A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Respostas hormonais ao exercício Mecanismos do emagrecimento e da hipertrofia Aulas 22, 24 e 26 Prof. Ms. Alexandre Sérgio Silva

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Respostas hormonais ao exercício Mecanismos do emagrecimento e da hipertrofia Aulas 22, 24 e 26 Prof. Ms. Alexandre Sérgio Silva"— Transcrição da apresentação:

1 Respostas hormonais ao exercício Mecanismos do emagrecimento e da hipertrofia Aulas 22, 24 e 26 Prof. Ms. Alexandre Sérgio Silva

2 ADAPTAÇÕES AO EXERCÍCIO Adaptações agudas –Metabolismo energético –Mobilização de substratos –Balanço fluido –Síntese de proteínas Adaptações crônicas –Alterando a estimulação –Alterando a resposta celular –Alterando a capacidade de liberação

3 ADAPTAÇÕES AGUDAS Metabolismo energético e mobilização de substrato EXERCÍCIO PROGRESSIVO Cortisol GH Glucagon Insulina VO2max C O N C E N T. R E L A T I V A Norepinefrina Epinefrina

4 ADAPTAÇÕES AGUDAS Metabolismo energético e mobilização de substrato EXERCÍCIO SUBMÁXIMO Adrenalina Noradrenalina GH Cortisol Glucagon Insulina Respostas hormonais ao exercício prolongado C O N C. P L A S M A Tempo

5 ADAPTAÇÕES AGUDAS Síntese de proteínas Testosterona diminui com exercício Recentes pesquisas indicam amento na testosterona em exercícios curtos No exercício prolongado, cortisol inibe produção da testosterona. Insulina como fator de crescimento ( IGF-1 ou somotomadina C)- maior parte da síntese do GH depende do IGF IGF é inibida no exercício e aumenta no repouso.

6 Mecanismos hormonais do emagrecimento e da hipertrofia Aula 26

7 The fed state glucose glycogen glycogen triacyglycerol triacylglycerol in VLDL amino acids protein protein triacylglycerol in chylomicrons

8 glycogen glucose triacyglycerol hormone-sensitive lipase glycerol fatty acids protein amino acids The fasting state glucose ketone bodies

9 Tecido adiposo como glândula Considerada a maior glândula endócrina do organismo. Secreta vários peptidios bioativos (Ceddia, 2005). –Adipocitocinas (TNFalpha, IL-6, leptin, adiponectin ). –Papeal chave no controle do equilíbrio energético homeostásico, sensibilidade à insulina e metabolismo da glicose e ácidos graxos. –Saciedade, fatores de coagulação e inflamação. Junto com o tecido muscular, estão envolvido na regulação do metabolismo de glicose e ácidos graxos. –Ambos são controlados pelo peptídeo LEPTINA.

10 Tecido adiposo como glândula Funções da leptina –Controle da homeostasia Atividade do sistema nervoso central. –Controle da sensação de saciedade e balanço energético por ação no hipotálamo. –Explica aumento de gordura na gravidez, adolescência. –Atua no tecido endotelial vascular Estumila angiogênese. Implicação na arterosclerose. Tende a diminuir pressão arterial por ação direta no óxido nítrico.

11 Tecido adiposo como glândula Leptina x exercício (estudo no futebol) (Unal et al, 2005) –Menor em futebolistas que em congêneres saudáveis. –Aumentos diretamente proporcionais com IMC e nível de gordura corporal. –Exercício reduz gordura corporal e, consequentemente, níveis deleptina.

12 Metabolismo e endocrinologia na hipertrofia Enfase no treinamento –Tensional –Metabólico Fatores de hipertrofia –Mecanotransdução –Dano muscular –Células satélites –Transcrição RNA –Insulina –GH –IGF 1 –Testosterona –Miostatina –Osmolaridade

13 Metabolismo e endocrinologia na hipertrofia Treinamento de baixo volume e alta intensidade promovem maiores níveis de GH, IGF-1, insulina e testosterona.

14 Oxido nítrico x hipertrofia Reparo muscular fica lentificado (1 x 10 min), na ausência de ON. ON interfere positivamente na atividade das celulas satelites. Estudos mostram ineficacia da suplementacão de arinina no aumento da producão de ON. –Em muleres com pre-eclampsia suplementacão suplementacão diminuiu pressão arterial.

15 Após alimentação –Menor concentração de glicose –Maior aumento de epinefrina. 264 x 195 pg/mL. –Glicerol sem mudanças –Aumento na oxidação de lipídios no exercício Menor pós alimentação. Resposta endócrina na eletroestimulação (Di Loreto, 2004) These results demonstrate that vibration exercise transiently reduces plasma glucose, possibly by increasing glucose utilization by contracting muscles. Since hormonal responses, with the exception of norepinephrine, are not affected by acute vibration exposure, this type of exercise is not expected to reduce fat mass in obese subjects. Efeito do treinamento na resposta hormonal à alimentação ( Crampes et al, 2003)


Carregar ppt "Respostas hormonais ao exercício Mecanismos do emagrecimento e da hipertrofia Aulas 22, 24 e 26 Prof. Ms. Alexandre Sérgio Silva"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google