A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

José Paschoal Rossetti 1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE METALURGIA E MATERIAIS – ABM 56º Congresso Anual – Internacional José Paschoal Rossetti Pesquisador e.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "José Paschoal Rossetti 1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE METALURGIA E MATERIAIS – ABM 56º Congresso Anual – Internacional José Paschoal Rossetti Pesquisador e."— Transcrição da apresentação:

1 José Paschoal Rossetti 1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE METALURGIA E MATERIAIS – ABM 56º Congresso Anual – Internacional José Paschoal Rossetti Pesquisador e Consultor da Fundação Dom Cabral * Conferência proferida na solenidade oficial de abertura do Congresso Belo Horizonte, Minascentro, 16 de julho de O AMBIENTE DE NEGÓCIOS NO NOVO MILÊNIO: AS MÚLTIPLAS DIMENSÕES DA COMPETITIVIDADE

2 José Paschoal Rossetti 2 Conteúdo 1.O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente global Aspectos relevantes do ambiente nacional Uma síntese das grandes mudanças 2.As múltiplas dimensões da competitividade Ampla visão das condições para competitividade O diamante de Porter Fatores sistêmicos de competitividade Aglomerados e cadeias competitivas Empresas competitivas: os fatores-chave Posicionamento do Brasil

3 José Paschoal Rossetti 3 Conteúdo 3.A competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Percepção dos fatores sistêmicos Fatores de impulsão da competitividade Posicionamento competitivo: auto-avaliação 4.Os grandes desafios A reconfiguração estrutural do setor no Brasil O novo mundo corporativo

4 José Paschoal Rossetti 4 1. O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente global Aspectos relevantes do ambiente global PMB/PPA: CRESCIMENTO REAL PROJETADO, DÉCADA 2001/10 Produto Mundial Bruto 2001 (PPA, critério FMI): Américas: US$13,6 trilhões Ásia/Oceania: US$13,3 trilhões Europa: US$12,1 trilhões África/Oriente Médio: US$2,6 trilhões Anos US$ Trilhões de 2001 Taxas anuais geométricas US$ Trilhões de 2001 Taxas anuais geométricas 1,5% 2,0% 2,5% ,242,442, ,544,144, ,845,947, ,247,849, ,649,651, ,242,442, ,544,144, ,845,947, ,247,849, ,649,651,9

5 José Paschoal Rossetti 5 1. O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente global Aspectos relevantes do ambiente global EXPANSÃO COM MUDANÇAS DE ALTO IMPACTO Expansão positiva do PMB, definindo patamares absolutos historicamente inusitados. Avanço dos processos de globalização/desfronteirização. Macroalianças nacionais: constituição de uniões, mercados comuns, blocos de integração. Abertura de mercados: global-localização das empresas e entrada de novos competidores em todos os negócios. Impactos, sem precedentes históricos, da onda global de fusões, aquisições e alianças. Constituição de megacompetidores, presentes em todas as cadeias de negócios. Concorrência crescentemente acirrada, mais densa e de maior peso. Competidores crescentemente mais qualificados. Novo posicionamento do estado: desengajamento como produtor (privatizações) e maior engajamento como regulador (criação de agências nacionais).

6 José Paschoal Rossetti 6 1. O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente global Aspectos relevantes do ambiente global FLUXOS REAIS CRESCENTES INTERFRONTEIRAS ANOS US$ TRILHÕES CORRENTES COMÉRCIO MUNDIAL (EXPORTAÇÕES + IMPORTAÇÕES) RELAÇÃO (%) COM PMB (a) 19700,721, ,026, ,733, ,639, ,839, ,540, ,538, ,541, ,445, ,146, ,445, ,347, ,248,9 Projeções (b) ,250, ,865,5 (a) PMB expresso pelo critério taxas de câmbio ajustadas. (b) US$ de 2001.

