A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

INTRODUÇÃO AO RECONHECIMENTO DO CÉU. SUMÁRIO OBSERVAÇÃO DO CÉU: Localização Movimentos no céu As diferenças das estrelas As constelações Constelações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "INTRODUÇÃO AO RECONHECIMENTO DO CÉU. SUMÁRIO OBSERVAÇÃO DO CÉU: Localização Movimentos no céu As diferenças das estrelas As constelações Constelações."— Transcrição da apresentação:

1 INTRODUÇÃO AO RECONHECIMENTO DO CÉU

2 SUMÁRIO OBSERVAÇÃO DO CÉU: Localização Movimentos no céu As diferenças das estrelas As constelações Constelações da época Condições para observações astronômicas

3 SISTEMAS DE MEDIDAS: O tempo universal Magnitude aparente Tamanho aparente Esfera celeste Posicionamento do astro Medindo os astros Medindo distâncias aparentes Usando a carta celeste para o reconhecimento do céu SUMÁRIO

4 Pontos cardeais Horizonte Latitude e longitude do local de observação movimento aparente da esfera celeste

5 Note as diferenças das estrelas: basicamente em brilho e cor! Brilho: magnitude Cor: temperatura da superfície da estrela

6 Constelações: Todo o céu que enxergamos de todos os lugares do nosso planeta foi dividido em 88 partes ou regiões, como se cada área destas estivesse costurada umas às outras, ou emendadas. Cada constelação possui o seu nome próprio e ocupa uma determinada área no céu. Por exemplo, Órion.

7 Como as estrelas estão classificadas dentro de suas próprias constelações? Conforme o seu brilho, ou magnitude. A estrela mais brilhante de uma constelação leva a primeira letra do alfabeto grego, α. A segunda estrela mais brilhante, é a β, e assim por diante. Outras levam um nome próprio além da designação usual.

8 Cada estação terá o seu próprio cenário celeste. As estrelas que vemos às 23:00 no verão, por exemplo, não são as mesmas que vemos no inverno, no mesmo horário. As estrelas nascem quatro minutos mais cedo a cada noite que passa. Cada estação possui sua constelação de referência.

9 Condições para observações astronômicas Condições atmosféricas, iluminação externa, local da observação e conforto. Nuvens Turbulência atmosférica Umidade Partículas em suspensão Poluição luminosa Onde observar? Como observar?

10 O tempo universal Horário padrão que serve para todos: o tempo universal (o tempo universal é na verdade o horário local do meridiano de Greenwich). Fenômenos são informados em TU (Tempo Universal), e cada país se encarregará de transformar o horário em TU para seu próprio horário local, ou TL (Tempo Local). Temos que subtrair 3 horas do TU. Exemplo: um eclipse lunar ocorrerá às 23:30 TU. Qual será o horário deste eclipse para nós? Ocorrerá às 20:30 TL (pois 23:30 menos 3h é igual a 20:30). Lembre-se: no horário de verão: subtrair apenas 2h.

11 Magnitude aparente Indica o quanto um determinado astro está brilhando para nossos sentidos visuais. O valor da magnitude é inversamente proporcional ao brilho. Quanto maior o valor da magnitude, menor é o brilho do astro, e vice-versa. Assim, uma estrela de magnitude 2, por exemplo, é mais brilhante do que uma estrela de magnitude 3. Referência: estrela Vega (de Lira) de magnitude aproximadamente zero. Mais brilhantes: magnitudes negativas Menos brilhantes: magnitudes positivas Em excelentes condições do céu: nosso olho nu consegue distinguir objetos celestes de até no máximo magnitude +6.

12 Tamanho aparente e Esfera Celeste O Sol é maior que a Lua? Depende!

13 Constelações zodiacais (13 signos???) ( zodiakos = circulo dos animais) Eclíptica

14 Posicionamento do astro Azimute Altura COORDENADAS ALTAZIMUTAIS

15 COORDENADAS EQUATORIAIS Ascensão Reta (h, min, s) Declinação ( º ´ ´´ )

16 O tubo do telescópio pode possuir uma montagem equatorial ou uma montagem altazimutal, ou ainda, se for um telescópio eletrônico, poderá conjugar os dois sistemas.

17 Medindo os astros Qual é o tamanho aparente da Lua? Cerca de meio grau, ou 0.5°, ou 30 (trinta minutos de arco) de diâmetro.

18 Medindo distâncias aparentes As distâncias na esfera celeste são chamadas de : distâncias angulares. A distância angular entre o horizonte e o zênite é de 90°. Calcule quantas luas equivalem a esta distância. Precisaríamos de 180 luas para preencher esta distância de 90º !

19 Tenha sempre esse instrumento de medida em mãos! 10º equivale a 20 luas (ou sóis) enfileiradas no céu!

20 Para sermos capazes de identificar as constelações no céu estrelado, podemos utilizar um mapa celeste, conhecido como carta celeste ou planisfério. Posicionamento; Localização; Direção; Horário;

21

22 FIM Obrigado!


Carregar ppt "INTRODUÇÃO AO RECONHECIMENTO DO CÉU. SUMÁRIO OBSERVAÇÃO DO CÉU: Localização Movimentos no céu As diferenças das estrelas As constelações Constelações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google