A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oração do Terço. DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA.. O que é a doutrina social da Igreja? É o conjunto de ensinamentos do Magistério eclesiástico que aplicam.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oração do Terço. DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA.. O que é a doutrina social da Igreja? É o conjunto de ensinamentos do Magistério eclesiástico que aplicam."— Transcrição da apresentação:

1 Oração do Terço

2 DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA.. O que é a doutrina social da Igreja? É o conjunto de ensinamentos do Magistério eclesiástico que aplicam as verdades reveladas e a moral cristã à ordem social. Esta doutrina deve ser conhecida e difundida por todos os fiéis. Qual é o seu objetivo? É mostrar aos homens os planos de Deus sobre as realidades seculares, para orientá-los na construção da cidade terrena de acordo com os desígnios divinos.

3 Ano C- XXXI Domingo do Tempo Comum

4 VAI VENDE TUDO O QUE TENS DÁ AOS POBRES TEUS BENS, ABRE A PORTA DO CÉU SEGUE-ME ENTÃO SE QUISERES E ONDE ESTIVERES, CONTIGO ESTAREI E ONDE ESTIVERES, CONTIGO ESTAREI

5 Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ámen! A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a Comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. Irmãos, para celebrar dignamente os Santos Mistérios reconheçamos que somos pecadores (momento de silêncio)

6 Confessemos os nossos pecados: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, actos e omissões, (batendo no peito) por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor. Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ámen!

7 Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.

8 Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados. Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória.

9 Senhor Jesus Cristo, Filho Unigénito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai: Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós; Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica; Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só Vós sois o Santo;

10 só Vós, o Senhor; só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo; com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Ámen

11 ORAÇÃO COLECTA Deus omnipotente e misericordioso, de quem procede a graça de Vos servirmos fiel e dignamente, fazei-nos caminhar sem obstáculos para os bens por Vós prometidos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

12 Sab 11, 22 – 12, 2 «De todos Vos compadeceis, porque amais tudo o que existe»

13 LEITURA I Sab 11, 22 – 12, 2 Leitura do Livro da Sabedoria Diante de Vós, Senhor, o mundo inteiro é como um grão de areia na balança, como a gota de orvalho que de manhã cai sobre a terra. De todos Vos compadeceis, porque sois omnipotente, e não olhais para os seus pecados, para que se

14 LEITURA I Sab 11, 22 – 12, 2 arrependam. Vós amais tudo o que existe e não odiais nada do que fizestes; porque, se odiásseis alguma coisa, não a teríeis criado. E como poderia subsistir, se Vós não a quisésseis? Como poderia durar, se não a tivésseis chamado à existência? Mas a todos perdoais, porque tudo é vosso, Senhor, que amais a vida. O vosso espírito incorruptível está em todas as coisas.

15 LEITURA I Sab 11, 22 – 12, 2 Por isso castigais brandamente aqueles que caem e advertis os que pecam, recordando-lhes os seus pecados, para que se afastem do mal e acreditem em Vós, Senhor. Palavra do Senhor. Graças a Deus

16

17 Refrão: Salmo 144 (145), cd-14 (R. cf. 1) Refrão: Louvarei para sempre o vosso nome, Senhor, meu Deus e meu Rei.

18 2 Tes 1, 11 – 2, 2 «O nome de Cristo será glorificado em vós, e vós nEle»

19 LEITURA II 2 Tes 1, 11 – 2, 2 Leitura da Segunda Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses Irmãos: Oramos continuamente por vós, para que Deus vos considere dignos do seu chamamento e, pelo seu poder, se realizem todos os vossos bons propósitos e se confirme o trabalho da vossa fé.

20 LEITURA II 2 Tes 1, 11 – 2, 2 Assim o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo será glorificado em vós, e vós nEle, segundo a graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo. Nós vos pedimos, irmãos, a propósito da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo e do nosso encontro com Ele: Não vos deixeis abalar facilmente nem alarmar por qualquer manifestação profética,

21 LEITURA II 2 Tes 1, 11 – 2, 2 por palavras ou por cartas, que se digam vir de nós, pretendendo que o dia do Senhor está iminente. Palavra do Senhor. Graças a Deus

22 Aclamação Glória Aleluia, Aleluia, Gloria(Bis) Cristo é Nosso Pai Aleluia

23 Lc 19, 1-10 «O Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido»

24 EVANGELHO Lc 19, 1-10 O Senhor esteja convosco, Ele está no meio de Nós. Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Lucas Gloria a Vós, Senhor!

