A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Abertura do Setor de Astronomia - CDCC. Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Abertura do Setor de Astronomia - CDCC. Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro."— Transcrição da apresentação:

1 Abertura do Setor de Astronomia - CDCC

2 Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural - CDCC Universidade de São Paulo - USP Endereço: Av. Trabalhador São-Carlense, n.400 Tel: 0-xx (Observatório) Tel: 0-xx (CDCC) Localização: Latitude: 22° 00' 39,5"S Longitude: 47° 53' 47,5"W Crédito do logo: Setor de Astronomia, CDCC-USP/SC, criado por Andre Fonseca da Silva.

3 Sessão Astronomia

4 O Que é a Sessão Astronomia? As Sessões Astronomia são palestras proferidas por monitores do Setor de Astronomia todos os sábados às 21h00. Iniciadas em 1992, foram criadas com o objetivo de falar sobre Astronomia ao nosso público em uma linguagem simples e acessível a todas as faixas etárias. Estas palestras se tornaram uma opção de diversão e informação para a comunidade local e também para visitantes de nossa cidade. Os temas abordados são os mais variados possíveis. O material multimidia contido aqui consiste numa opção áudiovisual complementar que o proferssor do Sistema de Ensino pode utilizar como auxílio a suas aulas. O conteúdo das Sessões Astronomia podem ser acessados no seguinte endereço: Crédito do logo: Sessão Astronomia, CDCC-USP/SC, criado por Andre Fonseca da Silva

5 Apresentação de Victor Robin

6 Identificação do Tema: Título : Missão SOHO (Solar & Heliospheric Observatory) Autor : Victor Raphael de Castro Mourão Roque Data da Apresentação:24/07/2004 Apresentador : Victor Raphael de Castro Mourão Roque Resumo/ABSTRACT: Nessa Sessão Astronomia vamos falar sobre a Missão SOHO, objetivos, preparação, lançamento e últimas imagens Nome do Arquivo: ov_lge.jpg Disponível em: Acesso em:

7 Um pouco sobre o Sol

8 A rotação do Sol é diferenciada

9 Comentário:O Sol é a estrela central do nosso sistema. Ele está localizado num dos braços centrais da galáxia, mais precisamente no braço de Orion, a uma distância de 30 mil anos- luz do centro da galáxia. Ele tem 5 bilhões de anos, 1,4 milhões de km de diametro, vezes a massa da Terra. Composto de 78% de hidrogênio, 20% de hélio e 2% de outros materiais mais pesados. Em um corpo rígido a rotação no equador e em seus polos é a mesma, mas em corpos feitos de gases ou líqüidos, a rotação varia. No caso do Sol a rotação no equador é de 25 dias e a dos polos dura 30 dias. Essa diferença de rotação causa anomalias no campo magnético solar. Nome do Arquivo: sun.jpg Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: sun_path.gif Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: _differe.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em:

10 Um pouco sobre a estrutura solar

11 Granulação

12 Um pouco sobre a estrutura solar Interior do Sol – Fusão Nuclear

13 Um pouco sobre a estrutura solar Comentário: O Sol é formado por um núcleo onde toda a enegia é formada por reações de fusão, transportada por radiação e depois por convecção. Na zona de convecção pode ser visto uma granulação que se assemelha a bolhas que chamamos torres covectivas. Depois vem a fotosfera, que é a parte visível a olho nu e, logo acima, tem a cromosfera de cor avermelhada, visível somente em eclipses pois a sua radiação é inibida pela radiação da fotosfera. A camada mais externa e mais rarefeita nós chamamos de Coroa ou Corona que ocupa milhares de atmosfera solar. Nome do Arquivo: sunpartsG_b..gif Disponível em: Acesso em:

14 Nome do Arquivo: 2nuclr.mov (interior solar) Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: 2uvseit.mov (corona) Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: img4.gif (granulação) Disponível em: Acesso em:

