A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SETOR AGRICOLA Técnica Cultural É a metodologia adotada para o cultivo da cana-de-açucar r. Exigência de uma temperatura média anual superior a 20 CºExigência.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SETOR AGRICOLA Técnica Cultural É a metodologia adotada para o cultivo da cana-de-açucar r. Exigência de uma temperatura média anual superior a 20 CºExigência."— Transcrição da apresentação:

1

2 SETOR AGRICOLA

3 Técnica Cultural É a metodologia adotada para o cultivo da cana-de-açucar r. Exigência de uma temperatura média anual superior a 20 CºExigência de uma temperatura média anual superior a 20 Cº Ciclo vegetativo necessita de dois períodos Ciclo vegetativo necessita de dois períodos * Quente e úmido * Quente e úmido * Frio e seco * Frio e seco Reflexos negativos na produçãoReflexos negativos na produção Margens de rendimentos industriais baixasMargens de rendimentos industriais baixas Especial atenção a escolha da terra Especial atenção a escolha da terra * Desenvolvimento nos terrenos arenosos * Desenvolvimento nos terrenos arenosos * Terrenos com excesso de umidade * Terrenos com excesso de umidade * Terrenos desigual * Terrenos desigual * Solo com PH (Potencial Hidrogênio Iônico). * Solo com PH (Potencial Hidrogênio Iônico).

4 Seleção da Área a ser Cultivada Área acidentada Área acidentada * Diminuir riscos de erosão * Diminuir riscos de erosão Áreas infestadas por cupins subterrâneos Áreas infestadas por cupins subterrâneos * Difícil controle * Difícil controle Solos férteis, profundos e não sujeitos a encharcamento Solos férteis, profundos e não sujeitos a encharcamento * Análise do solo * Análise do solo

5

6 ESCOLHA E VARIEDADES. Alto índice de produtividade,. Elevado teor de açúcar(sacarose),. Boa capacidade de rebrota,. Ausência de florescimento ou fechamento,. Fácil despalha ou ausência de joçal,. Resistência a pragas e doenças.

7 ÉPOCA DE PLANTIO. Quando plantada de janeiro a março permanecendo em repouso durante quatro meses e reiniciando seu desenvolvimento em setembro,com o seu sistema radicular já formado o processo e desenvolvimento vai até o começo do inverno seguinte, quando ocorre o amadurecimento.

8 . Na cana-de-ano, a planta tem apenas sete a oito meses para o desenvolvimento iniciando a seguir o processo de maturação isto faz que a produção de cana-de-ano-meio seja bem maior.

9

10 PREPARO DO SOLO

11 CORREÇÃO DO SOLO; CORREÇÃO DO SOLO; CALAGEM; CALAGEM; ADUBAÇÃO; ADUBAÇÃO;

12

13 Produção de Mudas de Cana-de-açúcar

14 Qual a importância das variedades da cana? Qual a importância das variedades da cana? Alguns tipos de Variedades: Alguns tipos de Variedades: RB (Açúcar e produtividade) RB (Açúcar e produtividade) RB (Rica e Produtiva) RB (Rica e Produtiva) RB (Soqueira e Fechamento) RB (Soqueira e Fechamento) RB (Produtividade) RB (Produtividade) RB (Produtividade, Soqueira) RB (Produtividade, Soqueira) SP (Alta Produtividade) SP (Alta Produtividade)

15 Para o plantio são utilizadas mudas produzidas em viveiros e estações experimentais, o que garante sua qualidade. Para o plantio são utilizadas mudas produzidas em viveiros e estações experimentais, o que garante sua qualidade. São utilizadas em media 10 toneladas por hectare de cana de açúcar, perfazendo um total de R$400,00 por hectare ou R$ 40,00 a tonelada. São utilizadas em media 10 toneladas por hectare de cana de açúcar, perfazendo um total de R$400,00 por hectare ou R$ 40,00 a tonelada.

16 As mudas devem ter de 10 a 12 meses de idade. As mudas devem ter de 10 a 12 meses de idade. O plantio deve ser em sulcos, com profundidade próxima a 30 cm, espaçamento médio de 0,90 m a 1,40 m. Sendo recomendado um espaçamento de 1,20 m entre os sulcos. Os colmos são cobertos por uma camada de 5 cm a 10 cm de solo. O plantio deve ser em sulcos, com profundidade próxima a 30 cm, espaçamento médio de 0,90 m a 1,40 m. Sendo recomendado um espaçamento de 1,20 m entre os sulcos. Os colmos são cobertos por uma camada de 5 cm a 10 cm de solo.

