sistematização pedagógica contendo mais de 400 regras. Os pressupostos didáticos diluídos na Ratio studiorum enfocavam instrumentos e regras metodológicas compreendendo o estudo privado, em que o mestre prescrevia o método de estudo, a matéria e o horário; as aulas, ministradas de forma expositiva; a repetição, visando repetir, decorar e expor em aula; o desafio, estimulando a competição; a disputa, outro recurso metodológico visto como uma defesa de tese. Os exames eram orais e escritos, visando avaliar o aproveitamento do aluno.

3 MAS É CERTO QUE A EXPULSÃO DOS INACIANOS POR POMBAL INAUGURA UM NOVO PERÍODO NA HISTÓRIA DA METODOLOGIA DO ENSINO.

4 Novo método O Alvará Régio, datado de 28 de junho de 1759, é marco nesta história porque se propõe substituir os métodos Jesuíticos. As aulas tinham lugar geralmente na casa do professor régio. as aulas seguiam o método simultâneo, dispondo o mestre de uma pequena mesa e os alunos de uma grande, cheia de pequenos furos para os tinteiros. As lições, no estilo jesuítico, eram memorizadas pelos discípulos, que as cantavam em coro, numa algazarra às vezes cortada pelo uso da palmatória.

5 lei geral do ensino no Brasil
Emprego do método monitorial ou lancasteriano. A prevalência inconteste do professor é atenuada no método mútuo, embora não eliminada, devido à figura do “monitor”, que era o mais adiantado dos alunos de cada “classe”; O planejamento geral e a supervisão dos estudos cabiam ao professor. A primeira escola normal instalada no Brasil, a de Niterói em 1835, adotou esse método.

6 Método intuitivo - Herbart
O método intuitivo foi oficialmente adotado pelos grupos escolares, denominação que receberam as escolas primárias seriadas em São Paulo e daí para o país todo nos primeiros decênios da República. O material didático ganhava grande peso no método de ensino, porque eram as “coisas ou suas representações que importavam inicialmente, não os seus conceitos, que, não obstante, eram o fim a que se destinava a ciência. Ainda no método intuitivo, toda a programação do que ensinar, de como ensinar, e do ensino propriamente dito estavam do lado do professor e do sistema de ensino.

7 Escola nova - John Dewey
Do ponto de vista didático, o escolanovismo se batia contra a chamada “escola tradicional”, forte baluarte do professor com centro; O contraponto didático escolanovista baseava-se no experimentalismo de John Dewey, que vinha com uma variante, também cientifista, do intuicionismo, só que substituindo o “contato direto com a coisa” deste pela “atividade interessada do aluno”. Alunocentrismo

8 “anos de chumbo” 1964 e 1984 uma didática de grande apelo, ligada à tendência pedagógica tecnicista, difundiu-se e ganhou adeptos. Trata-se do ensino programado – ou programacionismo didático – metodologia inspirada na psicologia comportamentalista de vários autores, entre os quais avulta Skinner. Nessa variante didática, o grande centro do ensino é o programa, isto é, a seqüenciação de passos pelos quais o aluno vai se apoderando do conhecimento; Sua exacerbação são as máquinas de ensinar, tornadas possíveis com o advento da tecnologia da informação.

9 PRÁTICAS EDUCATIVAS PEDAGÓGICAS E DIDÁTICAS – LIBÂNEO

10 A EDUCAÇÃO COMO PROCESSO SOCIAL
Através da ação educativa o meio social exerce influência sobre os indivíduos e estes, ao assimilarem e recriarem essas influências, tornam-se capazes de estabelecer uma relação ativa e transformadora em relação ao meio social. Tais influências se manifestam através de conhecimentos, experiências, valores, crenças, modos de agir, técnicas e costumes acumulados recriados por novas gerações.