7 José Paschoal Rossetti 7 1. O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente global Aspectos relevantes do ambiente global FLUXOS CRESCENTES DE INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO Relações IED/PMB Períodos Relações 1,89 2,06 2,45 3,08 US$ Bilhões (Médias anuais)

8 José Paschoal Rossetti 8 1. O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente global Aspectos relevantes do ambiente global MAIOR DISPERSÃO DOS FLUXOS GLOBAIS DE IED ANOS PAÍSES DESENVOLVIDOS EMERGENTES E EM DESENVOLVIMENTO DESTINOS DOS IED (% DO TOTAL) EM TRANSIÇÃO INSTITUCIONAL Estimativa anos 70 e ,016,50, ,426,71, ,429,72, ,434,43, ,140,52, ,032,44, ,438,03, ,136,84, ,826,23, ,623,92,5 85,015,0 – 66,830,13,1 Média ponderada anos 90 Tendência

9 José Paschoal Rossetti 9 1. O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente global Aspectos relevantes do ambiente global MUDANÇA NA ESTRUTURA DA COMPETIÇÃO GLOBAL ,146, ,730, ,122, ,420, ,828, ,824, ,126, ,417, ,323,7 ANOS FUSÕES E AQUISIÇÕES NOVOS PROJETOS APLICAÇÕES DO IED (% DO TOTAL) Média ponderada anos 90 75,824,2 Tendências

10 José Paschoal Rossetti O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente nacional Aspectos relevantes do ambiente nacional AS GRANDES MUDANÇAS: EM DIREÇÃO A UMA NOVA ORDEM A política. Desradicalização político-ideológica. O governo. A nova postura: do autoritarismo ao poder compartilhado. A estratégia. Reorientação: revisão radical dos fundamentos. As empresas. A nova postura: reengenharia de negócios, benchmarking, competitividade, certificações.

11 José Paschoal Rossetti O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente nacional Aspectos relevantes do ambiente nacional AS GRANDES MUDANÇAS: REORDENAMENTOS ESTRATÉGICOS POLÍTICA, GOVERNO E ESTRATÉGIA EMPRESAS DePara Radicalização ideológica. Degradação de valores. Estado ditatorial. Centralismo e estatização. Interesses históricos resistentes. Nacionalismo e protecionismo. Estratégia de auto- suficiência. Radicalização ideológica. Degradação de valores. Estado ditatorial. Centralismo e estatização. Interesses históricos resistentes. Nacionalismo e protecionismo. Estratégia de auto- suficiência. Desradicalização. Restauração. Estado de direito. Poder compartilhado e desengajamento do estado-empresário. Reformas estruturais. Abertura de mercados. Modelo de integração. Desradicalização. Restauração. Estado de direito. Poder compartilhado e desengajamento do estado-empresário. Reformas estruturais. Abertura de mercados. Modelo de integração. Cartelizações. Cartorização. Verticalizações. Operações deficientes: Inflação. Reservas de mercado. Introversão. Empresariamento fechado. Sucateamento de plantas. Cartelizações. Cartorização. Verticalizações. Operações deficientes: Inflação. Reservas de mercado. Introversão. Empresariamento fechado. Sucateamento de plantas. Competição. Desregulamentação. Focalização. Produtividade: Moeda estável. Abertura. Global-localização. Alianças e fusões. Defasagem tecnológica zero. Competição. Desregulamentação. Focalização. Produtividade: Moeda estável. Abertura. Global-localização. Alianças e fusões. Defasagem tecnológica zero.