17 Formatos e dimensões do sulco para o plantio de cana-de-açúcar

18 Posicionamento dos colmos (mudas) no interior dos sulcos

19 Transporte ; Mão-de-obra; Cobrimento, aplicação de inseticida e retampa; Aplicação de herbicidas;

20 PRAGAS E DOENÇAS

21 As principais pragas são: CUPINS OS BESOUROS MIGDOLU

22 Principais doenças: Mosaico Carvão

23 CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS MATURAÇÃO QUÍMICOS

24

25

26 Os cortes mais altos ou profundos, prejudicam a rebrota que se dá a partir das gemas basais. A colheita se inicia em abril e prorroga ate novembro O corte pode ser manual (5 a 6 ton. Homem dia)

27 Mecanizado através de colheitadeiras rendimento de 15 a 20 ton/hora

28 Após o corte deverá ser transportada Após o corte as folhas devem ser colocadas no espaçamento entre um suco e outro, auxiliando co controle de plantas invasoras e na retenção da umidade. Preço por Toneladas é de R$ 38,00 a 40,00 RENDIMENTO AGRÍCOLA CLIMA, ESCOLHA DE VARIEDADES, ADUBAÇÃO, HERBICIDAS, SOLO CANA IRRIGADA COM PIVÔ:

29 Rendimento da cana durante o ciclo de produção : 1° corte 100 a 150 ton /há 2° corte 120 a 80 3° corte 100 a 60 4° corte 90 a 50 5° corte 85 a 45 PRODUÇÃO DE MUDAS Após o quarto ou quinto corte consecutivo, a lavoura canavieira precisa ser renovada queima ou a aração do solo

30

31 rotação de culturas mudas de qualidade com isso vai diminuir seus custos com adubação; a venda da muda e feita por tonelada ou por metros; E no corte manual surgem as doenças como escaldura e o raquitismo.Torna –se necessário efetuar a descontaminação do podão. a ferrugem da cana, mancha amarela e estria vermelha são de fácil identificação pois apresentam nas folhas.

32 Doença Agente causador Formas de transmissão Sintomas mais evidentes Controle mais eficaz Escaldura das folhas uiti*Raquitismo das sequeiras Mosaico Carvão da cana Estria vermelha Mancha ocular Ferrugem da cana Mancha amarela Podridão vermelha Podridão abacaxi Bactéria Bactéria Vírus Fungo Bactéria Fungo Fungo Fungo Fungo Mudas, corte Mudas, corte Mudas, pulgões Mudas, vento Mudas, ventos Vento Vento Vento Broca, chuva Inseto, solo Estrias brancas, brotação lateral, Entupimento dos vasos, brotação da soca, Mosaico nas folhas, Chicote, Estrias nas folhas, podridão da cana, Mancha com estrias, Queimas das folhas, Manchas ver. e amarelas nas fls, Podridão e riscas vermelhas transversais, Podridão com odor de abacaxi e esporos pretos Variedades resistentes, Variedades resistentes, Variedades resistentes, Variedades resistentes, V. R. e adubação, V. R. e adubação V. R.e manejo da colheita, V. R. e v. que não floresce Controle da broca, e V. R. Época de plantio, mudas novas, plantio raso

33

34 SETOR INDUSTRIAL

35 PROCESSO DO CALDO DE CANA Composição Química Composição Química Propriedades Gerais Propriedades Gerais Definições Definições

36 Fluxograma da moenda

37 Tratamento do Caldo Tratamento do Caldo Aquecimento Aquecimento Sulfitação Sulfitação Calagem Calagem Decantação Decantação Peneiramento Peneiramento Filtração Filtração

38 Fluxograma básico representativo do tratamento do caldo

39 Esquema representativo da evaporação Evaporação Evaporação

40 Esquema de cozimento, cristali - zação e centrifugação do açúcar Flotador Flotador Cozimento Cozimento

41 Esquema de centrifuga descontinuas Centrifugação Centrifugação

42 Esquema de centrífugas continuas

43 Esquema do secador de açúcar Secagem Secagem

44 PROCESSO DE ÁLCOOL Destilaria Destilaria Preparo do mosto Preparo do mosto Preparo do fermento Preparo do fermento Fermentação Fermentação Centrifugação do vinho Centrifugação do vinho Destilação Destilação Armazenamento do álcool Armazenamento do álcool

45 GERAÇÃO DE ENERGIA Co-Geração de Energia - Processamento do álcool Co-Geração de Energia - Processamento do álcool

46 SETOR ADMINISTRATIVO SETOR ADMINISTRATIVO

47 ESTRUTURA BÁSICA DO DEPARTAMENTO PESSOAL Basicamente o Departamento Pessoal, é constituído por três setores: Admissão; Admissão; Compensação e; Compensação e; Desligamento. Desligamento.

