A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

DETERGENTE. Um pouco da história... Diz-se que um sábio chamado Plínio(23-79 d.C), autor da célebre História Natural, já teria mencionado a preparação.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "DETERGENTE. Um pouco da história... Diz-se que um sábio chamado Plínio(23-79 d.C), autor da célebre História Natural, já teria mencionado a preparação."— Transcrição da apresentação:

1 DETERGENTE

2 Um pouco da história... Diz-se que um sábio chamado Plínio(23-79 d.C), autor da célebre História Natural, já teria mencionado a preparação do sabão por meio do cozimento do sebo de carneiro com cinzas de madeira. Trataría-se essa pasta com sal até o produto final. Diz-se que um sábio chamado Plínio(23-79 d.C), autor da célebre História Natural, já teria mencionado a preparação do sabão por meio do cozimento do sebo de carneiro com cinzas de madeira. Trataría-se essa pasta com sal até o produto final. Ele também comenta que os fenícios já conheciam essa técnica desde 600 a.C. Ele também comenta que os fenícios já conheciam essa técnica desde 600 a.C. O médico grego Galeno ( d. C), que fez carreira, fama e fortuna em Roma, também descreve uma técnica segundo a qual o sabão podia ser preparado com gorduras e cinzas, apontando sua utilidade como medicamento para a remoção de sujeira corporal e de tecidos mortos da pele. O alquimista árabe Geber (Jabir Ibn Hayyan), em escrito do século VIII da Era Cristã, também menciona o sabão como agente de limpeza. No século XIII começaram a ser instaladas fábricas de sabão na Europa. No Brasil a primeira fabrica só veio a ser instalada na segunda metade do seculo XIX. No século XIII começaram a ser instaladas fábricas de sabão na Europa. No Brasil a primeira fabrica só veio a ser instalada na segunda metade do seculo XIX.

3 Como o sabão funciona??? O sabão vem de uma reação entre uma gordura ou óleo com uma base forte (saponificação): O sabão vem de uma reação entre uma gordura ou óleo com uma base forte (saponificação): Perceba que além da formação do sabão, temos a formação de glicerina. Essa garante um caráter umectante. Perceba que além da formação do sabão, temos a formação de glicerina. Essa garante um caráter umectante.

4 Devido a essa reação, garantimos que a molécula resultante terá uma parte que irá interagir com a água (polar) e outra parte que ira interagir com a gordura (apolar). Devido a essa reação, garantimos que a molécula resultante terá uma parte que irá interagir com a água (polar) e outra parte que ira interagir com a gordura (apolar). Podemos dizer que a cadeia apolar de um sabão é hidrofóbica (aversão pela água) e que o grupo polar é hidrófilo (afinidade pela água).

5 Assim, a parte apolar da molécula de sabão irá se juntar a gordura. D : Assim, a parte apolar da molécula de sabão irá se juntar a gordura. Diminuem a tensão superficial da água :

6 Formam-se então micelas coloidais, que fazem com que a gordura se mantenha dispersa na água (substâncias emulsificantes): Formam-se então micelas coloidais, que fazem com que a gordura se mantenha dispersa na água (substâncias emulsificantes):

7 A estrutura formada impede a nova formação de aglomerados, pois existe uma repulsão entre elas (parte externa polar): A estrutura formada impede a nova formação de aglomerados, pois existe uma repulsão entre elas (parte externa polar):

8 Tensão Superficial Vamos agora entender um pouco sobre tensão superficial. Vocês já observaram insetos que caminham sobre a água? Como pode? Vamos agora entender um pouco sobre tensão superficial. Vocês já observaram insetos que caminham sobre a água? Como pode?

9 O que acontece é que as moléculas de água atraem umas as outras (pontes de hidrogênio), e no caso da superfície temos apenas atrações laterais e inferior. Isso faz com que a superficie se comporte como uma película elástica, que é a tensão superficial: O que acontece é que as moléculas de água atraem umas as outras (pontes de hidrogênio), e no caso da superfície temos apenas atrações laterais e inferior. Isso faz com que a superficie se comporte como uma película elástica, que é a tensão superficial:

10 O sabão também atua na diminuição da tensão superficial da água, fazendo com que ela penetre melhor nas irregularidades da superfície a ser limpa. Por isso eles são chamados tensoativos. O sabão também atua na diminuição da tensão superficial da água, fazendo com que ela penetre melhor nas irregularidades da superfície a ser limpa. Por isso eles são chamados tensoativos.