15 Fenomenos Solares Proeminência

16 Laços Magnéticos Fenomenos Solares Mancha Solar Fáculas Comparação Terra-Proeminência Ondas

17 Fenomenos Solares Flare

18 Fenomenos Solares Ventos Solares

19 Comentário: Entre os fenômenos solares podemos encontrar proeminências causadas por laços de campos magnéticos, manchas solares, fáculas (estruturas granulares brilhantes na superfície do Sol que são ligeiramente mais quentes ou frias do que as regiões vizinhas). Uma mancha solar tem sempre um fácula associada, embora as fáculas podem existir aparte de tais pontos. Outro fenomeno brilhante na superfície solar são as flare. Elas são grandes explosões (da ordem de 10 erupções vulcânicas) que ocorrem nas manchas solares que duram alguns minutos até horas. Elas ocorrem em razão do acúmulo e um súbita liberação de energia magnética. Nessa explosão são liberadas radiações e partículas que golpeam a Terra e, alguns dias depois podemos presenciar mais auroras do que o usual. Outro fenomeno bastante estudado são as ondas na superfície do sol. A ciencia que estuda essas ondas é chamada de helioseismologia. É muit oparecida com a sismologia que estuda o interior da Terra monitoriando as onda provenientes de terremotos. A temperatura, composição e os movimentos internos do Sol influem no rendimento do Sol. E saíndo da Corona temos os ventos solares. Nome do Arquivo: carpetvi.mov (laços magnéticos) Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Fenômenos Solares

20 Nome do Arquivo: EIT99promclose G (comparação Terra-proeminência) Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: sunspot00G.gif (mancha solar) Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: eitbigpr.mov (proeminência) Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: 4panelqu.mov (ondas) Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: 2swind.mov (ventos solares) Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em:

21 Nome do Arquivo: eit5_promlG.gif (fáculas) Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: _flare.mov (flare) Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em:

22 ??? Caramba, o que falta descobrir??? Quais são as estruturas e qual a dinâmica do interior solar? Por que a corona existe, e como ela é aquecida? ( ºC) De onde vem e como o vento solar é acelerado? Quais os objetivos da Missão???

23 Comentário: O objetivo do SOHO é responder três perguntas fundamentais sobre o Sol: Quais são as estruturas e qual é a dinâmica do interior solar? Tudo o que foi falado até agora são apenas teorias e que precisão ser melhoradas através de observações do interior solar. Por que a corona existe, e como ela é aquecida? Esse por quê ainda é uma dúvida entre a comunidade científica, mas o que realmente intriga os cientístas é como a corona solar é aquecida, enquanto a superfície solar tem ºC a corona fica a ºC. De onde vem e como o vento solar é acelerado? Não sabemos bem ao certo da onde vem esse fenomeno que chega a inteferir na Terra, e se o campo magnéco da Terra não fosse tão forte, a vida não seria possível por causa da do vento. Essas três são as principais finalidades da Missão, mas ela faz outros trabalhos como veremos mais adiante nos resultado até agora conseguidos. Quais os objetivos da missão???

24 Parcerias NASA (National Aeronautics and Space Administration) ESA (European Space Agency) - Horizon 2000 Programm (Solar-Terrestial Science Programm) ESA (European Space Agency) - Horizon 2000 Programm (Solar-Terrestial Science Programm) Ao todo se envolveram: + de 250 cientistas 15 nações 39 institutos (europeus e americanos)

25 Comentário: O SOHO (Solar and Heliospheric Observatory) é um projeto internacional entre a NASA e a ESA. Ele faz parte do programa da ESA Horizon 2000 Programme também chamado de Solar-Terrestial Science Programme. O planejamento, construção e operação ficou por parte da ESA e a NASA ficou com a parte do lançamento e recepção dos dados. O projeto começou em 1984, e o trabalho de desenvolvimento foi feito em Ao todo trabalharam mais de 250 cientistas de 39 institutos europeus e americanos e 14 países europeus e EUA Parcerias

26 Design

27

28 Comentário: SOHO é uma nave espacial que controla os três eixos de modo que fique constantemente voltada para o sol. Seu design é baseado em um conceito modular com dois elementos principais: o módulo do payload, abrigando os 12 instrumentos (que serão explicados nessa apresentação ), e o módulo de serviço, fornecendo as funções fundamentais tais como propunsores, energia e comunicações. Dimensões: 4.3 × 2.7 × 3.7 metros (9.5 metros com as placas solares abertas). Massa: 1850 kilogramas no lançamentos. O payload foi montado em Portsmouth, Reino Unido, e acoplado com o módulo de serviço em Toulouse. Duração da Missão: inicialmente a missão era para acabar em 1998, mas em razão do sucesso que a missão teve foi prolongada até Nome do Arquivo: soho_photp_lg.jpg Disponível em: sohowww.nascom.nasa.gov/gallery/sc/soho_photo_lg.jpg Acesso em: Site: Design

