A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Sistema de Gestão Integrada Fabrício de Sousa Pinto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Sistema de Gestão Integrada Fabrício de Sousa Pinto."— Transcrição da apresentação:

1

2 1 Sistema de Gestão Integrada Fabrício de Sousa Pinto

3 2 Introdução Século da velocidade As empresas não podem mais demorar a responder a essas mudançasrisco de abandonar o mercador O que está por trás dessas transformações? Tecnologia da Informação (TI) Era da informação Uso não apenas para operar sistemas básicos Encontrar novas oportunidades de negócio

4 3 Introdução Muitas empresas ainda não perceberam As oportunidades Não sabem o que extrair dessa tecnologia Usam apenas para automatizar processos antigos Somente as empresas que souberem utilizar ferramentas digitais, para reinventar sua maneira de operar e fazer negócio, alcançarão o sucesso

5 4 1800s Era da Agricultura Final 1800s até meados 1990s Era Industrial 2000 em diante Era da Informação Mudanças no conceito de Valor ao longo do tempo

6 5 Nova Visão da Gestão GestãoTecnologia Gestão e Tecnologia

7 6 Isto é bom ou é mal...

8 7 Comércio Eletrônico Nova economia As empresas se expande mundialmente Baixo custo Aumentam sua fatia no mercado Reduzem seu custo Chave: Inovação

9 8 Comércio Eletrônico Interatividade Personalização Facilidade de comunicação Auto-serviço Agilidade na entrega

10 9 Vendas utilizando transações via WEB Homepage Compradores Fornecedor

11 10 Comércio Eletrônico 9 milhões de pessoas fazem compra no Brasil pela internet Movimentou mais de R$ 6 bilhões em 2007 Só em 2007, a estimativa é de que R$ 300 milhões tenham sido perdidos por falsas lojas virtuais.

12 11 Comércio Eletrônico – Dicas de Segurança Desconfie de preços muito baixos. O site tem que oferecer uma compra segura: na hora da compra, deve aparecer um cadeado na barra inferior no navegador endereço que aparece na hora de fazer a compra. Se a página for segura tem que começar com https. Se for só http, cuidado. Atenção para a forma de pagamento. Não utilize sites que recebem apenas por boleto bancário. Faça uma pesquisa na própria internet sobre a loja em que onde você pretende

13 12 Comércio Eletrônico Diminui custos Transação bancária caíram de U$$ 1,07 doláres para US$ 0,1 Processamento de uma passagem área caiu de U$$ 8 para U$$ 1 Leilões virtuais – Comparar Preços – Gerentes devem ter visão estratégica da TI Não sabem usar 80% do investimento 20% dos benefícios possíveis

14 13 O que deve direcionar os investimentos em TI?

15 14 O que deve direcionar os investimentos em TI? Resposta Prospectos de Fornecedores? Mídia? Não Alinhados com os negócios e objetivos da empresa Não alinha provoca: Demora nas respostas de mercado Perda de oportunidades Risco a própria posição no mercado

16 15 O que deve direcionar os investimentos em TI? Investimento devem ser direcionados para o cumprimento de, pelo menos, um dos 3 objetivos: Redução de custos Melhoria da Produtividade Exploração de novas oportunidades de negócio Nem sempre aquisição de Tecnologia de ponta produzem resultados palpáveis

17 16 O que deve direcionar os investimentos em TI? O projeto de TI só terá chance de ser aprovado Executivo de negócios patrocinador e ; Se trouxer resultados a curto prazo A TI é hoje parte integrante dos processos de negócio, e muitas vezes, o próprio processo. Fundamental para o sucesso ou fracasso

18 17 Como justificar os investimentos em TI, se muitas empresas não tem essa visão?

19 18 Como justificar os investimentos em TI? Não é um boa estratégia argumentar: Os concorrentes estão usando Ou porque a mídia noticiou 1º Passo: Reconhecer que os números são a linguagem básica no mundo nos negócios Dados financeiros: Faturamento, custo, rentabilidade, retorno do investimento, nível de estoque e etc.