48 O setor de Admissão Tem por atribuição cuidar de todo o processo de integração do individuo na empresa, dentro dos critérios administrativos, jurídicos e efetuar o registro de cargo de acordo com as conformidades de legislação do trabalho.

49 O setor de Compensação Tem por atribuição cuidar de todo processo de controle de freqüência, pagamento de salários e benefícios.

50 O setor de Desligamento Cuida de todo processo de desligamento e quitação do contrato de trabalho, estendendo-se na representação da empresa junto aos órgãos oficiais (DRT, Sindicato, Justiça do Trabalho, etc.) e cuida também de toda rotina de fiscalização.

51 Recursos Humanos Cuidar de recrutamento, treinamento e demissão de pessoal; Cuidar de recrutamento, treinamento e demissão de pessoal; Elaborar plano de cargos e salários; Elaborar plano de cargos e salários; Controlar o registro de ponto dos funcionários; Controlar o registro de ponto dos funcionários; Elaborar a folha de pagamento; Elaborar a folha de pagamento; Supervisionar trabalhos da CIPA; Supervisionar trabalhos da CIPA; Supervisionar as áreas de Medicina; Supervisionar as áreas de Medicina; Segurança do Trabalho. Segurança do Trabalho.

52 Políticas de Recursos Humanos Referem-se às maneiras pelas quais a organização pretende lidar com seus membros e, por intermédio deles, atingir os objetivos organizacionais, permitindo condições para o alcance de objetivos individuais.

53 Políticas de Recursos Humanos As políticas de recursos humanos variam devido aos seguintes fatores: Antecedentes históricos da organização; Antecedentes históricos da organização; Cultura organizacional e racionalidade; Cultura organizacional e racionalidade; Contexto ambiental: fatores econômicos, políticos, sociais, culturais, tecnológicos, etc.; Contexto ambiental: fatores econômicos, políticos, sociais, culturais, tecnológicos, etc.; Localização geográfica; Localização geográfica; Relações com sindicatos; Relações com sindicatos; Políticas e restrições governamentais. Políticas e restrições governamentais.

54 conseqüências das políticas de recursos humanos Aprimoramento das técnicas de administração de recursos humanos; Aprimoramento das técnicas de administração de recursos humanos; Aplicação dos princípios de administração, do topo à base da organização, de boa qualidade; Aplicação dos princípios de administração, do topo à base da organização, de boa qualidade; Adequação de salários e benefícios sociais às necessidades do pessoal; Adequação de salários e benefícios sociais às necessidades do pessoal; Retenção de recursos humanos qualificados e motivados dentro da organização; Retenção de recursos humanos qualificados e motivados dentro da organização; Garantia de segurança do trabalhado em relação ao emprego e às oportunidades dentro da organização; Garantia de segurança do trabalhado em relação ao emprego e às oportunidades dentro da organização; Obtenção de efetiva participação dos empregados. Obtenção de efetiva participação dos empregados.

55 Políticas de Suprimento de Recursos Humanos: Questiona, onde recrutar, em que condições e como recrutar. Questiona, onde recrutar, em que condições e como recrutar. Que critérios de seleção de recursos humanos e padrões de qualidade para admissão, quanto às aptidões físicas e intelectuais, experiência e potencial de desenvolvimento; Que critérios de seleção de recursos humanos e padrões de qualidade para admissão, quanto às aptidões físicas e intelectuais, experiência e potencial de desenvolvimento; Como integrar os novos participantes ao ambiente interno da organização, com rapidez e eficácia. Como integrar os novos participantes ao ambiente interno da organização, com rapidez e eficácia.

56 Políticas de Aplicação de Recursos Humanos: Como determinar os requisitos básicos da força de trabalho; Como determinar os requisitos básicos da força de trabalho; Critérios de planejamento, alocação e movimentação interna de recursos humanos, considerando-se posicionamento inicial e o plano de carreiras; Critérios de planejamento, alocação e movimentação interna de recursos humanos, considerando-se posicionamento inicial e o plano de carreiras; Critérios de avaliação da qualidade e da adequação dos recursos humanos através da avaliação do desempenho. Critérios de avaliação da qualidade e da adequação dos recursos humanos através da avaliação do desempenho.