29 Lançamento

30 Comentário: O satélite SOHO foi lançado no segundo dia de dezembro de 1995 no Cao Canaveral pelo lançador Atlas-IAS, A massa total da nave no lançamento era de 1610 Kg sendo que 240 Kg era de propelente suficiente para 6 anos de operação. Nome do Arquivo: 2launch.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Lançamento

31 Colocando em Orbita

32 O Local da Orbita Sol SOHO Terra

33 Na realidade o Movimento Orbital é mais complicado

34 Comentário: Três meses após o lançamento o SOHO chega ao que chamamos de ponto primeiro ponto Lagrangeano a 1,5 milhões de Km (0,01 UA), entre a Terra e o Sol. Neste ponto a nave sempre terá a visão do Sol. A orbita nesse ponto dura em torno de 178 dias. O que é um ponto Lagrangeano? Num sistema de interação entre três corpos, chamamos de ponto Lagrangeano o ponto em que o corpo em questão está fora da ação dos outros corpos. Todos os planetas tem cinco pontos Lagrangeanos, três na linha definida entre o o Sol e o planeta e outros dois na orbita do planeta 60º em cada direção. Nome do Arquivo: 2SOHOLG.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Orbita

35 Recepção de dados e operação

36 Comentário: A informação que vem do satélite SOHO é controlada no Goddard Space Flight Center perto de Washington DC. Os dados são recolhidos por um sistema de três antenas que captam informações do espaço profundo (Deep Spave Network DSN), uma fica em Goldstone na Califórnia, a segunda em Madrid na Espanha e a última em Canberrra na Austrália, juntas as antenas captam 24 hr por dia as informações mandadas pelas sondas. Praticamente toda a responsabilidade peka operação da nave fica a cargo da ESA O SOHO contem um sistema de controle o qual faz uma analise em toda nave a cada 48 hr. Um computador onboard, controla a posição da nave usando Nome do Arquivo: picture_70_bw_lg.jpg Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: tutor_getpic_process.jpg Disponível em: Acesso em: Operação e recepção de dados

37 Payload Heliosismologia GOLF e MDI (Espectrômetros de velocidade) VIRGO (Radiometro) Dividido em 3 partes Instrumentos Coronais CDS, EIT, LASCO, SUMER, UVCS (Detecção) Ventos Solares e Partículas CELIAS (Espectrômetro de massa) COSIAS e ERNE (Analizadores de Partículas) SWAN (detector de ions)

38 Comentário: Os instrumentos do SOHO pode ser dividido em três partes Heliosismologia: consiste em dois espectrômetros de velocidade(GOLF e MDI) e diversos radiometros (VIRGO). Eles fornecem dados da estrutura e dinâmica do interior solar, desde o as camadas mais profundas do núcleo até as mais externas da superfície. Ele medem a velocidade e intensidade das oscilações solares e investigam a não periodicidade da variação da constante solar (referente a radição solar) e determinam o seu valor Instrumentos Coronais: consiste em diversos instrumentos de detecção (CDS, EIT, LASCO, SUMER, UVCS) os quais são designados apara estudar a estrutura e dinâmica da atmosfera solar; e um instrumento (SWAN) que estuda a ionização do hidrogênio inter- estrelar pelos ventos solares Ventos Solares e Partículas: nesse temos um espectrômetro de massa (CELIAS) e dois analizadores de partícula (COSTEP, ERNE) os quais analizam o vent solar e a energia das partículas que estão perto da orbita da Terra. Instrumentos

39 GOLF (Global Oscillations at Low Frequencies)

40 Comentário: GOLF (Global Oscillations at Low Frequencies) estuda a estrutura interna do Sol medindo o espectro de baixas oscilações (entre e Hz) do disco solar, determinando a velocidade em função do período. Nome do Arquivo: Golf01.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: golf_instru.jpg Disponível em: Acesso em: GOLF

41 MDI (Michelson Doppler Imager)

42

43 Comentário: O MDI (Michelson Doppler Imager) investiga o interior solar medindo a manifestação de oscilações solares na fotosfera. Ele grava o movimento vertical da superfície do Sol em milhão pontos diferentes por minuto. As características das modalidades revelam as propriedades de estática e dinâmicas da zona de convecção e do núcleo. O conhecimento destas propriedades melhorará nossa compreensão do ciclo solar e da evolução estrelar. Outras observações da fotosfera contribuirão a nosso conhecimento do campo magnético solar. Nome do Arquivo: MDI024.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: MDI024.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: mdioppe.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: Mdisolqu.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: MDI