20 19 Como justificar os investimentos em TI? 2º Passo Alinhado com o objetivo da empresa Contribuir para que determinada meta seja alcançada, senão vai deslanchar. Finalmente: Ti reconhecido como agente de mudanças A TI pode e deve explorar novas oportunidades de negócio Ferramenta de ação e não de reação

21 20 TI O cenário que as empresas nasceram e cresceram estão em ebulição, não é mais aceito: Modelos organizacionais hierárquico A cultura do produto e não do serviço Uso meramente tático da TI Usar a TI com inteligência vai ser uma questão de competitividade e de sobrevivência

22 21 ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de Recursos Empresariais Eliminar os vários sistemas isolados Dados fragmentados Inconsistência entre dados ERP integra em um só sistema funcionalidades que suportam as atividades de diversos processos de negócio

23 22 Clássico x Integrado

24 23 Estrutura típica de um sistema ERP Relatórios Gerenciamento De Recursos Humanos Gerenciamento De materiais Vendas e Distribuição Finanças e controladoria Apoio à Serviços Funcionários Diretoria e Acionistas Base de dados Manufatura Fonte: de Davenport (1998) Adaptação Fornecedores Clientes

25 24 ERP Software modular que auxilia o gestor da empresa nas importantes fases do negócio Desenvolvimento de produtos Compra de itens Manutenção de estoques Interação com fornecedores Aspectos financeiros Gestão de RH

26 25 ERP Facilita o fluxo de informações entre todas as atividades de uma empresa Fabricação Logística Finanças RH Banco de dados único

27 26 Sistema integrado de gestão O painel de comando da Empresa

28 27 Um princípio: o Dado é único

29 28 Apiaí Bodoquena P. Leopoldo S. S. do Paraiso Vila Olímpia Clientes Ijaci Ex.: Camargo Correa

30 29 ERP - Motivos Permanecer competitivas Melhorar a produtividade Melhorar a qualidade de serviços oferecidos ao cliente Reduzir custo, estoque Melhorar o planejamento e alocação de recursos Vários módulos

31 30 Customer Relationship Management Cliente Relacionamento Gestão ESTRATÉGIA DE GESTÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE O que é CRM ? Conceito

32 31 CRM –Customer Relationship Management Gestão de Relacionamento com o Cliente Não basta oferecer melhores produtos ou serviços É preciso; Conhecer o cliente Ser capaz de satisfazê-lo Não perdê-lo para a concorrência Gerenciar o relacionamento com o clientegerar valor para a empresa

33 32 CRM - Objetivo Saber identificar o cliente Diferenciar Interagir para aprender Atendimento personalizado

34 33 A Revolução da Informação tem tornado os clientes... Muito mais informados Muito mais exigentes Escassos e difíceis de conquistar Difíceis de reter Invisíveis CRM: Por que fazer ?

35 34 É mais barato e rápido vender para Clientes atuais do que conquistar novos Clientes Para reter os Clientes Atuais Conhecer, Diferenciar Satisfazer suas necessidades Encantar CRM: Por que fazer ?

36 35 A pergunta não é mais Quais clientes compram meus produtos ? e sim Quais produtos, serviços e valores adicionais eu posso oferecer a meus clientes ? VISÃO CLIENTE E NÃO EM PRODUTOS CRM: Por que fazer ?

37 36 Visão única e compartilhada das informações sobre os clientes Cobrindo todos os sistemas de informação envolvidos CRM: Como fazer ?