11 Problemas com o sabão: Se a água tem caracter ácido: Se a água tem caracter ácido: Se a água for dura, ou seja, contenha cátions metálicos, especialmente Ca +2 e Mg +2 : Se a água for dura, ou seja, contenha cátions metálicos, especialmente Ca +2 e Mg +2 : R COONa+ H + > RCOOH + Na + ácido graxo Essa reação libera o ácido graxo, que forma a gordura observada em tanques, pias e banheiras. 2R COONa + Ca 2+ (RCOO) 2 Ca (ppt) + 2Na + precipitado Os sais de cálcio e/ou magnésio dos ácidos graxos são insolúveis e formam crostas nos tanques, pias e banheiras.

12 Detergentes Os detergentes são produtos sintéticos, fabricados pela indústria petroquímica. Eles começaram a ser comercializados a partir da Segunda Guerra Mundial, quando houve escassez de matéria prima, óleos e gorduras, para a fabricação de sabão. Detergente aniônico devido à carga da parte orgânica ser negativa.

13 Detergente catiônico, pois a carga da parte orgânica é positiva.

14 Os detergentes têm desvantagens. As cadeias ramificadas não são degradadas por microorganismos, e portanto não são biodegradáveis. Esses detergentes causam a formação de espuma nos rios e dificultam a oxigenação da água. Posteriormente, passou-se a usar detergentes biodegradáveis formados por compostos orgânicos de cadeia linear, ou seja, sem ramificações o que possibilita que os microorganismos degradem essas substâncias.

15 Normalmente os detergentes vendidos no comércio possuem a seguinte composição o detergente propriamente dito. Fosfatos, como por exemplo, o trifosfato de sódio (Na 5 P 3 O 10 ), que agem como substância básica, neutralizando a eventual acidez da água e ainda ajudando na ação da limpeza, além de reagir com os cátions Ca 2+ e Mg 2+, que existem em possíveis águas duras. OUTRAS SUBSTÂNCIAS: bórax (Na 2 B 4 O H 2 O), para tirar odores. descorantes (como NaClO), para tirar manchas enzimas, para eliminar manchas de proteínas, como manteiga, ovos, etc. anticorrosivos das máquinas de lavar roupa (como Na 2 SiO 3 ). perfume corantes fluorescentes (ou também denominados de branqueadores ópticos), que em geral absorvem a luz ultravioleta, emitindo uma luz azulada que disfarça o amarelado das roupas, dando "o branco mais branco". Note que essa substância não elimina, mas apenas "camufla" a sujeira.

16 Experimento: Vamos preparar um detergente a partir da reação do ácido sulfônico com NaOH. Vamos preparar um detergente a partir da reação do ácido sulfônico com NaOH.

17 Material Necessário: 4,0 g de ácido sulfônico. 4,0 g de ácido sulfônico. 3,0 g de amida. 3,0 g de amida. X NaOH. X NaOH. Medidor de pH. Medidor de pH. 1 Erlenmeyer. 1 Erlenmeyer.

18 Procedimento: Colocar o ácido sulfônico no erlenmeyer e diluir em 5 ml de água. Colocar o ácido sulfônico no erlenmeyer e diluir em 5 ml de água. Adicionar mais 65 ml de água aos poucos. Esperar a espuma baixar. Adicionar mais 65 ml de água aos poucos. Esperar a espuma baixar. Adicionar a amida. Adicionar a amida. Adicionar NaOH até neutralizar a amostra (7,0 a 7,5 pH). Adicionar NaOH até neutralizar a amostra (7,0 a 7,5 pH). Diluir com mais 25 ml, adicionar corantes e essência. Diluir com mais 25 ml, adicionar corantes e essência.


Carregar ppt "DETERGENTE. Um pouco da história... Diz-se que um sábio chamado Plínio(23-79 d.C), autor da célebre História Natural, já teria mencionado a preparação."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google