11 ENTENDENDO A EDUCAÇÃO AMPLO Educação ESTRITO INFORMAL NÃO INTENSIONAL
INTENCIONAL NÃO INTENSIONAL FORMAL

12 EDUCAÇÃO EM SENTIDO RESTRITO E EM SENTIDO AMPLO
Amplo – processos formativos que ocorrem em meio social, assim, a prática educativa existe numa grande variedade de instituições e atividades sociais decorrentes de organizações econômicas, políticas e legal de uma sociedade, da religião, dos costumes, das formas de convivência humana. Restrito – a educação ocorre em instituições específicas, escolares ou não, com finalidade explicitas de instrução e ensino mediante uma ação consciente, deliberada e planificada.

13 EDUCAÇÃO INFORMAL Tem grande influência na formação humana
Não intencional – influências do meio social sobre os indivíduos. Processo de aquisição de conhecimento, experiências, ideias, valores, práticas, que não estão ligados especificamente a uma instituição e nem são intencionais e conscientes. São situações causais e espontânea, não organizadas. Tem grande influência na formação humana

14

15 EDUCAÇÃO FORMAL Educação intencional – refere-se a influências em que há intenções e objetivos definidos conscientemente, como é o caso da educação escolar e extra-escolar. Há uma intencionalidade, uma consciência por parte do educador quanto aos objetivos e tarefas que deve cumprir. A educação formal que se realiza nas escolas, igrejas, empresas, sindicatos, partidos políticos, implicando sempre ações de ensino com objetivos pedagógicos explícitos, sistematização, procedimentos didáticos. A escolarização básica é que possibilita os indivíduos aproveitar e interpretar, conscientemente e criticamente, outras influencias educativas

16

17 A responsabilidade social da escola e dos professores
É muito grande, pois cabe-lhes escolher qual concepção de vida e de sociedade deve ser trazidas à consideração dos alunos e quais conteúdos e métodos lhes propiciam com o domínio dos conhecimentos e a capacidade de raciocínio necessários à compreensão da realidade social e à atividade prática na profissão, na política, nos movimentos sociais. Tal como a educação o ensino é determinado socialmente

18 EDUCAÇÃO, INSTRUÇÃO E ENSINO
Educação – instituição social, produto, processo Instrução – formação intelectual, formação e desenvolvimento das capacidades cognitivas mediante o domínio de certos níveis de conhecimentos sistematizados. Ensino - corresponde a ações, meios e condições para a realização da instrução; contém pois a instrução; O ensino é o principal meio e fator da educação

19 A didática A didática é o principal ramo de estudos da Pedagogia. Ela investiga os fundamentos, condições e modos de realização da instrução e do ensino. A ela cabe converter os objetivos socio- políticos e pedagógicos em objetivos de ensino, selecionar conteúdos e métodos em função desses objetivos, estabelecer os vínculos entre ensino e aprendizagem, tendo em vista o desenvolvimento das capacidades mentais dos alunos. A Didática e as metodologias específicas das matérias de ensino formam uma unidade, mantendo entre si relações recíprocas.

20 A DIDÁTICA COMO EIXO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Formação teórico-científica Formação em disciplinas específicas na área de formação, e a formação pedagógica, que envolve os conhecimentos da Filosofia, Sociologia, História da Educação e da própria Pedagogia, que contribuem para o esclarecimento do fenômeno educativo no contexto histórico-social.

21 A DIDÁTICA COMO EIXO DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL
Formação técnico- prática Visando a preparação profissional específica para a docência, incluindo a didática, as metodologias específicas das matérias, a Psicologia da Educação, a pesquisa educacional e outras; As disciplinas de formação técnico- práticas, não se reduzem ao mero domínio de técnicas e regras, mas implicam também os aspectos teóricos, ao mesmo tempo que fornecem à teoria os problemas e desafios da prática.

22 A FORMAÇÃO PROFISSIONAL PARA O MAGISTÉRIO REQUER, UMA SÓLIDA FORMAÇÃO TEÓRICO-PRÁTICA.
O desempenho do professor não pode ser atribuído simplesmente a vocação ou somente a experiências práticas.


Carregar ppt "FUNDAMENTOS DE DIDÁTICA"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google