25 EVANGELHO Lc 19, 1-10 Naquele tempo, Jesus entrou em Jericó e começou a atravessar a cidade. Vivia ali um homem rico chamado Zaqueu, que era chefe de publicanos. Procurava ver quem era Jesus, mas, devido à multidão, não podia vê-lO, porque era de pequena estatura. Então correu mais à frente e subiu a um sicómoro, para ver Jesus, que havia de passar por ali. Quando Jesus chegou ao local,

26 EVANGELHO Lc 19, 1-10 olhou para cima e disse-lhe: «Zaqueu, desce depressa, que Eu hoje devo ficar em tua casa». Ele desceu rapidamente e recebeu Jesus com alegria. Ao verem isto, todos murmuravam, dizendo: «Foi hospedar-Se em casa dum pecador». Entretanto, Zaqueu apresentou-se ao Senhor, dizendo: «Senhor, vou dar aos pobres metade dos meus bens e, se causei qualquer prejuízo a alguém,

27 EVANGELHO Lc 19, 1-10 restituirei quatro vezes mais». Disse-lhe Jesus: «Hoje entrou a salvação nesta casa, porque Zaqueu também é filho de Abraão. Com efeito, o Filho do homem veio procurar e salvar o que estava perdido». Palavra da salvação. Gloria a Vós, Senhor.

28

29 No tempo de Jesus, Jericó era uma cidade mercantil muito rica, atravessada por uma das estradas principais e um dos centros de cobrança de impostos da Palestina. Zaqueu era o chefe dos cobradores de impostos e era riquíssimo. O nome Zaqueu, ironicamente, significa o puro, o justo. Era de pequena estatura, e essa é a sua imagem aos olhos de todos. Porque motivo quis ele ver Jesus é um mistério.

30 Provavelmente tinha ouvido Levi, um dos discípulos e antigo cobrador de impostos, falar de Jesus. Zaqueu encontrou uma solução para o seu problema: sendo baixo, subiu para uma árvore. Porque é que não subiu ao terraço duma das muitas casas que dão para a rua principal? Talvez ninguém tenha querido recebê-lo.

31 Do alto, Zaqueu procurava ver Jesus, mas agora é Jesus quem, a partir de baixo, o vê em primeiro lugar. Quando a adúltera foi presentada a Jesus Ele levantou a cabeça para ela (Jn.8,10). Diante do pecador, Jesus levanta sempre o olhar porque a sua posição é do servo que se humilhou tornando-se obediente até à morte e morte na cruz. Quem ama nunca toma uma atitude de juiz, abaixa- se, escolhe o último lugar.

32 Tal como Zaqueu se expôs ao ridículo ao subir à árvore, também Jesus se arriscou a ser criticado por visitar a casa de Zaqueu. Quem é forte não se preocupa, tolera tudo, não se sente ameaçado. Os fracos agridem com violência os seus adversários, porque têm medo. O povo, que O criticou por entrar na casa de um pecador, não viu a mudança que Jesus operara no coração dele.

33 Zaqueu deixara de ser um pecador, para passar a ser um pecador arrependido. O Jovem rico que se aproximou de Jesus perguntando: o que devo fazer para ganhar a vida eterna? ficou triste ao ouvir: vende tudo que tens, distribui aos pobres e terás um tesouro no céu; depois vem e segue-me. Jesus comentou, é mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino de Deus (Lc. 18,25).

34 Mas Zaqueu, o rico, conseguiu passar pelo fundo da agulha. Qual foi a causa desta conversão instantânea? Um olhar apenas e umas poucas palavras de aceitação de Jesus tocaram-no profundamente. Ao visitar a sua casa, Jesus devolveu-lhe a dignidade perdida e restaurou o seu autorrespeito.

35 Durante o banquete, Zaqueu declara então a sua decisão de fazer justiça, ao partilhar a sua riqueza e reparar as injustiças cometidas. Foi um acto de extrema generosidade. A salvação de Zaqueu não o salvou apenas a ele. Tal como antes tinham sido parte nas injustiças que havia praticado, os seus familiares partilham igualmente agora a bênção.

36 A história de Zaqueu lembra-nos que Jesus continua a chamar pessoas estranhas de sítios estranhos. Mas devemos acolhê-lO em nossa casa. Assim Seja.