57 Políticas de Manutenção de Recursos Humanos Remuneração direta dos participante e avaliação do cargo e os salários ; Remuneração direta dos participante e avaliação do cargo e os salários ; Remuneração indireta dos participantes, tendo-se em vista os programas de benefícios sociais mais adequados frente às práticas do mercado de trabalho; Remuneração indireta dos participantes, tendo-se em vista os programas de benefícios sociais mais adequados frente às práticas do mercado de trabalho; Força de trabalho motivadora, de moral elevado, participativa e produtiva dentro de um clima organizacional adequado; Força de trabalho motivadora, de moral elevado, participativa e produtiva dentro de um clima organizacional adequado;

58 Políticas de Manutenção de Recursos Humanos Critérios relativos às condições físicas ambientais de higiene e segurança que envolvem o desempenho das tarefas e atribuições do universo de cargos da organização; Critérios relativos às condições físicas ambientais de higiene e segurança que envolvem o desempenho das tarefas e atribuições do universo de cargos da organização; Relacionamento de bom nível com sindicatos e representações do pessoal. Relacionamento de bom nível com sindicatos e representações do pessoal.

59 Políticas de Desenvolvimento de Recursos Humanos Um melhor diagnóstico e programação de preparação e reciclagem constantes da força – tarefa de trabalho e atribuições; Um melhor diagnóstico e programação de preparação e reciclagem constantes da força – tarefa de trabalho e atribuições; Busca de novos êxitos nos desenvolvimentos de curto a longo prazo enfatizando um melhor potencial humano voltada à organização; Busca de novos êxitos nos desenvolvimentos de curto a longo prazo enfatizando um melhor potencial humano voltada à organização; Criação de condições capazes de garantir, saúde e excelência organizacional, em prol do comportamento dos participantes. Criação de condições capazes de garantir, saúde e excelência organizacional, em prol do comportamento dos participantes.

60 Políticas de Controle de Recursos Humanos; Manutenção de um banco de dados capaz de captar dados e transformá-los em informações necessárias a organização; Manutenção de um banco de dados capaz de captar dados e transformá-los em informações necessárias a organização; Auditoria permanente na aplicação e adequação das políticas e dos procedimentos relacionados com os recursos humanos Auditoria permanente na aplicação e adequação das políticas e dos procedimentos relacionados com os recursos humanos

61 Políticas de Segurança no Trabalho

62 Risco de acidente decorrente do transporte de trabalhadores rurais. O transporte de trabalhadores urbanos e rurais deverá ser realizado por ônibus, atendidas as normas de segurança estabelecidas em Lei; O transporte de trabalhadores urbanos e rurais deverá ser realizado por ônibus, atendidas as normas de segurança estabelecidas em Lei; Os condutores serão devidamente habilitados para o exercício da função, podendo, regularmente ser reciclados através de cursos de aperfeiçoamento profissional Os condutores serão devidamente habilitados para o exercício da função, podendo, regularmente ser reciclados através de cursos de aperfeiçoamento profissional

63 FINANCEIRO O departamento financeiro além de pagar e receber contas, executa também atividades de planejamento holístico da organização, para visualizar a empresa nas próximas semanas, meses ou semestre, etc., através de seus fluxos de caixa coletando dados e repassando já em informações formais a diretoria para uma tomada de decisão. O financeiro da condições a organização de planejar suas compras, estoques, capacidade de investimento, controle diários ou mensais do inadimplemento de seus clientes, e agendar seus compromissos com fornecedores, de acordo com os demonstrativos financeiros.

64 FINANCEIRO O departamento financeiro executa as seguintes atividades: controle do que tem disponível; controle do que tem disponível; controle de contas a receber; controle de contas a receber; contas a pagar; contas a pagar; fluxo de caixa; fluxo de caixa; demonstrativo do fluxo financeiro mensal e anual; demonstrativo do fluxo financeiro mensal e anual; conciliação bancaria e de caixas; conciliação bancaria e de caixas; executa o controle gerencial da empresa. executa o controle gerencial da empresa.

65 Funções do Financeiro Recebe e arquiva notas fiscais; Recebe e arquiva notas fiscais; Recebe e arquiva boletos de cobrança de clientes e fornecedores; Recebe e arquiva boletos de cobrança de clientes e fornecedores; Emissão de Cheque de pagamento; Emissão de Cheque de pagamento; Faturamento; Faturamento; Registro contas a pagar, receber; Registro contas a pagar, receber; Quitação de pagamentos de clientes e fornecedores; Quitação de pagamentos de clientes e fornecedores; Emissão de cobrança; Emissão de cobrança; Envio cobrança para banco. Envio cobrança para banco.

