A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

IV Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Desempenho Ocupacional do Renal Crônico Milady Cutrim Vieira Serviço de Nefrologia - HUUFMA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "IV Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Desempenho Ocupacional do Renal Crônico Milady Cutrim Vieira Serviço de Nefrologia - HUUFMA."— Transcrição da apresentação:

1 IV Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Desempenho Ocupacional do Renal Crônico Milady Cutrim Vieira Serviço de Nefrologia - HUUFMA

2 impacto psicossocial GUIMARÃES (1998); CARNEIRO (2001); MACHADO & CAR (2003) Dependência; Perdas sociais; Perda da autonomia; Modificações nas relações cotidianas e nos papéis familiares; Alterações na vida afetiva; Ociosidade; Medo, Insegurança, Ansiedade, Depressão; Baixa auto-estima, Sensação de inutilidade.

3 impacto psicossocial Indivíduos com DRC terão graus variados de comprometimento em sua performance nas atividades de vida diária, atividades produtivas e de lazer.

4 Mais vida aos dias do que dias à vida... Saunders, C.

5 O COTIDIANO DE PESSOAS COM INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO Daily life of patients with chronic renal failure receiving hemodialysis treatment Karina Viviani Bezerra 1 Jair Lício Ferreira Santos 2 Qualidade de vida de pacientes portadores de insuficiência renal crônica em tratamento de hemodiálise Quality of life of patients with chronic renal insufficiency undergoing dyalisis treatment Karina Higa1, Michele Tavares Kost1, Dora Mian Soares2, Marcos César de Morais3, Bianca Regina Guarino Polins4 Qualidade de vida de idosos em procedimento de hemodiálise em dois centros de tratamento de São Luís - MA. Quality of life of older men in hemodialysis in two treatment centers of São Luís-MA. VIEIRA, Milady C.; MEDEIROS, Sandra M.; FRANÇA, Ana K.T.C.; CALLADO, Isabela; LAGES, Joyce S.; SALGADO FILHO, N.

6 ENFOQUE?

7 terapia ocupacional Auto-estima Motivação Socialização Comportamento ativo REESTRUTURAÇÃO DO COTIDIANO Melhorar as habilidades dos pacientes no desempenho das atividades de performance ocupacional. É possível influenciar:

8 anamneseanamnese História, gostos, desejos Resgate ou descobertas Potencialidades e capacidades remanescentes atividades significativas

9 abordagens ATENDIMENTO INDIVIDUAL

10 atendimento individual Orientações quanto à realização das AVDs; Auxílio na reconstrução da auto-imagem; Reestruturação psíquica; Auxílio no estabelecimento das formas de enfrentamento da doença.

11 abordagens ATENDIMENTO EM GRUPO ATIVIDADES DURANTE HD OFICINA TERAPÊUTICA

12 Palestras educativas Atividades lúdicas Atividades sócio-culturais Atividades expressivas Atividades cognitivas Atividades laborativas Dinâmica de grupo Momento da espiritualidade ATENDIMENTO EM GRUPO ATIVIDADES DURANTE HD

13 palestras educativas ATIVIDADES DURANTE HD ATENDIMENTO EM GRUPO

14 atividades lúdicas ATIVIDADES DURANTE HD ATENDIMENTO EM GRUPO

15 ATIVIDADES DURANTE HD atividades expressivas ATENDIMENTO EM GRUPO

16 ATIVIDADES DURANTE HD atividades sócio-culturais ATENDIMENTO EM GRUPO

17 ATIVIDADES DURANTE HD momento da espiritualidade ATENDIMENTO EM GRUPO

18 OFICINA TERAPÊUTICA ATENDIMENTO EM GRUPO

19 OFICINA TERAPÊUTICA 1ª ETAPA – Produção Artística 2ª ETAPA – Discussão em grupo -Valorização da fala; -Discussão da vida cotidiana; -Reinserção no contexto familiar e social; -Reconstrução da cidadania; -Resgate da autonomia e independência. ATENDIMENTO EM GRUPO

20 OFICINA TERAPÊUTICA ATENDIMENTO EM GRUPO

21 OFICINA TERAPÊUTICA ATENDIMENTO EM GRUPO

22 EXPOSIÇÃO ARTE DE REAPROVEITAR

23 A ocupação é concebida como um elo de retorno à vida, visando engajar as pessoas nas ações que as ajudem a construir ou reconstruir seu cotidiano e, dessa forma, suas próprias vidas... LEMOS, 2005

24 G.M.P., 27anos, solteira, 60ms em HD Antes era muito parado, né! A gente só ficava olhando um para a cara do outro ou ia dormir(...) a gente ficava pensando bobagem. É muito bom, (...) Chega em casa eu falo para minha irmã das mensagens, o que a gente sente.

25 M.S. (Mãe de P.S.B. 22 anos, solt, 60 ms em HD) É super válido. É mais um motivo para ela não se sentir triste, nesta melancolia, pelo contrário, ela fica mais alegre e isso contribui para o restabelecimento dela.

26

27

28 Obrigada !


Carregar ppt "IV Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Desempenho Ocupacional do Renal Crônico Milady Cutrim Vieira Serviço de Nefrologia - HUUFMA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google