12 José Paschoal Rossetti O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente nacional Aspectos relevantes do ambiente nacional ,0 32,3 25,3 21,2 17,1 14,2 14,5 13,6 13,8 16,7 10,8 11,5 41,0 32,3 25,3 21,2 17,1 14,2 14,5 13,6 13,8 16,7 10,8 11,5 100,0 96,0 104,6 106,8 115,3 126,7 130,3 140,9 151,7 160,2 171,6 172,5 100,0 96,0 104,6 106,8 115,3 126,7 130,3 140,9 151,7 160,2 171,6 172,5 Anos Tarifas médias de importação Produtividade Industrial (Produto p/ hora trabalhada) O TRADE-OFF ABERTURA-PRODUTIVIDADE – 36 – 32 – 28 – 26 – 22 – 18 – 14 – 10 – 0 |||||||| Tarifas Produtividade 2000

13 José Paschoal Rossetti O novo ambiente de negócios Aspectos relevantes do ambiente nacional Aspectos relevantes do ambiente nacional O NOVO AMBIENTE COMPETITIVO Declínio do modelo nacionalista. Estratégia de extroversão competitiva, com alta inserção global. Nova configuração do balanço internacional de pagamentos: equilíbrio por megaingressos de capitais, em substituição aos megasuperávits comerciais. Alta atratividade para ingresso de investimentos estrangeiros diretos. Presença crescente de empresas globais. Reestruturações setoriais, envolvendo controle e modelos de gestão. Nova estrutura de competição em praticamente todos os negócios: Fusões e aquisições Entrada de novos players Competidores mais agressivos Um novo par paradoxal: maior concentração, com maior competição. Crescente deslocamento, para o interior, dos pólos de desenvolvimento econômico e social. Maior acesso das classes de média e baixa renda a todos os mercados. Processo de inclusão política ocorrendo em maior velocidade que o de inclusão sócio- econômica: mudanças à vista no cenário político.

14 José Paschoal Rossetti O novo ambiente de negócios Uma síntese das grandes mudanças Uma síntese das grandes mudanças BRASIL: AS GRANDES MUDANÇAS NAS CADEIAS DE SUPRIMENTOS E DE PROCESSAMENTO Redução do custo total médio de produção. Compressão de margens. Redução dos preços finais. Oferta/Procura Leque mais aberto de produtos finais. Maior elasticidade-preço da procura. Mercados Aumento da relação RR/PP. Maior acesso dos estratos de baixa renda. Cadeias finais Mudança na demanda agregada de consumo. Maior proporção dos bens duráveis. Ampliação das cadeias de suprimentos à demanda final. Tecnologia Assimilação do mundo virtual pelo consumidor. Obsolência tecnológica antecipando-se à funcional. Renovação de estoques: estimulação dos fluxos de demanda. Destruição de postos de trabalho a montante. Novos (e ainda desconhecidos) efeitos multiplicadores. Criação de postos de trabalho a jusante. Estratégia nacional Abertura/integração. Competição globalizada. Privatizações. Desregulamentação. Estratégia de negócios Reestruturações setoriais. Alianças, fusões e aquisições. Internacionalização das cadeias produtivas. Reducionismo: menor quantidade de insumos por unidade de produto final. Produtividade como meta crucial. Gestão de empresas Reengenharia de processos. Redesenho organizacional. Assimilação do e-management. Tecnologia Automação avançada. Mecatrônica/robótica. Assimilação do e-business.

15 José Paschoal Rossetti O novo ambiente de negócios Uma síntese das grandes mudanças Uma síntese das grandes mudanças A RECONFIGURAÇÃO DOS MERCADOS ABCDEABCDE Acesso fácil Produtos mais sofisticados Baixos custos de oportunidade Acesso difícil Produtos mais simples Altos custos de oportunidade MERCADOS DE BENS E SERVIÇOS FINAIS PopulaçãoRenda Nacional Estratos sócio-econômicos

16 José Paschoal Rossetti As múltiplas dimensões da competitividade Ampla visão Ampla visão AS CONDIÇÕES DO AMBIENTE EXTERNO E AS DEFINIDAS PELAS EMPRESAS CONDIÇÕES SISTÊMICAS Macrofatores: Instituições. Economia. Infra-estrutura. Microfatores: Management. Escalas. Produtividade. Mercados. CONDIÇÕES SETORIAIS Rivalidades construtivas. Cadeias competitivas. Aglomerações. Mercados exigentes. CONDIÇÕES EMPRESARIAIS Estratégia de negócios. Inserção global. Pessoas e gestão. Plantas e tecnologias. Criação de riqueza.