66 CONTABILIDADE Executa um amplo trabalho que vai além da contabilidade tradicional voltado a uma acessória de alta qualidade: Acompanhamento e análise da situação patrimonial da empresa, através de gráficos e outras ferramentas gerenciais, visando buscar melhores resultados; Acompanhamento e análise da situação patrimonial da empresa, através de gráficos e outras ferramentas gerenciais, visando buscar melhores resultados; Apresentação de Balanços e Balancetes para bancos, concorrências, publicação e conferência fiscal; Apresentação de Balanços e Balancetes para bancos, concorrências, publicação e conferência fiscal; Orientação tributária, visando reduzir a carga tributária. Orientação tributária, visando reduzir a carga tributária.

67 Contabilidade Geral Conferência e aprovação dos lançamentos contábeis; Conferência e aprovação dos lançamentos contábeis; Geração e manutenção dos arquivos IN relacionados a contabilidade e contas a pagar; Geração e manutenção dos arquivos IN relacionados a contabilidade e contas a pagar; Aprovação / verificação das reconciliações bancárias; Aprovação / verificação das reconciliações bancárias; Manutenção do arquivamento de documentos; Manutenção do arquivamento de documentos; Fechamento e conciliação dos diários auxiliares (Contas a pagar); Fechamento e conciliação dos diários auxiliares (Contas a pagar); Arquivo dos documentos. Arquivo dos documentos.

68 Estoques Análise, acompanhamento e estimativa dos custos de produção; Análise, acompanhamento e estimativa dos custos de produção; Fechamento custo unitário de produção; Fechamento custo unitário de produção; REALOR (custo de produção); REALOR (custo de produção); Lançamento e fechamento do custo das vendas; Lançamento e fechamento do custo das vendas; Acompanhamento das exportações; Acompanhamento das exportações; Inventário físico do estoque; Inventário físico do estoque; Geração e manutenção dos arquivos IN relacionados aos estoques; Geração e manutenção dos arquivos IN relacionados aos estoques;

69 Estoques Provisão para estoques obsoletos; Provisão para estoques obsoletos; Cálculo de custo das Importações – Estoques; Cálculo de custo das Importações – Estoques; Conciliação contábil dos estoques; Conciliação contábil dos estoques; Valorização e envio das planilhas de requisição de ajustes e descartes de estoque; Valorização e envio das planilhas de requisição de ajustes e descartes de estoque; Acompanhamento, análise e conferência das qualidades integradas ao estoque. Acompanhamento, análise e conferência das qualidades integradas ao estoque.

70 Despesas Acompanhamento e análise da contabilização das despesas operacionais e de pesquisa; Acompanhamento e análise da contabilização das despesas operacionais e de pesquisa; Orientação para a contabilização de despesas; Orientação para a contabilização de despesas; Geração e manutenção dos arquivos IN relacionados a Clientes; Geração e manutenção dos arquivos IN relacionados a Clientes; Contabilização e fechamento do faturamento mensal, clientes, vale pedágio e fretes; Contabilização e fechamento do faturamento mensal, clientes, vale pedágio e fretes; Análises das provisões de fretes; Análises das provisões de fretes; Demais atividades relacionadas a despesas operacionais e pesquisa. Demais atividades relacionadas a despesas operacionais e pesquisa.

71 Patrimônio Fechamento e análises dos lançamentos relacionados ao Ativo Permanente; Fechamento e análises dos lançamentos relacionados ao Ativo Permanente; Análises e projeção da depreciação e amortização; Análises e projeção da depreciação e amortização; Fechamento do Imobilizado em andamento; Fechamento do Imobilizado em andamento; Cálculo do custo das Importações – Imobilizado; Cálculo do custo das Importações – Imobilizado; Manutenção e acompanhamento das obras em andamento; Manutenção e acompanhamento das obras em andamento; Realização de inventários físicos do Ativo Permanente. Realização de inventários físicos do Ativo Permanente.

72 FISCAL Federal (RF e INSS); Federal (RF e INSS); Estadual / Municipal; Estadual / Municipal; Arquivos IN Arquivos IN

73 Comercialização A venda de produto pode ser definida como a comercialização de bens de consumo e serviços diretamente aos consumidores.

74 A comercialização da Cana- de-Açúcar O Brasil é o maior produtor da cana de açúcar, 55% da cana brasileira viram álcool e 45% açúcar. O Brasil é o maior produtor da cana de açúcar, 55% da cana brasileira viram álcool e 45% açúcar. O processo de produção de cana, açúcar e álcool no Brasil têm diferença importante em relação ao de outros países. O processo de produção de cana, açúcar e álcool no Brasil têm diferença importante em relação ao de outros países. A cana-de-açúcar gera açúcar, álcool anidro e álcool hidratado para o mercado interno e externo, com dinâmica de preços e demanda diferente. A cana-de-açúcar gera açúcar, álcool anidro e álcool hidratado para o mercado interno e externo, com dinâmica de preços e demanda diferente.

