A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

UNESC CURSO DE NUTRIÇÃO FASE: 1ª. SEMINÁRIO DE BIOLOGIA SISTEMA REPRODUTOR FEMININO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "UNESC CURSO DE NUTRIÇÃO FASE: 1ª. SEMINÁRIO DE BIOLOGIA SISTEMA REPRODUTOR FEMININO."— Transcrição da apresentação:

1 UNESC CURSO DE NUTRIÇÃO FASE: 1ª

2 SEMINÁRIO DE BIOLOGIA SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

3

4

5

6

7 A B C A: Folículo Secundário B: Folículos Primordiais C: Folículos Primários em Crescimento

8

9 Etapas Período de multiplicação Ocorre no período embrionário até o nascimento.(100mil folículos) Período de Crescimento Crescem por acúmulo de subst. de reserva. É interrompido no parto( prófase I da meiose), reinicia na puberdade. Período de Maturação Ocorre na puberdade onde dos 5 a 12 ovócitos I são estimulados por mês, mas apenas um chega a sofrer divisão Cél. Germinativa Ovogônias Ovogônias Ovócito I Ovócito II Óvulo 2n 2n2n Mitose 2n2n2n2n 2n Meiose I Meiose II n n n nnn Glóbulos polares Crescimento sem divisão celular Metáfase II (OVULAÇÃO)

10 O folículo aumenta de tamanho e, devido ao crescimento desigual das células foliculares, assume uma forma oval. Ovócito O ovócito I transforma-se ovócito II

11 Assim como os testículos, os ovários são glândulas endócrinas E sua atividade é regulada através de hormônios.

12

13

14 Os corrimentos podem ser causados por: Infecções vaginais Infecções cervicais ou do colo do útero Doença sexualmente transmissíveis Os mais comuns é a candidíase, tricomoníase, vaginose bacteriana e cervicites. (Cervicites são irritações provocadas por um número de organismos diferentes. Causas comuns são a gonorréia, herpes, clamidia e infecções bacterianas.)

15 A candida aparece quando a resistência do organismo cai ou quando a resistência vaginal está diminuída. Alguns fatores são causadores desta micose: -Gravidez -Antibióticos -Diabetes -Infecções -Deficiência Imunológica - Medicamentos como Anticoncepcionais. O tratamento é a base de antimicóticos mas deve-se tentar tratar as causas da candidias para evitar as recidivas.

16 Células vaginais com Candidíase Células vaginais normais

17 Tricomoníase Trata-se de um corrimento adquirido de forma sexual O tratamento é feito através de antibióticos e quimioterápicos sendo obrigatório o tratamento do parceiro sexual.

18 Células vaginais com Tricomoníase Células vaginais normais

19 Gardnerella vaginalis É provocado por uma bactéria Gardnerella vaginalis ou por outras bactérias. O tratamento é a base de antibióticos e pode ser estendido ao parceiro. No homem não há sintomas da doença.

20 Células vaginais Vaginose Bacteriana - Gardnerella vaginalis Células vaginais normais

21 HPV - Human Papiloma Virus O HPV é um vírus que vive na pele e nas mucosas genitais tais como vulva, vagina, colo de útero, e pênis. Ele vive dentro das células e se prolifera. O tratamento do HPV é por destruição química ou física das lesões sempre indicado e realizado por médico especialista.

22 Nos genitais existem duas formas de manifestação clínica: As verrugas genitais que aparecem na vagina, pênis e anus. Formas microscópicas, que aparecem no pênis, vagina e colo de útero. Verrugas genitais que aparecem Forma Microscópica, que aparece na vagina, pênis e anus no pênis, vagina e colo do útero.

23 Células vaginais com HPV Células vaginais normais

24 Alternativas para tratamento de miomas e de hemorragias uterinas. Podem sem divididos em dois modos: Medicamentosos Cirúrgicos - Miomectomia - Histerectomia - Cirugia do endométrio Podem ser divididas em tratamentos medicamentosos e tratamentos cirúrgicos. Os tratamentos cirúrgicos podem ser divididos em tradicionais e minimamente evasivos.

25 - Geralmente à base de hormônios - Tem o inconveniente de apresentar reações colaterais - Tem custos elevados. - Utilizados como paliativos até uma solução adequada Tratamento através de medicamentos

26 Via Abdominal Consiste na retirada de um ou mais miomas uterinos através de uma cirurgia em que o abdome é aberto com um corte transversal ou é abordado através de um pequeno orifício, onde é introduzido um instrumento, o vídeo laparoscópio. A seguir são feitos cortes no útero onde existirem miomas os retirando. Logo em seguida, é feita uma sutura (costura) no útero onde existiam os miomas.

27 É a retirada dos miomas sub mucosos (parcialmente dentro da cavidade uterina) ou intra cavitários (totalmente dentro da cavidade uterina) por um instrumento chamado video histeroscópio. É um método muito moderno e que veio permitir a preservação do útero em pacientes que anteriormente teriam necessidade de uma histerectomia. Via vídeo

28 -É realizada para tratamento do sangramento uterino anormal. -Utiliza-se um vídeo histeroscópio cirúrgico, provido de uma alça metálica com o formato de um "U", conectada a um gerador eletrocirúrgico de alta freqüência. -o endométrio é retirado em quase toda a extensão da cavidade. -É uma cirurgia q preserva o aparelho reprodutor feminino, com recuperação muito rápida. Redução Endometrial

29 É a retirada do útero, que pode ser total, quando se retira o corpo e colo do útero ou sub total, quando só o corpo é retirado. Às vezes esta cirurgia é acompanhada da retirada dos ovários e trompas (histerectomia total com anexectomia bilateral). O que é uma Histerectomia?

30 Em raros casos, uma histerectomia pode ser a única opção para se salvar a vida de uma paciente. Tais situações geralmente requerem uma histerectomia, porque não existe nenhum tratamento alternativo que possa resolver o problema. Câncer ou patologias pré-cancerosas do útero. Câncer dos ovários. Hemorragia incontrolável no pós parto. Infecção pélvica severa. Quando uma histerectomia é necessária?

31 Quais são os efeitos colaterais de uma histerectomia? - Uma histerectomia encerra a possibilidade de uma mulher ter filhos. Outras complicações incluem: lesões ao intestino, à bexiga, ureteres, sangramento vaginal, infecção, dor pélvica crônica e diminuição da resposta sexual. - Como qualquer outro tipo de cirurgia, a histerectomia pode levar a riscos maiores como: 500 mulheres morrem a cada ano, devido a uma histerectomia nos EUA. - O útero também produz uma substância chamada prostaciclina. A remoção do útero pode deixar a mulher mais sujeita a ter tromboses e pode ser um fator de aumento do risco de um enfarte. - Se os ovários são retirados, a mulher perde sua fonte do hormônio feminino estrogênio, aumentando a chance de desenvolver osteoporose e enfartes cardíacos. - Entre as pacientes que preservaram seus ovários, muitas mulheres relatam sintomas como: fadiga, ganho de peso, dores articulares, alterações urinárias e depressão.


Carregar ppt "UNESC CURSO DE NUTRIÇÃO FASE: 1ª. SEMINÁRIO DE BIOLOGIA SISTEMA REPRODUTOR FEMININO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google