38 37 CRM –Customer Relationship Management Não ver todos os clientes da mesma forma Conhecer o cliente Saber quem ele é Seus gostos e preferências Quantas vezes ligou? Reclamações que fez Sugestões que deu Quanto traz de valor para a empresa

39 38 CRM –Customer Relationship Management Poucas empresas conhecem seus clientes com essa profundidade Pesquisa no mercado norte-americano Em 5 anos a empresa perde metade de seus clientes Gasta 5X mais na conquista de um novo cliente Cliente satisfeito conta para 5 pessoas Cliente insatisfeito para 9 pessoas

40 39 CRM ESTRATÉGIA DE GESTÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

41 40 CRM - CONCLUSÃO Prometa o que pode cumprir e sempre diga a verdade a seus clientes Princípio básico da fidelização

42 41 CADEIA DE SUPRIMENTOS Matéria-prima, Produtos, Serviços, Informação, Dinheiro

43 42 Introdução Economia tem sofrido mudanças Fusões, aquisições e alianças estratégias Administração Logística Integração de todas as atividades ao longo da cadeia – da matéria prima ao cliente final Estudos organizações Entidades distintas, ativos mensurávies, prédios, mão-de-obra fixa Hoje: Terceirização, tele trabalho, mão-de-obra temporária, aliança com concorrentes

44 43 SCM – Cadeia de Suprimentos Gestão integrada de toda a cadeia de valor. FORNECEDOR CLIENTE Fluxo Físico dos Materiais Fluxo de Informação (Planejamento) Fluxo de Informação (Execução e Acompanhamento) Fluxo Financeiro

45 44 Organização da Cadeia de Suprimentos

46 45 SCM Supply Chain Management Gerenciamento da cadeia de suprimentos Controle do fluxo total de produtos Abastecimento, desempenho da linha de produção e atendimento ao cliente Vantagem competitiva Gestão de toda cadeia produtiva de um forma estratégica e integrada

47 46 SCM Entrega Just-in-time Estoque mínimo nas gôndolas e repositório Gestão integrada da cadeias de valor Fornecedor->Produção->Distribuição- >Pontos de Vendas->Cliente

48 47 SCM Competição a nível de cadeias produtivas e na apenas na unidades de negócio Diminuição de custos, Adição de mais valor ao produto Diminuição do volume de transações de informações, papeis, custo de transporte e estocagem

49 48 SCM Outsourcing – começou na área de informática Manufatura, manutenção, distribuição e marketing Parte do conjunto de produtos e serviços é providenciado por uma empresa externa 50% das empresas ainda não implantaram Uma espécie de Terceirização, mas com laços mais forte

50 49 Negócios eletronicos (e-business) Eletronic commerce (e-commerce) Compra e venda de bens e serviços eletronicamente Eletronic business (e-business) Comunicação e coordenação organizacionais e para a própria gerencia da empresa Intranet – rede privada – informações restritas

51 50 Negócios eletronicos E-empresa Integrar os negócios nos dois planetas Real (terra) e o digital Gerar valor para o cliente Comercio eletrônico tem crescido muito Produtos e serviços Deixou de ser apenas canal de comunicação Instrumento de negócio

52 51 Internet Popularidade Facilidade de acesso (modem, linha telefônica e um provedor) Facilidade de uso Rapidez Globalização do comércio eletrônico Resistência – segurança

53 52 Internet - vantagens Comparação de produtos – rápida e simples Conforto – sem deslocamento Aberto 24h por dia Evita transtornos: Engarrafamentos, vendedores mal informados e insistentes Mais opção de escolha

54 53 Internet - vantagens Tempo de busca escolha diminui Custo menor Informações ilimitadas Interatividade

55 54 Internet - Problemas Interesse comercial em 1993 (área pouco explorada e nova) Problemas: Segurança Como deve ser feita a publicidade Não deve ser direcionada ao público em massa e sim especifico Sistemas apresentam limitações

56 55 Comercio Eletrônico Envolvidos três tipos de agentes: Governo Empresa Consumidores

57 56 Comercio Eletrônico B2B B2C/C2B B2G/G2B C2C G2C/C2G G2G

58 57 Dúvidas?


Carregar ppt "1 Sistema de Gestão Integrada Fabrício de Sousa Pinto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google