75 Um grande trunfo do Brasil é a enorme capacidade competitiva. Um grande trunfo do Brasil é a enorme capacidade competitiva. As principais ações institucionais visam reduzir os riscos e incertezas aos produtores de cana, açúcar e álcool. As principais ações institucionais visam reduzir os riscos e incertezas aos produtores de cana, açúcar e álcool. O papel do governo nos fóruns internacionais de comércio de açúcar deveria ser mais forte e efetivo, contribuindo para aumento do poder do SAG. O papel do governo nos fóruns internacionais de comércio de açúcar deveria ser mais forte e efetivo, contribuindo para aumento do poder do SAG.

76

77 Marketing Internacional O SAG precisa se organizar para formar uma associação forte que venha defender os interesses setoriais, e não só a cana mas também de todos os seus derivados, buscando assim expandir o mercado de cana, buscando novos parceiros, e o marketing tem grande influencia na valorização das ações, e é graças a ele que a cana esta tomando conta de muitas regiões do Brasil, a cada dia esta se expandindo, com isso o retorno e garantido. O SAG precisa se organizar para formar uma associação forte que venha defender os interesses setoriais, e não só a cana mas também de todos os seus derivados, buscando assim expandir o mercado de cana, buscando novos parceiros, e o marketing tem grande influencia na valorização das ações, e é graças a ele que a cana esta tomando conta de muitas regiões do Brasil, a cada dia esta se expandindo, com isso o retorno e garantido.

78 Mesmo com o grande crescimento do consumo de açúcar no mundo, a maior parte fica no mercado interno e cerca de 25% e exportado. Mesmo com o grande crescimento do consumo de açúcar no mundo, a maior parte fica no mercado interno e cerca de 25% e exportado. Hoje com a tecnologia da comunicação o marketing vem aumentando a sua importância por que ficou mais fácil de se divulgar qualquer produto para qualquer lugar no mundo. Hoje com a tecnologia da comunicação o marketing vem aumentando a sua importância por que ficou mais fácil de se divulgar qualquer produto para qualquer lugar no mundo.

79 Profissionalização O mercado a cada dia mais vem buscando profissionais altamente qualificados para desempenhar suas funções com êxito, e assim diminuindo não só na área de produção mas sim em todos os setores os gastos excessivos que acontecem com os desperdícios, perda de tempo e outros fatores que comprovem os lucros das empresas. Por isso algumas empresas investem pesado na profissionalização de seus funcionários, para que não possa comprometer o que toda empresa visa, os lucros. O mercado a cada dia mais vem buscando profissionais altamente qualificados para desempenhar suas funções com êxito, e assim diminuindo não só na área de produção mas sim em todos os setores os gastos excessivos que acontecem com os desperdícios, perda de tempo e outros fatores que comprovem os lucros das empresas. Por isso algumas empresas investem pesado na profissionalização de seus funcionários, para que não possa comprometer o que toda empresa visa, os lucros.

80 Por isso todos nos devemos estar todos os dias se atualizando para que não possamos sair do mercado, que sabemos que a cada dia esta tão competitivo, e se não quisermos ficar de fora. Porque conhecimento é uma coisa que ninguém ira nos tirar. Por isso todos nos devemos estar todos os dias se atualizando para que não possamos sair do mercado, que sabemos que a cada dia esta tão competitivo, e se não quisermos ficar de fora. Porque conhecimento é uma coisa que ninguém ira nos tirar.

81

82 A comercialização do Açúcar Os produtos derivados da moagem de cana-de-açúcar, vem conquistando novos mercados. Principalmente o açúcar. As cotações do açúcar cristal ficaram em torno dos US$ 13,00/ saca de 50Kg e de R$ 31,00/ saca de 50 Kg, Os produtos derivados da moagem de cana-de-açúcar, vem conquistando novos mercados. Principalmente o açúcar. As cotações do açúcar cristal ficaram em torno dos US$ 13,00/ saca de 50Kg e de R$ 31,00/ saca de 50 Kg, Em se tratando de uma commodity agrícola, tem o preço reajustado pelo mercado na lei da oferta e procura, o setor deve se mobilizar para que o mercado interno tenha garantia de abastecimento e sem grandes oscilações de preços. Em se tratando de uma commodity agrícola, tem o preço reajustado pelo mercado na lei da oferta e procura, o setor deve se mobilizar para que o mercado interno tenha garantia de abastecimento e sem grandes oscilações de preços.