44 VIRGO (variability de oscilações solares de IRradiance e de gravidade)

45 Comentário: VIRGO (variability de oscilações solares de IRradiance e de gravidade) determina as características de oscilações acústicas e internas da gravidade observando irradiação e variações da radianção. Ele mede a irradiação total e faz um gráfico da quantidade pelo período. Com os dados do VIRGO obteremos: medidas de alta-precisão e alta-estabilidadecontínuas da irradiação total do espectro solar medidas contínuas dos diâmetros polares e equatorial solares; freqüências, amplitudes e fases de modalidades da oscilação na escala de freqüência de 1 hertz a 8 megahertz. Nome do Arquivo: virr_6_000_0405.png Disponível em: Acesso em: VIRGO

46 CDS (Coronal Diagnostic Spectrometer)

47

48 Comentário: O CDS (Coronal Diagnostic Spectrometer) serve para detectar linhas emissões dois elementos contidos na corona e na região de trasição. Os diagnosticos são usados para estudos da atmosfera solar. São estudados o plasma em temperaturas de 10,000 até acima de 1 milhão K, algumas caracteristicas tais como a estrutura na temperatura correspondente, densidade de eletrons, abundância de elementos, e a dinâmica da atmosfera. Nome do Arquivo: CDS.gif Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: 2cdseast.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: cds_eit_loopsystem.jpg Disponível em: Acesso em: CDS

49 EIT (Extreme ultraviolet Imaging Telescope) Estágios de uma Erupção (Fe X 195Å) Estágios de uma proeminência

50 Comentário: EIT (Extreme ultraviolet Imaging Telescope) foi projetado para estudar algumas características da corona (buracos, pontos mais brilhantes na corona, regiões ativas, filamentos, etc.) visiveis na corona baixa ( MK), e na região de transição com temperaturas por volta de 80 mil K. O EIT é habilitado a tirar imagensem quatro bandas diferentes de ultravioleta: Fe IX/X, 171 Å / Fe XII, 195 Å / Fe XV, 284 Å / He II, 304 Å O EIT foi projetado para ser usado conjuntamente com outros instrumentos do SOHO particularmente com os gráficos claros visíveis da corona de LASCO e gráficos do spectro da imagem latente de SUMER e de CDS Nome do Arquivo: eit022.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: EIT_instrument.gif Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: eit04plane.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: EIT

51 LASCO ( Large Angle Spectroscopic Coronagraph )

52

53 Comentário: LASCO (Large Angle Spectroscopic Coronagraph) observa a parte externa da atmosfera do Sol, até uma distância de 21 milhões de km, i.e.aproximadamente 14% da distância entre o Sol e a Terra. O máximo que da corona que o aparelho pode registrar é 1,4 raios solares. O Lasco estuda o transporte de massa, momento e energia da Corona e do vento solar. Com os seus dados podemos resolver algumas dúvidas como: Como a corona é aquecida? Onde e como o vento solar é acelerado? O que causa as erupções de massa da corona e qual é o seu papel no campo magnético? Nome do Arquivo: Lascoc21.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: LASCO_front.tiny.gif Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: las_xmax.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: las_ven.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: LASCO

54 SUMER (Solar Ultraviolet Measurements of Emitted Radiation)

55 Comentário: O objetivo do SUMER (Solar Ultraviolet Measurements of Emitted Radiation) é obter o espectro para a determinação das temperaturas, das densidades, e das velocidades em características atmosféricas solares. Investigando eventos em pequena escala ajudará a entendermos como o Sol aquece a sua corona. Nome do Arquivo: protu-sumer-CIII.jpeg Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: Lascoc21.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: SUMER