37 Jesus Cristo Procuro-te,Encontra-me, Estou aqui!

38

39 Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra De todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; Gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação

40 desceu dos céus (Faz-se inclinação) E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria. e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai.

41 De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo. Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas.

42 Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo Para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e vida do mundo que há-de vir. Ámen.

43

44 Caríssimos fiéis: Oremos pela Igreja e por aqueles que mais precisam, sabendo que o Pai conhece tudo, mesmo o que ainda não saiu dos nossos lábios, e digamos humildemente: Atendei, Senhor, a nossa prece. Para que a Igreja de Deus e os que a servem estejam prontos a acolher os pecadores e a ajudá- los a converter o coração, oremos ao Senhor. Atendei, Senhor, a nossa prece.

45 Para que os rejeitados e malvistos por alguém encontrem sempre quem os acolha como irmãos e os ajude a refazer as suas vidas, oremos ao Senhor. Atendei, Senhor, a nossa prece. Para que todos os que se deixam perturbar pelo pensamento do fim do mundo ou da morte reencontrem a serenidade e a paz, oremos ao Senhor. Atendei, Senhor, a nossa prece.

46 Para que as famílias da nossa comunidade (paroquial) saibam acolher com a alegria de Zaqueu os estrangeiros, os que estão de passagem e os mais pobres, oremos ao Senhor. Atendei, Senhor, a nossa prece. Para que todos os nossos defuntos, a quem Deus concedeu o dom da fé, recebam no Céu a eterna recompensa, oremos ao Senhor. Atendei, Senhor, a nossa prece. (Outras intenções: factos relevantes da vida paroquial; defuntos das nossas famílias...).

47 Deus Pai, que em vosso Filho procurastes hospedagem em casa de um grande pecador, fazei-Vos convidado de cada homem, dai a todos a paz do coração e a graça de Vos acolherem com alegria. Por Cristo, nosso Senhor. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

48

49 Como o Pai me amou, Eu vos tenho amado. Permanecei no meu amor; permanecei no meu amor. Se fizerem o que vos mando e se amarem de verdade, fruto dareis em abundância, meu amor manifestar-se-á. Não verão amor tão grande como aquele que vos dei. Por vós darei a minha vida. Amai-vos como Eu vos amei.

50 Orai, Irmãos para que o meu e vosso sacrifício seja aceite por Deus Pai todo-poderoso. Todos: receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para honra e glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja

51 (Todos de pé) ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS Senhor, fazei que este sacrifício seja para Vós uma oblação pura e para nós o dom generoso da vossa misericórdia. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amen.

52 Prefácio V. O Senhor esteja convosco. R. Ele está no meio de nós. V. Corações ao alto. R. O nosso coração está em Deus. V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. R. É nosso dever, é nossa salvação.

53 Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-Vos graças, sempre e em toda a parte, por Cristo nosso Senhor. Pelo seu mistério pascal, Ele realizou a obra admirável de nos chamar do pecado e da morte, à glória de geração escolhida, sacerdócio real, nação santa, povo resgatado, a fim de que, libertos do

54 poder das trevas para a claridade da vossa luz, anunciemos por toda a parte as vossas maravilhas. Por isso, com os Anjos e os Arcanjos e todos os coros celestes, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz.

55

56 O senhor é Santo, O senhor é Santo, O senhor é Santo O céu e a Terra proclamam a vossa Gloria, Hossana, Hossana, Hossana Bendito o que vem Em nome do Senhor Hossana, Hossana, Hossana

57 Sac. Vós, Senhor, sois verdadeiramente santo, sois a fonte de toda a santidade. Reunidos na vossa presença, em comunhão com toda a igreja, ao celebrarmos o dia santíssimo em que o Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho Unigénito, colocou à direita da vossa glória a nossa frágil natureza humana unida á sua divindade, humildemente vos suplicamos: Santificai estes dons, derramando sobre eles o Vosso Espírito, de modo a que se convertam para nós, no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

58 (Todos ajoelham) Na hora em que Ele se entregava, para voluntariamente sofrer a morte, tomou o pão e, dando graças, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós.

59 De igual modo, no fim da Ceia, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim.

60 Mistério da Fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

61 Sac. Celebrando agora, Senhor, o memorial da morte e ressurreição de vosso Filho nós Vos oferecemos o pão da vida e o cálice da salvação e Vos damos graças porque nos admitistes à vossa presença para Vos servir nestes santos mistérios. Humildemente Vos suplicamos que, participando no Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos, pelo Espírito Santo, num só corpo.