17 José Paschoal Rossetti As múltiplas dimensões da competitividade O diamante de Porter O diamante de Porter O AMBIENTE DE NEGÓCIOS EM QUATRO DIMENSÕES AGLOMERAÇÕES Massa crítica de desenvolvimento. CADEIAS DE SUPRIMENTOS Disponibilidade, qualidade e custos. MERCADOS EXIGENTES Pressões crescentes por melhorias. RIVALIDADE ENTRE EMPRESAS Vigorosa competição.

18 José Paschoal Rossetti As múltiplas dimensões da competitividade Fatores sistêmicos Fatores sistêmicos n = Número de variáveis por fator Instituições Condições políticas e legais e sistema de valores alavancadores de negócios Condições Sistêmicas de Competitividade Mercado de Trabalho e Pessoas Disponibilidade e qualificação dos recursos humanos Abertura Participação nos fluxos internacionais de comércio e investimentos Ciência e Tecnologia Capacitação tecnológica e científica de geração e absorção Governo Grau em que as políticas do governo induzem a competitividade Infra-estrutura Recursos e sistemas adequados para servir às necessidades básicas dos negócios Management Empresas governadas de forma inovadora, rentável e responsável Finanças Desempenho do mercado de capitais, qualidade e custos dos serviços financeiros n = 42n = 27n = 34 n = 25 n = 28 n = 17

19 José Paschoal Rossetti As múltiplas dimensões da competitividade Fatores sistêmicos Fatores sistêmicos PREMISSAS DE AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES SISTÊMICAS FATORES PREMISSAS 1. Abertura 2. Governo 3. Finanças 4. Tecnologia 5. Infra-estrutura 6. Gestão 7. Trabalho 8. Instituições 1. Abertura 2. Governo 3. Finanças 4. Tecnologia 5. Infra-estrutura 6. Gestão 7. Trabalho 8. Instituições Redução das barreiras Maior participação no comércio mundial Maior receptividade a investimentos Menor interferência Competência: eficácia em tributar e alocar Menor número de tributos e alíquota agregada menor Desestatização: menor tamanho Menor spread Intermediação: extensão e eficiência Menor risco financeiro Alta relação poupança/PIB Maior geração doméstica Capacidade de absorção Ampla, suficiente e tecnologicamente atualizada Suporte para execução de projetos Custos competitivos em termos globais Bom desempenho em indicadores estratégicos e funcionais Capacitação dos quadros Habilidade e produtividade Flexibilidade e eficiência de programas sociais Negociações eficazes: menos problemas Qualidade de instituições legais: eficiência funcional Segurança pública e segurança social Rigidez em leis anti-truste e anti-monopólio Redução das barreiras Maior participação no comércio mundial Maior receptividade a investimentos Menor interferência Competência: eficácia em tributar e alocar Menor número de tributos e alíquota agregada menor Desestatização: menor tamanho Menor spread Intermediação: extensão e eficiência Menor risco financeiro Alta relação poupança/PIB Maior geração doméstica Capacidade de absorção Ampla, suficiente e tecnologicamente atualizada Suporte para execução de projetos Custos competitivos em termos globais Bom desempenho em indicadores estratégicos e funcionais Capacitação dos quadros Habilidade e produtividade Flexibilidade e eficiência de programas sociais Negociações eficazes: menos problemas Qualidade de instituições legais: eficiência funcional Segurança pública e segurança social Rigidez em leis anti-truste e anti-monopólio