56 UVCS (Ultraviolet Coronagraph Spectrometer ) Hidrogênio Oxigênio Altamente Ionizado Oxigênio Altamente Ionizado

57 UVCS (Ultraviolet Coronagraph Spectrometer )

58 Comentário: A finalidade do UVCS (Ultraviolet Coronagraph Spectrometer) é fornecer uma descrição detalhada da corona exterior que pode ser usada se resolver várias das perguntas científicas a respeito da corona e da geração do vento solar. UVCS faz medidas da corona solar entre 1,3 e 12 raios solares do centro do Sol com definição espectral e espacial elevada. O instrumento cría um eclipse solar artificial na luz ultravioleta, obstruindo para fora da luz brilhante do disco solar e permitindo a observação (por diversas ordens de valor) da luz menos intensa da corona. A corona emite-se a maioria de sua intensidade ultravioleta nas faixas discretas da linha espctral produzidas pelos íons de diversos elementos atômicos diferentes. A força destas linhas e as variações de suas intensidades com o comprimento de onda contêm a informação valiosa sobre o comportamento microscópico e macroscópico do plasma coronal. Os objetivos científicos preliminares do instrumento de UVCS são: ·Para investigar os processos que aceleram o vento solar e achar suas fontes. ·Para investigar os processos que aquecem o plasma coronal exterior. Nome do Arquivo: uvcspair.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: UVCS

59 Nome do Arquivo: olth91f3.gif Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: Uvcs.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: S9.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: The first pictures of the extended corona in ultraviolet. The left one is of atomic hydrogen and the right one of highly charged oxygen. Material is shaped by the Sun's magnetic field and these 'helmet streamers' extend over 3 million km from the Sun's visible edge. The particles reach the velocity of 100 km/s.

60 SWAN (Solar Wind Anistropies)

61 Comentário: O SWAN (Solar Wind Anistropies) monitora a distribuição do vento solar na asuperfície, ele faz um tipo de mapa do vento solar. O principal objetivo científico é determinar o fluxo de distribuição do vento solar, mas ele também faz estudos da heliopausa, a corona solar, o geocorona e a monitoração ou a descoberta dos cometas. Nome do Arquivo: swan.htx.kuva.gif Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: Swanhale.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: SWAN

62 CTOF CELIAS(Charge,Element and Isotope Analysis System) MTOF

63 CELIAS(Charge,Element and Isotope Analysis System)

64 Comentário: CELIAS (Charge, Element and Isotope Analysis System) é um instrumento designado para estudar a composição do vento solar, a energia dos ions de origem solar, interplanetar, e interestrelar e a relação entre a composição e os eventos de cada região da atmosfera solar.. Os últimos trunfos do CELIAS são estudos da composição e dinâmica dos ions interplanetários e sua correlação com a emissão de ultravioleta do Sol. O CELIAS é composto de dois instrumentos: MTOF (Mass Time-of-Flight sensor) um sensor para a massa do vento solar CTOF é um detector de estado sólido para determinar a energia residual da partículas Nome do Arquivo: 2celiasb.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: Cel001.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: CELIAS

65 COSTEP(Comprehensive Suprathermal Energetic Particle Analyzer)

66 Comentário: O COSTEP (Comprehensive Suprathermal Energetic Particle Analyzer) serve para detectar altas temperaturas e a população de partículas energizadas de origem solar, interplanetária, e galática. Especificamente, as emissões de partículas do sol de diversas espécies (elétrons, protons, e núcleos mais pesados) são usadas provar, em colaboração com outras experiências de partículas do SOHO, material solar e interpretar os resultados na correlação com observações de suas regiões da fonte feitas exame com os telescópios óticos de SOHO. Nome do Arquivo: cos003.gif Disponível em: Acesso em: Nome do Arquivo: COSTEP.JPG Disponível em: Acesso em: COSTEP

67 ERNE(Energetic and Relativistic Nuclei and Electron)

68

69 Comentário: ERNE (Energetic and Relativistic Nuclei and Electron) investiga a atmosfera solar detectando partículas carregadas produzidas nos processos de liberação de energia. Os principais objetivos científicos são: · analizar o espectro de energia dos íons e dos elétrons altamente carregados ·abundância elemental e isotropica de H a Fe ·acceleração de partículas na atmosfera solar e nos choques interplanetários ·propagação de partículas na corona solar e no espaço interplanetário o fluxo dos protons que penetram o instrumento provenientes do decaimento de partículas. E a monitorar o Clima do espaço Que é Clima do espaço? Condições do sol e do vento solar, na magnetosfera, no ionosfera e termosfera solares que pode influenciar o desempenho e a confiabilidade de sistemas tecnológicos e que pode pôr em perigo vida ou saúde humana. Nome do Arquivo: 2erne.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: 2inoms.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: Nome do Arquivo: 2fmianim.mov Disponível em: SOHO: exploring the Sun (CD) Acesso em: ERNE

70

71 sohocd.zip (CD) /www/object/index.cfm?fobjectid=32991 (3D)


Carregar ppt "Abertura do Setor de Astronomia - CDCC. Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google