83 A comercialização do Álcool O álcool é produto estratégico para o Brasil, por ser um combustível renovável, vem crescendo a demanda nas exportações do etanol, com isso o Brasil passa a ser o maior fornecedor deste combustível verde. O álcool é produto estratégico para o Brasil, por ser um combustível renovável, vem crescendo a demanda nas exportações do etanol, com isso o Brasil passa a ser o maior fornecedor deste combustível verde. O setor e o governo deve se organizar para manter o atendimento dos mercados interno e externo. O setor e o governo deve se organizar para manter o atendimento dos mercados interno e externo. Cresce a demanda externa por álcool voltado para as industrias farmacêutica, cosmética, de bebida e de alimento, conhecido como álcool neutro. Cresce a demanda externa por álcool voltado para as industrias farmacêutica, cosmética, de bebida e de alimento, conhecido como álcool neutro.

84 Os principais Importadores Referindo-se na ampliação e criação de novos mercados. Não há nenhum produto tão protegido quanto o açúcar, tanto no que diz respeito ao número de países como às diversas formas de proteção. Referindo-se na ampliação e criação de novos mercados. Não há nenhum produto tão protegido quanto o açúcar, tanto no que diz respeito ao número de países como às diversas formas de proteção. Os principais mercados consumidores são os EUA, a União Européia e o Japão encontra-se livremente o produto. Nos EUA os preços internos chegam a ser três vezes superiores aos praticados no mercado internacional. Os principais mercados consumidores são os EUA, a União Européia e o Japão encontra-se livremente o produto. Nos EUA os preços internos chegam a ser três vezes superiores aos praticados no mercado internacional.

85 É fundamental o esforço para ampliar esses mercados. O país é competitivo e tem amplas condições de globalizar, em vez de ser globalizado, como ocorre normalmente em outras áreas. Mas não podemos nos iludir: a ampliação desses mercados não será obtida no curto prazo. É fundamental o esforço para ampliar esses mercados. O país é competitivo e tem amplas condições de globalizar, em vez de ser globalizado, como ocorre normalmente em outras áreas. Mas não podemos nos iludir: a ampliação desses mercados não será obtida no curto prazo.

86

87 Isso nos obriga a concentrar os esforços a curto prazo na ampliação do mercado de álcool (etanol), quer seja combustível para mover veículos ou como aditivo para oxigenação da gasolina. Hoje além do Brasil e dos Estados Unidos que são os maiores produtores mundiais, uma série de iniciativas que animam muito a imaginar que num curto espaço de tempo o etanol possa ser transformado numa commodity internacional. Isso nos obriga a concentrar os esforços a curto prazo na ampliação do mercado de álcool (etanol), quer seja combustível para mover veículos ou como aditivo para oxigenação da gasolina. Hoje além do Brasil e dos Estados Unidos que são os maiores produtores mundiais, uma série de iniciativas que animam muito a imaginar que num curto espaço de tempo o etanol possa ser transformado numa commodity internacional.

88 O principal movimento em direção ao álcool Ocorre nos Estados Unidos, onde está havendo um grande esforço de abertura do mercado para o etanol, elevando-o de um patamar atual de 7 bilhões de litros para, no mínimo, 14 bilhões nos próximos cinco anos. Ocorre nos Estados Unidos, onde está havendo um grande esforço de abertura do mercado para o etanol, elevando-o de um patamar atual de 7 bilhões de litros para, no mínimo, 14 bilhões nos próximos cinco anos.

89 O crescimento do álcool O crescimento do álcool foi devido a uma forte demanda doméstica, causada pelo aumento nas vendas dos veículos bi-combustível no país e como conseqüência do grande diferencial de preços entre álcool e gasolina. Inúmeros países estão aderindo à mistura do etanol a gasolina com índices que chegam até 10%. No Brasil esse percentual é hoje de 25%, números que outros países como a Índia já cogitam á possibilidade de igual.

90 A exportação As exportações de álcool atingiram 1,4 milhões de litros na região centro-sul, com embarques previstos no período de Janeiro a Abril de 2005 de 0,25 bilhões de litros. As exportações de álcool atingiram 1,4 milhões de litros na região centro-sul, com embarques previstos no período de Janeiro a Abril de 2005 de 0,25 bilhões de litros. Países como Estados Unidos, Japão, Holanda, El Salvador e Coréia do Sul registram nos dois primeiros meses de 2006, aumento nas importações de álcool brasileiro em relação ao mesmo período de Países como Estados Unidos, Japão, Holanda, El Salvador e Coréia do Sul registram nos dois primeiros meses de 2006, aumento nas importações de álcool brasileiro em relação ao mesmo período de Outro país que aparece na lista de importador de álcool brasileiro em 2006 é o Canadá. Este álcool, possivelmente é para uso carburante devido à meta canadense de que 10% de etanol sejam adicionados em 35% da gasolina do país até Outro país que aparece na lista de importador de álcool brasileiro em 2006 é o Canadá. Este álcool, possivelmente é para uso carburante devido à meta canadense de que 10% de etanol sejam adicionados em 35% da gasolina do país até 2010.