20 José Paschoal Rossetti As múltiplas dimensões da competitividade Aglomerados e cadeias Aglomerados e cadeias Massa Crítica de Fornecedores Atração de fornecedores próximos, com ganhos logísticos Aglomerados e cadeias competitivas Sinergias e Informações Capacitações ampliadas Segmentos Integrados P&D de materiais, processos e produtos Políticas Públicas de Apoio Regulação e investimentos infra-estruturais Rivalidade Criativa Avanços conjuntos, mas competitivos Esforços Compartilhados Foco em inovações, equalizações globais e busca por melhores práticas Promoções Conjuntas Foros de desenvolvimento e exposição de resultados Investimentos Interconectados Atração de investidores para suprimentos complementares

21 José Paschoal Rossetti As múltiplas dimensões da competitividade Empresas competitivas Empresas competitivas Tecnologia e Operações Qualificação das unidades de produção e das redes externas de conexão com mercados A Empresa Competitiva: Fatores-Chave Inserção Global Estruturas instaladas, acesso a tecnologias e a recursos, presença em megamercados Estratégia de Negócios Visão, clareza, comprometimento, agressividade e exeqüibilidade Posicionamento no Ambiente de Negócios Fatores críticos de sucesso: equalização com melhores competidores globais. Criação de Riqueza Criação de riqueza para os acionistas, em condições socialmente sancionáveis RH e Gestão Ética, liderança, estrutura, processos e clima: orientação para resultados

22 José Paschoal Rossetti As múltiplas dimensões da competitividade Posicionamento do Brasil Posicionamento do Brasil QUADRO DE REFERÊNCIA DE AVALIAÇÕES COMPARATIVAS: CRITÉRIO IMD Eficiência Governamental Performance econômica Condições infra-estruturais Eficiência empresarial Condições institucionais Fundamentos macro Sistema de valores Impacto da globalização Estratégia nacional Emprego e crescimento Infra-estrutura econômica Práticas de gestão Política educacional Estabilidade dos preços C&TProdutividade Finanças públicas Fluxos externos reais P&D Mercado de trabalho Política tributária Fluxos externos financeiros Meio ambiente Mercado financeiro

23 José Paschoal Rossetti As múltiplas dimensões da competitividade Posicionamento do Brasil Posicionamento do Brasil O BRASIL NO RANKING GLOBAL SUBCONJUNTOS DE FATORES Eficiência governamental Performance econômica Condições infra-estruturais Eficiência empresarial Eficiência governamental Performance econômica Condições infra-estruturais Eficiência empresarial POSIÇÃO PONDERADA

24 José Paschoal Rossetti 24 Posicionamento do Brasil Posicionamento do Brasil 2. As múltiplas dimensões da competitividade Estados Unidos: 1º no ranking Brasil: 31º no ranking Eficiência governamental Eficiência empresarial Infra-estruturas Performance econômica

25 José Paschoal Rossetti 25 Posicionamento do Brasil Posicionamento do Brasil 2. As múltiplas dimensões da competitividade POSICIONAMENTOS COMPARATIVOS EM RANKINGS GLOBAIS Rank Países Tamanho da economia PNB/PPA Imagem mundial IDH Competitividade Capacidade empreen- dedora Gestão das empresas Todos os fatores Estados Unidos Brasil 1º 9º 4º 32º 3º 41º 3º 20º 1º 20º 1º 31º IDH 3º 32º Grau de Globali- zação

26 José Paschoal Rossetti 26 Fatores sistêmicos Fatores sistêmicos PERCEPÇÃO DO SETOR: AS CONDIÇÕES SISTÊMICAS NO BRASIL 3. A Competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Fatores ConsideradosAvaliação Gestão Instituições e Economia Finanças Internacionalização Infra-estrutura Ciência e Tecnologia Pessoas e Mercado de Trabalho Governo 7,32 6,46 6,08 5,91 5,76 5,10 4,99 4,79 Média de todos os fatores 5,80

