A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Introdução a Banco de Dados Aula 02 Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Introdução a Banco de Dados Aula 02 Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br."— Transcrição da apresentação:

1 Introdução a Banco de Dados Aula 02 Prof. Silvestri

2 Modelos de Dados

3 Tipos de Banco de Dados. Atualmente existem diversos Banco de Dados no mercado, tais como Oracle, SQL Server, MySQL, Sybase, Jasmine, ZIM, DB2, PostGree etc. Cada um tem suas características próprias o que os tornam vantajosos ou não para determinados tipos de aplicação. Mas esses bancos de dados são classificados segundo a forma que os dados podem ser armazenados e posteriormente acessados. Dentre os principais tipos de classificações banco de dados temos:

4 Banco de Dados Orientado a Objetos Representam os dados como coleções que obedecem propriedades. São modelos geralmente conceituais dispondo de pouquíssimas aplicações reais. Cada objeto tem características próprias (atributos) com ações próprias (métodos).

5 Banco de Dados Orientado a Objetos Neste Modelo, por exemplo, não seria interessante a existência de uma tabela de funcionários e dentro dela alguma referência para cada registro, de forma a podermos saber onde (em que departamento) o funcionário está trabalhando. Um conjunto de regras disponibilizaria em separado os funcionários da fábrica que, no entanto estariam agrupados aos demais, para o sistema de folha de pagamento.

6 Banco de Dados Orientado a Objetos

7 Banco de Dados Relacional O Modelo de Dados relacional representa os dados contidos em um Banco de Dados através de relações. Estas relações contêm informações sobre as entidades representadas e seus relacionamentos. O Modelo Relacional é claramente baseado no conceito de matrizes, onde as chamadas linhas (das matrizes) seriam os registros e as colunas (das matrizes) seriam os campos. Os nomes das tabelas e dos campos são de fundamental importância para nossa compreensão entre o que estamos armazenando, onde estamos armazenando e qual a relação existente entre os dados armazenados..

8 Banco de Dados Relacional Cada linha de nossa relação será chamada de TUPLA e cada coluna de nossa relação será chamada de ATRIBUTO. O conjunto de valores que um determinado atributo pode assumir é intitulado de DOMÍNIO. O domínio consiste de um grupo de valores a partir dos quais um ou mais atributos retiram seus valores reais. Assim sendo Rio de Janeiro, Paraná e Pará são estados válidos para o Brasil, enquanto que Corrientes não é um estado válido (pertence a Argentina e não ao Brasil).

9 Banco de Dados Relacional As relações não podem ser duplicadas (não podem existir dois estados do Pará, no conjunto de estados brasileiros, por exemplo), a ordem de entrada de dados no Banco de Dados não deverá ter qualquer importância para as relações.

10 Banco de Dados Relacional Chamaremos de Chave Primária ao Atributo que definir um registro, dentre uma coleção de registros. Chamaremos de Chave Composta, aquela chave que contém mais de um atributo (Por exemplo um cadastro ordenado alfabeticamente por Estado, Cidade e Nome do Cliente, necessitaria de uma chave composta que contivesse estes três atributos). Chamaremos de Chave Estrangeira, aquela chave que permitir a ligação lógica entre uma tabela (onde ela se encontra) com outra na qual ele é chave primária.

11 Banco de Dados Relacional Exemplo: Cidade EstCodi CidNome EstNome # EstCodi

12 Banco de Dados Relacional CidCodi e EstCodi, são chaves primárias respectivamente das tabelas Cidade e Estado, enquanto EstCodi é chave estrangeira na tabela de cidades. É precisamente por este campo (atributo, ou coluna), que será estabelecida a relação entre as tabelas Cidade-->Estados.

13 Banco de Dados Relacional Resumidamente podemos dizer que um Banco de dados relacional: Contém uma quantidade qualquer de tabelas; Os dados existentes em uma tabela nunca deveriam aparecer em outra; Um Banco de Dados projetado corretamente contém todos os vínculos necessários para permitir que registros sejam relacionados entre tabelas diferentes; Tabelas podem ser relacionadas;

14 Banco de Dados Relacional A integridade referencial deve ser mantida (Integridade Referencial é a existência de um valor ou atributo relacionado em um banco de dados dependendo de um outro valor ou atributo.); Em geral as entidades do DED serão as tabelas de um banco de dados relacional; Chave Primária é um campo ou conjunto de campos que identifica um registro ou uma tupla; Chave Estrangeira (#) é o campo que serve para relacionar as tabelas.

15 Banco de Dados Relacional S#NomeStatusCidade S1Smith20Londres S2Jones10Paris S3Blake30São Paulo S4Clark20Atenas S5Adams30Londres P#NomeCorPeso P1PorcaAzul10 P2TrincoPreto8 P3ParafusoPreto15 P4ParafusoVerde17 P5PregoVerm12 Fornecedores (S) Peças (P) P#S#QTD P1S1200 P2S1240 P3S1200 P2S2150 P2S3120 P3S3100 P4S5150 P5S2350 Fornecimentos (SP)

16 Arquiteturas de BD. Atualmente, devem-se considerar alguns aspectos relevantes para atingir a eficiência e a eficácia dos sistemas informatizados desenvolvidos, a fim de atender seus usuários nos mais variados domínios de aplicação: automação de escritórios, sistemas de apoio a decisões, controle de reserva de recursos, controle e planejamento de produção, alocação e estoque de recursos, entre outros. Tais aspectos são:

17 Arquiteturas de BD. a) Os projetos Lógico e Funcional do Banco de Dados devem ser capazes de prever o volume de informações armazenadas a curto, médio e longo prazo. Os projetos devem ter uma grande capacidade de adaptação para os três casos mencionados;

18 Arquiteturas de BD. b) Deve-se ter generalidade e alto grau de abstração de dados, possibilitando confiabilidade e eficiência no armazenamento dos dados e permitindo a utilização de diferentes tipos de gerenciadores de dados através de linguagens de consultas padronizadas;

19 Arquiteturas de BD. c) Projeto de uma interface ágil e com uma "rampa ascendente" para propiciar aprendizado suave ao usuário, no intuito de minimizar o esforço cognitvo; d) Implementação de um projeto de interface compatível com múltiplas plataformas (UNIX, Windows NT, Windows Workgroup, etc);

20 Arquiteturas de BD. e) Independência de Implementação da Interface em relação aos SGBDs que darão condições às operações de armazenamento de informações (ORACLE, SYSBASE, INFORMIX, PADRÃO XBASE, etc). f) Conversão e mapeamento da diferença semântica entre os paradigmas utilizados no desenvolvimento de interfaces (Imperativo (ou procedural), Orientado a Objeto, Orientado a evento), servidores de dados (Relacional) e programação dos aplicativos (Imperativo, Orientado a Objetos).

21 Eduardo Silvestri Dúvidas

22 Perguntas 1.Explique e exemplifique o modelo de Banco de Dados Orientado a Objetos. 2.Explique e exemplifique o modelo de Banco de Dados Relacional.


Carregar ppt "Introdução a Banco de Dados Aula 02 Prof. Silvestri www.eduardosilvestri.com.br."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google