91

92 Embora o etanol seja vendido principalmente no Brasil, a COSAN acredita no potencial desse combustível para o mercado internacional, bem como na utilização cada vez maior de veículos Bi-combustível. Embora o etanol seja vendido principalmente no Brasil, a COSAN acredita no potencial desse combustível para o mercado internacional, bem como na utilização cada vez maior de veículos Bi-combustível. Segundo dados da ÚNICA e do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento(MAPA), enquanto a produção de álcool cresceu 4% entre as safras 2003/2004 e 2004/2005, a de açúcar aumentou 6%, ou seja, foi a famosa lei da oferta e demanda. Segundo dados da ÚNICA e do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento(MAPA), enquanto a produção de álcool cresceu 4% entre as safras 2003/2004 e 2004/2005, a de açúcar aumentou 6%, ou seja, foi a famosa lei da oferta e demanda.

93 No Médio prazo o Governo deve estimular no pais a formação de estoques reguladores que atenuem a volatilidade dos preços na entressafra No Médio prazo o Governo deve estimular no pais a formação de estoques reguladores que atenuem a volatilidade dos preços na entressafra No longo prazo, o governo deve criar mecanismos para inserir o álcool na Bolsa de Mercadorias & Futuro, estimulando o surgimento de contratos futuros, que se transformem no principal instrumento de comercialização do álcool, garantindo rentabilidade ao produtor e assegurando o abastecimento. No longo prazo, o governo deve criar mecanismos para inserir o álcool na Bolsa de Mercadorias & Futuro, estimulando o surgimento de contratos futuros, que se transformem no principal instrumento de comercialização do álcool, garantindo rentabilidade ao produtor e assegurando o abastecimento.

94

95 Cana Álcool – Açúcar Álcool – Açúcar Goiás - Brasil

96 O Brasil só exportará volumes expressivos de etanol para os Estados Unidos se o governo e a iniciativa privada estabelecerem programas específicos para produzir volume desejado pelos americanos; Até que isso ocorra, o Brasil só exportará o excedente;

97 O plantio de cana terá um aumento de 47,06% em Goiás; são números recordes. Este aumento fará com que o estado alcance nos próximos anos a 3ª colocação;

98 O governo do Estado, anunciou a redução da carga tributária do álcool hidratado de 26% para 15% a partir de maio, com esta medida o país deverá ter um dos menores preços do produto.

99

100 Impacto Ambiental

101 Etapa de implantação projeto ambiental – setor industrial Hipótese de Impacto Hipótese de Impacto Alteração da paisagem local Alteração da paisagem local Intervenção em Áreas de Preservação Permanente (APP) Intervenção em Áreas de Preservação Permanente (APP)

102 Etapa de implantação projeto ambiental – setor agrícola Hipótese de impacto: Hipótese de impacto: erosão, compactação e assoreamento dos corpos dágua erosão, compactação e assoreamento dos corpos dágua Suscetibilidade natural dos solos na área de influência do empreendimento Suscetibilidade natural dos solos na área de influência do empreendimento poluição dos solos e recursos hídricos por aplicação de defensivos agrícolas, fertilizantes químicos e corretivos poluição dos solos e recursos hídricos por aplicação de defensivos agrícolas, fertilizantes químicos e corretivos

103 Contaminação do solo pela má disposição dos resíduos decorrentes da operação industrial Contaminação do solo pela má disposição dos resíduos decorrentes da operação industrial Bagaço de cana Bagaço de cana Cinzas da caldeira e fuligem do retentor, tipo via úmida Cinzas da caldeira e fuligem do retentor, tipo via úmida Lixo comum Lixo comum Lixo do laboratório Lixo do laboratório Lixo do ambulatório médico Lixo do ambulatório médico Sucatas ferrosas e não ferrosas Sucatas ferrosas e não ferrosas Pneus e borrachas Pneus e borrachas Lodo de fossa séptica digerido Lodo de fossa séptica digerido Terra da lavagem de cana Terra da lavagem de cana Óleos lubrificantes usados Óleos lubrificantes usados Embalagens de produtos químicos Embalagens de produtos químicos

104 IMPACTO AMBIENTAL POSITIVO

105

106

107

108 Impacto Social

109


Carregar ppt "SETOR AGRICOLA Técnica Cultural É a metodologia adotada para o cultivo da cana-de-açucar r. Exigência de uma temperatura média anual superior a 20 CºExigência."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google