27 José Paschoal Rossetti 27 Fatores sistêmicos Fatores sistêmicos PERCEPÇÃO DO SETOR: AS DEZ MELHORES CONDIÇÕES SISTÊMICAS 3. A Competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Indicadores ConsideradosAvaliação Preocupação das empresas com o binômio produtividade- competitividade. Eficiência operacional das empresas. Valores, cultura e posturas observadas na gestão das empresas. Qualidade da estratégia das empresas. Tecnologia e agilidade do sistema financeiro. Qualificação, habilidade e preparação profissional dos trabalhadores. Disponibilidade e eficácia dos sistemas de telecomunicações. Qualidade das escolas de administração. Abrangência institucional e portfólio de produtos financeiros. Estabilidade macroeconômica. 7,86 7,61 7,18 7,14 6,96 6,89 6,86 6,79 6,71 6,50

28 José Paschoal Rossetti 28 Fatores sistêmicos Fatores sistêmicos PERCEPÇÃO DO SETOR: AS DEZ PIORES CONDIÇÕES SISTÊMICAS 3. A Competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Indicadores ConsideradosAvaliação Legislação trabalhista e encargos sociais. Investimento público em P&D. Estrutura tributária. Qualidade da administração pública. Movimento e pressões sindicais. Disponibilidade de energia. Grau de interferência do governo nos mercados. Condução das reformas estruturais que impactam positivamente a competitividade. Custo e disponibilidade das fontes de financiamento. Comportamentos adversos das pessoas (absenteísmo, turnover). 3,07 3,89 4,04 4,25 4,61 4,68 4,96 5,07 5,21 5,39

29 José Paschoal Rossetti 29 Fatores de impulsão Fatores de impulsão FATORES EXTERNOS QUE TÊM IMPULSIONADO A BUSCA DA COMPETITIVIDADE PELO SETOR 3. A Competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Os mais importantes Os menos importantes 1ºPrivatização do setor. 2ºPressões crescentes dos clientes mundiais pela combinação de alta qualidade com preços baixos. 3ºPressões crescentes dos clientes nacionais pela combinação de alta qualidade com preços baixos. 4ºEstratégias competitivas mais agressivas dos concorrentes nacionais e globais. 5ºCompetição mais robusta: fusões e aquisições no exterior e no país. 6ºQuebra de barreiras de entrada no setor: presença crescente de global players no país. 7ºGlobalização dos mercados. Global procurement. 8ºDesenvolvimento de substitutos para o aço e outros metais. 9ºCrescente sensibilidade dos clientes à ampliação dos produtos: certificações, garantias e serviços. 10ºOportunidades de substituição de outros insumos pelo aço e outros metais.

30 José Paschoal Rossetti 30 Fatores de impulsão Fatores de impulsão IMPORTÂNCIA ATRIBUÍDA A FATORES INTERNOS QUE CONTRIBUEM PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE 3. A Competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Os mais importantes Os menos importantes 1ºEscalas de produção. 2ºQualidade dos produtos. 3ºTecnologias de processo produtivo. 4ºCustos e preços comprimidos. 5ºModelo eficaz de distribuição. 6ºPesquisa e compreensão do mercado. 7ºProdutos inovativos.

31 José Paschoal Rossetti 31 Posicionamento: auto-avaliação Posicionamento: auto-avaliação AVALIAÇÃO DO POSICIONAMENTO COMPETITIVO E DO DESEMPENHO DAS EMPRESAS, SEGUNDO GRANDES CONJUNTOS DE FATORES 3. A Competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Conjuntos de fatores Avaliação média (Escala 0 a 10) Estratégia de negócios Desempenho econômico-financeiro Desempenho no ambiente de negócios Recursos humanos e gestão Sítios de operações e perfil tecnológico Grau de inserção global 7,7 7,4 7,3 6,9 6,2 MÉDIA DE TODOS OS CONJUNTOS7,1