62 Lembrai-Vos, Senhor, da vossa Igreja, dispersa por toda a terra, e tornai-a perfeita na caridade em comunhão com o Papa Francisco, e o nosso Patriarca D. Manuel Clemente, os bispos auxiliares e todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo. Lembrai-Vos também dos nossos irmãos que adormeceram na esperança da ressurreição, e de todos aqueles que na vossa misericórdia partiram deste mundo:

63 admiti-os na luz da vossa presença. Tende misericórdia de nós, Senhor, e dai- nos a graça de participar na vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, São José seu esposo, os bem-aventurados Apóstolos e todos os Santos que desde o princípio do mundo viveram na vossa amizade, para cantarmos os vossos louvores, por Jesus Cristo, vosso Filho.

64 Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória agora e para sempre… Ámen.

65

66 Pai Nosso, que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome. Venha a nós o Vosso Reino. Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

67 Sac. Livrai-nos de todo o mal, Senhor, e dai ao mundo a paz em nossos dias, para que, ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e de toda a perturbação, enquanto esperamos a vinda gloriosa de Jesus Cristo nosso Salvador. Vosso é o reino e o poder e a glória para sempre.

68 Sac. Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos Apóstolos. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz: não olheis aos nossos pecados mas à Fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a Vossa vontade. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amem. A paz do Senhor esteja sempre convosco. O amor de Cristo nos uniu. Sac. Saudai-vos na paz de Cristo.

69

70 CORDEIRO DE DEUS, CORDEIRO DE DEUS, CORDEIRO DE DEUS, TU QUE TIRA O NOSSO PECADO TENDE PIADADE DE NÓS, PIADADE DE NÓS, PIADADE DE NÓS E DÁ-NOS A PAZ E DÁ-NOS A PAZ, E DÁ-----NOS A PAZ

71 Sac. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo

72

73 DEUS É AMOR, ME AMA E ME QUER COMO NINGUÉM DEUS É AMOR, DEUS É MEU PAI E MÃE COM AMOR GRAVOU-ME EM SUAS MÃOS, ME QUER BEM E ME AMA COMO EU SOU, SE RESPONDO FIEL À SUA VOZ, AMO A VIDA SEI PARA ONDE VOU. EM SEUS PARDOS ME LEVA A REPOUSAR, É DE DEUS A SEDE QUE TENHO SE CAMINHO FIEL À SUA VOZ, AMO A VIDA SEI DE ONDE VENHO.

74

75 NADA TE TURBE, NADA TE ESPANTE QUEM A DEUS TEM, NADA LHE FALTA NADA TE TURBE, NADA TE ESPANTE, SÓ DEUS BASTA

76 Oração depois da comunhão Multiplicai em nós, Senhor, os frutos da vossa graça, para que os sacramentos celestes que nos alimentam na vida presente nos preparem para alcançarmos a herança prometida. Por Nosso Senhor vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

77 Dia 6, quarta-feira celebramos memória de S. Nuno De Santa Maria, padroeiro secundário de Lisboa Dia 8, sexta-feira às Ultreia Castanheira do Ribatejo Envelope para o Fundo Paroquial está no fundo da igreja. Quem quiser recibo para o IRS devem contactar diretamente a Secretária.

78 Sac. O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós. Sac. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Ámen. Sac. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

79 Se me acompanhares, mais forte serei. Se vens ao meu lado, a quem temerei? De nada terei medo, ninguém hei-de temer, De nada terei medo, ninguém hei-de temer, Senhor, se me proteges teu amor e teu poder. Tomas-me pela mão, indicas-me o caminho, Senhor, Tu me encorajas e apoias com carinho.

80

81 Ficha técnica : Eucaristia Celebrada por : Fr. Jacob Puthiyaparampil Animada por : Grupo Coral Dominical Realização : A. Alberto Sousa Imagens recolhidas : Via Google Projeção disponível : www. mcccastanheira. blogspot. pt www. mcccastanheira


Carregar ppt "Oração do Terço. DOUTRINA SOCIAL DA IGREJA.. O que é a doutrina social da Igreja? É o conjunto de ensinamentos do Magistério eclesiástico que aplicam."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google