32 José Paschoal Rossetti 32 Posicionamento: auto-avaliação Posicionamento: auto-avaliação SÍNTESE DO POSICIONAMENTO COMPETITIVO DO SETOR 3. A Competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Alta Mediana Baixa BaixaMedianaAlta 10,0 6,7 3,3 0 3,3 6,7 10,0 Qualidade da Estratégia Desempenho Operacional

33 José Paschoal Rossetti 33 Posicionamento: auto-avaliação Posicionamento: auto-avaliação 3. A Competitividade do setor mínero-metalúrgico brasileiro Desempenho no ambiente de negócios Recursos Humanos e gestão Sítios de operações e perfil tecnológico Grau de inserção global Estratégia de negócios Desempenho econômico-financeiro Competências Hiatos

34 José Paschoal Rossetti 34 O novo mundo corporativo O novo mundo corporativo 4. Os grandes desafios Quebra de barreiras de entrada em praticamente todos os mercados: Mudanças na estrutura da concorrência (novos players). Substitutos: leque aberto. Maior elasticidade da procura: erosão dos preços. Margens comprimidas. Economias crescentes de escala como resposta: deslocamento para baixo da curva de custo total médio. Mudanças na estrutura de custos: Expansão: P&D (materiais, processos, produtos e soluções), ampliação do produto (atenções pré e pós-venda, garantias, serviços) e distribuição. Redução: estrutura organizacional e processos. Conluios e cartéis em baixa. Alianças estratégicas e fusões em alta: Riscos compartilhados. Economias de escala. Maior âmbito geográfico de atuação. Complementação de capacitações. Nova estrutura da concorrência: Concentração em termos globais. Maior número de competidores nos mercados nacionais. Mudanças de países e empresas nos rankings de competitividade. BARREIRAS QUEBRADAS E NOVA ESTRUTURA DA CONCORRÊNCIA

35 José Paschoal Rossetti 35 A reconfiguração do setor no Brasil A reconfiguração do setor no Brasil 4. Os grandes desafios A. ESTRUTURA DO CAPITAL 100% 0 100% 0 Estatais Setor privado Grupos privados nacionais Global players 100% 0 Setor privado Estatais Décadas precedentes Anos 90Visão

36 José Paschoal Rossetti 36 A reconfiguração do setor no Brasil A reconfiguração do setor no Brasil 4. Os grandes desafios B. GLOBAL-LOCALIZAÇÃO DOS GRUPOS PRIVADOS NACIONAIS Estruturas de atuação estabelecidas no Brasil Estruturas globais de atuação Visão 0 100%

37 José Paschoal Rossetti Os grandes desafios C. GESTÃO: ÊNFASES E POSTURAS Voltadas para dentro: a prevalência da usina Voltadas para fora: a prevalência do mercado Visão 0 100% A reconfiguração do setor no Brasil A reconfiguração do setor no Brasil

38 José Paschoal Rossetti Os grandes desafios D. PRODUTOS AMPLIADOS: A LÓGICA ESTRATÉGICA DA DIFERENCIAÇÃO Produtos ampliados Logística e centros de serviços descentralizados Presença nos clientes Desenvolvimento de soluções Alianças a jusante Negócios e produtos as usual Visão 0 100% A reconfiguração do setor no Brasil A reconfiguração do setor no Brasil

39 José Paschoal Rossetti 39 A construção da competitividade A construção da competitividade 4. Os grandes desafios Vantagens Comparativas Vantagens Competitivas A riqueza é definida pela disponibilidade de recursos naturais A riqueza é criada pelas escolhas da nação: governos, empresas, pessoas A prosperidade nacional é criada, não herdada. Ela não brota dos atributos geoeconômicos de um país, mas de condições construídas, da capacidade de inovação e da competição a que suas empresas são submetidas. M. Porter, The Competitive Advantage of Nations


Carregar ppt "José Paschoal Rossetti 1 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE METALURGIA E MATERIAIS – ABM 56º Congresso Anual – Internacional José Paschoal Rossetti Pesquisador e."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google